Resolução habilita Técnico Agrícola a atuar como responsável em operações de aviação agrícola

Home/Informativo/Resolução habilita Técnico Agrícola a atuar como responsável em operações de aviação agrícola

O Conselho Federal dos Técnicos Agrícolas (CFTA), por meio da Resolução nº 34, de 26 de maio de 2021, publicada nesta segunda-feira (26), no Diário Oficial da União, habilita o Técnico Agrícola a atuar como responsável pela execução de operações de campo em aviação agrícola. O desempenho da atividade é condicionado à conclusão de Curso de Executor em Aviação Agrícola (CEAA), ministrado ou autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O ato normativo foi deliberado em reunião da Diretoria Executiva, conforme as atribuições que lhe são conferidas pela Lei n° 13.639, de 26 de março de 2018, e pelo Regimento Interno do CFTA. O profissional, a fim de ter reconhecida a habilitação, deverá formalizar requerimento junto ao CFTA, cadastrando protocolo para a inclusão da especialização profissional, no Sistema de Informação do Técnico Agrícola (SITAG) https://servicos.sitag.org.br. O procedimento deverá, obrigatoriamente, ser acompanhado de cópia digitalizada dos seguintes documentos: diploma ou certificado de conclusão do Curso de Executor em Aviação Agrícola (CEAA) emitido pelo MAPA ou por uma de suas Superintendências Federais; grade curricular e ementário das disciplinas cursadas. Aprovado o requerimento, o profissional, mediante recolhimento da taxa aplicável à Certidão Especial, poderá solicitar a emissão da Certidão de Habilitação Profissional para Execução Técnica em Aviação Agrícola. É obrigatório para assumir o encargo, o prévio registro do Termo de Responsabilidade Técnica (TRT) de Cargo ou Função, identificando a pessoa jurídica pela qual o profissional atua, bem como, para cada operação, individualmente considerada, o registro de Termo de Responsabilidade Técnica (TRT) de Obra ou Serviço. Confira a Resolução nº 34, de 26 de maio de 2021. As entidades de ensino de aviação agrícola são registradas no MAPA e recebem delegação do Órgão para ministrarem cursos relacionados às atividades de aviação agrícola: pilotos agrícolas (CAVAG), coordenadores em aviação agrícola (CCAA) e executores em aviação agrícola (CEAA). Para saber quais os cursos de Aviação Agrícola estão disponíveis, clique aqui.

Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e a Federal Aviation Administration (FAA) adequam definição para uso de aeronaves de categoria restrita

No dia 13/07, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e a Federal Aviation Administration (FAA) assinaram emenda que adequa a definição de Aeronave Categoria Restrita. O documento entrou em vigor no dia de sua assinatura. A Emenda 2 da Revisão 2 dos Procedimentos de Implementação deixa evidente que aeronaves excedentes militares (originalmente certificadas pelas forças armadas) do país exportador não são elegíveis à validação do seu projeto de tipo no país importador para operação civil. Os Procedimentos de Implementação emendados estão disponíveis em https://sistemas.anac.gov.br/certificacao/Acordos/Acordos.asp

Vivo une-se a São Martinho e Ericsson por 5G no campo

Da agricultura de precisão para a de ultraprecisão. Esse é o salto que o grupo sucroalcooleiro São Martinho pretende dar com a instalação de internet 5G em suas unidades, em um projeto de “fazenda inteligente” que está sendo desenvolvido com a Ericsson desde o ano passado e que, agora, ganha o reforço da Vivo para a operação da rede e o desenvolvimento de soluções, destacou o Valor Econômico nesta quinta-feira (29). Com apoio da Ericsson, o 5G já começou a ser instalado em alguns locais da usina do grupo localizada em Pradópolis (SP). Maior usina do mundo, com capacidade de moer, a cada safra, cerca de 10 milhões de toneladas de cana, cultivada em 130 mil hectares, a unidade foi a primeira do país a instalar uma rede própria de 4G, dois anos atrás. E, em seu novo salto tecnológico, foram ativados, no último dia 5, os primeiros sinais de 5G, um dentro da planta industrial e outro na unidade de manutenção agrícola, já na área com lavouras. A expansão do 5G para mais áreas da unidade – e inclusive para as outras usinas do grupo – será feita com apoio da Vivo. A São Martinho não revelou quanto investirá na iniciativa, mas, para Fabio Venturelli, CEO da empresa o custo “vai acabar sendo baixo diante de todo o potencial de geração de negócios”. A aposta em tecnologias de ponta não é algo novo para a companhia, que já desembolsou R$ 70 milhões no Centro de Operações Agrícolas (COA), de controle remoto das operações, e que gerencia os 300 mil hectares de canaviais que atendem as quatro usinas do grupo. Já o 5G permite um salto, com alta velocidade de tráfego de dados e baixos tempo de resposta (latência) e variação. Com a expansão dessa conexão nas lavouras, várias atividades poderão ser controladas à distância em tempo real e com alta precisão. Na prática, máquinas agrícolas poderão atuar de maneira completamente autônoma nas plantações, por exemplo. Com a cobertura de 5G ativada recentemente, a São Martinho já realizou um teste com um drone da fabricante XMobots que identifica falhas nas linhas de plantio, plantas daninhas e pragas. O novo sinal permitiu ao COA receber transmissão de vídeo e realizar o controle das atividades em tempo real, além de descarregar todas imagens. O uso do 5G no drone foi uma das 24 aplicações elencadas pelo grupo sucroalcooleiro com a Ericsson e que poderão ser desenvolvidas com a nova tecnologia de conexão. A usina já cogita usar o 5G para garantir a automação de processos industriais com sensores nas máquinas e até realizar monitoramento cardíaco dos 12 mil trabalhadores da companhia com sensores em crachás.

Agronegócio puxa recuperação do setor de máquinas

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgou os números referentes ao setor em junho. O mês foi de estabilidade nas receitas líquidas de vendas em relação a maio, informou o portal AgroLink nesta quinta-feira (29). Na comparação com o mês de junho de 2020, o resultado foi de elevado crescimento, da ordem de 45,4%. O setor contou no período com manutenção do crescimento nos setores ligados ao agronegócio, recuperação naqueles ligados ao consumo de bens duráveis e semiduráveis, além disso a base de comparação estava fortemente deprimida pelas medidas de afastamento para controle da covid-19. A receita líquida de máquinas e equipamentos no mercado doméstico teve pequena alta de 0,2%. Nas exportações o crescimento foi maior, de 7,4% em quantidade e de 6,2% em valores em dólares. O setor encerrou o primeiro semestre do ano com incremento de 40,3% nas receitas totais. Ainda na exportação equipamentos que vinham de queda de 24,5% em 2020, voltaram a registrar crescimento em fevereiro deste ano e já em abril o setor contava com valores superiores. No segmento de máquinas agrícolas o avanço nas vendas externas em junho foi de 14,1% e na comparação interanual avanço de 30,8%. Para os próximos meses, a expectativa é de manutenção da estabilidade das receitas em níveis próximos aos observados no segundo semestre de 2020. A Abimaq projeta crescimento entre 18 e 20% para este ano na produção de máquinas e equipamentos. A entidade afirma que o setor está apto a suprir demanda interna, nos próximos meses, e os empresários já estudam investimentos.

NA IMPRENSA

CFTA – Técnico Agrícola é habilitado a atuar como responsável em operações de aviação agrícola 
CFTA – Técnicos Agrícolas voltam a exercer atividades na área de recursos hídricos 
G1 – ANP: Consumo de combustíveis dá sinais de recuperação no 1º semestre 
Valor Econômico – Vivo une-se a São Martinho e Ericsson por 5G no campo 
Valor Econômico – Alta do aço reduziu lucro da Kepler Weber no 2º trimestre 
Valor Econômico – Produção agropecuária no Cerrado é tema de evento da Coalizão Brasil e Valor 
Valor Econômico – Negócios em toda a cadeia produtiva 
Valor Econômico – Novo recorde de exportação 
Valor Econômico – Mais riscos para o país 
Valor Econômico – Ainda dá para evitar perdas 
Anac – ANAC e FAA adequam definição para uso de aeronaves de categoria restrita 
Mapa – Maçã e gergelim brasileiros avançam no mercado indiano 
CNA – CNA e FAO realizam seminário sobre o consumo de frutas e hortaliças no Brasil 
CNA – Dia do Produtor Rural: Reinvenção, oportunidade e esperança marcam trajetória dos produtores rurais acreanos 
CNA – CNA discute autocontrole da defesa sanitária vegetal 
SBA – Serra Catarinense recebe neve na noite de ontem; confira imagens 
AgroLink – Conab quer contratar frete para 9,3 mil ton de milho 
AgroLink – Queimada é incêndio?  
AgroLink – Pesquisa lança quatro novas cultivares de cana 
AgroLink – Agronegócio puxa recuperação do setor de máquinas 
AgroLink – Rússia autoriza retomada das importações de tabaco do Brasil
AgroLink – Agroquímicos chineses vão atrasar ainda mais 
Canal Rural – Embrapa Cerrados promove evento online em comemoração aos 46 anos 
Notícias Agrícolas – Tecnologia ajuda evitar perdas de até 60% com inadimplência entre distribuidoras de insumos agrícolas 
Notícias Agrícolas – Empresa de marcação a laser em peças e máquinas agrícolas chega ao mercado brasileiro 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »