PROJEÇÃO DO GOVERNO PARA PRODUÇÃO DO CAMPO RECUA PARA R$ 536 BI

//PROJEÇÃO DO GOVERNO PARA PRODUÇÃO DO CAMPO RECUA PARA R$ 536 BI
O jornal Valor Econômico, nesta sexta-feira (14), afirma que o Ministério da Agricultura reduziu sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária do país em 2017. Sobretudo em virtude de correções para baixo em cálculos para cana, soja e milho – derivadas da deterioração de preços – e para as carnes bovina e de frango, os técnicos do departamento de Crédito e Estudos Econômicos da Pasta passaram a estimar o VBP em R$ 536 bilhões, R$ 7,3 bilhões a menos que o divulgado em junho, mas montante ainda recorde, 3,3% superior ao ano de 2016. “De acordo com levantamento divulgado na quinta-feira (14), o VBP dos 21 produtos agrícolas que fazem parte da pesquisa foi redimensionado para R$ 367,6 bilhões em 2017, R$ 8,7 bilhões abaixo do estimado no mês de junho, mas resultado 9,8% maior que o de 2016. Independentemente das projeções mais baixas que as divulgadas em junho, o total agrícola continua puxado pela soja (R$ 115,6 bilhões, aumento de 1,9%), pela cana (R$ 73,7 bilhões, alta de 46,8%) e pelo milho (R$ 49,1 bilhões, alta de 20,7%). Para o VBP dos cinco principais produtos da pecuária brasileira, a previsão do ministério recuou para R$ 168,4 bilhões, ante os R$ 170 bilhões estimados em março e os R$ 179,2 bilhões de 2016”, enfatiza a reportagem.

Importadores reagem ao ‘mensalinho’

A União Europeia, um dos grandes importadores de carne bovina brasileira, e os Estados Unidos, que recentemente suspenderam a entrada do produto in natura do país em seu mercado, reagiram rápido às informações de que a JBS pagava um “mensalinho” de até R$ 20 mil a fiscais agropecuários no Brasil. Como informou o jornal Valor Econômico, a revelação consta da deleção de Wesley Batista, CEO da empresa, que agora tem menos de 60 dias para enviar ao Ministério Público Federal uma lista com os nomes dos funcionários beneficiados – que, segundo fontes ouvidas pela reportagem, podem ser mais de duas centenas. “O “mensalinho”, segundo Wesley, funcionava como uma hora-extra, já que o ministério não dispunha de funcionários suficientes para cobrir integralmente o horário de funcionamento dos abatedouros da empresa. Nesse processo, contudo, regras sanitárias foram flexibilizadas. A revelação do “mensalinho” pegou o secretário-executivo do ministério no fim de uma maratona de reuniões com alguns importadores, em Genebra, durante as quais ele tentou desmontar temores sobre o controle sanitário brasileiro. O “mensalinho” da JBS também pode complicar a missão do ministro Blairo Maggi aos EUA para tentar remover as travas à carne bovina in natura do Brasil naquele mercado – com argumentos que incluem “vontade política” e boas relações bilaterais”, ressalta a reportagem.

Estados Unidos querem melhores condições para exportar trigo ao Brasil

Os Estados Unidos continuam tentando obter melhor acesso para exportar trigo ao Brasil, e o tema deve voltar à pauta durante a reunião sobre a carne bovina in natura brasileira que o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, terá na segunda-feira (17), em Washington, acreditam fontes que conhecem os interesses dos dois parceiros. Segundo o Valor Econômico, Blairo vai aos EUA encontrar-se com o secretário americano de Agricultura, Sonny Perdue, com uma agenda centralizada na suspensão da carne bovina in natura do Brasil. Ele espera “vontade política” do governo de Donald Trump para pôr fim a esse embargo. “Mas quem conhece a agenda americana sabe que, sem dúvida, autoridades do país vão colocar na mesa de discussão a cobrança sobre sua demanda para vender trigo ao Brasil. Primeiramente, os EUA tinham pedido ao Brasil uma quota de 750 mil toneladas com tarifa baixa, que é um antigo compromisso brasileiro nunca concretizado. Diante da recusa brasileira, os EUA voltaram à carga pedindo acesso livre a seu trigo no Brasil, com tarifa zero, no período entre fevereiro e setembro. O Brasil de novo recusou, mas ofereceu reduzir a tarifa consolidada de 55% para 37,9% na importação de trigo, o que, de toda forma, não facilitaria a venda do produto americano. Washington parece focar agora o interesse em obter acesso para exportar trigo para o Nordeste com alíquota zero e também por um determinado período do ano”, diz a reportagem do Valor.

De olho em agronegócio, Agricultural Bank of China chega ao Brasil

Atenta ao forte mercado agrícola brasileiro, o Agricultural Bank of China acaba de colocar o pé no País. Conforme o jornal O Estado de S.Paulo, a instituição financeira foi credenciada junto ao Banco Central (BC) para estabelecer representação no Brasil. A instituição, que é o último grande banco comercial chinês a desembarcar aqui, foi representada pelo escritório TozziniFreire. Com a chancela do BC, o chinês pode “fazer apenas contatos comerciais e transmitir informações de interesse da matriz ou de filiais no exterior”. Está “vedada a prática de operações privativas das instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil”.

NA IMPRENSA

Mapa – Animal de estimação precisa de passaporte ou certificado veterinário para viagem internacional

Mapa – Valor bruto da produção de 2017 é estimado em R$ 536 bilhões

Mapa – Conab divulga resultado de leilões de subvenção de milho

Ibama – Ibama apreende 51 toneladas de tainha e cinco embarcações em SC por pesca irregular

MMA – Pernambuco sedia diálogo sobre A3P

Fiocruz – Inscrições abertas para o Curso Técnico em Biologia Parasitária e Biotecnologia

Folha de S.Paulo – Bloqueio deve causar cancelamento de exportação de grãos, diz associação

Folha de S.Paulo – Importação de cápsulas de café se recupera e cresce 61% no 1º semestre

O Estado de S.Paulo – Editorial – As cargas da recuperação

O Estado de S.Paulo – De olho em agronegócio, Agricultural Bank of China chega ao Brasil

G1 – Danone toma 2º lugar da Lactalis em ranking de maiores empresas de lácteos

Valor Econômico – Cargill tem lucro líquido de US$ 2,8 bilhões no ano fiscal 2017 

Valor Econômico – Cresce lucro operacional da Südzuker no 1º trimestre da safra 2017/18 

Valor Econômico – Uralkali fecha acordo para exportar fertilizante de potássio à China

Valor Econômico – Projeção do governo para o valor bruto da produção do campo recua para R$ 536 bi

Valor Econômico – Importadores reagem ao ‘mensalinho’ 

Valor Econômico – Volta à pauta pressão dos EUA por abertura ao trigo 

Valor Econômico – Com Arlon, Betânia planeja fazer investimentos de R$ 100 milhões

Portal Maringá – Projeto busca prevenção de doenças em produtores de uva

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.