REMÉDIO CONTRA CÂNCER DE MAMA É CONSIDERADO TERAPIA INOVADORA

//REMÉDIO CONTRA CÂNCER DE MAMA É CONSIDERADO TERAPIA INOVADORA

O medicamento Kisqali para o tratamento do câncer de mama obteve o estatuto de terapia inovadora da Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos, anunciado na quarta-feira pelo grupo farmacêutico suíço Novartis. De acordo com o Correio Braziliense, quando utilizado em combinação com terapia endócrina oral para pacientes com câncer de mama avançado, apresentou eficácia superior. O câncer de mama antes da menopausa, é o câncer mais mortal entre mulheres de 20 à 59 anos. “A FDA concede o estatuto de terapia inovadora para acelerar o desenvolvimento e testes de novas drogas para doenças graves ou potencialmente”, frisa a reportagem.

Por falta e desacordo, Hospital Boldrini precisa importar quatro medicamentos para câncer

Referência na América Latina para tratamento de câncer e doenças do sangue em crianças, o Centro Infantil Boldrini tem usado recursos próprios para importar quatro medicamentos quimioterápicos, que são normalmente repassados pela União. Conforme o G1 enfatiza, segundo a unidade filantrópica e que vive de doações, três deles estão em falta no Brasil e o quarto, a polêmica Asparaginase, é importada para garantir a qualidade no tratamento dos pacientes. “Fica a cargo de cada unidade hospitalar qual medicação escolher, dentro do protocolo, e, se necessário, agregar recursos próprios na compra”, ressalta a entrevista.

Inteligência artificial poderá diagnosticar precocemente doenças cardíacas e câncer de pulmão

Pesquisadores de um hospital de Oxford desenvolveram uma inteligência artificial capaz de fazer diagnósticos a partir de exames para doenças cardíacas e câncer de pulmão. A Folha de S.Paulo informa que o sistema pode economizar bilhões de dólares ao permitir que esses males sejam detectados precocemente. O sistema chamado Ultromics faz um diagnóstico baseado em exames com muito mais precisão e consegue detectar detalhes invisíveis aos olhos humanos. Ele dá recomendações ao concluir que o paciente tem risco de ter um infarto. “A tecnologia passou por testes clínicos em seis unidades cardíacas. Os resultados serão publicados neste ano em um periódico científico após serem checados por especialistas”, destaca a publicação.

Imunoterapia com vírus é aposta para tratar cânceres agressivos

Vírus são conhecidos como causa de uma série de doenças, mas estudos recentes mostram que eles podem ser grandes aliados no tratamento do câncer. Segundo o Globo, nove pacientes participaram do estudo sobre câncer cerebral, todos eles tiveram o tumor removido cirurgicamente, mas, dias antes de serem operados, receberam uma dose na veia de um vírus chamado reovírus, muito encontrado no sistema respiratório e que, em geral, não faz mal. Depois que os tumores foram removidos, os cientistas os analisaram e descobriram vestígios de que o vírus havia atingido o órgão. Os pesquisadores também constataram que o vírus foi capaz de ativar o sistema de defesa do corpo para atacar o câncer. Como o reovírus foi programado em laboratório para se replicar apenas dentro de células cancerosas e deixar células saudáveis intactas, os pacientes que receberam o tratamento relataram apenas efeitos colaterais semelhantes à gripe”, enfatiza o texto.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Parâmetros ACE – Municípios

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.