Projeto autoriza telemedicina veterinária durante a pandemia

//Projeto autoriza telemedicina veterinária durante a pandemia
Está em análise no Senado projeto que autoriza o emprego da medicina veterinária a distância durante a pandemia de Covid-19, informou a Agência Senado na última sexta-feira (3). O PL 1.275/2020, do senador Wellington Fagundes (PR-MT), tem objetivo de garantir a atuação dos veterinários no período de isolamento em razão da doença, causada pelo novo coronavírus. O atendimento a distância para médicos já foi aprovado pelo Senado no final de março. “O projeto tem como objetivo fazer com que haja menor movimento possível na ruas e até em consultório também, porque para ir o animal tem que ir uma pessoa e às vezes até a família para levar. Empregar os recursos tecnológicos, como videoconferências, também é fundamental na veterinária”, afirmou o senador, que é médico veterinário. Entre as atividades dos médicos veterinários consideradas essenciais durante o período de calamidade pública relacionada ao coronavírus, o projeto elenca a prática clínica; a direção de hospitais para animais, de laboratórios de medicina veterinária e de serviços de inseminação artificial; e o trabalho de peritos da área em questões judiciais. Também estão na lista a direção técnica sanitária de estabelecimentos onde haja animais, seja para fins industriais, comerciais, recreativos, desportivos e de proteção; a assistência técnica e sanitária; o planejamento e a execução da defesa sanitária animal; e a inspeção e a fiscalização de matadouros, frigoríficos, e outros estabelecimentos que lidam com produtos de origem animal. As regras, de acordo com o projeto, valerão enquanto durar o período da calamidade pública reconhecida pelo Decreto Legislativo 6, de 2020, promulgado em março pelo Congresso. Ficará a cargo do Poder Executivo regulamentar a telemedicina veterinária nas atividades de inspeção e fiscalização, defesa agropecuária, certificações sanitárias e vigilância agropecuária internacional.  Já o Conselho Federal de Medicina Veterinária terá a tarefa de expedir resoluções para orientar, supervisionar e disciplinar as atividades dos profissionais. Para o autor do texto, no momento de crise que o mundo atravessa com a pandemia do coronavírus, a atuação dos veterinários é fundamental para garantir o funcionamento de setores essenciais da economia, como a produção de alimentos, a vigilância sanitária internacional e o controle de zoonoses. A interrupção das atividades, explicou, pode desestruturar cadeias produtivas e expor a população a doenças.

Paralisação de plantas frigoríficas reduz preço do boi gordo em 3,5%

Neste sábado (4), o Valor Econômico divulgou que, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) afirma que 11 plantas frigoríficas estão paralisadas no país, o que contribuiu para a desvalorização do preço da arroba do boi gordo em 3,5% nós últimos cinco dias. De acordo com a entidade, três estabelecimentos de Mato Grosso do Sul entraram em férias coletivas nesta semana. Também foram registradas quedas nas vendas no atacado e varejo, especialmente de cortes nobres. A crise do novo coronavírus fez as empresas integradoras diminuírem em 70% as compras de suínos de produtores independentes, informou a CNA, com preferência aos integrados. Com isso, os criadores buscam novas formas de organização coletiva para comercializar a produção. O preço pago pelo suíno a esses produtores nos primeiros dias de abril caiu em todas as praças. As quedas variam de -5,2% em Mato Grosso a -15,4% em Minas Gerais em relação à semana passada. No setor de aves, a CNA destaca que os produtos congelados continuam com demanda alta e que a pequena recuperação do mercado de resfriados, ainda não foi suficiente para melhorar o preço do frango vivo pago ao produtor independente. “O produtor independente e os pequenos frigoríficos de aves ainda sentem o reflexo da queda de consumo no food service, que resultou na desvalorização do frango vivo acumulada em cerca de 10% nos dois primeiros dias de abril (SP), conforme dados da JOX Consultoria”, diz boletim da CNA. No mercado internacional, a CNA relata cenários distintos a depender do país de destino das exportações brasileiras, mas não há destaque de interrupções drásticas de compras dos produtos nacionais. A principal expectativa é com a retomada das atividades econômicas na China, mas a redução de voos internacionais tem dificultado envio de documentos originais e carregamentos de soja. A logística para o comércio de grão, no entanto, está operando normalmente, segundo depoimentos colhidos pela CNA.

Ministra da Agricultura encontrou a sua “carne fraca”, diz Blairo Maggi

O ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse neste domingo (5), que a atual chefe da pasta, Tereza Cristina, encontrou “a sua carne fraca”. Segundo o Valor Econômico a comparação foi feita entre as dificuldades enfrentadas agora com a pandemia do coronavírus e a crise desencadeada no setor de proteína animal brasileiro pela operação homônima da Polícia Federal em 2017, quando ele comandava o ministério. “Eu disse à ministra: a senhora achou a sua Carne Fraca. Os problemas vêm e requerem muito mais dedicação, mas está fazendo um belo trabalho”, comentou, durante videoconferência. Maggi também avaliou que a classe produtora vai continuar as atividades dentro da porteira, mas pode ter dificuldades de crédito. “O setor do agro, na parte operacional, não teremos dificuldades. A classe produtora está dentro da atividade, produtores fazem porque gostam e se sentem importantes no processo, e também porque precisam ganhar dinheiro. Quando começa a encarar o lado romântico pelo lado sério do negócio, duas coisas podem afetar o negócio”, afirmou ele. As questões levantadas são a de regulação, com interferência de órgãos como Anvisa e Ministério do Meio Ambiente no processo produtivo, e o risco de faltar crédito, com o crescimento do número de pedidos de recuperação judicial, afirmou.

Campanha arrecada fundos para alimentar animais em todo o país

A quarentena imposta como medida de combate ao coronavírus tem aumentado o sofrimento dos animais abandonados, destacou o portal Anda nesta segunda-feira (6). Como se não bastasse as condições deploráveis enfrentadas por eles na rua, as necessárias ações de fechamento de comércios e isolamento social diminuiu a quantidade de pessoas em vias públicas, dispostas a matar a fome de cães e gatos sem lares. Entidades de proteção animal e protetores independentes também passaram a receber menos doações de ração por conta da crise. Preocupada com a situação, a jornalista aposentada e ativista da causa animal Eliana Miranda criou um grupo em um aplicativo de mensagens para iniciar uma campanha em prol dos animais. As informações são do Repórter Diário. Através do grupo, que tem membros de todo o país, foi idealizado o projeto Ração na Quarentena. Parcerias com protetores de animais e entidades espalhadas pelo Brasil foram firmadas para que os alimentos arrecadados possam ser distribuídos. “A ideia é que cada protetor ou entidade receba as doações de forma individual ou em grupo”, disse a jornalista. Interessados em colaborar devem falar com a Eliana através do e-mail eliana_miranda2004@yahoo.com.br. Após o contato, a pessoa será direcionada ao protetor mais próximo para efetuar a doação.

NA IMPRENSA
Agência Senado – Projeto autoriza telemedicina veterinária durante a pandemia

Folha de S.Paulo – Aprenda a preparar colomba pascal para o seu cachorro

O Estado de S.Paulo – Crise do coronavírus reduz consumo de carne e já paralisa 11 frigoríficos no País

O Globo – Cresce o número de animais abandonados nas ruas do Rio em tempo de pandemia

Mapa – Operação Semana Santa: 94,8% dos pescados com SIF estão regulares

Valor Econômico – Preço do ovo alcançou patamar real recorde, diz Cepea

Valor Econômico – Paralisação de plantas frigoríficas reduz preço do boi gordo em 3,5%

Valor Econômico – Ministra da Agricultura encontrou a sua “carne fraca”, diz Blairo Maggi

AgroLink – Aumento nos custos de produção da pecuária leiteira

AgroLink – Exportações de carne suína crescem 66,3%

AgroLink – Farsul reforça posição em defesa do livre mercado

Anda – Centros de resgate de animais lutam contra escassez de recursos causada pela Covid-19

Anda – A história do leão que viveu 20 anos acorrentado sendo explorado por um circo

Anda – João Gordo cria projeto para distribuir comida vegana a pessoas em situação de rua

Anda – Campanha arrecada fundos para alimentar animais em todo o país

Anda – Austrália registra aumento de 300% na adoção de animais durante pandemia

Anda – Pesquisa revela que os animais também fazem contas

Anda – Após pular de caminhão, porca grávida sobrevive e salva a vida de seus filhotes

Correio Braziliense – Gatos podem ser infectados por coronavírus, apontam cientistas chineses

G1 – Campanha arrecada ração para animais de rua durante pandemia de coronavírus

G1 – Animais silvestres são vistos em pontos turísticos do Rio depois de medidas de isolamento

G1 – Após perder pata em acidente, novilha é ‘adotada’ e vira animal de estimação em Porto Velho

G1 – Prefeitura arrecada ração para ONGs e protetores de animais em Sorocaba

G1 – PM apreende mais de 100 quilos de carne de animais silvestres em caminhonete no interior do Acre

G1 – ONGs que cuidam de animais de rua em AL relatam dificuldades em meio à pandemia de Covid-19

G1 – Veterinário explica se o novo coronavírus pode afetar os animais

G1 – Aumenta procura por adoção de animais durante isolamento

G1 – Animais também precisam de atividades durante a quarentena

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »