Traça na uva é combatida com aviões agrícolas

//Traça na uva é combatida com aviões agrícolas
O governo da província argentina de San Juan, no oeste argentino, deve iniciar em outubro uma rodada de aplicações aéreas contra a traça da uva (Lobesia botrana). A região é a segunda mais importante em produção de vinhos no país e concentra importantes vinícolas do país onde são cultivadas, entre outras variedades, as uvas Malbec que dão origem a vinhos finos, destacou o portal AgroLink nesta quinta-feira (22). As pulverizações devem abranger 25 mil hectares de videiras, mais da metade do total no local. O Programa de Controle e Erradicação da Lobesia começou neste mês, com a distribuição de armadilhas de feromônios para mil produtores, que detém 10 mil hectares de videiras. A estratégia nesses locais é capturar insetos no primeiro voo como adultos. A segunda etapa será a de aplicações aéreas de inseticidas. Mais conhecida como traça européia dos cachos da videira também ataca oliveiras. O inseto se alimenta das frutas, causando perdas pela podridão e as lagartas mais velhas tecem fios de seda que unem frutos, em seguida penetram neles. Esta traça pode produzir de 2 a 4 gerações por ano, dependendo da duração do verão na região. No Brasil a praga está classificada como quarentenária ausente. A praga foi detectada pela primeira vez em Mendoza, em 2010, e em San Juan 2 anos depois. Só em San Juan, são cerca de 1,8 mil armadilhas, distribuídas em todos os departamentos que possuem vinhedos. Elas são monitoradas constantemente para se detectar a presença do inseto a tempo de seu controle. Neste ano o investimento oficial na campanha contra a peste é de 300 milhões de pesos argentinos (equivalente a R$ 22,2 milhões). As campanhas locais chegaram a reduzir em 95% a presença da traça da uva na província no final de 2018. Apesar de segura, eficiente e crucial para a região, o uso de aviação agrícola contra a traça da uva no oeste argentino já esteve no centro de uma polêmica em relação ao impacto ambiental e danos às abelhas. Testes de campo aplicaram produto diretamente sobre 30 colmeias e com outras em uma faixa de 100 metros ao redor. O ensaio foi acompanhado por um especialista em apicultura e criadores de abelhas. Todos verificaram o estado das colmeias antes, pouco depois e uma semana após a aplicação, sem detectar mortandade ou mesmo alterações na rotina das abelhas.

Seguros agrícolas de uva e de outras cinco frutas serão avaliados em videoconferência do Mapa

Nesta quinta-feira (22), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que realizará no dia 30 de outubro, às 15h, uma videoconferência do projeto Monitor do Seguro Rural, dedicada aos seguros agrícolas das frutas de uva, abacaxi, melancia, pera, mamão e kiwi. O objetivo é avaliar os produtos e serviços ofertados pelas seguradoras e propor aperfeiçoamentos nos seguros agrícolas dessas atividades. Para participar da videoconferência, basta acessar o seguinte link da plataforma TEAMS na data e horário agendados: tinyurl.com/msrfrutas2. O trabalho é coordenado pelo Departamento de Gestão de Riscos do Mapa e terá a participação de produtores com o apoio das entidades representativas do setor, cooperativas, associações, revendas de insumos, companhias seguradoras, empresas resseguradoras, corretores, peritos e instituições financeiras. O seguro agrícola de uva é ofertado por seis companhias de seguro habilitadas no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) em praticamente todas as regiões produtoras, variando as seguradoras ofertantes conforme a região. O destaque entre os estados é o Rio Grande do Sul, com 83% das apólices contratadas, seguido de São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Em 2019, foram contratadas quase nove mil apólices em uma área de 50 mil hectares, números que podem se repetir em 2020. Já as frutas como abacaxi, melancia, pera, mamão e kiwi têm contratação incipiente de seguro agrícola, que cobre em torno de 2 mil hectares no país. O projeto já avaliou diversas modalidades de seguros rurais desde julho desse ano e estão previstas outras videoconferências ainda em 2020 e em 2021. Os seguros de frutas de maçã, caqui, laranja, nectarina, maracujá, ameixa, pêssego e tangerina já foram avaliados em 2020. As gravações e apresentações das edições anteriores do Monitor de Seguro Rural podem ser acessadas aqui: https://tinyurl.com/msrarquivos. O cronograma de eventos por videoconferência do Monitor, que começou em julho deste ano e se estende até final de 2022, tem a finalidade de identificar e propor melhorias nos serviços de seguro para mais de 60 atividades de grãos, frutas, olerícolas, pecuária, florestas, aquícola, café e outras culturas. O monitor é uma oportunidade para os produtores e as cooperativas, com as entidades representativas, construírem soluções em conjunto com as seguradoras e o apoio do Mapa. Mais informações sobre o Monitor podem ser obtidas pelo e-mail: seguro@agricultura.gov.br. O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize apólice de seguro rural. Atualmente, 14 seguradoras estão habilitadas para operar no PSR.

Ministério instala o Conselho Estratégico do Programa Nacional de Bioinsumos

O Ministério da Agricultura instalou, nesta quarta-feira (21), o Conselho Estratégico do Programa Nacional de Bioinsumos, grupo formado pelo governo e membros da sociedade civil para monitorar e sugerir ações em uma das áreas tratadas como prioridade pela gestão da ministra Tereza Cristina. Com crescimento em torno de 15% ao ano, a bioeconomia já movimenta cerca de R$ 1 bilhão no Brasil. Nos últimos três anos, cerca de 200 defensivos biológicos foram registrados. A produção “on farm” é uma das demandas que deve ser atendida em breve para impulsionar ainda mais o segmento, que tem potencial para chegar a mais 19 milhões de hectares nos próximos anos. “Temos uma estimativa de que os produtos biológicos já movimentam US$ 5 bilhões no mercado global e isso pode chegar a 10 bilhões em 2025”, afirmou o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação da Pasta, Fernando Camargo, ao Valor Econômico. Segundo Camargo, a participação de produtos biológicos no mercado de defensivos no Brasil subiu de 1,5%, na safra 2017/18, 2,6% em 2019/20. “Mais de 20% da área plantada de soja já conta com o uso de produtos biológicos e a perspectiva é mais que dobrar a cada ano”. O secretário destacou que 13% das startups do agronegócio se dedicam a produtos biológicos. Um dos pontos que devem ajudar a bioeconomia a avançar no campo é a regulamentação da produção de biofertilizantes “on farm”, pelos próprios produtores nas fazendas. O tema está em consulta pública pela Secretaria de Defesa Agropecuária e vai ser publicado em instrução normativa em breve. O conselho é presidido por Alessandro Cruvinel, coordenador de Melhoramento e Recursos Genéticos da Secretaria de Inovação do ministério.

Ipea eleva estimativa para o crescimento do PIB da agropecuária

A produção recorde de soja na safra 2019/20 e a confirmação de colheitas robustas de milho e de café, além dos elevados preços dos grãos, motivaram o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a elevar para 1,9% sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária do país em 2020, informou o Valor Econômico nesta quinta-feira (22). Em setembro, o órgão projetou o avanço em 1,6%. O resultado poderia ser até melhor, caso a pecuária e as atividades de base florestal e pesca não estivessem com previsões de quedas de 1,5% e 6,5%, respectivamente. Para as lavouras, a expectativa é de incremento de 3,9%, liderado pela soja. “O aumento da demanda no mercado internacional, combinado com a queda na produção de soja dos Estados Unidos [na safra 2019/20], um câmbio favorável para as exportações e boa produtividade foram responsáveis pela expansão da produção nesta safra e pela manutenção da posição do Brasil de maior produtor mundial do grão. As revisões do milho e do café também contribuem para uma revisão positiva do resultado do PIB Agropecuário”, diz a Carta de Conjuntura divulgada hoje pelo Ipea. O resultado é semelhante nos dois cenários analisados pelo Ipea. As informações da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram aumentos na produção de culturas como soja (4,3%), café (25%), milho (2,5%) e trigo (33%) — para milho e soja, os números indicam safras recorde. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê crescimentos de 7% para a soja, 21,5% para o café e de 30,6% para o trigo. O instituto diverge da Conab sobre o milho e prevê queda de 0,1% na produção.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Câmara volta a debater sistema híbrido de votações no pós-pandemia

Agência Câmara – Ministério Público aponta falta de ação do governo federal em relação a queimadas

Agência Câmara – Frente parlamentar discute pauta ambientalista nas eleições municipais

Agência Câmara – Projeto permite embargo administrativo de obra responsável por queimada

Agência Senado – Parceria entre governantes pode viabilizar regularização fundiária, diz Confúcio

Agência Senado – Projeto do governo cria marco legal das startups e do empreendedorismo inovador

Agência Senado – Davi faz balanço positivo do esforço concentrado desta semana

Governo Federal – Vice-presidente diz que Governo deve atuar com indutor de desenvolvimento sustentável na Amazônia

O Estado de S.Paulo – Desmatamento ilegal é um ‘ruído’ na transformação ambiental do Brasil, dizem empresários

G1 – Vendas de máquinas agrícolas no Brasil podem crescer até 10% em 2020, diz especialista

G1 – Monsanto perde último recurso em caso de acidente com agricultor francês que inalou herbicida

G1 – Ibama relata ‘dificuldades’ e diz que ‘exaustão de recursos’ levou ao recolhimento das brigadas contra incêndios

G1 – Mourão diz que conversará com Salles sobre Ibama: ‘Não me informou nada’

G1 – Salles não comunicou Braga Neto e Guedes sobre interrupção de combate a incêndios

G1 – Ibama relata ‘dificuldades’ e diz que ‘exaustão de recursos’ levou ao recolhimento das brigadas contra incêndios

G1 – Ibama determina recolhimento de brigadas de combate a incêndios por falta de recursos

Valor Econômico – Ipea eleva estimativa para o crescimento do PIB da agropecuária

Valor Econômico – Fazendas urbanas conquistam consumidor

Valor Econômico – Ex-comandante da Rota deverá assumir presidência da Ceagesp na sexta-feira

Valor Econômico – Cade aprova aquisição da Biopalma pela BBF

Valor Econômico – Distribuidoras avançam em hedge de etanol

Valor Econômico – União de bactérias pode fazer a diferença em lavouras de soja

Valor Econômico – Ministério instala o Conselho Estratégico do Programa Nacional de Bioinsumos

CNA – Custos de Produção mantêm o movimento de alta em setembro

CNA – CNA representa setor empresarial no Conselho Estratégico do Programa Nacional de Bioinsumos

Mapa – Guaraná da Terra Indígena Andirá-Marau é a primeira Indicação Geográfica para povo indígena

Mapa – Seguros agrícolas de uva e de outras cinco frutas serão avaliados em videoconferência do Mapa

Embrapa – Evento sobre erva-mate vai discutir inovação e tecnologias para o setor

Embrapa – Perspectivas para a cultura do sorgo com foco em solos arenosos serão tratadas em evento

Canal Rural – Atraso do plantio no Brasil estende demanda chinesa pela soja dos EUA

Canal Rural – Soja e Milho: preços sobem após governo zerar alíquotas de importação

AgroLink – 70% da soja deve estar vendida quando a colheita iniciar, diz StoneX

AgroLink – Preço da batata registra alta no mês de outubro

AgroLink – PR: evento discute criação de laboratório de inovação

AgroLink – “Distribuidores garantem o alimento no mundo”, diz Andav

AgroLink – Regulador genético permite que as plantas se reidratem

AgroLink – “Há enorme potencial no mercado árabe”, diz ministra

AgroLink – Biológicos já movimentam R$ 1 bilhão no Brasil

AgroLink – Traça na uva é combatida com aviões agrícolas

AgroLink – Agricultor é dono do mercado de trigo

Noticias Agrícolas – Líderes empresariais debatem agenda estratégica do setor, amanhã, no 9º Fórum LIDE de Agronegócios

Portal do Agronegócio – Fertilizantes foram os químicos mais importados em setembro

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »