Senar-RS fará live sobre o drone como tecnologia a favor do agro

//Senar-RS fará live sobre o drone como tecnologia a favor do agro
O uso de drones vem ganhando força no campo e as aplicações podem ser diversas, informou o AgroLink portal nesta sexta-feira (31). O aparelho ajuda a detectar pragas e doenças, falhas no plantio, excesso de irrigação entre outros. Para abordar as principais soluções dessa tecnologia, o Senar-RS transmitirá a live, com o tema “Drone – Tecnologia a Favor do Agro”. A transmissão reunirá o Professor da UFRGS, Christian Bredemeier, o engenheiro agrônomo da COOPLIB, Cristiano Gotuzzo e a mediação será feita pelo o engenheiro agrônomo do Senar-RS, Henrique Padilha. O objetivo do encontro é levar ao produtor rural informações sobre o drone, os cuidados na operação, componentes, funcionalidades, as vantagens e melhores formas de utilização na propriedade. O encontro será transmitido no canal do Senar-RS no Youtube no dia 4 de agosto, a partir das 19h30. O endereço é www.youtube.com/SenarRioGrandedoSul.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento registra 38 defensivos agrícolas genéricos, incluindo produtos biológicos

O Ato n° 43 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado nesta sexta-feira (31) no Diário Oficial da União, traz o registro de 38 produtos formulados, ou seja, defensivos agrícolas que efetivamente estarão disponíveis para uso pelos agricultores. Todos os produtos utilizam ingredientes ativos já registrados anteriormente no país. “Os novos registros são importantes pois diminuem a concentração do mercado de defensivos e aumentam a concorrência, o que resulta em um comércio mais justo e em menores custos de produção para a agricultura brasileira”, destaca o coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins, Bruno Breitenbach. Entre os produtos registrados hoje, 13 são produtos biológicos sendo 11 deles compostos por microrganismos como a Beauveria bassiana, o Bacillus amyloliquefaciens ou o Metarhizium anisopliae que são agente biológicos de controle de pragas que atacam os cultivos brasileiros. Outro produto utiliza a vespa Cotesia flavipes para o controle biológico da broca da cana-de-açúcar; e um outro produto de baixo impacto que utiliza um óleo extraído da planta Azadirachta indica de origem indiana conhecida como Neem e tem efeitos natural inseticida, podendo inclusive ser utilizado para os cultivos orgânicos. Além do extrato de Neem, outros quatro produtos dos defensivos biológicos estão autorizados para uso no controle de pragas de cultivos orgânicos. Ao todo, em 2020 já foram registrados 45 produtos considerados de baixo impacto (biológicos e orgânicos). Os produtos que utilizam agentes de controle biológicos ou bioquímicos na sua formulação são alternativas de controle para os agricultores no combate às pragas, ao mesmo tempo que contribuem para o aumento da sustentabilidade da agricultura nacional. “A priorização de processos de registro de produtos de baixo impacto resultou na diminuição considerável do tempo de análise e registro desses produtos. Para obtenção de um registro de um produto biológico ou microbiológico leva-se em média oito meses, ao passo que a análise e registro de um produto químico convencional tende a levar, na média, mais de quatro anos”, ressalta Breitenbach. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reforça que todos os produtos registrados foram também analisados e aprovados pelo Ibama e pela Anvisa, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

Argentina declara estado de emergência agrícola devido a nevasca e gafanhotos

Segundo o Valor Econômico o Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina decretou estado de emergência agrícola no país após forte nevasca nas províncias de Rio Negro, Neuquén e também em Chubut, onde produtores enfrentam além da neve, uma praga de tucura, também chamados de “gafanhotos crioulos”. De acordo com comunicado do governo argentino, a partir de desta sexta-feira (31) começa a funcionar o projeto coordenado de assistência rápida, para acelerar prazos dos procedimentos de declaração e não atrasar os auxílios destinados a produtores das fazendas de gado de Rio Negro, além dos agricultores que produzem cebola, abóbora, milho, batata, quinoa, sorgo, e vegetais. Produtores de vinho, frutas secas, videiras e outras culturas também receberão benefícios pelo prazo de um ano a partir da assinatura do decreto. No caso de Neuquén, foi recomendado declarar emergência e/ou desastre agrícola para fazendas de gado e agricultura familiar, afetadas pelo excesso de neve. Em relação a Chubut, os decretos protegem os pequenos produtores e povos indígenas da peste tucura.

Desmatamento ilegal ameaça setor do agronegócio

Desde que foi citado pela primeira vez, num relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) de 1987, o conceito de desenvolvimento sustentável – que prega o aproveitamento de recursos naturais sem agredir o ambiente, para garantir a sobrevivência das gerações futuras – vem conquistando corações e mentes no mundo inteiro, destacou o Valor Econômico nesta sexta-feira (31). Em 2020, quem sabe até pelo sentido de urgência trazido pela pandemia do novo coronavírus, este tema ganhou uma importância inédita, envolvendo diretamente o Brasil no debate. Dono da maior reserva florestal do planeta e a caminho de se tornar o maior exportador mundial de produtos agrícolas, o Brasil também ostenta o título de país que mais devasta os seus biomas. Até uma década atrás, ou pouco mais, a responsabilidade pela destruição de vegetação nativa, sobretudo na Amazônia e no Cerrado, recaía sobre os produtores rurais brasileiros, cujos planos de expansão estariam estimulando a invasão de terras públicas. Hoje o papel de principal vilão ambiental é assumido pelo governo brasileiro – mas as acusações de agressão ao ambiente continuam respingando nos produtores rurais, que se mostram preocupados. “Hoje os maiores interessados em acabar com o desmatamento na Amazônia são justamente os exportadores brasileiros de commodities agrícolas, porque isso atrapalha o negócio deles”, resume Tasso Azevedo, coordenador da MapBiomas, ONG que acaba de publicar o mais completo relatório sobre a destruição da vegetação nativa no país – por iniciativa do Observatório do Clima, que reúne 36 entidades da sociedade civil. Segundo Azevedo, o principal agressor da floresta é o especulador que ocupa uma terra pública – e 75% das terras da Amazônia são públicas – para tentar vendê-la mais tarde. “Estudos mostram que seis de cada dez hectares de floresta desmatada viram pastagens, três acabam abandonados e só um hectare se torna lavoura produtiva”, afirma. “É esse especulador que precisa ser barrado”, conclui. Com base em dados e fotos de satélite fornecidos por dois institutos nacionais – o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) – e um norte-americano – o Global Land Analysis & Discovery, da Universidade de Maryland –, o relatório da MapBiomas traz números devastadores para a imagem do país.

NA IMPRENSA

Agência Senado – Senado aprova MP que beneficia setores portuário e de aviação

Agência Câmara – Projeto reconhece estado de emergência climática no Brasil

O Estado de S.Paulo – Reflexos do Pacto Ecológico Europeu nos setores produtivos no Brasil

O Estado de S.Paulo – Agronegócio e meio ambiente – separando o joio e o trigo

Valor Econômico – Cofco faz parceria com IFC, braço do Banco Mundial, para rastrear origem da soja no Matopiba

Valor Econômico – Usinas pedem cota de açúcar maior nos EUA

Valor Econômico – Sem ingredientes novos, Ministério da Agricultura registra 38 defensivos agrícolas

Valor Econômico – Argentina declara estado de emergência agrícola devido a nevasca e gafanhotos

Valor Econômico – Caterpillar tem queda de 72% no lucro do segundo trimestre

Valor Econômico – Auditores fazem representação na PGR contra decreto que pode viabilizar terceirização do SIF

Valor Econômico – Repasses do Funcafé a agentes financeiros chegam a R$ 4 bi

Valor Econômico – Desmatamento ilegal ameaça setor do agronegócio

Valor Econômico – Trebeschi, de tomates, compra área no Ceará para manter expansão

Valor Econômico – CMN autoriza prorrogação de parcelas de dívidas de crédito rural

Valor Econômico – CMN prorroga até o fim do ano medidas emergenciais para facilitar contratação de crédito rural

Valor Econômico – CMN reduz juros do Pronaf para agricultores prejudicados pelo “ciclone bomba” no Sul

Valor Econômico – Agricultura 4.0 avança entre grandes produtores

Valor Econômico – Commodities: Clima frio no Brasil impulsiona cotações do café

Valor Econômico – Consultoria inglesa calcula benefícios do uso de transgênicos na agricultura

G1 – Governo libera o registro de 38 agrotóxicos genéricos para uso dos agricultores

G1 – Empresa chinesa e Banco Mundial fazem parceria para garantir soja sustentável no Cerrado brasileiro

G1 – EUA investigam pacotes de sementes misteriosas vindos da China

Embrapa – Evento on-line apresenta tecnologias agropecuárias para o semiárido mineiro

Embrapa – Aberta inscrição para o desafio de inovações no agronegócio

CNA – CNA debate oportunidades e desafios para o barter e para operações financeiras no agro

CNA – Com organização administrativa, produtora rural reduz custos e melhora lucratividade e qualidade de vida

CNA – Farsul apresenta estudo sobre produções agrícolas convencionais e sem defensivos

CNA – Senar credencia técnicos de campo para abrir 40 novas turmas de ATeG

CNA – CNA participa de debate sobre conectividade no meio rural

Mapa – Mapa registra 38 defensivos agrícolas genéricos, incluindo produtos biológicos

Mapa – CMN aprova medidas para agricultores prejudicados por ciclone e pela pandemia de Covid-19

AgroLink – Ações externas já resultam em diminuição do greening

AgroLink – Fundecitrus promove evento online sobre o greening para apresentar a atual incidência e abordar estratégias de controle da doença

AgroLink – Mercado de fertilizantes especiais avança 7,7%

AgroLink – Piauí é destaque no Anuário 2020 da piscicultura brasileira

AgroLink – GO: governador reestrutura e fortalece assistência ao pequeno produtor rural

AgroLink – Evento online debate reinvenção do agronegócio com profissionais nacionais e internacionais

AgroLink – Gafanhotos: detectadas duas novas nuvens

AgroLink – Senar-RS fará live sobre o drone como tecnologia a favor do agro

AgroLink – Laboratório celebra 70 anos de pesquisa com inoculantes

AgroLink – Fazenda Santa Silvéria venderá os seus 60 melhores touros Bonsmara no dia 28 de agosto

AgroLink – Protagonismo das mulheres rurais de Sete de Setembro recebe evidência
______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »