Senador Wellington Fagundes pede que Câmara vote uso de aviões agrícolas no combate a incêndios  

//Senador Wellington Fagundes pede que Câmara vote uso de aviões agrícolas no combate a incêndios  
O presidente da Comissão Temporária Externa do Pantanal, senador Wellington Fagundes (PL-MT), pediu, nesta terça-feira (11), a deputados que votem o projeto de lei (PL 4629/2020) do senador Carlos Fávaro (PSD-MT) que incentiva a requisição de aviões agrícolas para o combate de incêndios florestais, informou a Agência Senado. A proposta já foi aprovada pelo Senado e aguarda decisão da Câmara. A reportagem é de Bruno Lourenço, da Rádio Senado. O senador Wellington Fagundes destaca que, “o mesmo piloto que trabalha na aeronave agrícola ele tem que ser capacitado, ele tem que ser treinado para fazer o combate ao incêndio que é totalmente diferente de fazer uma pulverização de herbicida ou em plantação de sementes. Esse projeto já esta aprovado la no senado e espero que a gente também possa aprovar na câmara e que essa estrutura toda, claro, pagando os proprietários, possa ser utilizado também pelos órgãos governamentais”.

Aeronaves remotamente pilotadas inovam setor agrícola

As ferramentas da agricultura de precisão (AP) buscam melhorar a eficiência no campo, permitindo assim aumentar a rapidez na tomada de decisão. A AP é denominada no Brasil como um conjunto de sistemas e tecnologias que visam monitorar o campo metro a metro. De acordo com o G1 no atual cenário de intensas transformações e inovações tecnológicas voltadas à agricultura, as aeronaves remotamente pilotadas (RPA em inglês) possuem grande importância no mapeamento de grandes extensões de áreas produtivas. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as aeronaves remotamente pilotadas são veículos aéreos não-tripulados (Vant), onde um piloto remoto é responsável pelo voo seguro dessa aeronave. Esse termo Vant é reconhecido mundialmente e está associado a uma enorme diversidade de aeronaves, como as autônomas, e as semiautônomas ou remotamente operadas. Atualmente o termo drone também é amplamente empregado para se referir aos Vants, só que essa denominação está associada aos Vants multirrotores. Segundo pesquisa realizada pelo professor da Fazu (Faculdades Associadas de Uberaba), MsC. Matheus Oliveira Alves, juntamente com os pesquisadores Dr. Ricardo Vicente Ferreira, Dr. Ricardo Luís Barbosa e Dr. Rodrigo Bezerra de Araújo Gallis, o interesse nessas aeronaves tem crescido ao redor do mundo, devido aos avanços recentes na tecnologia da informação e computacional, na criação e desenvolvimento de softwares e plataformas para processamento de dados, de novos materiais mais leves, sistemas globais de navegação, sofisticados sensores e a diminuição do tamanho das aeronaves são os motivos do aumento e na popularização no desenvolvimento de Vants. Os veículos aéreos não-tripulados (Vant) são habilitados a realizar a diversas atividades na lavoura, como fazer o mapeamento de estresse hídrico, acompanhar o desenvolvimento das culturas como apoio para manter o controle de pragas e doenças. As novas tecnologias da agricultura de precisão se aplicam aos mais diversos campos da produção agrícola.

CNA, Aprosoja, Abrapa e GAAS promovem seminário sobre a produção on farm de bioinsumos

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e o Grupo Associado de Agricultura Sustentável (GAAS) realizam, no próximo dia 17 de novembro, às 14h, um seminário sobre a produção on farm (na fazenda) de bioinsumos. O evento reunirá especialistas sobre o tema para debater, entre outros pontos, a eficiência, a segurança e a regulamentação da produção destes insumos em sistemas convencionais e orgânicos na própria propriedade e sua utilização pelos produtores rurais, destacou o portal AgroLink nesta sexta-feira (13). Os bioinsumos são insumos biológicos de origem animal, vegetal ou microbiana, que contribuem para o desenvolvimento da produção agropecuária e dos sistemas de produção aquáticos ou florestais. Segundo o presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Ricardo Arioli, a utilização de bioinsumos tem crescido no país e sua regulamentação para garantir segurança jurídica para a produção na fazenda e o uso próprio desses insumos (on farm) estão entre as prioridades da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Para o diretor executivo da Aprosoja Brasil, Fabrício Rosa, o setor de soja utiliza bioinsumos há anos e debater a produção on farm é de extrema relevância para os produtores. Segundo o presidente do GAAS, Rogério Vian, o evento será uma excelente oportunidade para debater a produção on farm com representantes da agricultura orgânica, da agricultura convencional, da indústria de defensivos agrícolas, de pesquisadores e do governo em busca da eficiência, segurança e regulamentação adequada da produção desses insumos. A eficiência e as pesquisas dos bioinsumos para a cultura do algodão também serão debatidos. Segundo Marcio Portocarrero, diretor executivo da Abrapa, o setor de algodão tem recorrido cada vez mais às certificações e à sustentabilidade da cotonicultura brasileira. Desta forma, ressaltou, a produção e a utilização de bioinsumos só têm a contribuir com esse processo. O evento contará com a participação também de representantes do Instituto Brasil Orgânico (IBO), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMAmt) e CropLife Brasil.  O evento será transmitido pelo site Agro pelo Brasil.

Na contramão de Bolsonaro, agronegócio quer construir pontes com Biden

O presidente Jair Bolsonaro pode até não ter reconhecido o democrata Joe Biden como o governante eleito dos Estados Unidos e ainda chamar o futuro mandatário de “candidato a chefe de Estado”, mas os representantes do agronegócio não pensam assim. les aproveitaram o Encontro Nacional do Comércio Exterior (Enaex) para ressaltar que o setor do País precisa reverter a imagem negativa de desmatamento e baixa proteção ambiental. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo o evento que aconteceu nesta quinta-feira (12) e sexta-feira (13), foi organizado pela Associação Brasileira de Comércio Exterior (AEB). “Estamos no limiar de uma mudança de comando na maior economia do mundo, os Estados Unidos, com a eleição de Biden. O Brasil é eficiente e competitivo em sua produção e não temos o que temer com essa nova gestão. Além do que, um país não é amigo de pessoas, mas tem negócios com outros países”, afirma o ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Cesario Ramalho, atual representante da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho). Ele diz que o setor é responsável por cerca de 23% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e que os produtos nacionais são competitivos no exterior, também quando comparados às exportações dos Estados Unidos. “Biden deve colocar os Estados Unidos novamente no Acordo de Paris (de combate às mudanças climáticas), o que é muito importante para termos um debate equilibrado sobre essa questão.” Os representantes do agronegócio avaliam que é preciso ressaltar que o produtor rural brasileiro cumpre as regras ambientais e se enquadra no que é estabelecido pelo Código Florestal. Para eles, a vitória de Biden significa, ainda, um retorno do multilateralismo, com o fortalecimento de organizações, como a Organização Mundial do Comércio (OMC), que foi desprestigiada pelo governo do atual presidente, o republicano Donald Trump. “O Brasil precisa aproveitar que Biden entrou para virar o disco. São duas safras por ano, que evitam desmatamento, essa é uma agenda que deve ser atacada de frente, com muito diálogo. A gente não pode confrontar o mundo nessa área (ambiental)”, diz Marcos Jank, professor sênior de agronegócio no Insper e coordenador do centro Insper Agro Global. Ele ressalta que as preocupações sanitárias mudaram de patamar com a crise causada pelo novo coronavírus, mas que o Brasil tem um sistema integrado de produção muito superior ao de qualquer outro emergente.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Projeto prevê renegociação de dívidas de produtores rurais do Pantanal

Agência Câmara – Projeto cria política para incentivar motorização elétrica no meio rural

Agência Senado – Wellington Fagundes pede que Câmara vote uso de aviões agrícolas no combate a incêndios

Governo Federal – Produção agropecuária tem alta de 13% em relação ao ano passado

Governo Federal – Exportação de açúcar bate recorde histórico em outubro

O Estado de S.Paulo – Na contramão de Bolsonaro, agronegócio quer construir pontes com Biden

G1 – Aeronaves remotamente pilotadas inovam setor agrícola

Valor Econômico – Será difícil avançar acordo comercial entre Brasil e novo governo dos EUA

Valor Econômico – Valor da produção agropecuária deve chegar a R$ 950 bi em 2021

Valor Econômico – Íntegra, com apoio de sócio da gestora ARC, arremata usina da Renuka em São Paulo

Valor Econômico – Após sequência de perdas, Biosev teve lucro no 2º trimestre

Valor Econômico – Exportações do setor recuaram 6% em outubro

Valor Econômico – Custo sobe, mas margem em geral é positiva

Valor Econômico – Ministério da Agricultura busca recursos para reforçar Plano Safra

CNA – CNA, Aprosoja, Abrapa e GAAS promovem seminário sobre a produção on farm de bioinsumos

CNA – Assistência Técnica e Gerencial expande alcance para novas cadeias produtivas no Acre

CNA – Em seminário virtual, Sistema CNA/Senar apresenta resultados dos custos de produção no campo

CNA – Presidente da CNA diz que produtor precisa ter gestão da atividade na ‘palma da mão’

CNA – CNA realiza workshop sobre exportação de mel

CNA – CNA e MRE debatem relatório da OCDE sobre políticas agrícolas no Brasil e no mundo

Mapa – Mapa e Receita Federal apreendem 56 toneladas de defensivos agrícolas contrabandeados em Ponta Porã

Mapa – Conab divulga tendência de preços das frutas em novembro

AgroLink – Você sabe como de fato o agronegócio funciona?

AgroLink – CNA, Aprosoja, Abrapa e GAAS promovem seminário sobre a produção on farm de bioinsumos

AgroLink – Gestão digital pode gerar economia na fazenda?

AgroLink – Live discute exportações de produtos agropecuários para a Ásia

AgroLink – Joint venture vai focar em soluções digitais no setor agrícola

AgroLink – Receita do setor agroquímico indiano deve crescer 14%

AgroLink – Publicado zoneamento agrícola da soja

AgroLink – Russos querem automatizar equipamentos agrícola

Canal Rural – Brasil não tem que temer governo Biden, diz presidente da Abramilho

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »