VENDAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS VOLTAM A CRESCER

//VENDAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS VOLTAM A CRESCER

No Valor Econômico desta segunda-feira (6), reportagem destaca que o clima deverá trazer bons ventos para as empresas de defensivos no Brasil em 2017. “A expectativa de boa safra para as principais culturas plantadas no país nesta temporada 2016/17 e o aumento da umidade, que favorece a incidência de pragas e doenças, já começaram a ampliar a demanda doméstica por agrotóxicos, e, com isso – e com um câmbio mais estável, já que grande parte da oferta é importada -, a expectativa é que o faturamento com as vendas retome neste ano a tendência de alta que vinha sendo observada até 2014”, afirma trecho da publicação. “Estima-se que a receita das vendas no segmento tenha encerrado o ano passado em um patamar próximo ao observado em 2015. E isso graças ao desempenho do segundo semestre. No primeiro, o mercado refletiu as quebras de safra da temporada 2015/16 causadas pelo El Niño. As intensas oscilações cambiais de grande parte de 2016 também deixaram os produtores mais cautelosos e afetaram as vendas”, diz outro trecho da reportagem.

Drones pulverizadores

No site do Canal Rural, reportagem apresenta notícia sobre uma empresa alemã de drones que testou entre os anos de 2014 e 2016 a aplicação dos veículos não tripulados para pulverizar lavouras com bio-pesticidas e fertilizante líquidos na Ucrânia. “Durante esse período, técnicos avaliaram os resultados e reformataram os softwares de voo durante as simulações para atrair investidores para a produção em larga escala. As informações são da revista norte-americana UAS Magazine, especializada em veículos não-tripulados”, afirma trecho da publicação. “O drone é projetado para voar em cerca de 22 metros acima do campo. Do início ao fim, a unidade voa de forma autônoma, embora um piloto operador possa assumir o controle da unidade para gerenciar obstáculos como linhas de alta tensão ou árvores”, diz outra parte da publicação. A reportagem, publicada no domingo (5), ressalta também que a tecnologia ainda está em desenvolvimento, mas a expectativa é de que seja disponibilizada ao mercado em breve.

Conversão para cargueiros

O jornal O Globo de domingo (5) destaca em reportagem que depois de cerca de 20 anos de pousos e decolagens levando passageiros pelo mundo, os aviões atingem a meia idade, quando ainda mantêm sua capacidade de voar, mas as condições internas de conforto começam a ficar restritas ou ultrapassadas para a maioria dos passageiros. “Essas aeronaves que vão sendo encostadas pelas companhias aéreas mantêm ainda boa confiabilidade para empresas de carga, que podem comprá-las pagando menos do que pagariam por uma nova, e convertê-las para voarem por até mais 20 anos. Essa procura por conversão em cargueiros está mais aquecida do que nunca no mundo, principalmente por causa do avanço do comércio eletrônico. No ano passado, a gigante Amazon anunciou que comprará 40 aeronaves desse tipo, por meio de parceiros, para que suas mercadorias cheguem mais rapidamente a seus clientes. Na última quinta-feira, a empresa anunciou investimentos de US$ 1,49 bilhão em um centro de distribuição de voos perto de Cincinatti, nos EUA. Outros sites de vendas globais também estão atuando nesse mercado, como o AliExpress, da China. No passado, quem costumava comprar mais aeronaves convertidas para transportar encomendas eram empresas de encomendas, como a Fedex”, afirma trecho da publicação.

Unilever planeja mudanças

A pressão dos consumidores pela oferta de alimentos mais saudáveis fará com que a Unilever, gigante mundial dona de marcas como Hellmann’s, Knorr e Kibon, modifique boa parte de seus produtos nos próximos três anos. Conforme reportagem da Folha de S.Paulo, publicada no sábado (4), para não perder mercado, a companhia traçou como meta que, em 2020, 6 em cada 10 de suas mercadorias tenham os “mais elevados padrões de nutrição”. “Tal compromisso, que inclui redução de sal, caloria, gordura e açúcar nos alimentos, exigirá uma transformação no portfólio da empresa no Brasil”, diz a reportagem. Hoje, apenas 15% dos produtos vendidos pela Unilever no país estão dentro do patamar de exigência imposto pela multinacional, afirmou a britânica Amanda Sourry, presidente mundial da Unilever Foods, em entrevista à Folha.

NA IMPRENSA
Mapa – Blairo Maggi diz que o Riispoa está sendo reformuladoMapa – Blairo Maggi participa de reunião do Conselho do Agronegócio na Fiesp

Mapa – Missão Internacional Rússia e Brasil discutem ampliação do agronegócio

Mapa – Concessão de crédito ao setor cafeeiro pode chegar a R$ 3,3 bilhões até abril

Embrapa – Embrapa Arroz e Feijão tem novo chefe-Geral

Canal Rural – Sistema Integrado de Agrotóxicos será lançado este ano

Canal Rural – Empresa desenvolve drone pulverizador autônomo

Piloto Policial – Bombeiros usam drone para prevenção e salvamento em praias do Rio

G1 – Setor aéreo gerou produção de R$ 577 milhões ao Amapá, diz Abear

Boa Informação – Aeroporto Internacional de Guarulhos demite 170 funcionários em três dias

Show Rural – Tecnologias para redução de custos e incremento de produtividade para o pequeno e médio produtor

Folha de S.Paulo – Marcos Sawaya Jank – Agrofalácia sobre agricultura e agricultores

Folha de S.Paulo – Gigante mundial dos alimentos acelera aposta em comida saudável

O Estado de S.Paulo – Isentos de IR, títulos do agronegócio ganham espaço

O Estado de S.Paulo – Congonhas não deve ser privatizado e será administrado por ‘Nova Infraero’

O Estado de S.Paulo – Aeroportos vão a leilão com menos passageiros

Estado de Minas – Programa para aviação regional será modesto

Amazonas Atual – Aviação terá subsídios apenas nos aeroportos da Amazônia

Diário Online – CFMV expõe revolta contra curso a distância

O Globo – Cresce a conversão de aeronaves usadas em transporte de passageiros para cargueiros

O Globo – Brasil e Argentina negociarão abertura do mercado de açúcar no Mercosul

Zero Hora – Área irrigada de milho dobra em cinco anos no RS, mas há muito a expandir

Zero Hora – Voz Campeira – Registro de produtos fitossanitários no Brasil: necessidade de agilização

Zero Hora – Carlos Nabinger – Aumentar a produção sim, mas também parar de desperdiçar

Zero Hora – Fertilizantes podem causar desequilíbrios no ambiente?

Zero Hora – Oportunidades e desafios para o Brasil livre da influenza aviária

Valor Econômico – Vendas de defensivos voltam a crescer

Valor Econômico – Moagem de cacau é a pior em sete anos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »