Presidente da Câmara do Município de Cianorte sanciona lei que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos

//Presidente da Câmara do Município de Cianorte sanciona lei que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos

Conforme publicado na edição de segunda-feira (11), do Diário Oficial do Município de Cianorte, o presidente da Câmara de Cianorte, Silvio Fernandes (MDB), sancionou o Projeto de 152/15, agora, Lei Municipal 5.088/2019, a qual proíbe a pulverização aérea de agrotóxicos em Cianorte – de autoria do vereador Sergio Mendes de Almeida (PSB) – que entre em vigor imediatamente. Segundo o portal Tribuna de Cianorte com a medida, a multa, em caso de descumprimento, será de R$ 30 mil, dobrando-se em caso de reincidência. Ao responsável não se limita a multa, podendo, inclusive, responder nas esferas penal, civil e administrativa. Ainda, de acordo com o projeto, 40% do valor arrecadado serão revertidos ao Fundo Municipal do Meio Ambiente e 60% ao Fundo Municipal de Desenvolvimento Rural. O projeto foi votado em primeiro turno em maio de 2016 e colocado em pauta novamente – em segundo turno e redação final – mais de três anos depois, no dia 14 de outubro. A demora, segundo os vereadores, ocorreu, pois o projeto precisava ter melhores estudos para atender às reivindicações de produtores rurais, principalmente, os hortifrutigranjeiros, que têm sua produção prejudicada pela prática da pulverização aérea de agrotóxicos.

Debate para fortalecer políticas contra agrotóxicos

A deputada Márcia Lia propôs a realização de debates no interior de São Paulo com a sociedade civil, entidades, pesquisadores e movimentos sociais sobre a redução no uso de agrotóxicos nas lavouras, tema do projeto de lei da Política Estadual de Redução de Agrotóxicos (Pera), lançado oficialmente na quinta-feira (7), na Alesp, pelas bancadas do PT, PSOL, Rede e PCdoB. De acordo a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) a atividade também celebrou os 30 anos da Lei Federal dos Agrotóxicos. O Pera prevê a redução do uso de agrotóxicos no Estado e foi construído com base no Projeto de Lei Federal da Política Nacional de Redução de Agrotóxicos, de iniciativa popular que propõe a redução do uso de agrotóxicos nos alimentos e busca aprimorar os indicadores de contaminação dos recursos naturais, dos animais e do próprio ser humano. A elaboração contou com a participação de ambientalistas, pesquisadores, produtores rurais, engenheiros, geógrafos, médicos, nutricionistas, sociólogos e ativistas de meio ambiente, alimentação saudável, produção agroecológica, produção orgânica e segurança alimentar, além das bancadas partidárias. “Precisamos preparar os agricultores, chamar os movimentos sociais, as entidades, as organizações, as Câmaras dos pequenos municípios, e nos unir em defesa da vida. Me disponho junto aos demais parlamentares plantar essa semente, que pode crescer e frutificar”, falou a deputada.

Aprosoja cobra do ministério apoio para fim de moratória

A Associação dos Produtores de Soja e Milho do Brasil (Aprosoja Brasil) vai cobrar apoio explícito do Ministério da Agricultura para que a moratória da soja na Amazônia seja extinta e para impedir que uma iniciativa do gênero seja criada nas áreas de Cerrado do “Matopiba” (confluência entre Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), informou o Valor Econômico nesta terça-feira (12). O vice-presidente da entidade, Antônio Galvan, afirmou que a ministra Tereza Cristina tem conhecimento do tema “há muito tempo” e que assessores da Pasta participaram de reuniões nesse sentido na Casa Civil. O ministério tem evitado se pronunciar desde que a Aprosoja anunciou que quer enterrar o acordo de mais de dez anos firmado pelas tradings para coibir a compra de soja na Amazônia. Galvan realçou que os produtores nunca fizeram parte desse acordo. “Vamos cobrar o Ministério da Agricultura. Eles foram muito tímidos, para não dizer que foram covardes. Eles estavam junto conosco e falaram que iam tomar atitudes. Vamos cobrar o posicionamento da nossa ministra”, declarou Galvan em evento em Dom Eliseu (PA) durante o fim de semana. No evento, transmitido pelo site “Notícias Agrícolas”, os produtores reclamaram do sistema utilizado pelas tradings para monitorar os desmatamentos na região, o Prodes, o mesmo usado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Segundo o consultor Magno Macedo, ele apresenta erros. “É um instrumento inadequado. Ele foi feito para olhar a Amazônia de forma global, e não um estabelecimento rural específico. Para a escala que se trabalha, é possível que aconteçam erros”, disse. Segundo Macedo, há tecnologias mais eficazes para esse acompanhamento, e o produtor deveria ter um prazo para explicar aos compradores da soja qualquer indicativo de irregularidade antes de um eventual embargo. Em Dom Eliseu, são cultivados 100 mil hectares de soja, e mais de 60 agricultores estão embargados pela moratória, segundo a Aprosoja do Pará. Esses agricultores devem ajudar a apresentar documentações para uma eventual ação no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) contra as tradings.

Prejuízo da Embraer sobe mais de 5 vezes no 3° trimestre, para R$ 314,4 mi

A fabricante de aeronaves Embraer registrou prejuízo líquido de R$ 314,4 milhões no terceiro trimestre de 2019, mais de cinco vezes maior que o prejuízo de R$ 52,2 milhões apurado no mesmo período do ano anterior. A receita recuou 1,5%, de R$ 2,57 bilhões para R$ 2,53 bilhões. A margem bruta, que mede a rentabilidade sobre as vendas, caiu de 16,17% para 14,86%, destacou o Valor Econômico nesta terça-feira (12). Considerando-se o negócio de aviação comercial, que já é lançado como operação descontinuada nas demonstrações financeiras da Embraer por causa do acordo comercial com a Boeing, a receita líquida da companhia brasileira alcançou R$ 4,69 bilhões no terceiro trimestre, alta de 1,7% ante os R$ 4,61 bilhões apurados no mesmo período do ano passado. Com R$ 1,62 bilhão, o segmento de aviação comercial representou 34,5% da receita líquida consolidada da Embraer no trimestre, frente a 33% um ano antes. A participação da aviação executiva, cuja receita subiu 18,4% na comparação anual diante do maior número de entregas, para R$ 1,48 bilhão, passou de 27% há um ano para 31,5%. O segmento de defesa e segurança, por sua vez, exibiu queda de 30% na receita líquida, para R$ 638 milhões, diante do ajuste na base de custos do programa de desenvolvimento do KC-390, o que levou a participação na receita consolidada a recuar de 19,8% para 13,6%. As receitas de serviços e suporte, por outro lado, cresceram 3% na comparação anual, para R$ 947,5 milhões, representando 20,2% da receita consolidada – praticamente estável frente à fatia de 20% do terceiro trimestre do ano passado. Os custos de separação da unidade de negócios de aviação comercial, que é parte do acordo comercial com a Boeing, totalizaram R$ 253,5 milhões nos nove primeiros meses do ano, de acordo com a Embraer. Somente no terceiro trimestre, esses custos ficaram em R$ 138,1 milhões.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Poder público e associações se mobilizam para fomentar cerveja artesanal no país

O Globo – Soja brasileira alimenta chineses

Valor Econômico – Aprosoja cobra do ministério apoio para fim de moratória

Valor Econômico – Prejuízo da Embraer sobe mais de 5 vezes no 3° trimestre, para R$ 314,4 mi

O Estado de S. Paulo – Fintech rural exclui papelada de crédito

G1 – Fórum ‘Agro Sem Fronteiras’ discute agronegócio em Chapecó; Darci Debona comenta

Tribuna de Cia Norte – Presidente da Câmara sanciona lei que proíbe pulverização aérea de agrotóxicos

Portal do Agronegócio – Evento promovido pela Syngenta demonstra segurança e eficiência da aviação agrícola

Repórter Brasil – Mesmo ‘intoxicado até a alma’, camponês argentino lutou até a morte contra os agrotóxicos

Revista Campo e Negócios – RS Assessoria Aduaneira: Uma das mais completas em comércio exterior

MT Notícias – VÍDEO: Desmontada suposta quadrilha de roubo de defensivos agrícolas em fazendas de Sorriso e região

Epagri – Estação Experimental da Epagri em Ituporanga comemora 35 anos com lançamento de cebola resistente a doenças e pragas

Mais Soja – AgBiTech se torna a primeira fabricante de Baculovírus a integrar comitê global de resistência de pragas a inseticidas

Conexão Planeta – Quantos brasileiros mais serão intoxicados por agrotóxicos pulverizados perto de suas casas e escolas?

Adamantina Net – 5º Seminário de Fruticultura reúne produtores, profissionais e estudantes na sede da APTA

Nsc Total – A nova cebola de Santa Catarina desenvolvida após 15 anos de pesquisas

Je Acontece – Agricultora usa homeopatia para produzir morango

Alesp – Debate para fortalecer políticas contra agrotóxicos

Dica do Tio – Bayer apresenta manejo inteligente da soja com a plataforma Intacta 2 Xtend® no Mato Grosso

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »