Tecnologia ajuda fazendas a aumentar produtividade e reduzir impacto ambiental

//Tecnologia ajuda fazendas a aumentar produtividade e reduzir impacto ambiental
A operação de ordenha das 1.800 vacas em lactação na Fazenda Agrindus, em Descalvado, a 242 km da capital paulista, é um trabalho que nunca para. As vacas trabalham 24 horas e produzem em média 34 litros de leite por dia cada, volume superior à média de países campeões de produtividade como Estados Unidos, Canadá e Holanda. A primeira das três ordenhas diárias é de um seleto rebanho A2A2, destacou a Folha de S.Paulo neste domingo (30). Em 1995, um estudo da Nova Zelândia concluiu que, devido a uma mutação genética, as vacas europeias passaram a produzir leite com a proteína beta-caseína A1, que causa desconforto gastrointestinal em parte dos consumidores. Alguns rebanhos, os do tipo A2A2, não sofreram essa mutação. Essa linhagem é criada desde 2017 na Agrindus, pioneira no país no leite A2, sem a proteína beta-caseína A1. Mais recentemente, a Agrindus começou um programa genético com touros para ter um rebanho 100% dessa linhagem. Para isso, são usadas ferramentas que identificam no DNA dos animais genes atribuídos a características como longevidade, qualidade do leite, níveis de proteína e gordura. “Escolhemos touros diferenciados e melhoradores, com as melhores características genéticas, para fazer o acasalamento das vacas”, explica Roberto Jank, responsável pela área de produção da Agrindus. A seleção genômica, somada a técnicas como fertilização in vitro e transferência de embriões, permite criar um rebanho com as características desejadas. Além da genética, a fábrica de leite investe em técnicas para garantir o bem-estar dos animais e práticas ambientais sustentáveis. A fazenda utiliza o alojamento “free stall” (baia livre), um galpão aberto onde a vaca tem acesso ao piquete de capim, com liberdade para caminhar e tomar banho de sol. Telhas termoacústicas não deixam passar o calor e reduzem a temperatura nos galpões, que contam também com ventiladores, túneis de vento e spray de água. “Tudo o que a gente traz de conforto à vaca ela responde com a melhoria da longevidade, reprodução e qualidade do produto”, afirma o pecuarista. A produtividade da fazenda foi de 27.936 litros por hectare em 2010 para 40.287 no ano passado, segundo Jank. Os dejetos do gado viram adubo orgânico que alimenta as forragens e retornam como ração. “Um círculo virtuoso”, diz.

Ração cara desafia avicultura brasileira

A disparada de preços dos grãos usados na ração animal encolheu a margem de lucro da avicultura brasileira. No curto prazo, a situação é mais delicada para as granjas dedicadas à produção de ovos, que passaram a trabalhar no vermelho. As agroindústrias de carne de frango ainda tentam se escorar no câmbio favorável às exportações para equilibrar as contas, mas a fraca demanda do Oriente Médio e a resistência em ajustar a oferta de aves no campo tornam o cenário nebuloso. “Tudo caminha para ficar mais apertado do que imaginávamos”, afirmou César Castro Alves, analista da consultoria de agronegócios do Itaú BBA. Pelos cálculos do banco, a margem bruta da criação de frangos piorou em agosto, e está 4% negativa. De acordo com ele, as agroindústrias voltaram a ampliar a oferta de pintinhos para engorda nas granjas, o que pode representar mais oferta de frango nos próximos meses, tornando um reajuste de preço, para compensar os custos, mais difícil. Além disso, não há sinal de queda de preços dos grãos. Nas granjas de postura, o quadro é ainda pior porque, além da ração mais cara, o preço dos ovos caiu fortemente nos últimos meses. A Mantiqueira, maior produtora de ovos do país, passou a operar com margem negativa de 20% – no ano passado era positiva, entre 10% e 12%. “Vai ter um ajuste porque o prejuízo é insustentável”, afirmou ao Valor Econômico, nesta segunda-feira (31), o empresário Leandro Pinto, que comanda a companhia. Para recompor as margens, um movimento de redução da oferta de ovos já está em curso na Mantiqueira. Conforme o presidente da empresa, galinhas poedeiras que produziriam até outubro foram descartadas antecipadamente. “Todo lote que não gera margem de contribuição vai ser reduzido”, frisou. O movimento, iniciado há duas semanas, deve reduzir a oferta de ovos da Mantiqueira em cerca de 20% a partir de setembro, calculou o empresário. Trata-se de um ajuste apenas para atravessar o curto prazo. Pinto confia que a situação deve se normalizar no médio prazo e, por isso, está repondo as galinhas – mas as substitutas só começarão a botar ovos em 120 dias. A expectativa é que, com o ajuste da produção, o preço do ovo possa se recuperar. Desde abril, quando a cotação do produto bateu recorde em meio ao consumo aquecido do início da quarentena, o preço médio da caixa com 30 dúzias de ovos brancos recuou 23% em Bastos (SP), um importante polo produtor do país, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

México, Canadá e Estados Unidos criam grupo de trabalho para prevenir doenças suínas

As pragas e doenças não respeitam fronteiras, podem deslocar-se de um país a outro por diversos meios, fenômenos meteorológicos, comércio de alimentos ou animais vivos, turistas, insetos…  Uma das principais tarefas das autoridades sanitárias de qualquer país do mundo é estabelecer barreiras para reduzir o risco de uma praga ou doença que possa afetar a produção de alimentos em seu território. Canadá, Estados Unidos e México integraram há 20 anos o Comitê de Saúde Animal da América do Norte, para realizar conjuntamente ações de prevenção e controle de doenças de alto impacto em animais, informou o portal Agrolink nesta segunda-feira (31). Este comitê constituiu grupos especializados em diversas doenças, compostos por veterinários oficiais e pelo setor produtivo, com o objetivo de prevenir e, quando for o caso, controlar doenças de alto impacto. O Comitê criou recentemente o Grupo de Trabalho de Saúde Suína, que coordena esforços para manter a região livre de doenças como a peste suína africana, presente em vários países da Ásia, África e Europa. Essas atividades são de grande importância para a segurança alimentar da região e do mundo, já que Estados Unidos, Canadá e México se destacam entre os 15 países com maior produção de carne de origem suína, com mais de 15 milhões de toneladas por ano juntos. Além disso, a região está entre os 13 países que mais consomem proteína de porco no mundo: cada americano consome em média 117 quilos por ano, os canadenses 85 e os mexicanos 65 quilos.

Laboratório de Qualidade do Leite investe em melhoria na prestação de serviços

Certificado pelo Inmetro com a ISO 17025, o Laboratório de Qualidade do Leite (LQL) da Embrapa Gado de Leite adotou, nesta segunda-feira (31), uma série de medidas que visam aprimorar o relacionamento com seus clientes ao implementar melhorias significativas na prestação de serviços. De acordo com a Embrapa entre as medidas adotadas estão a coleta das amostras nos laticínios, em veículo refrigerado e com monitoramento pleno e em tempo real;  ampliação do escopo de análises de resultados com a inclusão de Caseína e Nitrogênio Uréico e realização de palestras para seus clientes com apresentação de temas específicos. Para informar as novidades e orientar quanto aos novos procedimentos, está sendo feito um atendimento direto e personalizado, canal que será mantido para estreitar o relacionamento com a clientela. Ainda este ano, o LQL irá adotar um novo software, que fornecerá relatórios mais completos aos clientes e informações importantes para cadeia produtiva do leite. Com mais de 170 clientes ativos de toda a Região Sudeste e da Bahia e uma média mensal de 28 mil análises, o LQL da Embrapa Gado de Leite é um dos oitos integrantes da Rede Brasileira de Laboratórios de Controle de Qualidade do Leite (RBQL) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, cujos objetivos são: monitorar a qualidade do leite cru no país, proporcionar o pleno exercício da ação fiscal com referência à qualidade do leite produzido no país, definir os protocolos operacionais para harmonização dos procedimentos laboratoriais e estruturar, alimentar e gerenciar o banco de dados de qualidade do leite no Brasil. Segundo o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo Martins, a coleta direto nas indústrias, com datas previamente agendadas, está sendo possível por meio de parceria firmada com a Coopmetro. O Trabalho contribui para que amostras não sejam descartadas por problemas de conservação devido à temperatura fora do padrão, além de permitir a rastreabilidade de todo o processo logístico, desde o laticínio até o laboratório.  O analista do LQL, Anderson Christ, informa que, ao todo, são quatro rotas pré definidas, que são percorridas duas vezes por mês. Em julho, por exemplo, foram atendidos 72 clientes na primeira quinzena de coleta e 45 na segunda quinzena, totalizando cerca de 18 mil amostras coletadas, tendo sido percorridos 12.288 quilômetros. Martins destaca que a disponibilização de resultados de análises de Nitrogênio Uréico a todos os clientes que realizem análises de Contagem de Células Somáticas e Componentes, permite ao produtor utilizar a informação no ajuste de dietas, possibilitando aumento na produção de leite. Já os resultados de análises de Caseína, fornecem dados substancialmente relevantes para o rendimento de produtos lácteos, em especial os queijos.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – China impulsiona recorde de vendas brasileiras de soja e carne bovina

Folha de S.Paulo – Tecnologia ajuda fazendas a aumentar produtividade e reduzir impacto ambiental

Folha de S.Paulo – Criadores de gado ampliam lucro com leilões virtuais de touros e embriões

Folha de S.Paulo – Gato concorre a prêmio de cidadão do ano na Nova Zelândia

O Estado de S.Paulo – MSD agrega serviços com aquisição de empresas

O Globo – Animal de estimação é deixado em clínica para banho e tosa e some em Campos

G1 – Mercado aquecido para o boi gordo faz aumentar o abate de vacas em Mato Grosso

G1 – Mais de 80 animais em situação de maus-tratos são resgatados em Itaquaquecetuba, diz polícia

G1 – Moradores usam água de propriedades particulares para encher lagoa que secou e matar a sede dos animais do Pantanal de MT

G1 – Campanha de vacinação antirrábica em Salvador imuniza mais de 30 mil animais; esquema drive-thru segue até setembro

G1 – Vereadores de cidade de SC aprovam projeto de lei que proíbe barulho de animais

G1 – Veterinários e tutores falam sobre período de adaptação dos pets antes e depois da retomada da rotina em Uberlândia

Valor Econômico – Ração cara desafia avicultura brasileira

Valor Econômico – Forte em pecuária, cooperativa Capal prepara marca de café

Valor Econômico – Hong Kong libera importação de frango de frigorífico da Aurora

Valor Econômico – Jasmine lança preparação para hambúrguer vegetal

CNA – Projeto Monitor do Seguro Rural analisa opções para aquicultura

CNA – Campo Futuro analisa custos de produção de pecuária de corte, avicultura, suinocultura e grãos

CNA – Depois do Pro-Senar Leite e a Assistência Técnica do Senar Bahia tudo mudou na vida de Geovane

Embrapa – Prosa Rural – Como construir instalações para aviários

Embrapa – Laboratório de Qualidade do Leite investe em melhoria na prestação de serviços

Embrapa – ANC e Embrapa lançam Sumários de Touros 2020

Embrapa – 1º Webinar HB destaca uso de tecnologias e melhoramento genético em bovinos

Agrolink – México, Canadá e Estados Unidos criam grupo de trabalho para prevenir doenças suínas

Agrolink – GO: divulgado resultado do índice de preços da cesta de derivados lácteos de agosto

Agrolink – Lista de touros com certificação IATFmax é ampliada

Agrolink – Projeto Monitor do Seguro Rural analisa opções para aquicultura

Agrolink – Altas nos preços da arroba do boi gordo

Agrolink – Quedas nas cotações dos ovos em agosto

Anda – Holanda anuncia proibição de criação de visons para a produção de peles

Anda – Mais de 100 animais vítimas de queimadas foram resgatados no Pantanal

SBA – Mercado de ovos registra desvalorização de 16,8% no acumulado de agosto

SBA – China dobra importações de carne suína do BR

Portal do Agronegócio – Desempenho do frango abatido em agosto e nos dois primeiros quadrimestres de 2020

Portal do Agronegócio – Má qualidade da água afeta o desenvolvimento e a produtividade das bezerras

______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »