Presidente diz que governo está ’se virando atrás de fertilizantes’ para evitar desabastecimento

Home/Informativo/Presidente diz que governo está ’se virando atrás de fertilizantes’ para evitar desabastecimento

Presidente diz que governo está ’se virando atrás de fertilizantes’ para evitar desabastecimento

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (11) que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, trabalha para evitar o risco de desabastecimento de fertilizantes no país. ’Está aí a Tereza Cristina se virando atrás de fertilizantes, porque há uma tendência de desabastecimento de fertilizantes’, disse Bolsonaro na transmissão semanal ao vivo em redes sociais, nesta quinta-feira, informou o Portal do Agronegócio. ’O nosso agronegócio é de ponta? Sim. Mas depende em grande parte de produtos importados’, afirmou, citando o potássio vindo da Rússia e outros nitrogenados da China. No mês passado, o presidente já havia adiantado que a ministra e o chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Flávio Rocha, trabalhavam em uma proposta para otimizar a utilização da matéria-prima disponível no Brasil para a produção de fertilizantes.

Anatel e Anac acompanham convivência entre faixas futuras do 5G e radares aeronáuticos

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) in formaram que têm monitorado a faixa de 4200 – 4400 MHz para garantir a proteção do serviço de Radionavegação Aeronáutica. O uso da faixa em torno de 4GHz é acompanhado pelos dois órgãos para que, se necessário, ações de mitigação a interferências sejam avaliadas. Esses estudos tiveram início neste ano, considerando a essencialidade dos radioaltímetros – dispositivos que calculam a altura de uma aeronave acima do solo, um sistema crítico na operação das aeronaves –para a segurança de voos e a decisão do governo norte-americano de utilizar a faixa de 3700 – 3980 MHz para redes 5G comerciais. A posição dos Estados Unidos gerou preocupação no setor de aviação civil, dadas as características das redes de quinta geração, como maior potência de transmissão, além do uso de antenas com conformação de feixes. A decisão americana sobre o uso da faixa de 3,9 GHz não encontra paralelo com o 5G no Brasil na faixa de 3,5 GHz (3300 – 3700 MHz). Em relação ao uso da faixa de 3,5 GHz no Brasil, é importante observar que a faixa de 3400 – 3600 MHz foi identificada para sistemas de telecomunicações móveis internacionais na Conferência Mundial de Radiocomunicações 2007 (WRC-07), enquanto que as faixas de 3300 – 3400 MHz e 3600 – 3700 MHz foram identificadas para IMT na WRC-15. Assim, o Brasil licitou na última semana a faixa de 3300 – 3700 MHz para o uso de futuras redes 5G seguindo as melhores práticas internacionais de gestão do espectro. Para acessar a matéria completa, clique aqui.

STF começa a julgar validade de norma do Ceará que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar nesta sexta-feira (12) uma ação contra lei estadual do Ceará que proíbe a pulverização aérea de agrotóxicos., informou o G1. A Lei 16.820 veta a pulverização área de químicos no estado desde 2019 e é questionada por produtores, que alegam prejuízos às lavouras. O julgamento ocorre no plenário virtual, em que ministros depositam seus votos no sistema eletrônico do STF. A votação está prevista para terminar às 23h59 no dia 22.A relatora do caso é a ministra Cármen Lúcia, que foi a primeira a apresentar o voto. Ele manifestou a favor da lei estadual. Segundo a magistrada , ’estudos científicos apontam os riscos dos agrotóxicos para a saúde humana e para o meio ambiente’. No STF, a lei foi questionada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A entidade afirma que cabe à União legislar sobre o tema e que, por isso, essa lei fere a divisão de competências estabelecida na Constituição. O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola afirma que as empresas de aviação agrícola hoje têm tecnologia para evitar a dispersão dos produtos e alega que, sem a pulverização, “as produções destinadas ao mercado nacional e internacional perdem competitividade, com a migração das culturas ainda para outros estados, senão países”. Para acessar a matéria completa, clique aqui.

Aviões agrícolas são os que mais sofrem acidentes

Nos últimos dez anos, ocorreram 110 acidentes com aeronaves agrícolas em território brasileiro. Desse total, mais de 60% resultaram de colisões em voo com obstáculos e perdas de controle em voo. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a aviação agrícola está no topo dos acidentes aéreos. A taxa de acidentes no Brasil em 2020, por milhão de decolagens no setor foi de 131,46 acidentes, ou seja, mais de 131 casos em um milhão de decolagens, publicou em matéria o portal Agrolink. “Se o modelo foi certificado pela autoridade aeronáutica, ele cumpre os requisitos mínimos de segurança. Um avião que tem as manutenções em dia, com pilotos corretamente qualificados e que opere em locais com boa infraestrutura, possui um nível de risco ínfimo e dificilmente sofrerá um acidente”, destaca o piloto e gerente técnico da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), Raul Marinho. Especialistas dizem que esses números não querem dizer que os aviões pequenos sejam mais perigosos. Segundo eles, trata-se dos padrões de operação e exigência em cada categoria de aviação. Também há erros humanos. No caso da aviação de grande porte há mais rigor nos procedimentos e certificações, com estrutura melhor de aeroportos e orientação nos pousos e decolagens.

 

Veja outras notícias

Agência Câmara
Comissões debaterão licenciamento ambiental de empreendimentos de irrigação

Agência Senado
CMA aprova audiências públicas sobre regulamentação fundiária e licenciamento ambiental

Agência Senado
CRA analisa doação de alimentos e organização de sistema para pesquisa agropecuária

ANAC
Anatel e Anac acompanham convivência entre faixas futuras do 5G e radares aeronáuticos

CNA
CNA encerra participação na COP-26 com debates sobre a sustentabilidade do agro brasileiro

CNA
Agricultor deve continuar produzindo bioinsumos para uso próprio, defende CNA

SBA
Federação paulista pede mudanças no ICMS para o setor do agronegócio

Estado de S. Paulo
Confaz aprova ‘congelamento’ do ICMS dos combustíveis por 90 dias

Portal do Agronegócio
Estudo com técnica fotônica apresenta dados inéditos sobre carbono no solo

Portal do Agronegócio
Sindiveg e Senar firmam parceria para oferecer treinamento gratuito sobre defensivos a agricultores

Portal do Agronegócio
Bolsonaro diz que governo está ’se virando atrás de fertilizantes’ para evitar desabastecimento

Portal do Agronegócio
Em ano de incertezas para o biodiesel, setor fecha com 29 empresas negociando CBIOS

Valor Econômico
Fisco cobra adicional previdenciário do setor de agronegócio

Valor Econômico
Produtores com Selo Biocombustível Social perdem força em novo modelo de comercialização

AgroLink
Resíduos orgânicos podem virar fertilizantes

AgroLink
Aviões agrícolas são os que mais sofrem acidentes

Correio Braziliense
Mudança climática também afeta preços dos mercados agrícolas

G1
Por que a crise energética pode levar à falta de fertilizantes e agrotóxicos e impactar safras futuras

G1
STF começa a julgar validade de norma do Ceará que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »