Plano Estratégico para erradicação da febre aftosa completa dois anos com evoluções em vários estados  

//Plano Estratégico para erradicação da febre aftosa completa dois anos com evoluções em vários estados  
Criado para manter as condições sustentáveis que visam garantir o status sanitário de país livre de febre aftosa e ampliar as zonas livres sem vacinação, o Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PE-PNEFA) alcança pouco mais de dois anos de execução com evoluções nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e nos estados que compõem o Bloco I (Acre, Rondônia e parte do Amazonas e do Mato Grosso), destacou o portal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta sexta-feira (27). Nesses estados, as ações necessárias para evolução com segurança para a condição de zona de livre de febre aftosa sem vacinação apresentam bom nível de execução. Diante deste cenário, no Paraná, a última vacinação ocorreu em maio de 2019 e no Rio Grande do Sul, a última vacinação deve acontecer nos meses de março e abril deste ano. No Bloco I, após reunião ocorrida recentemente em Manaus (AM), de forma consensual, o Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) e os integrantes do Bloco acordaram com a suspensão da vacinação, com a última etapa ocorrendo em novembro de 2019. Da mesma forma como procedido para o Estado do Paraná, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicará em abril atos normativos proibindo, no Rio Grande do Sul e no Bloco I, o uso e a comercialização da vacina contra a febre aftosa e o ingresso de animais vacinados contra a doença. A expectativa é o reconhecimento pela OIE desses estados como zonas livres de febre aftosa sem vacinação em maio de 2021. Para isso, deverão ser conduzidas atividades que visam demonstrar a implantação na região de medidas de vigilância compatíveis com o status de livre sem vacinação. No Bloco I, em particular, nova avaliação do Mapa ocorrerá em agosto, com objetivo de decidir se o pleito de reconhecimento a ser encaminhado à OIE abarcará o Bloco em sua totalidade ou em parte. O Ministério está trabalhando com os estados envolvidos para que o Bloco siga de forma conjunta, desde que atendidos os requisitos pactuados no PE-PNEFA. “Mesmo diante das expectativas de avanço, a execução do PE-PNEFA de forma geral ainda depende da conclusão das ações pactuadas em parte expressiva dos estados envolvidos”, observa o diretor do DSA, Geraldo Moraes. Segundo o diretor, independentemente de qualquer previsão de calendário, o que determina a evolução de cada bloco ou UF é a implantação das ações acordadas no Plano Estratégico. De acordo com o diretor, especificamente neste ano, agregam-se à execução do Plano as incertezas decorrentes da pandemia do coronavírus, tanto no ambiente interno como no ambiente internacional, sobretudo quanto às condições de manutenção, por parte da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), do calendário de avaliação dos pleitos dos países para reconhecimento internacional da condição sanitária.

Produtores poderão adiar a entrega da comprovação de vacinação de febre aftosa

Por causa da pandemia do novo Coronavírus, a Secretaria de Defesa Agropecuária do  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está repassando às Superintendências Federais de Agricultura nos estados e a todos serviços ligados à vigilância agropecuária novas orientações em relação às  etapas de vacinação contra a febre aftosa para o primeiro semestre de 2020. Os proprietários de animais devem manter as etapas de vacinação nos períodos propostos, entretanto não serão exigidas declarações de comprovação da vacinação que impliquem em comparecimento aos escritórios, informou o portal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta sexta-feira (27). Em ofício, a Divisão de Febre Aftosa (Difa) do Ministério orienta que a comprovação da vacinação contra a doença  deverá ser realizada, preferencialmente, por meio não presencial (sistemas informatizados, correio eletrônico ou outras soluções à distância). Quando não houver alternativa ao alcance, a comunicação presencial poderá ser postergada para um prazo a ser pactuado entre todas as partes envolvidas com o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no estado ou no Distrito Federal. O Serviço Veterinário Oficial (SVO) de cada estado e as equipes gestoras estaduais do PNEFA irão estabelecer formas de comunicação com todos os interessados sobre a etapa de vacinação contra a febre aftosa (rádio, sindicatos, redes de televisão locais , via site institucional, entre outros) e auxiliar na vacinação de propriedades que tenham dificuldade de executá-la. Confira o calendário de vacinação 2020. Segundo o ofício, as entidades de  produtores e das revendedoras de vacina contra a febre aftosa deverão se organizar para que a vacina seja, preferencialmente, adquirida junto às revendas agropecuárias por telefone ou outro meio de comunicação à distância disponível. A entrega pela revenda, pelo sindicato rural ou outra forma de entrega, deverá ser feita  diretamente na propriedade rural que a comprou (distribuição por cooperativas, pelo caminhão de leite ou pela mesma logística de distribuição de insumos às propriedades). Quando isso não for possível, a venda direta ao produtor deverá ensejar todas as medidas necessárias para a mitigação da transmissão do COVID-19, tanto por parte dos produtores rurais, quanto por parte das revendas de vacina. Dúvidas e demais orientações poderão ser direcionadas ao email pnefa@agricultura.gov.br.

Ultrassom de carcaça avalia potencial do gado

No cenário bucólico, de paisagens rurais, do Sul de Minas Gerais, está uma das maiores referências quando o assunto é carne de qualidade. Na Casa Branca Agropastoril pesquisa e inovação trabalham com Angus, Brahman e Simental. Conforme divulgou o portal AgroLink  nesta quinta-feira (26), as três raças são conhecidas por características diferenciadas na produção de carne. São 250 touros e 150 fêmeas. Já são duas décadas de trabalho com a proposta de colocar no mercado animais férteis, produtivos, precoces e funcionais, que multiplicam resultados em diferentes regiões do Brasil e até de países latino-americanos. O trabalho começa ainda na fase embrionária quando é avaliada a nutrição fetal e é feito o suprimento de alimentos se necessário. Os bezerros crescem rápido e chegam ao abate e menos tempo mas isso deve-se a um rígido controle logo após o desmame. Dois meses após eles começam a passar por testes de desempenho em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA). As provas duram um período de 90 dias. Nesta fase todos os animais recebem exatamente o mesmo tratamento nutricional, medicamentos, vacinas e ficam no mesmo ambiente, justamente para observar aqueles que se destacam de acordo com o desempenho, em uma avaliação precoce e quais fazem a conversão alimentar de forma mais eficiente. Em Angus e Simental é avaliada a adaptabilidade, por se tratarem de raças européias. No final da prova é realizada uma ultrassonografia de carcaça que avalia diversos aspectos, de acordo com as características de cada raça. “Observamos aprumo, estrutura, musculosidade, potencial da raça e reprodução”, destaca o professor Jaime Tarouco, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Fomos até a Casa Branca Agropastoril conhecer de perto o trabalho e as vantagens na obtenção da carne nas três raças. Confira no quarto episódio da série “Pecurária 4.0: o caminho do boi brasileiro”.

Projeto suspende pagamento de contribuição a conselhos profissionais durante pandemia

Nesta sexta-feira (27), a Agência Câmara divulgou que, o Projeto de Lei 856/20 desobriga profissionais de todo o País de efetuarem o pagamento da contribuição mensal, associativa ou não, ao respectivo conselho profissional ou de classe em caso de pandemias, guerras ou estado de calamidade pública. Segundo o texto em análise na Câmara dos Deputados, os pagamentos serão restabelecidos no mês seguinte ao fim da situação atípica, sendo vedada a cobrança dos valores em atraso. “A atividade dos profissionais vinculados aos conselhos profissionais e de classe é diretamente impactada pelos efeitos da crise, sendo notória a necessidade de adoção de medidas acautelatórias a fim de manter sua saúde financeira”, diz o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), autor do projeto.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Projeto suspende pagamento de contribuição a conselhos profissionais durante pandemia

Folha de S.Paulo – Pangolim pode ser elo perdido entre coronavírus e seres humanos, diz nova pesquisa

O Estado de S.Paulo – #03 “Na Quarentena”: Quais cuidados ter com os pets durante a epidemia do coronavírus?

O Estado de S.Paulo – Páscoa: Aprenda a fazer uma colomba pascal para o seu cão

O Globo – Comércio do Rio reabre mais dois setores; feiras livres só podem vender hortifruti e pescados

O Globo – China aprova injeção para coronavírus feita de pó de chifre de cabra e de bile de urso

Correio Braziliense – Cientistas procuram ratos de laboratório na luta contra o coronavírus

Mapa – Plano Estratégico para erradicação da febre aftosa completa dois anos com evoluções em vários estados

Mapa – Permitida pesca de emalhe por embarcações motorizadas no litoral de São Paulo

Mapa – Produtores poderão adiar a entrega da comprovação de vacinação de febre aftosa

Valor Econômico – JBS faz provisão para descontos a clientes chineses

Valor Econômico – Marfrig confirma manutenção de suas atividades

Valor Econômico – Pedro Parente será reconduzido à presidência do conselho da BRF

Valor Econômico – Preços mais altos do boi podem ter ficado para trás, diz Itaú BBA

Valor Econômico – Tyson Foods doa US$ 13 mi a comunidades no entorno de suas unidades nos EUA

Anda – Vacina para cachorros não impede contágio de Covid-19 em humanos

Anda – China submete ursos à crueldade ao aprovar uso de bile para tratar Covid-19

Anda – Morcegos estão sendo mortos por causa do medo de transmitirem a covid-19

Anda – Elefantes explorados são libertos de cadeiras de ferro usadas para transportar turistas

Anda – Cerca de 900 mil pinguins-rei desapareceram do mundo

Anda – Cachorrinha pede ajuda a socorristas para resgatar filhotes

Anda – População se manifesta e governo autoriza a alimentação de colônias de gatos

Anda – Grupo discute direitos animais por videoconferência no domingo

Anda – Gene Baur: “Agropecuária incita pandemias globais”

Anda – ONG transforma famosos em super-heróis em calendário em prol da causa animal

AgroLink – Ultrassom de carcaça avalia potencial do gado

AgroLink – Coronavírus mantém o mercado de reposição com baixa movimentação

AgroLink – Liquidez envolvendo carne congelada aumenta no atacado

AgroLink – Índice Ideagri do Leite Brasileiro projeta melhoria no desempenho das fazendas leiteiras em 2020

AgroLink – Peixe BR e associações estaduais reforçam urgência de medidas para combater crise na piscicultura

G1 – Animais domésticos não transmitem Coronavírus

G1 – Em tempos de coronavírus, animais precisam de cuidados com a higiene

G1 – Animais silvestres são vistos em pontos turísticos do Rio

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »