Proposta prevê reclusão e multa para crime de tráfico animal no Brasil

Home/Informativo/Proposta prevê reclusão e multa para crime de tráfico animal no Brasil

O Projeto de Lei 135/21 amplia as penas para o crime de tráfico de animais, que passará a ser punido com reclusão de dois a cinco anos, além de multa. Hoje, a pena é de detenção de no máximo um ano, e multa. O texto tramita na Câmara dos Deputados. Segundo a Agência Câmara a proposta é do deputado Helio Lopes (PSL-RJ) e altera a Lei dos Crimes Ambientais. Lopes afirma que a mudança é necessária para conter o aumento do número de casos de tráfico animal no Brasil. “Apesar da existência de tutela estatal do meio ambiente, houve um aumento significativo no número de crimes, o que demonstra a insuficiência das balizas penais atualmente previstas”, disse Lopes. A nova pena será aplicada em quem matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécies locais ou em rota migratória sem a devida permissão legal. Também será adotada nos casos de introdução ou comercialização de espécie exótica sem amparo legal.

Cães e gatos podem ser hemofílicos; conheça causas e sintomas

Sangramentos excessivos e hematomas podem ser sinais de hemofilia em pets. Assim como ocorre com humanos, não há cura e, no caso de cães e gatos, o tratamento é mais complexo devido à baixa disponibilidade de bancos de sangue animal, destacou o Blog Bom pra Cachorro da Folha de S.Paulo neste sábado (27). A doença —um distúrbio de coagulação— é hereditária e mais comum em cães machos das raças pastor alemão e dobermann. Entre os gatos, algumas raças têm maior predisposição genética, como maine coon, devon rex e british shorthair. Segundo hospital veterinário Sena Madureira, em São Paulo, a doença aparece quando o animal ainda é filhote. O pet tem sangramentos espontâneos e excessivos pelo cordão umbilical ou na troca dos dentes. Também pode apresentar hematomas, sangramento pelo nariz, expulsão de sangue através de tosse, sangramentos pelo trato gastrointestinal, além de hemorragias associadas a traumatismos. Existem dois tipos de hemofilia —A e B—, e o diagnóstico é feito a partir de exame de sangue. “O diagnóstico da hemofilia é fechado após a realização de testes que avaliam a atividade dos fatores de coagulação sanguínea. Os tipos de hemofilia diferem entre si não pela gravidade, mas pelos fatores da coagulação que estão envolvidos. Ambos podem ser de leves a graves, a depender do grau de comprometimento da coagulação”, afirma a veterinária Fernanda Fragata, diretora do hospital veterinário. A hemofilia é transmitida por fêmeas fenotipicamente normais, mas portadoras do gene —possuem apenas uma cópia do gene defeituoso. Apesar de não haver cura, a doença pode ser controlada. “O tutor deve evitar situações que podem desencadear quadros hemorrágicos, mas, caso ocorram, o tratamento envolve a reposição dos fatores de coagulação deficientes através de transfusão sanguínea”, diz a veterinária. Animais portadores de outras doenças ou vítimas de acidentes também podem precisar de transfusão de sangue. Se bancos para humanos sempre operam com baixos estoques, não é diferente em hemocentros para pets —e tutores sofrem para conseguir um doador compatível para seu cão ou gato. Por isso, a doação é tão importante. O Sena Madureira tem uma estrutura de banco de sangue para suprir a necessidade e tratar exclusivamente seus pacientes. O hospital conta que isso salvou o maltês Thor, portador de anemia hemolítica auto-imune, doença genética. Levado ao local em estado grave, ele já caminhava pouco depois de receber a transfusão. Cães adultos, saudáveis e com mais de 25 kg podem ser doadores. Bancos de sangue, clínicas e centros comerciais costumam fazer campanhas para atrair animais. Tutores também podem procurar locais perto de casa e levar seu peludo para esse gesto de solidariedade.

Caminhos da Reportagem apresenta os benefícios da equoterapia

A equoterapia é uma prática terapêutica que tem mostrado, ao longo de décadas, o quanto a interação entre homem e animal pode oferecer benefícios para a saúde. No programa Caminhos da Reportagem deste domingo (28), a TV Brasil mostra que a equoterapia vai muito além de um passeio a cavalo.Para a psicóloga Ana Carolina Sánchez, a prática pode melhorar a saúde de pessoas com comprometimentos físico e mental: “Hoje a equoterapia já abrange várias áreas: crianças com problema de aprendizagem, adultos com dependência química”. Ana Júlia Fernandes, de 15 anos, nasceu com paralisia cerebral e começou a praticar equoterapia antes dos dois anos de idade. “Ela começou muito cedo e, de lá pra cá, nunca parou, porque foi uma evolução muito grande. Então, a gente viu que podia parar tudo, menos a equoterapia”, conta Rosa Maria Fernandes, mãe da adolescente. ”Eu gosto de tudo. Gosto de galopar, gosto de um trote básico, que é uma voltinha…”, diz Ana Júlia. Para o neuropediatra Carlos Nogueira, “o fato de a mãe colocar a roupinha da equoterapia na criança já está havendo um treinamento espaço-temporal. Ela já passa a reconhecer para onde está indo e o tempo que isso vai acontecer”. Segundo a fisioterapeuta Alessandra Pietro, a equoterapia surgiu no final da década de 1940, na Escandinávia, após surtos de poliomielite. Porém, a atividade só chegou ao Brasil entre 1970 e 1980 e somente em 2019 a prática foi regulamentada, por meio da Lei 13.830. Dados da Associação Nacional de Equoterapia (Ande), responsável pela metodologia da prática terapêutica no país, indicam que atualmente mais de 30 mil pessoas se beneficiam do movimento ritmado dos cavalos. Esta edição do programa Caminhos da Reportagem mostrou o treinamento e os cuidados com os animais utilizados nas sessões de equoterapia. Além disso, a equipe do programa ouviu pessoas que contam com a ajuda de cavalos para superar o medo e a timidez.

Conselho Monetário Nacional (CMN) aprova medidas para o setor leiteiro

Por solicitação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou nessa quinta-feira (25) a contratação, até 30 de junho deste ano, com recursos obrigatórios, de Financiamento para Garantia de Preços ao Produtor (FGPP) para beneficiamento ou industrialização de leite. O limite de crédito é de até R$ 65 milhões, com taxa de juros de 6% ao ano e prazo de reembolso de até 240 dias. Também foi ampliado de um ano para dois anos o prazo de reembolso para contratação de crédito de custeio pecuário para retenção de matizes bovinas de leite. Segundo o CMN, as medidas foram adotadas para evitar a descapitalização desse segmento e garantir o abastecimento do mercado. O aumento dos preços dos insumos para ração das vacas leiteiras, como milho e farelo de soja, levou à queda na relação de troca entre esses insumos e o leite. Para 2021, não há expectativa de recuo no preço dos insumos e do custo da alimentação desses animais. Assim, dependendo do comportamento do preço do leite, a rentabilidade do setor pode ser prejudicada, o que pode induzir ao descarte precoce de matrizes leiteiras e, consequentemente, reduzir a oferta interna de leite. Outras duas medidas aprovadas na reunião do CMN, também a pedido do Ministério da Agricultura, vão ao encontro dos interesses dos agricultores familiares. A primeira autoriza o financiamento de operações de investimento, na fonte Recursos Obrigatórios, no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o que pode resultar em até R$ 1,5 bilhão para em recursos novos para essa finalidade. A segunda medida amplia o prazo de crédito de curto prazo às agroindústrias familiares de um para dois anos, também em operações ao abalado do Pronaf. Ambas as medidas também tem prazo de contratação até 30 de junho de 2020.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Proposta prevê reclusão e multa para crime de tráfico animal no Brasil

Agência Brasil – Caminhos da Reportagem apresenta hoje os benefícios da equoterapia

Folha de S.Paulo – Bombeiros de SC têm mais três cães habilitados para buscas; Orion é um deles

Folha de S.Paulo – Brasil tem quase 30 fábricas de vacina para gado e só 2 para humanos

Folha de S.Paulo – Banho de gato: conheça alguns mitos sobre higiene dos felinos

Folha de S.Paulo – Cães e gatos podem ser hemofílicos; conheça causas e sintomas

Folha de S.Paulo – Zoo aposta em ‘álbum’ com 30 mil fotos para ajudar na preservação de elefantes

Folha de S.Paulo – A commodity certa no momento errado: reflexões sobre a manteiga de tartaruga

G1 – Mochila que monitora passos e gasto calórico ajuda a preservar o ameaçado mico-leão-preto

G1 – Relembre a pesca do mapará, sustento de famílias das ilhas do baixo Tocantins

G1 – Santa Rita do Araguaia quer o selo de origem do queijo cabacinha

G1 – Pescador leva multa de mais de R$ 1 mil por captura irregular de piaparas em período proibido no Rio Paraná

G1 – Mais de 20 animais são reabilitados e devolvidos à natureza em Sorocaba

G1 – DNAmazon Pet: conheça os benefícios de cada produto para os animais

G1 – Abandono de animais sobe 70% no Brasil na pandemia

G1 – Nº de denúncias de maus-tratos a animais aumenta e Guarda de Piracicaba adota novo protocolo

G1 – Em acordo com Ibama, Bioparque receberá animais silvestres para passarem por tratamento

Valor Econômico – CMN autoriza crédito para beneficiamento e industrialização de leite

Valor Econômico – JBS USA e Pilgrim’s vacinarão 8,5 mil funcionários na próxima semana

Mapa – CMN aprova medidas para o setor leiteiro

Embrapa – Prosa Rural – Pasto sobre pasto dentro da perspectiva de sistemas sustentáveis

SBA – De Olho nas Estrelas reúne maiores criadores zebuínos

AgroLink – Suspensão dos eventos oficiais da raça Crioula entre 27/02 e 12/03 no RS

AgroLink – País vai abater 3 mil suínos por doença

AgroLink – Yara e SESI-RS promovem curso de operação de empilhadeira exclusivo para mulheres em Porto Alegre

AgroLink – Governo autoriza financiamento e custeio para cadeia do leite

AgroLink – Boitel cooperativista possui monitoramento à distância

AgroLink – Boi gordo: fevereiro chega ao fim com cotações estáveis em São Paulo

Anda – Cientistas pedem a proibição da caça de flamingos com armas de chumbo

Anda – Exploração da vida selvagem expôs seres humanos a doenças infecciosas

Anda – Homem atravessa cidade carregando cadela nos braços para levá-la ao veterinário

Anda – Cachorro e gato criam forte laço de amizade e são inseparáveis

Anda – Mulher remodela toda a casa para manter gatos protegidos

Anda – Tráfico de animais causa queda nas populações de espécies ameaçadas

Anda – Filhote de peixe-boi é encontrado com o cordão umbilical

Anda – Assinaturas térmicas podem salvar vidas de elefantes

Anda – Casal de cisnes tem reencontro emocionante após período de separação

Portal do Agronegócio – Muito além do leite materno: outros fatores que influenciam no desenvolvimento saudável das bezerras

Portal do Agronegócio – Malásia abaterá 3 mil suínos após descoberta de surto de peste suína africana

Portal do Agronegócio – Desempenho do frango vivo em fevereiro e no primeiro bimestre de 2021

Portal do Agronegócio – Preços no mercado de suínos têm movimentações distintas

Portal do Agronegócio – Boi gordo: fevereiro chega ao fim com cotações estáveis em São Paulo

Portal do Agronegócio – RS: mês encerra com queda na cotação do suíno

Portal do Agronegócio – Desempenho do frango (vivo e abatido) na 8ª semana de 2021, quarta de fevereiro

Canal Rural – Custos dos grãos usados nas rações preocupam criadores de SC

Canal Rural – Preço do leite pago ao produtor caiu mais de 4% no primeiro bimestre

Canal Rural – Boi gordo bate recordes no mercado futuro; veja notícias desta segunda

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »