REMÉDIO QUE PREVINE CONTAMINAÇÃO PELO HIV SERÁ OFERECIDO PELO SUS

//REMÉDIO QUE PREVINE CONTAMINAÇÃO PELO HIV SERÁ OFERECIDO PELO SUS
Um medicamento que impede a propagação do vírus HIV na corrente sanguínea, indicado como terapia antirretroviral nos Estados Unidos e em países da Europa, estará disponível ainda este mês para pacientes do SUS em 12 Estados. O comprimido, fabricado por um grupo americano, já era indicado para o tratamento de soropositivos como parte do coquetel de aids. Segundo o Valor Econômico, a novidade é que o fármaco será utilizado agora por quem nunca entrou em contato com o vírus, estando exposto a ele durante a relação sexual. O remédio não protege o usuário contra outras infecções transmitidas sexualmente. “A distribuição do remédio pelo SUS priorizará 7 mil pessoas com mais de 18 anos, consideradas grupos de risco de contaminação, incluindo profissionais de saúde, homens que se relacionam com homens, transexuais e casais sorodiscordantes. Antes do início da terapia, no entanto, é necessário fazer exames, uma vez que o remédio é contraindicado para pessoas com doenças renais e desgaste nos ossos. Ente as primeiras capitais a receber o medicamento estão Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Manaus e São Paulo”, afirma a reportagem.

Política Nacional de Inovação Tecnológica na Saúde regula a transferência de tecnologias essenciais para o SUS

O Governo Federal instituiu a Política Nacional de Inovação Tecnológica na Saúde para regulamentar o uso do poder de compra do Estado em contratações e aquisições de produtos e serviços estratégicos para o SUS. A iniciativa torna modelos de desenvolvimento de tecnologias já utilizadas pelo Ministério da Saúde em política de estado, além de aprimorar o acompanhamento do poder público e esclarecer o papel dos laboratórios envolvidos. O portal Saúde ressalta que entre as ações estão transferências, internalizações, incorporações e o desenvolvimento e a qualificação de tecnologias em saúde no território nacional. Reduzindo a dependência externa e a vulnerabilidade produtiva e tecnológica do País em relação aos produtos e serviços estratégicos para o SUS. As Encomendas Tecnológicas na Área da Saúde serão utilizadas no desenvolvimento de soluções não existentes no mercado, como um novo medicamento ou uma nova forma de tratamento, ou situações com maior risco tecnológico para ofertas de terapias sem produção nacional. “Além de compra do produto, o processo poderá exigir uma série de compensações tecnológicas para diminuição do monopólio das empresas e fortalecimento do mercado nacional”, destaca a publicação.

Aprovada lenalidomida e mais 3 tratamentos para câncer

Quatro novos medicamentos foram aprovados na terça-feira (26) pela Anvisa. Os produtos são inéditos no país e ampliam a variedade para o tratamento de diferentes tipos de câncer. Os novos medicamentos são a lenalidomida, o durvalumabe, o olaratumabe e o netupitanto. Conforme o portal da Anvisa, os produtos chegarão ao mercado de acordo com a programação de cada fabricante. “A lenalidomida é indicado, em combinação com a dexametasona, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo refratário ou recidivado que já tenham recebido pelo menos um tratamento anterior. O Netupitanto é indicado para a prevenção de náuseas e vômitos agudos ou tardios em pacientes em processo de quimioterapia. O durvalumabe foi aprovado com indicação para o tratamento de pacientes com carcinoma urotelial localmente avançado ou metastático que tiveram progressão da doença durante ou após a quimioterapia à base de platina. Olaratumabe é um produto biológico indicado para pacientes com sarcoma de tecido mole avançado, que não podem fazer radioterapia ou passar por cirurgia e que não foram previamente tratados com antraciclínicos”, enfatiza a Anvisa.

Cientistas testam terapia genética que pode funcionar como ‘vacina’ contra câncer

A terapia genética que faz às vezes de “vacina” é o que buscam pesquisadores de todo o mundo, alguns com resultados já promissores em laboratório. Um dos estudos, com foco em câncer de pele, é desenvolvido há seis anos no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, em Campinas, São Paulo. Os cientistas de lá conseguiram comprovar em camundongos que a “vacina” criada curou a doença em 30% dos casos e que, de todos os animais tratados, 40% não desenvolveram câncer mesmo depois de tomar injeções de células com o tumor. De acordo com O Globo, os resultados foram publicados na revista científica “Frontiers in Immunology”. O tumor investigado no estudo é o melanoma, tipo mais agressivo de câncer de pele. “Um dos autores do estudo, Marcio Chaim Bajgelman explica que células de melanoma foram cultivadas em laboratório e modificadas geneticamente para que sua superfície passasse a ter imunomoduladores. Uma forma de fazer com que esse efeito fosse mais forte foi combinar três linhagens diferentes de células tumorais, cada uma com um tipo de imunomodulador”, destaca a notícia.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Cirurgia em crianças cresce 37% no Instituto Nacional de Cardiologia

Ministério da Saúde – Óbitos por acidentes de trânsito caem pelo segundo ano consecutivo

Ministério da Saúde – DSEI Cuiabá realiza Semana de Planejamento e Gestão

Ministério da Saúde – Ceará ganha reforço de R$ 30 milhões na assistência à saúde

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde libera R$ 182,4 mi para ações de vigilância e custeio de agentes de endemias

Ministério da Saúde – Política Nacional de Inovação Tecnológica na Saúde regula a transferência de tecnologias essenciais para o SUS

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde anuncia reforço para a assistência oncológica em Natal (RN)

ANS – Portabilidade extraordinária de carências

ANS – ANS divulga critérios do Fator de Qualidade de 2018

ANS – ANS atualiza dados do setor do mês de novembro

Anvisa – Usuário poderá relatar problema em legislação sanitária

Anvisa – Proibidos pimenta e azeites com irregularidades

Anvisa – Sem registro, produto para escova marroquina é proibido

Anvisa – Registrada vacina do HPV contra 9 subtipos do vírus

Anvisa – Aprovada lenalidomida e mais 3 tratamentos para câncer

Fiocruz – HIV/Aids: Efavirenz pediátrico está sendo desenvolvido

Fiocruz – OMS renova título de referência regional do IOC para rubéola e sarampo

Tecpar – TECPAR CONSOLIDA PROTAGONISMO NA ÁREA DA SAÚDE EM 2017

Câmara dos Deputados – Ciência e Tecnologia aprova três minutos diários de campanha sobre a prevenção de doenças em emissoras públicas de rádio e TV

Senado Federal – Doador de sangue poderá ficar isento da taxa de inscrição em concursos

Senado Federal – Instituições de saúde podem ser obrigadas a ofertar intérprete de Libras

Correio Braziliense – Mortes por overdose derrubam expectativa de vida nos EUA

Folha de S.Paulo – Garoto com doença rara corre em MG guiado pela mãe em cadeira adaptada

Folha de S.Paulo – Tomate pode ajudar a preservar pulmão de ex-fumante

G1 – O que é a síndrome das pernas inquietas, que atormenta o sono de uma em cada 20 pessoas

G1 – Uma única sessão de exercício pode proteger o coração por até 5 dias, aponta estudo

O Estado S.Paulo – Guarulhos registra mais duas mortes de macacos por febre amarela

O Globo – Cientistas testam terapia genética que pode funcionar como ‘vacina’ contra câncer

Valor Econômico – Clínica faz consulta por videoconferência

Valor Econômico – Remédio que previne contaminação pelo HIV será oferecido pelo SUS

Valor Econômico – Campanha para reduzir cesarianas desnecessárias entrará na 2ª fase

Observação: Em razão de problemas técnicos em nosso sistema, o informativo não pôde ser enviado na terça-feira (26). Pedimos desculpas por eventuais transtornos.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.