Relatório mostra andamento dos serviços de inspeção e fiscalização de produtos de origem animal no país

//Relatório mostra andamento dos serviços de inspeção e fiscalização de produtos de origem animal no país
Dando continuidade ao acompanhamento dos impactos decorrentes da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o Serviço de Inspeção Federal (SIF) divulgou nesta terça-feira (16) seu terceiro relatório de atividades. Considerados atividade essencial, os serviços de inspeção e fiscalização continuam totalmente cobertos, garantindo o abastecimento de produtos de origem animal no país. Estão registrados no SIF 3.303 estabelecimentos de produtos de origem animal nas áreas de carnes e produtos cárneos, leite e produtos lácteos, mel e produtos apícolas, ovos e pescado e seus produtos derivados. No mês de maio, o SIF atendeu demandas de forma emergencial que resultaram na autorização de 205 atividades de abate em turnos ou dias adicionais à regularidade operacional dos abatedouros frigoríficos de aves, bovinos e suínos. Já foram programados e autorizados previamente 27 turnos extras para o mês de junho. O número de aves abatidas no mês de abril aumentou cerca de 1% em comparação a abril de 2019. Já os frigoríficos de suínos registraram praticamente o mesmo número de suínos abatidos em abril de 2019, sendo observado redução inferior a 1%. Em relação aos frigoríficos de bovinos, o mês de abril registrou uma redução de 20% no número de bovinos abatidos, o que representa aproximadamente 388 mil bovinos que deixaram de ser abatidos em comparação a abril de 2019. Além disso, outras atividades tiveram destaques como análise de 4.156 solicitações de registros de produtos de origem animal para consumo humano inseridas no Sistema Plataforma de Gestão Agropecuária do Sistema de Informações Gerenciais do Serviço de Inspeção Federal (PGA-SIGSIF) nos meses de março a maio. Em relação ao registro de estabelecimentos, foram registrados no SIF, de janeiro a maio, 111 novos estabelecimentos. O Mapa tem monitorado junto com as empresas e representantes do setor produtivo a situação de casos de Covid-19 nas unidades industriais e as medidas adotadas para protegerem os trabalhadores das indústrias e servidores públicos no exercício de suas atividades. Em maio, 47 abatedouros frigoríficos sob inspeção federal paralisaram suas atividades, sendo 39 paralisados temporariamente por questões comerciais, não relacionadas à transmissão do Coronavírus, e oito foram em decorrência de interdição temporária determinadas por órgãos externos (Secretaria de Saúde, Secretaria do Trabalho e Ministério Público do Trabalho). Confira aqui o terceiro Relatório de atividades do Serviço de Inspeção Federal

E. coli resistente a antibióticos é encontrada em bovinos

Uma equipe de pesquisadores detectou a bactéria Escherichia coli (E.coli) resistente a cefalosporinas, um antibiótico beta-lactâmico usado no tratamento de infecções bactericidas, em bovinos e ovinos na Espanha, segundo a publicação Animal’s Health. Para esse resultado, foi realizado um estudo transversal em 300 explorações agrícolas pelo Instituto Basco de Investigação Agrícola (Neiker), destacou o portal AgroLink nesta quarta-feira (17). Durante a pesquisa, os cientistas não detectaram nenhuma ocorrência de E. coli produtora de carbapenemases. No entanto, detectaram E. coli produtora de AmpC em cerca de 32,9% dos bovinos leiteiros, em 9,6% dos bovinos para carne e 7% dos ovinos. De acordo com a revista Vida Rural, de Portugal, outros países europeus também registram uma maior prevalência de E. coli produtora de AmpC em bovinos leiteiros. Situação que se deve, segundo especialistas, a uma maior utilização de cefalosporinas na terapia de processos que afetam mais especificamente este sistema produtivo, como as mastites, por exemplo. Segundo o Instituto Basco de Investigação Agrícola, “a ausência de E. coli resistente ao carbapenem nos ruminantes da Comunidade Autónoma Basca é tranquilizadora”, uma vez que as estirpes de E. coli produtoras de carbapenemases se tornaram um grave problema de saúde pública. A revista informou que a luta contra as resistências a antimicrobianos é já uma prioridade para a Organização Mundial de Saúde (OMS). A entidade definiu uma lista de antimicrobianos de importância crítica que contém aqueles que são a única ou uma das poucas terapias disponíveis em algum tratamento.

EUA investigam frigoríficos por possível violação da lei antitruste durante pandemia

Os frigoríficos americanos entraram na mira do governo Donald Trump às vésperas da eleição presidencial e em meio à pandemia que mergulhou os EUA em uma combinação de crises sem precedente, que vai desde a saúde pública até o abastecimento do país, informou a Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (17). Segundo a agência Bloomberg, o Departamento de Justiça americano investiga se gigantes da carne violaram a lei antitruste —que estabelece uma conduta de concorrência leal em benefício dos consumidores— para manipular preços no momento de alta demanda por alimentos nos EUA. Desde o início da crise, dezenas de plantas foram fechadas por causa da contaminação por Covid-19, resultando na queda de produção e aumento de preços de carne bovina, suína e de aves aos americanos. O presidente Donald Trump pediu em maio que o Departamento de Justiça investigasse a disparada dos preços da carne bovina, que quase dobrou em um mês, e desencadeou um escrutínio da indústria que inclui parlamentares, reguladores e funcionários —esses que já se queixavam da negligência das empresas na tomada de medidas de segurança e higiene diante do coronavírus. O momento da investida de Trump, porém, é calculado. Há muito tempo fazendeiros têm reclamado que os frigoríficos conseguem lucros recordes enquanto criadores de gado sofrem prejuízo, mas as forças antitruste ainda não haviam agido nesse sentido. A cinco meses da eleição, o cenário mudou, quando o presidente decidiu fazer um aceno aos fazendeiros, importante nicho de sua base eleitoral para tentar ser reconduzido à Casa Branca. Não está claro qual é a linha de condução das investigações do governo, mas uma possibilidade é apurar se os frigoríficos atuam em conluio para reduzir o volume de compra de gado, mantendo assim os preços baixos, enquanto as carnes vendidas na ponta ficam mais caras –e lucrativas às empresas. Na pandemia, com a queda da produção, esse mecanismo pode ter se intensificado, explica Ben Gotschall, da Organização por Mercados Competitivos. Se Trump está fazendo isso por interesse eleitoral, diz Gotschall, pouco importa, contanto que o problema seja resolvido. Investigadores do Departamento de Justiça afirmam que ao menos dois produtores de frango, incluindo a segunda maior dos EUA, a Pilgrim’s Pride Corp., conspiraram de forma ilegal para fixar preços, e serão alvo de acusação criminal.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) debate lei de integração e acesso ao crédito para aves e suínos

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou uma transmissão ao vivo pelas redes sociais com o tema “Aves e suínos: lei de integração e acesso ao crédito rural”, na terça-feira (16). O encontro contou com a participação assessora técnica da CNA, Ana Lígia Lenat; do presidente da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, Iuri Pinheiro Machado; do consultor jurídico da CNA, Thiago de Carvalho; e do produtor integrado de frango de corte, Adroaldo Hoffmann. O principal tema do debate foi a obrigatoriedade de validação do Documento de Informação Pré-Contratual (DIPC), previsto na Lei de Integração (13.288/2016), pela Comissão de Acompanhamento, Desenvolvimento e Conciliação da Integração (Cadec). O DIPC é uma responsabilidade das agroindústrias que deve conter as principais informações sobre seus empreendimentos e informações como as estimativas de remuneração ao produtor rural e é condição fundamental para contratação de crédito rural por suinocultores e avicultores. “É um documento que deve demonstrar a viabilidade econômica e financeira da produção integrada no longo prazo. Está previsto na Lei da Integração e deve ser validado pela Cadec para que a integradora possa apresentar aos bancos o processo de financiamento. Isso é um dos temas fundamentais da lei e não há de se discutir se isso é devido ou não”, disse Ana Lígia Lenat. A CNA publicou um Comunicado Técnico (link) sobre o tema no dia 5 de junho, com a interpretação do artigo 9º da Lei da Integração e orientações sobre o processo de validação do DIPC para produtores integrados, representantes dos produtores nas Cadecs, Federações, sindicatos e associações. Na opinião do presidente da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, Iuri Pinheiro Machado, a validação do documento pela Cadec vai trazer mais transparência e segurança para todos envolvidos no processo de integração. Isso contribuirá para o acesso do produtor ao crédito rural e até para a ampliação da atividade. O produtor integrado de frango de corte, Adroaldo Hoffmann, acredita que a aprovação do documento pela Cadec faz com que os produtores possam acompanhar a “foto” do que está acontecendo naquele momento na integração a que ele pertence. Outro ponto fundamental é com o DIPC, que prevê revisões a cada três meses, as Cadecs poderão negociar possíveis distorções com as indústrias e fazer adequações em projetos novos ou já existentes. “Isso tudo visa a sustentabilidade e a viabilidade econômica do negócio a longo prazo. Para que tenhamos uma produtividade otimizada, o produtor fique realmente no campo, não tenha êxodo rural e não tenhamos produtores saindo da atividade e deixando um vácuo na produção”, declarou.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – EUA investigam frigoríficos por possível violação da lei antitruste durante pandemia

O Estado de S.Paulo – Saiba tudo sobre a raça maine coon: o maior gato do mundo

O Globo – Menino morre de raiva após ser mordido por morcego em Angra dos Reis

G1 – MEC estende autorização de aulas a distância até o fim de 2020 em universidades federais e libera estágios práticos

G1 – #Achameupet mostra animais de estimação desaparecidos em Goiás

CNA – CNA debate lei de integração e acesso ao crédito para aves e suínos

Mapa – Relatório mostra andamento dos serviços de inspeção e fiscalização de produtos de origem animal no país

Embrapa – Artigo: Potencial de produção de novilho precoce no Estado de MS

AgroLink – Bocal de Ouro retoma classificatórias para o Freio de Ouro

AgroLink – Milhares de suínos voam à China para restaurar plantel do país

AgroLink – E. coli resistente a antibióticos é encontrada em bovinos

AgroLink –  China intensifica controle de carnes e frutos do mar

AgroLink – Empresa amplia genética Angus

AgroLink – Produção de carne de frango deve crescer 2,4%, aponta FAO

AgroLink – RS: exportações de frango crescem 65%

AgroLink – RS dá mais um passo para retirar vacinação

AgroLink –  Oferta de boiadas em baixa e exportações em alta

AgroLink – Baixa demanda no mercado de sebo

AgroLink – Carne bovina teve ligeira alta no varejo

Anda – Cervo é resgatado após sofrer fratura exposta por conta de atropelamento

Anda – Caçadores usam lança para matar gorila ameaçado de extinção

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »