Tecnologias para eficiência e segurança na aviação agrícola serão destaque na próxima semana

//Tecnologias para eficiência e segurança na aviação agrícola serão destaque na próxima semana
Pilotos agrícolas, empresários, mecânicos, gestores de segurança, técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos e outros profissionais ligados ao setor têm encontro marcado na próxima semana, informou o portal Cidade no Ar nesta quinta-feira (22). Tudo por conta da I Academia Brasileira de Tecnologia de Aplicação Aérea, que vai ocorrer de segunda a quinta-feira (26 a 29 de outubro). O evento reunirá 12 dos maiores especialistas do setor no País em quatro noites de palestras ao vivo via web. Com o tema Boas práticas como forma de desenvolvimento do setor, o evento é promovido pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) e Instituto Brasileiro de Aviação Agrícola (Ibravag), dentro do projeto Aviação Agrícola 2022, que tem patrocínio da Syngenta. As transmissões online ocorrerão das 19 às 22 horas e o conteúdo ficará disponível para os participantes. As palestras abordarão diversos aspectos para a eficiência e segurança das aplicações aéreas, desde a escolha da ponta de pulverização até a ciência das gotas, fatores que determinam a cobertura e os tipos de defensivos. Passando ainda pela gestão sustentável da pulverização aérea, segurança ambiental e a aviação agrícola dentro do Pacto Global da ONU. A grade de palestras contempla ainda uma noite com apresentações sobre tecnologias de drones, helicópteros e aviões. Inscrições, valores e maiores informações no link: https://sindag.org.br/academia-brasileira-de-tecnologia-de-aplicacao-aerea/. O evento terá nomes como o consultor José Carlos Christofoletti – ex-professor universitário e ex-chefe do Centro Nacional de Engenharia Agrícola (Cenea), do Ministério da Agricultura, e o doutor em Tecnologia de Aplicação Henrique Campos – consultor do Sindag e da empresa Sabri Sabedoria Agrícola. O time contará ainda o pesquisador Fernando Kassis, da AgroEfetiva e da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf) em Botucatu/SP; o professor João Paulo Cunha, da Universidade Federal de Uberlândia e pós-doutor em Tecnologia de Aplicação e Produtos Fitossanitários, além do pesquisador da Embrapa Robson Barizon, da área de Dinâmica Ambiental dos Pesticidas e analista de risco ambiental. A Academia de Tecnologia de Aplicação Aérea integra uma série de ações as entidades aeroagrícolas focadas na qualificação e melhoria contínua do setor. O que abrange iniciativas como as Academias de Líderes da Aviação Agrícola (que ocorre anualmente desse 2018 e já abrangeu 80 empresários e gestores) e de Segurança Aeroagrícola (que abrangeu 232 profissionais em duas turmas este ano). Também estão na lista o Seminário de Gestão Financeira Aeroagrícola, o congresso Web e o Programa de Mentoria para empresários do setor, entre outras ações. O Brasil tem a segunda maior e uma das melhores aviações agrícolas do mundo, com cerca de 2,3 mil aeronaves atuando em lavouras (aplicação de defensivos, semeadura e adubação). E em combate a incêndios. Segundo dados do Sindag, 63% dessa frota é operada por empresas aeroagrícolas, que prestam serviços terceirizados para produtores. O restante pertence aos chamados operadores privados – produtores rurais e cooperativas que têm suas próprias aeronaves. É a única ferramenta para o trato de lavouras com regulamentação própria, exigindo, por exemplo, que quase todo seu quadro seja especializado. Isso além e contar com estrutura especial par descontaminação de equipamento e tratamento de resíduos, emissão de relatórios detalhados de cada operação e fiscalização por pelo menos cinco órgãos federais, dos Estados e até dos Municípios. Isso, mas a tecnologia de ponta embarcada, fazem do setor uma das ferramentas mais eficientes e seguras atuando no campo.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) assinam acordo de cooperação voltado à difusão da inovação no agronegócio brasileiro

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) assinaram nesta quinta-feira (22) um acordo de cooperação técnica destinado a promover o desenvolvimento de iniciativas e projetos que contribuam para o aumento da conectividade e a disseminação do uso de tecnologias digitais no agronegócio brasileiro. O objetivo é favorecer especialmente – mas não exclusivamente – pequenos e médios produtores rurais e segmentos economicamente mais vulneráveis, propiciando ganhos de produtividade e de qualidade na produção, de modo a torná-los competitivos no mercado local, nacional e internacional. Para isso, o acordo de cooperação técnica, que tem abrangência nacional, prevê a construção e validação de arquiteturas, sistemas e modelos de sustentação econômica capazes de viabilizar a transformação digital no campo. O foco são as tecnologias no estado da arte, principalmente nas áreas de conectividade (4G e 5G), Internet das Coisas (IoT) e plataformas que permitem levar conhecimento e inovação ao agronegócio. “O grande desafio hoje é fazer com que o médio e o pequeno produtor também tenham acesso a essas tecnologias que já estão sendo utilizadas em grandes fazendas”, afirma Fernando Camargo, secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa. “Essa parceria com o CPQD irá nos ajudar a vencer esse desafio e a dar um novo salto em inovação tecnológica no segmento agropecuário”, acrescenta. Para o presidente do CPQD, Sebastião Sahão Júnior, a digitalização do campo e a implantação de aplicações avançadas, por exemplo de Internet das Coisas (IoT), colocará o Brasil em um novo patamar no cenário global do agronegócio. “A intenção é fazer parcerias com empresas e agtechs, dentro do conceito de inovação aberta, para intensificar a digitalização do campo, que irá trazer o aumento da produção em condições sustentáveis”, enfatiza o presidente. O acordo firmado prevê a identificação de nichos de inovação para atender objetivos específicos como, por exemplo, a oferta de melhor conectividade nas áreas rurais, o incentivo à utilização de ferramentas e de tecnologias para agricultura de precisão e a otimização de processos produtivos, entre outros. O CPQD terá a missão de identificar tecnologias, desenvolvidas ou em desenvolvimento, com potencial de adoção por diferentes públicos no setor agropecuário, com base nas diretrizes definidas pelo Mapa. Já o Ministério será responsável pela apresentação de políticas, diretrizes e prioridades do governo federal para a inovação agropecuária, bem como pela identificação de demandas. Além disso, CPQD e Mapa terão a responsabilidade conjunta de identificar regiões e públicos potenciais para as tecnologias definidas, de articular a captação de recursos para financiamento de eventuais projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação e, ainda, de definir novos temas para futuras pesquisas no CPQD voltadas a esse segmento. Recentemente, o CPQD, em parceria com a Embrapa e a Fundação de Desenvolvimento Científico e Cultural (Fundecc) – associada à Universidade Federal de Lavras, lançou a iniciativa SemeAr, que também tem como foco a aceleração da transformação digital no agronegócio, especialmente entre os pequenos e médios produtores rurais. A iniciativa também conta com o apoio do Mapa – e, ainda, dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e das Comunicações.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) registra 12 produtos técnicos genéricos para uso na formulação de defensivos agrícolas

O Ato n° 59 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado nesta sexta-feira (23) no Diário Oficial da União traz o registro de 12 produtos técnicos. Todos esses produtos são genéricos, ou seja, utilizam ingredientes ativos já registrados e em uso dentro do território nacional. Por se tratar de produtos técnicos, nenhum desses 12 produtos registrados estarão disponíveis para compra pelos agricultores. Os produtos técnicos são produtos químicos com alto grau de pureza e concentração de ingrediente ativo. A função de um produto técnico é ser posteriormente utilizado como componente na produção dos produtos formulados. Os produtos foram analisados e aprovados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), pelo Ibama e pela Anvisa, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

Líder do governo diz que reformas são essenciais para retomada econômica

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), afirmou nesta quinta-feira (22) que a votação das reformas tributária e administrativa encaminhadas pelo presidente Jair Bolsonaro vai permitir a retomada do desenvolvimento econômico no cenário pós-pandemia. De acordo com a Agência Câmara ele disse que a aprovação das reformas também vai possibilitar o aumento da competitividade da indústria nacional e a construção de um Estado mais leve e eficiente para os contribuintes. O deputado acrescentou que, a partir de fevereiro, haverá grandes avanços na pauta de privatizações. As declarações do líder do governo aconteceram durante a live “Indústria em debate: o que fazer para o Brasil voltar a crescer”, promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com a revista Exame. Na reforma administrativa, o líder do governo defendeu a possibilidade de demitir os servidores que não tiverem o desempenho adequado e de premiar os que trabalham melhor, o que não é possível hoje. Sobre a reforma tributária, Barros ressaltou que haverá simplificação dos impostos e possibilidade de desoneração da folha salarial para estimular a geração de empregos. Ele disse que um fundo de equalização fiscal para os estados e um fundo de desenvolvimento regional, bem articulados, quebrariam todas as resistências à votação da reforma tributária. O líder do governo declarou que todos os setores envolvidos na discussão das reformas terão de ceder um pouco para o Brasil poder avançar, pois o momento é de “desprendimento e grandeza”. Barros informou que, após as eleições municipais, serão apresentadas ao Congresso Nacional as propostas que tiverem o apoio dos líderes partidários. Ele falou, também, sobre a importância de equalizar a tributação dos diversos setores da economia, eliminando distorções que foram conquistadas, no passado, de forma corporativista por determinados segmentos. Barros disse que é preciso “enfrentar os lobbies e os interesses setoriais”. “As corporações precisam pensar no Brasil”, afirmou. Um ponto positivo, segundo Barros, é o fato de o presidente Bolsonaro não ter compromisso com as estruturas antigas que impediam o desenvolvimento do País: “É por isso que hoje nós estamos pagando 2% de juros da dívida. Antes, pagávamos 7%, 9% e agora estamos economizando R$ 350 bilhões que não são transferidos aos bancos.” Na área social, de acordo com Ricardo Barros, o governo trabalha com o conceito de rampa de ascensão social. “A família que tiver um jovem em qualificação profissional e aluno na escola com bom desempenho vai receber mais no Renda Brasil. O programa é um apoio para que a pessoa deixe de precisar de ajuda.” O líder do governo disse que a atual Constituição, promulgada em 1988, tornou o Brasil ingovernável, pois o contribuinte não tem como suportar todos os direitos consolidados no texto. “Não dá para fazer de conta que não há esse problema a enfrentar. É preciso coragem para pensar um Brasil diferente. Erramos a fórmula, então vamos fazer uma nova fórmula, porque esta se mostrou inviável”, concluiu.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Projeto impede atividades econômicas em área queimada até a recomposição vegetal

Agência Câmara – Frente Parlamentar da Agropecuária elogia revisão de norma sobre trabalho no campo

Folha de S.Paulo – Salles omite inventário de emissões de gases-estufa e quer alterar dados do agro

Folha de S.Paulo – Ministério Público tenta suspender processo de concessão da Ferrogrão

O Estado de S.Paulo – Travado na Justiça, Fundo Amazônia congela R$ 1,4 bi para 40 projetos ambientais

O Estado de S.Paulo – A (ainda) controversa recuperação judicial do produtor rural pessoa física

O Estado de S.Paulo – Governo lança eSocial simplificado e anuncia programa para revisar normas trabalhistas

O Estado de S.Paulo – Guedes promete liberação imediata de recursos para Ministério do Meio Ambiente

Valor Econômico – Após governo negar consulta a indígenas, MPF pede suspensão da Ferrogrão

Valor Econômico – Exportações de suco de laranja têm forte queda

Valor Econômico – Cade aprova venda da Biopalma pela Vale

Valor Econômico – CTC lucra R$ 31,3 milhões no trimestre e se prepara para IPO

CNA – Campo Futuro analisa custos de produção de grãos, carne, cana e hortaliças em quatro estados

CNA – CNA participa de evento da Andav sobre fortalecimento do agro brasileiro

CNA – CNA diz que atualização de legislação traz segurança jurídica

CNA – CNA e consultoria internacional debatem desafios para o agro brasileiro com a pandemia

Mapa – Mapa registra 12 produtos técnicos genéricos para uso na formulação de defensivos agrícolas

Mapa – Novos zoneamentos do sorgo granífero e do milheto orientam produção agrícola

Mapa – Mapa e CPQD assinam acordo de cooperação voltado à difusão da inovação no agronegócio brasileiro

Embrapa – Embrapa apresenta programação de pesquisa e soluções tecnológicas em comissões temáticas da CNA

Embrapa – Futuro exigirá mudanças na produção de alimentos, diz Moretti no fórum com países árabes

Embrapa – Novos zoneamentos do sorgo granífero e do milheto orientam produção agrícola

Embrapa – Radar AgTech Brasil cadastra startups do agro até 3 de novembro

AgroLink – Governo simplifica norma trabalhista do agro

AgroLink – Mapa registra 12 produtos técnicos genéricos

AgroLink – Gigante do agro anuncia redução de despesas

AgroLink – CNA discute estratégias para recuperação do setor de borracha natural

AgroLink – Edital vai selecionar 24 cooperativas para intercooperação

AgroLink – Videoconferência para debater tecnologias na produção de grãos

AgroLink – CNA e consultoria internacional debatem desafios para o agro brasileiro com a pandemia

AgroLink – Radar AgTech Brasil cadastra startups do agro até 3 de novembro

Jota – RJ de produtor rural sem registro aumenta risco de crédito e de fraudes

Cidade no Ar – Tecnologias para eficiência e segurança na aviação agrícola serão destaque na próxima semana

Grupo Cultivar – Syngenta patrocina treinamento de boas práticas na aviação agrícola

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »