Tereza Cristina: ‘Quando nós falamos da China, mostramos os números’

//Tereza Cristina: ‘Quando nós falamos da China, mostramos os números’

Destino de 33% das exportações brasileiras do agronegócio em 2019, a China continua no foco do Ministério da Agricultura apesar das declarações de integrantes da alta cúpula do Executivo e de membros do Congresso contra o país asiático. A ministra Tereza Cristina não acredita que os chineses farão retaliações por causa dessas cotoveladas gratuitas, e disse que são “problemas operacionais” causados pela pandemia que impediram Pequim a dar sinal verde para novos frigoríficos do Brasil venderem seus produtos para aquele mercado. Puxados por soja em grão e carnes, os embarques nacionais do setor à China renderam US$ 27,1 bilhões em 2019. Nesse contexto, Tereza Cristina e o secretário de Comércio e Relações Internacionais do ministério, Orlando Ribeiro, não consideram necessário “defender” a relação comercial com o gigante asiático. “Quando falamos da China, mostramos os números”, afirmou a ministra ao Valor Econômico nesta quarta-feira (29). “Não há um viés pró-China aqui. Mas não podemos tratar mal quem compra um terço de tudo o que exportamos”, completou Ribeiro. Apesar da expectativa dos frigoríficos sobre novas habilitações chinesas, não há uma data definida para tal. No momento, oito unidades aguardam a aprovação final do governo chinês: seis de carne bovina, uma de aves e outra de suínos. E é a normalização dos serviços na Administração Geral de Alfândegas da China (GACC), que ainda estão lentos, que vai ditar o ritmo das habilitações. “Até semana retrasada, estava tudo fechado na China, e o GACC ainda não está recebendo ninguém para reuniões”, explicou a ministra. Desde o começo da gestão de Tereza Cristina no Ministério da Agricultura, foram abertos seis novos mercados na China para produtos brasileiros – melão, farelo de algodão, carne bovina termoprocessada, miúdos suínos, lácteos e pescados. No início de abril, pouco depois que o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República, insinuou que o novo coronavírus havia sido criado na China, e que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, ironizou o sotaque dos chineses, Pequim reabilitou uma planta da BRF em Dourados (MS). A importância do “casamento inevitável” com os chineses, citado esta semana pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, continuou a ser refletida na balança comercial brasileira desses primeiros meses de 2020. “Até a semana passada, o Brasil estava exportando para a Ásia – e claro que a China é grande parte disso – mais do que para Estados Unidos, União Europeia e Argentina juntos”, disse a ministra. Em 2019, a Ásia como um todo absorveu 52% das exportações do agronegócio brasileiro. “É natural, é muita boca para alimentar. Os países asiáticos são importadores natos de alimentos, e o Brasil é um exportador nato”, afirmou Tereza Cristina.

‘Se não fosse a presença da China, a agricultura do Brasil não seria do tamanho que é’

Um dos maiores produtores de soja do Brasil, Blairo Maggi não vê como iminente a saída da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, do governo. Criticada por uma ala bolsonarista por pertencer ao partido DEM, dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, Tereza Cristina virou alvo de integrantes do governo e agricultores mais radicais, destacou o jornal O Estado de S.Paulo nesta quarta-feira (29). “A ministra tem apoio dos líderes do agronegócio e da grande maioria do governo. Há pessoas no governo querendo mexer seus pauzinhos para ganhar espaço. Não é uma situação fácil porque ali, mesmo com todo o vento a favor, é difícil trabalhar”, diz Maggi, que foi ministro da Agricultura no governo de Michel Temer. Maggi fez pesadas críticas a integrantes do governo e do agronegócio que associam os prejuízos com a pandemia do novo coronavírus à China. “Acho totalmente equivocado e de má-fé ir contra o nosso maior parceiro comercial. Se não fosse a presença da China, a agricultura do Brasil não seria do tamanho que é”, disse ele. “A tirada de um parceiro importante por causa de uma ideologia política é uma tragédia.” Ainda de acordo com Maggi, “a ministra tem o apoio dos líderes do agronegócio e da grande maioria do governo. Há pessoas no governo querendo mexer seus pauzinhos para ganhar espaço. Mas eu vejo a Tereza prestigiada pelo governo. Não é uma situação fácil porque ali, mesmo com todo o vento a favor, é difícil trabalhar. Ela estando bem com o Congresso e frente parlamentar (da Agricultura), as chances de ela seguir no governo são grandes”.

Projeto suspende inscrição em dívida ativa dos débitos dos pequenos produtores rurais

O Projeto de Lei 900/20 suspende, até 31 de dezembro de 2020, a inscrição das dívidas dos financiamentos da agricultura familiar em dívida ativa, informou a Agência Câmara nesta terça-feira (28). A proposta foi apresentada pelo deputado Rubens Otoni, em resposta à crise econômica decorrente das medidas de combate ao novo coronavírus, que incluem isolamento social e fechamento do comércio. O texto tramita na Câmara dos Deputados. Na avaliação de Rubens Otoni (PT-GO), interessa ao Brasil que os pequenos produtores se mantenham em atividade e em condições de produzir. “Suspender a inscrição em dívida ativa de débitos oriundos de financiamentos que apoiam a agricultura familiar garante a saúde financeira e o fornecimento de alimentos às famílias brasileiras”, defende.

PIB agropecuário deve crescer 2,4% em 2020

O Ipea divulgou, nesta quarta-feira (29), nossa revisão para o  produto interno bruno (PIB) do setor agropecuário brasileiro, que deve crescer 2,4% em 2020, menos que os 3,8% previstos em março. Ainda com a redução números são considerados bons devido ao momento, além de ser superior aos demais setores da economia. Segundo o portal AgroLink o principal motivo da revisão não é a pandemia, está relacionado à redução da estimativa de produção de soja do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do IBGE, e decorre principalmente de uma queda da colheita do grão no Rio Grande do Sul. Os pesquisadores também trabalharam com um cenário de estresse, com impactos mais significativos da recessão sobre o PIB Agro, principalmente para a produção de bovinos e cana-de-açúcar. Diante desse panorama, a projeção para o setor ainda é de crescimento de 1,4% em 2020. Anteriormente, a previsão era uma alta de 2,5% nesse mesmo cenário. Para o diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, José Ronaldo de Castro Souza Júnior, “o mercado de carne bovina, proteína mais cara, pode ser o segmento com maior impacto negativo por conta da crise causada pela pandemia de Covid-19”. Nesse segmento, a previsão de taxa de crescimento desse segmento caiu de 3,5% para 1,1% no cenário-base. A soja, outro produto de grande peso no PIB Agro, também teve taxa de crescimento em 2020 revista para baixo pelo IBGE – 6,4%, contra 10,4% em março. No conjunto da agricultura, o valor adicionado passou de 4,5% para 2,8%, com destaque para a produção de café, que teve a previsão elevada de 14,2% para 15,4%. Ainda na análise por segmento, a nova previsão para a pecuária é uma alta de 2% no PIB deste ano (antes, era de 3,5%). A produção de leite deve crescer 2,9%, e a de suínos, 3,9%. As projeções do Boletim Agro foram atualizadas com base nos dados da safra 2019/2020, utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e perspectivas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

NA IMPRENSA

Agência Senado – MP que prorroga contratos temporários no Ministério da Agricultura pode ser votada

Agência Câmara – Projeto proíbe importação de derivados de coco por um ano

Agência Câmara – Projeto suspende inscrição em dívida ativa dos débitos dos pequenos produtores rurais

Agência Câmara – Setores industriais poderão ser obrigados pelo governo a fabricar itens de combate ao coronavirus

O Estado de S.Paulo – ‘Se não fosse a presença da China, a agricultura do Brasil não seria do tamanho que é’

O Estado de S.Paulo – (Des)cumprimento de obrigações ambientais durante a covid-19

O Estado de S.Paulo – Política externa do governo isola o País, afirmam ex-chanceleres

BR Político – Brasil abriu mercados em 23 países, diz levantamento da FPA

Congresso em Foco – Agronegócio ignora crise e cresce mesmo com pandemia de covid-19

Valor Econômico – Tereza Cristina: ‘Quando nós falamos da China, mostramos os números’

Valor Econômico – Syngenta investirá US$ 1,25 milhão em duas empresas do setor de proteínas

Valor Econômico – Negociações de CBios começam na B3 com mais de 50 mil títulos ofertados

Valor Econômico – Commodities: Soja cai em Chicago com o aumento da área plantada nos EUA

Valor Econômico – Commodities: Queda do dólar ante o real eleva preços de café e açúcar

CNA – CNA envia posicionamento do agro para o novo acordo de mudanças climáticas

Mapa – Mapa autoriza descarte de cerveja da Backer e cervejaria segue interditada

Embrapa – Embrapa e parceiros lançam e disponibilizam na web livro sobre a dinâmica da agricultura no Cerrado

Embrapa – Embrapa desenvolve primeira cultivar brasileira de amendoim forrageiro propagada por sementes

Embrapa – Artigo: Crise do coronavírus afeta exportações e importações brasileiras de hortaliças

Embrapa – Embrapa lança soja para região fria do Brasil

Embrapa – Publicações trazem resultados de pesquisas sobre o bioma Caatinga

AgroLink – PIB agropecuário deve crescer 2,4% em 2020

AgroLink – Compra online facilita comercialização de produtos da agricultura familiar em Sarandi

AgroLink – Plantio de tremoço é alternativa de adubação verde para agricultor de Colinas

AgroLink – Obras para evitar erosões em estradas vicinais e lavouras são retomadas em Bonito

AgroLink – Operação Pantanal elimina maioria dos focos de calor; bombeiros monitoram área

AgroLink – Coronavírus pode atrapalhar ritmo na colheita de café

AgroLink – Incaper e Idaf retomam atendimento presencial em alguns municípios

AgroLink – Programa de infraestrutura rural avança com construção de novos açudes no Estado

Anda – Governo libera mais 16 princípios ativos para formulação de agrotóxicos

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »