Projeto que utiliza abelhas para aumento da produção agrícola é desenvolvido em Avaré (SP)

//Projeto que utiliza abelhas para aumento da produção agrícola é desenvolvido em Avaré (SP)
Um projeto que utiliza abelhas para o aumento da produção agrícola está sendo desenvolvido em uma propriedade de Avaré (SP), destacou o G1 no último domingo (1). O projeto é experimental e realizado em parceria com a Secretaria de Agricultura do estado de São Paulo e a Prefeitura de Avaré. A expectativa, segundo os produtores, é que, após a colocação de apiários no local, as plantas produzam até 50% mais. Com isso, 200 caixas de abelhas foram colocadas em quatro pontos do local. A fazenda tem 80 hectares e no local são cultivados abacate e limão. Ao todo, são 1.500 toneladas por ano somando as frutas que são mandadas para a Europa e o Japão. De acordo com o gestor da fazenda, Plinio Cescon, as caixas foram colocadas há cinco meses e já deu para notar uma diferença nos pomares. “Com a polinização correta, um melhor manejo com as abelhas, você consegue aumentar uma produtividade inicial na área sem precisar adquirir mais terra, mais equipamentos, mais mão-de-obra. Você já tem um potencial dentro da sua propriedade, já está pré-estabelecido. Você precisa simplesmente vir a melhorar a polinização”, diz. O projeto consiste na colocação de apiários próximos dos pomares para que, através da polinização feita pelas abelhas, a produção agrícola aumente, segundo o técnico responsável, Gerson Cardoso. “Quando você induz a abelha à polinização, o aumento desse segmento é muito grande. A natureza não vai conseguir fazer a polinização de forma intensiva como nessas colmeias induzidas, conduzidas tecnicamente para ser feita a polinização”, explica. Os primeiros resultados do projeto foram apresentados em uma reunião com produtores rurais, apicultores e representantes da Secretaria de Agricultura do estado. A expectativa é que, após os resultados positivos em Avaré, outros produtores se interessem. “Através da polinização, com esse aumento, a produtividade pode chegar de 40% a 100% em qualidade dos frutos de forma sustentável”, conclui.

Fábio Meirelles é reeleito presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp)

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) informou que o presidente da entidade, Fábio Meirelles, foi reeleito nesta segunda-feira (2), com 98% dos votos válidos, para permanecer no cargo por mais quatro anos. De acordo com o Valor Econômico a Faesp congrega 237 sindicatos rurais, com 327 extensões de base, e está presente em 564 dos 645 municípios paulistas. Meirelles comanda a entidade desde 1975.

Reavaliação do agrotóxico Tiram é concluída

A Anvisa encerrou a reavaliação toxicológica do agrotóxico Tiram na última terça-feira (26). O produto é utilizado no tratamento de sementes e no plantio da cultura da batata. O processo teve início em janeiro de 2016, com a Consulta Pública 128. A conclusão da Anvisa foi pela proibição do uso do Tiram na forma em pó para tratamento de sementes nas propriedades agrícolas. O uso dessa forma será permitido somente nas indústrias de tratamento de sementes. A aplicação foliar, que normalmente deixa mais resíduos nos alimentos do que o tratamento de sementes, já não era autorizada no Brasil e agora foi proibida de forma definitiva. Como se trata de um produto utilizado ainda na etapa de plantio, não se espera resíduos dessa substância nos alimentos que vão para a mesa do consumidor. A equipe técnica da Anvisa também definiu o limite de exposição para o trabalhador rural, já que este é um parâmetro fundamental para avaliar o risco a este segmento. Além disso, para proteção dos agricultores, a embalagem do agrotóxico vai trazer, em sua rotulagem, o alerta de danos ao fígado pela exposição repetida ou prolongada. Esse tipo de alerta já faz parte do novo marco regulatório de agrotóxicos aprovado este ano pela Anvisa e serve para informar melhor sobre o perigo aos trabalhadores rurais.

Brasil e Alemanha firmam acordo de 40 milhões de euros para apoiar agropecuária sustentável

Os governos do Brasil e da Alemanha firmaram acordos de cooperação técnica e financeira para incentivar o desenvolvimento sustentável. O acordo prevê aporte financeiro de 81,9 milhões de euros do governo alemão, sendo 40,4 milhões para projetos vinculados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, informou o portal Mapa nesta segunda-feira (2). Representantes dos dois países reuniram-se, entre os dias 27 e 29 de novembro, no Ministério Alemão para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) em Bonn, para negociações intergovernamentais sobre projetos de cooperação para o desenvolvimento sustentável. O aporte financeiro será direcionado às seguintes iniciativas: bioeconomia (14 milhões de euros), proteção florestal, recuperação ambiental e reflorestamentos em pequenas propriedades rurais na Mata Atlântica (13,1 milhões), inovação nas cadeias produtivas da agropecuária na Amazônia (7,5 milhões) e implementação do Cadastro Ambiental Rural (5,8 milhões). A delegação brasileira, chefiada pelo embaixador e diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Ruy Pereira, foi integrada pelo secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, Fernando Schwanke, pelo secretário-adjunto de Comércio e Relações Internacionais do Mapa, Flávio Bettarello, e representantes dos ministérios do Meio Ambiente, da Justiça e Segurança Pública, da Economia, do Público Federal (MPF), Banco Central e Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). As negociações sobre a cooperação bilateral ocorrem a cada dois anos. Bettarello afirma que esses encontros não são focados “apenas na arrecadação de recursos financeiros e na cooperação técnica que o governo alemão disponibiliza a diversas entidades do Brasil, sempre com anuência do governo federal brasileiro, mas, principalmente, para o alinhamento da visão sobre como os países podem trabalhar juntos”. Esta é a primeira reunião do grupo que ocorre durante o governo do presidente Jair Bolsonaro e que conta com a presença do Ministério da Agricultura brasileiro. “A participação do Mapa, ocorre, principalmente, pelas atribuições que a pasta ganhou, com a vinda de novas secretarias, como a de Agricultura Familiar e Cooperativismo, e de temas como o da bioeconomia, das cadeias de valor e de inovação. O papel que o Mapa tem, como um grande representante da produção no Brasil, seja agrícola, pecuária, florestal ou extrativista, o torna um ator fundamental nesse processo de negociação”, ressalta o secretário-adjunto de Comércio e Relações Internacionais. Durante as reuniões, o Brasil destacou a necessidade de que a ações tenham como pilar fundamental a sustentabilidade, como explica o secretário Fernando Schwanke. “A participação do Mapa foi extremamente importante, pois trouxemos os conceitos da sustentabilidade que defendemos no âmbito da agricultura no Brasil e no mundo, como a ministra Tereza Cristina tem dito. Não existe agricultura sem ela ser sustentável nas questões ambiental, social e econômica”.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Comissão debate alto índice de indeferimento de benefícios previdenciários na área rural

Folha de S. Paulo – Produtos sustentáveis muitas vezes custam mais. Por quê?

Folha de S. Paulo – Diplomatas estrangeiros estão otimistas com a economia brasileira em 2020

O Globo – Artigo: A chantagem florestal de Ricardo Salles

O Globo – IBGE revisa crescimento de 2018 para 1,3%. Resultado do 1º semestre de 2019 também é revisto para cima

O Globo – Por ironia, inimigo dos EUA somos nós

O Globo – China pode estar por trás do ‘porrete’ de Trump no Brasil, dizem analistas

Valor Econômico – Captalys eleva a aposta em crédito ao produtor rural

Valor Econômico – Algodão e pecuária foram destaques do PIB agropecuário do 3º trimestre

Valor Econômico – Empresas internacionais pressionam governo brasileiro a apoiar Moratória da Soja

Valor Econômico – Greenpeace acusa tradings de comprarem soja em áreas irregulares de condomínio no oeste da Bahia

Valor Econômico – Colheita de trigo no RS superou as expectativas

Valor Econômico – Fábio Meirelles é reeleito presidente da Faesp

Portal Anvisa – Reavaliação do agrotóxico Tiram é concluída

Mapa – Brasil e Alemanha firmam acordo de 40 milhões de euros para apoiar agropecuária sustentável

Mapa – Laboratório móvel analisa amostras de azeite de oliva para verificar se há fraude nos produtos

O Estado de S.Paulo – Com revisão na agropecuária e nos serviços, IBGE faz ajuste no PIB de 2018

G1 – Projeto que utiliza abelhas para aumento da produção agrícola é desenvolvido em Avaré

G1 – Produtos agrícola fecham o mês com os preços em alta nas bolsas internacionais

G1 – Zoneamento agrícola de risco climático é lançado em Balsas

G1 – Pesquisadores desenvolvem ‘robô agrícola’ para aumentar produção no interior de SP

AgroLink – África do Sul rejeita semente de milho OGM da Monsanto

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »