Setor de biodiesel tenta reverter no Congresso queda da mistura de biodiesel no diesel

//Setor de biodiesel tenta reverter no Congresso queda da mistura de biodiesel no diesel
Reportagem do Valor Econômico destacou nesta quinta-feira (13) que, o anúncio repentino da redução da mistura obrigatória de biodiesel no diesel de 12% para 10%, feito pelo ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque na manhã desta quinta-feira, deixou o setor produtivo em “polvorosa” por não ter sido ouvido ou comunicado previamente da decisão pelo governo. O líder governista no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB/TO), foi pressionado por lideranças e parlamentares ligadas ao segmento para tentar reverter a decisão. Albuquerque foi comunicado que há possibilidade de haver judicialização por parte das empresas e que isso pode gerar um passivo para o governo. No Congresso, já surgem iniciativas para tentar barrar a decisão da Agência Nacional do Petróleo (ANP), anunciada também hoje, de retomar o 75º leilão de biodiesel, interrompido no último dia 7, já com percentual menor de mistura. “As últimas decisões geram instabilidade ao setor que busca consolidação, inclusive para ser alternativa de mercado externo. O movimento de suspender leilão e diminuir percentual de mistura é um equívoco terrível pois deixa o setor imprevisível na tomada de decisão”, disse o deputado federal Jerônimo Goergen (Progressistas/RS), presidente da Frente Parlamentar do Biodiesel. Ele pretende apresentar um projeto de decreto legislativo para derrubar a resolução da ANP.

Por que agricultores já estão vendendo a soja que só vai ser colhida em 2022

Nesta sexta-feira (14) o G1 divulgou que, o agronegócio brasileiro vive um bom momento dentro e fora da porteira em 2020. Com exportações aquecidas, é o único setor da economia que tem conseguido bom desempenho em meio à pandemia do novo coronavírus. Reflexo disso está na soja, principal produto do agro brasileiro e item mais exportado pelo país. E com dólar valorizado e grande procura da China, agricultores estão antecipando a venda do grão que só vai ser colhido no começo de 2022, um fato inédito. O Brasil se prepara para o plantio da safra 2020/21 e, no caso da soja, a colheita está prevista para o início do ano que vem, e essa produção já está sendo vendida e é comum ser negociada meses antes. No caso, a novidade é que os agricultores estão antecipando as vendas do produto de uma safra à frente. A avaliação de especialistas é de que 3 fatores permitiram esse cenário inédito: Primeira vez que indústrias aceitaram comprar o grão tão cedo; Preços atrativos por conta do dólar valorizado; Alta demanda da China, maior compradora mundial. Especialista apontam pequenos negócios ocorrendo no Centro-Oeste e no Paraná. Segundo o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea), pelo menos 1% da soja de 2022 já foi negociada. Essa venda normalmente ocorreria no início do ano que vem. “O preço está muito bom, nós nunca tivemos um ano tão bom como 2020 para preços e, com esse câmbio favorável (para exportação), a gente já consegue também bons preços lá na frente”, explica Luiz Fernando Gutierrez, analista da consultoria Safras & Mercado. O real desvalorizou mais de 30% em relação ao dólar em 2020. Isso deixa o produto brasileiro mais barato no mercado internacional. Além disso, o Brasil é referência na produção de soja, sendo o maior produtor e exportador mundial. Outro fator, explica Bartolomeu Braz, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), é que essa é a primeira vez em que os agricultores conseguem fazer uma negociação tão antecipada pelo grão. Ainda de acordo com Braz, o dinheiro das negociações está sendo utilizado para a compra de insumos da lavoura, que são cotados em dólar. É uma tática para tentar pagar logo os custos de produção e focar na lavoura apenas para o lucro. Porém, vendas tão aceleradas – tanto agora quanto nas negociações futuras – deixaram a soja mais cara no mercado interno (em reais) e, com isso, indústrias começam a importar o grão de países vizinho por um preço menor por causa do custo logístico (normalmente são empresas que ficam perto da fronteira).

Gigante do agro busca investir em agricultura vertical

A gigante bioquímica alemã Bayer e o fundo soberano de Cingapura Temasek estão lançando um negócio de genética de sementes de $ 30 milhões visando fazendas verticais, informou o portal Agrolink nesta sexta-feira (14). O Unfold levará a cabo inovação em torno de variedades de vegetais “que proporcionam qualidade otimizada e experiência sensorial” com o objetivo de “elevar o espaço agrícola vertical para o próximo nível de qualidade, eficiência e sustentabilidade”, disseram as empresas em um comunicado oficial. Embora não seja tecnicamente uma joint venture, a empresa foi criada com US$ 30 milhões em financiamento da Temasek e da unidade de investimento da Bayer, Leaps by Bayer. O CEO da Unfold, John Purcell – ex-chefe de pesquisa e desenvolvimento de vegetais da Bayer Crop Science – disse à AFN que a Bayer e a Temasek terão participação igual na nova empresa, “mas isso pode mudar com o tempo. A Unfold tem flexibilidade para buscar investimentos de outras empresas no futuro”, acrescentou. Além do capital, a Bayer também concedeu aos novos direitos de risco para alavancar germoplasma selecionado (sementes e outro material genético) de seu portfólio de vegetais – algo com o qual Purcell está intimamente familiarizado. “O foco do germoplasma está no sabor, nutrição e outras preferências do consumidor, bem como nas características de crescimento da planta de valor para os agricultores verticais”, disse ele. “Isso inclui frutificação precoce e uniforme, acúmulo rápido de biomassa, arquitetura de colheita automática, eficiência de produção e características de qualidade fotoinduzidas”, conclui.

Sistema de Defesa Agropecuária de Minas Gerais aprimora fiscalização remota

O Sistema de Defesa Agropecuária (Sidagro) foi aprimorado desde março deste ano com a implantação da fiscalização remota, uma iniciativa que busca otimizar o atendimento às atividades essenciais de natureza operacional, relacionadas à defesa sanitária animal e vegetal e à inspeção de estabelecimentos, durante a pandemia da Covid-19, destacou o portal Agrolink nesta quinta-feira (13). O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), é o gestor do sistema que passa a disponibilizar ferramentas permitindo aos servidores a geração de termos de fiscalização de forma remota, beneficiando a defesa agropecuária em todo o estado. Agora os responsáveis técnicos de estabelecimentos e os profissionais habilitados podem encaminhar os documentos e terem as solicitações atendidas por meio eletrônico. O procedimento proporcionou mais agilidade e praticidade, facilitando a conferência e acompanhamento e garantindo eficiência, economia e transparência aos serviços prestados. Para acessar o sistema, basta clicar aqui. Diante do enfrentamento à Covid-19, o avanço da tecnologia da informação é imprescindível para a adaptação e elaboração de novos procedimentos. A inovação ajuda a rever processos e estabelecer novas práticas de checagem dos parâmetros de verificação do cumprimento das leis e normas que se aplicam ao setor produtivo e de defesa agropecuária, seja para o produtor rural, o agroindustrial, o transportador ou qualquer outra pessoa física ou jurídica referenciada na legislação de defesa agropecuária. A fiscal agropecuária do Núcleo de Inovação e Modernização (NIM) do IMA, Luciana de Castro, informa que 17 procedimentos operacionais padrão e sete modelos de listas de verificação, relacionados à fiscalização remota, já foram elaborados nos últimos dois meses. Estes números, explica a servidora, aumentarão à medida que a equipe de campo se familiarizar com a nova rotina de fiscalização. O objetivo é agregar valor de forma ágil para simplificar as ações fiscais, garantindo a correta execução e o atendimento a todos os requisitos técnicos. Ela complementa ainda que a digitalização dos serviços busca o atendimento às necessidades dos cidadãos. Os procedimentos operacionais criados para a fiscalização remota possuem um padrão único para todas as gerências técnicas do IMA e seguem critérios de um Sistema de Gestão da Qualidade, tornando-os mais adequados para o uso dos servidores. O desenvolvimento dessas atividades teve a participação da fiscal agropecuária da Diretoria Técnica do IMA, Ilka Fioravante. Instituição essencial para a preservação da saúde dos animais e a sanidade dos vegetais, a identidade e a segurança dos produtos, a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, o IMA contribui para impulsionar o desenvolvimento sustentável do agronegócio mineiro em benefício da sociedade, visando atender aos interesses da cadeia produtiva da agropecuária, levando-se em conta a saúde pública. O diretor-técnico do IMA Bruno Rocha de Melo reforça a importância do aprimoramento das atividades de defesa agropecuária por meio da inovação, modernização e tecnologia. O IMA estabelece normas que visam disciplinar e regulamentar a defesa sanitária animal e vegetal, além do comércio de insumos agropecuários, a educação sanitária, a auditoria, a fiscalização, a inspeção, a certificação da conformidade de processos e a elaboração de produtos e subprodutos agropecuários, agroindustriais e artesanais.

NA IMPRENSA

G1 – Por que agricultores já estão vendendo a soja que só vai ser colhida em 2022

G1 – Conab retoma pesquisa de café suspensa por pandemia e divulgará dados em setembro

G1 – JBS tem lucro de R$ 3 bilhões no 2º trimestre e supera estimativas

Valor Econômico – Governo define queda da mistura de biodiesel

Valor Econômico – Índice de confiança de Fiesp e CropLife Brasil voltou a subir

Valor Econômico – Receita da Kepler cai na pandemia

Valor Econômico – Setor de biodiesel tenta reverter no Congresso queda da mistura de biodiesel no diesel

Valor Econômico – Lucro líquido da SLC Agrícola caiu 7,5% no 2º trimestre

CNA – Com apoio do projeto Agro.BR, cooperativa da Bahia realiza primeira exportação de doce para Alemanha

CNA – Comissão de Meio Ambiente da CNA debate Reforma Tributária e Pagamento por Serviços Ambientais

MAPA – Com obras de infraestrutura, Custo Brasil vai “desabar” em cinco anos, diz ministro Tarcísio de Freitas em live com Tereza Cristina

Embrapa – Palestra técnica online apresenta caminhos para manejo de plantas daninhas na produção

Embrapa – Embrapa realiza série de lives sobre o sorgo

Embrapa – Treinamento enfatiza boas práticas agrícolas e produção sustentável e viabiliza que técnicos de Minas Gerais e Bahia propaguem conhecimentos adquiridos

Agrolink – La Niña pode trazer prejuízos para as lavouras

Agrolink – Carreta de Prêmios do 5º Concafé percorrerá municípios de Rondônia para motivar cafeicultores

Agrolink – Valorizações do milho e do farelo estão mais intensas

Agrolink – Nutrição de solo é decisiva no algodão

Agrolink – Produção de laranjas da Flórida deve cair

Agrolink – Colmeia Viva divulgará resultados de 3 anos de pesquisa

Agrolink – AsBraAP promove evento sobre agricultura de precisão e digital

Agrolink – Gigante do agro busca investir em agricultura vertical

Agrolink – Trigo futuro volta para R$ 1.000,00/t no RS

Agrolink – Açúcar atinge nova máxima em cinco meses em Nova York

Agrolink – Portaria que suspende queima da cana-de-açúcar é prorrogada

Agrolink – Laboratório da Superbac vai integrar BioAS da Embrapa

Agrolink – Sistema de Defesa Agropecuária aprimora fiscalização remota

Agrolink – Sensores tornam a agricultura mais sustentável
______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »