Temor da inflação chega ao mercado de bicho de estimação

//Temor da inflação chega ao mercado de bicho de estimação
A coluna Painel S.A da Folha de S.Paulo destacou neste domingo (13) que, a cadeia de produtos para animais de estimação observou de longe a disparada no preço do arroz e também começou a ficar preocupada. José Edson Galvão de França, presidente da Abinpet (associação do setor), diz que a previsão é de alta no faturamento da categoria de rações na pandemia, mas o custo da matéria prima, como o milho, já alerta. Por ora, parte do avanço foi absorvida com cortes em transporte e logística, segundo ele. O movimento alerta o setor, que é alvo de interesse crescente de investidores nos últimos meses, com aportes de fundos estrangeiros e abertura de capital. Segundo a nova projeção da Abinpet, baseada no resultado do primeiro semestre, o faturamento geral deve chegar a R$ 24 bilhões em 2020, o que representa uma alta de 7,6% em relação a 2019. O maior crescimento esperado deve ser o do segmento de veterinária (18%), seguido de acessórios (7%) e alimentos (6%).

Projeto de lei prevê pena específica para tráfico de animais

Irá tramitar na Câmara dos Deputados o PL 4400/2020, o projeto de lei do deputado Ricardo Izar (PP-SP), prevê a criação dos tipos penais de tráfico de animais silvestres e de associação criminosa contra a fauna, prevendo redução da impunidade na ausência de especificidade, informou o portal Anda neste domingo (13). O deputado disse que, “atualmente a criminalização dessa atividade é difusa e insuficiente no Brasil. Não são raros os casos de infratores recorrentes, pegos traficando dezenas de animais em uma rodovia e, em poucos dias, são flagrados novamente traficando animais”. Para Izar, atualmente essa prática é considerada como infração penal de menor potencial ofensivo, submetido às branduras dos juizados especiais criminais. “É incompatível com a magnitude das consequências dessa atividade e com os compromissos internacionais assumidos pelo Brasil”, reforça. Atualmente, o tráfico de animais movimenta cerca de trinta e nove bilhões de reais segundo relatório organização não governamental WWF. De acordo com Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres, Renctas, estima se que todo ano 38 milhões de espécimes sejam retiradas da natureza brasileira.

Nova lei proíbe criação de animais para extração de peles

Neste domingo (13), o portal Anda divulgou que, no dia 02 de setembro de 2020, foi aprovado o projeto de Lei 232/2019, que prevê a proibição de criação de animais para extração de peles. Após a aprovação da Assembleia Legislativa, a proposta segue para a sanção do governo de Mato Grosso, que terá o prazo de 30 dias para sancionar ou vetar a iniciativa de Max Russi (PSB). Na elaboração da proposta, o primeiro-secretário da Casa de Leis indicou que criar animais para extração de peles poderá resultar em multas, que variam entre 100 UPF/MT a 200 UPF/MT por animal. O valor da UPF/MT em janeiro de 2020 era cerca de R$ 146,44. Sendo assim, a multa pode chegar a mais de R$ 29.000 por animal morto ou não para tal fim. Max Russi afirma que a indústria de peles animais sacrifica milhões deles todos os anos e é uma das práticas mais violentas possíveis. “Nem mesmo as espécies protegidas ou animais domésticos estão livres de tal crueldade (…)”, argumenta. “Muitas pessoas não têm conhecimento do processo cruel ao qual os animais passam para se tornarem um casaco”, complementa o autor do Projeto de Lei, “(…) muitos animais que são reduzidos a artigos de vestuário levam uma vida de privação, sofrimento e morte”. No ano passado (2019), o deputado já havia tido uma conquista – passou a vigorar a Lei 10.846, que assegura a proteção até a final destinação de animais resgatados, vítimas de abuso, maus-tratos, feridos ou mutilados. A justificativa dada por Max Russi na época foi que a medida corrigiria uma distorção no artigo 32 da Lei Federal 9.605, que previa a proteção dos animais, mas não garantia uma destinação segura a ele. Os animais domésticos que forem recuperados com o novo projeto de lei serão doados às entidades de defesa e proteção animal, para que sejam encaminhados à tutoria responsável. Os animais selvagens passarão por tratamento adequado, com equipe especializada, até estarem aptos à reintegração na natureza.

Drones poderão ser úteis no combate aos maus-tratos contra animais

A Associação Animalista Libera quer que o uso de drones, utilizados atualmente para prevenção de incêndios durante o verão na Galícia, seja estendido a outras causas e que contribua para o fim de uma das práticas mais cruéis e degradantes para os animais, o acorrentamento contínuo, destacou o portal Anda neste sábado (12). A Lei Galega de Bem-Estar Animal prevê multas de até 5.000 euros e a detenção por um período máximo de cinco anos para quem mantiver um animal permanentemente amarrado ou limitar seus movimentos em todos os tipos de construções, tal como os buracos para cães que alguns caçadores costumam usar; “No entanto, a realidade é que raramente alguém é multado”, segundo informado. Os ativistas chegaram a registrar mais de 500 reclamações de cidadãos por meio de uma página da web que permitia incluir vídeos e fotos de forma anônima e localizar geograficamente cada caso, o que significaria centenas de sanções se o executivo fizesse valer a sua própria norma. Libera considera que o uso de drones com câmeras termográficas pode ser uma boa solução. As gravações feitas em vários dias diferentes sem gerar alerta sobre quem mantém o animal acorrentado, constitui-se em uma prova gráfica da infração administrativa. A gravação, além de ser uma prova, poderia ainda ser utilizada por veterinários para fazer laudos complementares de avaliação do comportamento de cada animal e sobre as consequências de ter sido mantido amarrado. Além disso, o modelo de vigilância impede a geração do chamado “Pacto do Silêncio”, tal como a falta de colaboração da vizinhança na denúncia de atos de abuso ou abandono de animais que vem ocorrendo em dezenas de casos, como o gato recentemente enforcado em Xunqueira de Ambía (Ourense) ou o caso do felino também maltratado em Baiona (Pontevedra), crime cujo autor ainda não foi identificado.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Currículos de cães e gatos são compartilhadas em rede social para incentivar adoção

Folha de S.Paulo – Temor da inflação chega ao mercado de bicho de estimação

Folha de S.Paulo – Concurso premia fotos de animais em situações engraçadas; confira finalistas

O Estado de S.Paulo – Podem os humanos transmitir o coronavírus para morcegos e outros animais selvagens?

O Estado de S.Paulo – Estadão acompanha devastação no Pantanal; veja vídeo

O Estado de S.Paulo – Fogo cerca rebanhos no Pantanal

O Estado de S.Paulo – Olá, gatos!

G1 – Clima favorece produção de leite em Alagoas

G1 – Ferradura bem feita ajuda a proteger cascos de equinos

G1 – Manejo correto com pintinhos é fundamental na criação de ave

G1 – Alemanha suspende exportação de carne suína à China após caso de peste, diz ministério

G1 – Cobra píton de 62 anos bota ovos mesmo sem ter contato com machos há mais de 15 anos

G1 – Baleias jubarte ficam perdidas em um rio infestado de crocodilos na Austrália

Valor Econômico – Migração do food service ao varejo pode elevar os custos

Embrapa – Os gargalos competitivos da cadeia produtiva da carne bovina brasileira

Embrapa – Preço do leite ao consumidor tende a desacelerar com o fim da entressafra

Agrolink – Agricultura familiar terá drive-thru

Agrolink – Carcaças com sarcorporidiose não precisam ser descartadas

Agrolink – Alta nos preços da arroba da vaca e novilha para abate

Anda – Coalizão luta para que golfinhos sejam reconhecidos como pessoas não humanas

Anda – Uma a cada oito mortes se deve à poluição e ao meio ambiente

Anda – Relatório indica que o número de animais silvestres despencou mais de dois terços em 50 anos

Anda – Seres humanos estão explorando e destruindo a natureza em escala sem precedentes

Anda – Cerca de 50 espécies foram salvas da extinção por esforços de preservação

Anda – População de cabras íbex prospera um século após ser dizimada

Anda – Mulher pede permissão a tutores para brincar e acariciar cadelinha pit Bull

Anda – Em época de pandemia, cães e gatos também precisam de cuidados higiênicos

Anda – Falta de planejamento urbano coloca animais em risco em Manaus (AM)

Anda – Forte estiagem e incêndios causam a morte de animais no Pantanal

Anda – Cão cantor, espécie considerada extinta, é visto novamente na natureza

Anda – Projeto de lei prevê pena específica para tráfico de animais

Anda – Nova lei proíbe criação de animais para extração de peles

Anda – Drones poderão ser úteis no combate aos maus-tratos contra animais

Anda – Animais em migração encontram abrigo no Litoral do Paraná

Anda – ONG alerta para riscos de novas doenças com o consumo do café de civeta

Anda – Cão se recusa a se afastar do caixão do seu tutor morto pela Covid-19

Anda – Mineração de ouro ameaça espécies selvagens e ecossistemas

Anda – Pato é resgatado com embalagem plástica presa no pescoço

Anda – Fórum Animal lança curso para capacitação de representantes da proteção animal

Anda – Nova Zelândia suspende exportação de animais vivos após naufrágio de navio japonês

Anda – Dezenas de galos explorados em rinhas são resgatados após maus-tratos

Anda – Bahia registra o maior número de encalhes de baleias mortas do país

Anda – Bolsonaro insinua que pena de 5 anos para maus-tratos a animais é excessiva

Anda – Cão adota filhotes de coelho e cria vínculo de afeto com os bebês

Anda – Tubarões estão extintos em 20% dos recifes de coral do mundo

Anda – Incêndio em fazenda mata 2 mil porcos explorados para consumo

Anda – Filhote de anta é resgatado após perder a mãe em Mato Grosso
______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »