Registro de defensivos agrícolas de controle biológico chega a 76 e bate recorde em 2020

Home/Informativo/Registro de defensivos agrícolas de controle biológico chega a 76 e bate recorde em 2020

 

O Ato n° 65 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União, traz o registro de 42 produtos formulados, ou seja, defensivos agrícolas que efetivamente estarão disponíveis para uso pelos agricultores. De acordo com o Mapa deste total, 13 são defensivos agrícolas de controle biológico, sendo seis deles autorizados para uso na agricultura orgânica. Com a publicação desta sexta-feira (27), o ano de 2020 soma 76 produtos de baixo impacto registrados. Este é, até o momento, o maior número de registros de produtos desse perfil em um mesmo ano. “Faltando um mês até o fim do ano, 2020 já se desenha como o ano verde em termos de registro de biopesticidas sustentáveis. Esse é um recorde que contribui imensamente para a sustentabilidade da agricultura brasileira”, destaca o coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins, Bruno Breitenbach. Os produtos considerados de baixo impacto possuem ingredientes ativos biológicos, microbiológicos, semioquímicos, bioquímicos, fitoquímicos e reguladores de crescimento, podendo ser autorizados para uso em vários casos na agricultura orgânica. Ao mesmo tempo em que contribuem para o aumento da sustentabilidade da agricultura nacional, os produtos fitossanitários com agentes de controle biológico na sua formulação são alternativas para os produtores rurais no combate às pragas. Dos 13 produtos registrados nesta sexta-feira, 11 são compostos por micro-organismos como Beauveria bassianaBacillus amyloliquefaciens ou Metarhizium anisopliaeCryptolaemus montrouzieri e Hirsutella thompsonii, agentes biológicos de controle de pragas que atacam os cultivos brasileiros. Outros dois registros têm como base ácido giberélico, hormônio vegetal que atua como regulador do crescimento das plantas. Todos os produtos utilizam ingredientes ativos já registrados anteriormente no país e alguns contêm mais de um ingrediente ativo. O registro de defensivos genéricos é importante para diminuir a concentração do mercado e aumentar a concorrência, o que resulta em um comércio mais justo e em menores custos de produção para a agricultura brasileira.

Frente parlamentar debate ações para fortalecer assistência rural

A Frente Parlamentar da Assistência Técnica e Extensão Rural reúne-se virtualmente na próxima quarta-feira (2) para discutir medidas para fortalecer o setor. Segundo a Agência Câmara os programas de assistência técnica ao produtor rural são desenvolvidos pelo Ministério Agricultura e voltados principalmente para o pequeno agricultor. Essa assistência pode ser prestada de diversas formas, como orientação sobre plantio, cuidado com a pecuária e apresentação de novas tecnologias. O objetivo é fomentar o crescimento de forma sustentável, gerando renda e qualidade de vida para a população do campo. A reunião está marcada para as 15 horas. Foram convidados para discutir o assunto com os deputados: a ministra da Agricultura, Tereza Cristina; um representante da Academia Brasileira de Extensão Rural (Aber); o presidente da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater); o presidente da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer); o coordenador da Federação dos Trabalhadores da Extensão Rural (Faser); o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag); o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB); o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA); o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf).

‘Temos que arrumar recursos’, diz ministra

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta quinta-feira (26) que “precisa arrumar mais recursos” para o financiamento do setor produtivo, mas não indicou se conseguirá um aporte extra de verba para o crédito rural oficial junto à equipe de Paulo Guedes, informou o Valor Econômico. O pedido é para resolver o que chamou de “bom problema”, causado pelo desembolso acelerado de crédito do Plano Safra 2020/21 e o esgotamento precoce de diversas linhas de investimentos. Ela disse que a elevada rentabilidade da temporada pode fortalecer a aplicação de recursos próprios no campo. Já a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) reforçou a reivindicação de maior previsibilidade, com um plano de mais longo prazo. “O Plano Safra foi um sucesso, tanto que as linhas praticamente já foram quase todas tomadas. É um bom problema. Precisamos arrumar mais recursos para que os produtores trabalhem e possam investir cada vez mais no seus negócios” disse Tereza Cristina durante um evento online com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb). Nesta semana, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltou a suspender os pedidos de financiamentos do Moderfrota, principal linha para aquisição de máquinas e implementos agrícolas, por conta do nível de comprometimento dos recursos. O Ministério da Agricultura disse que não vislumbra a possibilidade de remanejamentos de valores nos programa, pois o fluxo está forte em todas as categorias. Diante desse cenário, a ministra conta com o bom momento do agronegócio para viabilizar novos investimentos. O presidente da CNA, João Martins, voltou a mencionar a proposta de criação de um Plano Safra Plurianual como solução para a previsibilidade de políticas públicas e recursos para financiamento do setor.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reforça condutas éticas com programa de integridade

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Escola Nacional de Gestão Agropecuária (Enagro), realizou as Semanas da Integridade. O evento ocorreu entre os dias 16 e 27 de novembro e reuniu especialistas em integridade e servidores públicos para debater temáticas relativas à integridade e prevenção da corrupção. As Semanas da Integridade abordaram temas como riscos à integridade, conflito de interesses e nepotismo, ouvidoria e transparência, corregedoria e ética, assédio moral e sexual, dentre outros. O Mapa Íntegro, que está celebrando um ano de atividades, aperfeiçoa os mecanismos de prevenção, detecção e remediação de fraudes, irregularidades e desvios de conduta. O programa contempla as diretrizes da Controladoria-Geral da União (CGU) para estimular a implantação e o aprimoramento de políticas de compliance pelos estabelecimentos agropecuários sujeitos à fiscalização federal. O chefe da Assessoria Especial de Controle Interno, Claudio Torquato, destacou que o evento atingiu o objetivo do programa. “Nessas duas semanas debatemos o Plano de Integridade do Mapa em parceira com a CGU. Buscamos especialistas em integridade e os responsáveis das áreas para conscientizar e aprofundar o assunto,” disse ele. Para a coordenadora-geral de Integridade, Ana Carolina Mazzer, o tema já sensibiliza os servidores do Mapa. “Alcançamos um número maior de participantes do que o esperado. Conseguimos alcançar as superintendências, entidades vinculadas e outros órgãos do governo federal”. Confira as palestras das Semanas da Integridade no Youtube da Enagro. A Lei de Acesso à Informação (LAI) é um dos pilares do Plano de Integridade. Ela garante o direito fundamental de acesso à informação, inova a forma como a sociedade passa a se relacionar com o poder público, ao ter por um de seus preceitos a publicidade como regra geral e o sigilo como exceção, fomentando assim, a cultura de transparência e o desenvolvimento do controle social na gestão pública. Outro importante aspecto da lei é o estabelecimento da Transparência Ativa e Passiva na administração pública, sendo a primeira compreendida como a exigência de órgãos e entidades públicas de divulgar, de forma espontânea, independente de terem sido solicitadas, informações de interesse geral; e a segunda, refere-se à criação dos Serviços de informação ao Cidadão (SIC), um canal efetivo para a sociedade apresentar à administração pública sua demanda de informação. Pela Lei, os dados solicitados devem ser fornecidos no prazo de vinte dias, prorrogáveis por mais dez. O requerente não precisa justificar o pedido, que pode ser feito pela Internet (www.acessoainformacao.gov.br) ou pessoalmente, no SIC do respectivo órgão.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Projeto permite que fundo ambiental aplique recursos em projetos de extrativismo sustentável

Agência Câmara – Frente parlamentar debate ações para fortalecer assistência rural

Agência Senado – Promulgada lei que prorroga contratos de pessoal do Incra até 2023

Agência Senado – Mourão poderá ser convidado para debate sobre queimadas na Amazônia e no Pantanal

Governo Federal – Plataforma permite acessar projeções de mudança do clima para todo o Brasil

Governo Federal – Equipamento inovador faz a medição digital da água infiltrada no solo

Governo Federal – Lançado portal que unifica iniciativas do Governo de apoio às startups

Folha de S.Paulo – A conta dos alimentos está chegando

O Globo – Governo aprova registro de mais 42 agrotóxicos

G1 – Governo libera o registro de 42 agrotóxicos genéricos para uso dos agricultores

G1 – Prorrogação do prazo para importar arroz sem tarifa divide a indústria

Valor Econômico – Proposta da SLC para assumir operações da Terra Santa faz ações de ambas dispararem

Valor Econômico – Manga ainda sustenta balança das frutas

Valor Econômico – ‘Temos que arrumar recursos’, diz ministra

Valor Econômico – Biopark, em Toledo (PR), passa a abrigar agtech e vai implantar “fazenda inteligente”

Mapa – Mapa reforça condutas éticas com programa de integridade

Mapa – Registro de defensivos agrícolas de controle biológico chega a 76 e bate recorde em 2020

Mapa – Linha de crédito para recuperação de cafezais aumenta para R$ 160 milhões

Mapa – Produtos agropecuários respondem por 21% da movimentação dos portos brasileiros

CNA – Senar Roraima entrega certificados de capacitação para produtores e trabalhadores rurais de três Municípios de Roraima

CNA – Presidentes da CNA e da FAEB e ministra da Agricultura debatem políticas públicas para o agro

CNA – Senar Goiás já qualificou mais de 3 mil pessoas em pilotagem e monitoramento com drones

CNA – CNA diz que crédito para recuperação de cafezais é uma grande conquista

CNA – Especialistas confirmam inserção concreta do agro no mercado internacional e projeção otimista para 2021

Embrapa – Embrapa discute estratégias no uso de sistemas integrados de produção agropecuária

Embrapa – Produtores aguardam umidade para avançar na semeadura de verão

FPA – Presidente da FPA entende que aprovação do PL da Recuperação Judicial é “grande vitória para o agro”

AgroLink – Dólar tem alta ante real, mas caminha para 2ª semana de queda

AgroLink – Mapa deve liberar recursos para Embrapa Café

AgroLink – RS: produtores de Centenário e Sertão recebem mudas de batata-doce

AgroLink – Agro responde por 21% da movimentação portuária

AgroLink – Bieconomia foi tema de fórum realizado pela CNI

AgroLink – Crise hídrica e desmatamento podem afetar agricultura

AgroLink – Grande grupo agro incorpora outro de MT

AgroLink – Produtor pode renegociar contratos em razão da estiagem no Rio Grande do Sul

ANAC – Registro de aeronaves: conheça as inovações no RAB que trazem redução de custos e agilidade aos serviços

Bopar – Registro de defensivos agrícolas de controle biológico chega a 76 e bate recorde em 2020

Racismo Ambiental – Assentados do RS denunciam pulverizações ilegais em suas lavouras agroecológicas

Extra Classe – Pulverização de agrotóxico atinge produções agroecológicas de Nova Santa Rita

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »