Tereza Cristina abre reunião da Câmara Setorial da Carne Bovina

//Tereza Cristina abre reunião da Câmara Setorial da Carne Bovina
A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou nesta terça-feira (3) da abertura da reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina. De acordo com o portal Mapa a ministra destacou que o setor passa por um momento de transição, que está sendo monitorado pelo Mapa, e que o mercado já sinaliza uma redução no preço da arroba do boi. Tereza Cristina ressaltou que o preço da carne, elevado por diversos fatores, deve se normalizar em breve para o consumidor. “Quero tranquilizar todos vocês [consumidores]. Tivemos uma conjuntura momentânea de seca, falta de pasto e abertura de mercados, mas agora o preço da carne deve se estabilizar. O Ministério da Agricultura não influencia, isso é mercado. Estamos acompanhando de perto o que está acontecendo”, disse. A ministra garantiu que não há risco de falta de proteína animal no país, já que somente 25% da produção são destinados à exportação. “Posso garantir a vocês não haverá falta de proteína, carne de bovinos, aves e suínos. Vamos aguardar esse momento. Podem ter certeza que vamos continuar a ter o melhor produto nas nossas mesas, nos nossos supermercados. E ainda podemos mandar para o resto do mundo”, afirmou. Na reunião da câmara setorial, Tereza Cristina disse também que o setor tem grandes oportunidades para ampliar os negócios. “Uma oportunidade enorme para que se torne ainda maior. Isso vai depender muito dos nossos diálogos, da transversalidade entre todos que compõem essa Câmara para que a gente dê segurança aos consumidores”. Instalada desde 2003, a câmara setorial é formada por integrantes de 42 instituições. Entres os temas da reunião de hoje estão inspeção de produtos de origem animal por consórcios públicos, medicamentos veterinários e o calendário do colegiado para 2020.

Greve dos fiscais agropecuários do RS provoca redução no abate de animais

Fiscais agropecuários do Rio Grande do Sul estão em greve desde o dia 26 de novembro em manifestação ao atraso e parcelamento de salários há 48 meses, informou a Revista Globo Rural nesta quarta-feira (4). A paralisação resulta na suspensão da emissão de Guias de Trânsito Animal (GTAs), que é o documento necessário para o transporte de animais para o abate. Um levantamento feito pela Associação da categoria (Afagro) mostrou que houve redução de 32,69% no número de bovinos enviados para o abates e de 36,22% nos ovinos. Os números se referem ao período de 26 a 30 de novembro, em comparação com os cinco dias anteriores, quando não havia greve. O fiscal estadual agropecuário Richard Alves, diretor da Afagro, explica que o impacto da greve pode ser ainda maior devido ao aumento da demanda de carne bovina e ovina para as festas de final de ano. “Vamos mostrar o quanto os servidores públicos são importantes em vários setores e que a fiscalização agropecuária influencia diretamente na economia do Estado”. Em relação aos bovinos, 52.736 animais foram enviados para o abate no período de cinco dias antes da greve, mas após a paralização o número caiu para 35.497. Já os ovinos, no mesmo período, sofreram queda de 5.129 para 3.271 animais. A falta de reposição salarial há 5 anos e o pacote do Governo do Estado que retira direitos e reduz indiretamente a remuneração dos servidores públicos também foram motivos que impulsionaram a greve dos fiscais agropecuários gaúchos.

Mais de 65 mil pescadores afetados por manchas de óleo irão receber auxílio emergencial

Um total de 65.983 pescadores profissionais artesanais de áreas afetadas pela mancha de óleo no litoral brasileiro têm direito ao auxílio emergencial pecuniário, criado pela Medida Provisória nº 908/2019. Esses pescadores atuam em municípios dos nove estados do Nordeste, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo atingidos pelo vazamento de óleo, destacou o portal Mapa nesta quarta-feira (4). O auxílio será pago aos pescadores inscritos no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), em situação ativa nas categorias peixes, crustáceos, moluscos e outros, que atuam em área estuarina ou marinha. Esse benefício não interfere no recebimento do seguro defeso pelos pescadores conforme legislação específica. O auxílio emergencial corresponde ao valor total de R$ 1.996, que será dividido e pago em duas parcelas de R$ 998. Um total de 65.983 pescadores profissionais artesanais de áreas afetadas pela mancha de óleo no litoral brasileiro têm direito ao auxílio emergencial pecuniário, criado pela Medida Provisória nº 908/2019. Esses pescadores atuam em municípios dos nove estados do Nordeste, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo atingidos pelo vazamento de óleo. O auxílio será pago aos pescadores inscritos no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP), em situação ativa nas categorias peixes, crustáceos, moluscos e outros, que atuam em área estuarina ou marinha. Esse benefício não interfere no recebimento do seguro defeso pelos pescadores conforme legislação específica. O auxílio emergencial corresponde ao valor total de R$ 1.996, que será dividido e pago em duas parcelas de R$ 998. Segue relação por número de RGP dos beneficiários, dividida por estado: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Piauí e Sergipe.

Saúde humana e de animais estão em projetos na Câmara Municipal de Sorocaba (SP)

A Câmara Municipal de Sorocaba aprovou na sessão ordinária desta terça-feira (3) dois projetos de lei em 2ª discussão. Eles seguem para sanção da prefeita Jaqueline Coutinho (PDT). A primeira proposta é sobre a obrigatoriedade das licitações públicas, que contratarem serviços de mamografia, exigirem o selo de qualidade certificado pelo Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR). O outro projeto de lei aprovado em 2ª discussão dispõe sobre a obrigação dos estabelecimentos veterinários, quando constatarem indícios de maus tratos nos animais atendidos, comunicar o fato aos órgãos municipais competentes. A proposta é do vereador Wanderley Diogo (PRP) e prevê ainda que o não cumprimento da lei implicará em multa. Segundo o Jornal Cruzeiro do Sul este projeto de lei tem como finalidade obrigar estabelecimentos veterinários de todos os tipos quando, durante o atendimento ao animal, for constatado indícios de maus tratos, devendo os estabelecimentos realizar a comunicação aos órgãos municipais de denúncias de maus tratos competente para que as providências legais sejam tomadas, podendo os tutores ou responsáveis sofrerem penalidades, conforme Lei Municipal nº 9.551 de 4 de maio de 2011, de autoria do vereador João Donizeti Silvestre, que proíbe a prática de maus tratos ou crueldade contra animais, visando ampliar a fiscalização desse tipo de conduta criminosa. O abandono, a negligência e a crueldade praticada por muitas pessoas ainda provoca indignação em quem luta pela proteção e bem-estar dos animais. E muitas vezes nos deparamos com muitos episódios de maus tratos causados pelos próprios tutores, a quem devia protegê-los; provando que muitos esforços ainda devem ser feitos para mudar esse cenário. A Constituição Federal, em seu artigo 23 inciso VII, determinou que é competência comum da União, Estados e Municípios preservar as florestas, a fauna e flora. Por isso, torna-se necessária a atuação do legislador nas demandas que envolvam causa animal.

NA IMPRENSA
Agência Senado – Projeto que considera Rodeio Crioulo manifestação nacional segue para Plenário

O Estado de S.Paulo – A importância da educação a distância

O Estado de S.Paulo – BRF procura cientistas para evitar desperdício de comida

O Estado de S.Paulo – Bacon vegetal: empresa promete colocar alimento no mercado em breve

O Estado de S.Paulo – Compre presentes de Natal e ajude animais abandonados

O Estado de S.Paulo – Chifres falsos de rinoceronte serão capazes de acabar com a caça?

Valor Econômico – Seara desbanca Perdigão e lança linha de proteínas vegetais

Valor Econômico – CVM rejeita acordo com irmãos Batista para encerrar caso sobre uso indevido de jatinho da JBS

Jornal Cruzeiro do Sul – Saúde humana e de animais estão em projetos na Câmara Municipal de Sorocaba

Mapa – Agropecuária é o setor com maior alta do PIB no terceiro trimestre do ano

Mapa – Tereza Cristina abre reunião da Câmara Setorial da Carne Bovina

Mapa – Mais de 65 mil pescadores afetados por manchas de óleo irão receber auxílio emergencial

Canal Rural – Boi gordo: ‘Brasil terá revolução na produção de carne bovina em breve’

Canal Rural – Boi gordo: Brasil pode aumentar em 5 vezes produção em áreas de pastagens

Revista Globo Rural – Governo da Holanda paga até R$ 700 por animal para suinocultor deixar a atividade

Revista Globo Rural – Greve dos fiscais agropecuários do RS provoca redução no abate de animais

Anda – Salvador (BA) ganha uma das mais abrangentes leis de proteção animal

Anda – Homens comem tubarão ameaçado de extinção e são detidos pela polícia

G1 – Animais em condições graves de maus-tratos são resgatados de casa que produzia alimentos para restaurantes no Rio

AgroSaber – Por que alguns frigoríficos estão voltados para Meca?

AgroSaber – Os chineses descobriram o gosto da nossa picanha

AgroSaber – Agro preserva 1/4 da área florestal brasileira

Folha Agrícola – PR: produção de leite cresce 35% no Sudoeste do Estado, diz Emater

Folha Agrícola – Arroba do gordo de R$ 200,00 em 2020 é realidade

Folha Agrícola – Atualização do rebanho é prorrogada até 20 de dezembro

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »