Pesquisadores afirmam que pets não se infectam e nem transmitem Covid-19  

//Pesquisadores afirmam que pets não se infectam e nem transmitem Covid-19  
Em meio a tantas incertezas e angústias provocadas pela pandemia de Covid-19, tutores de animais de estimação têm uma preocupação a mais: a possível infecção e transmissão do vírus pelos pets, informou o Correio Braziliense neste domingo (3). Alguns casos de Sars-CoV-2 positivo em gatos e cães acenderam o alerta, assim como estudos que sugeriram o potencial das mascotes adoecerem e passarem a enfermidade para humanos. Contudo, um grupo de 13 pesquisadores brasileiros do Laboratório de Etologia Canina (Leca) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesf) tranquiliza os tutores. Os especialistas de áreas diversas, como biologia, veterinária e zoonoses, produziram um documento endossado por mais de 60 cientistas, afirmando que nada indica que os pets desenvolvam sintomas de Covid-19 ou que transmitam o vírus a humanos. Para elaborar o texto, divulgado na plataforma Research Gate, os pesquisadores fizeram uma revisão dos poucos estudos que foram publicados sobre a relação da Covid e pets, considerando as metodologias aplicadas. Também se basearam no conhecimento já estabelecido sobre as zoonoses, ou seja, as doenças transmitidas por animais a humanos. De acordo com o grupo, a literatura científica é insuficiente para afirmar a suscetibilidade de cães e gatos à infecção pelo novo coronavírus e, menos ainda, segundo os especialistas do Leca, estabelecer um potencial de transmissão do vírus para os tutores. O primeiro caso de um animal infectado surgiu em Hong Kong, em fevereiro. Um cão testou positivo para o Sars-CoV-2. Segundo o Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação da cidade, o animal, de 17 anos, apresentava baixos níveis de contágio; ou seja, o vírus estava presente no organismo, mas em uma quantidade pouco significativa. O cachorro morreu, mas as autoridades sanitárias locais afirmaram que a idade avançada e a separação do tutor — diagnosticado com Covid-19 — podem ter contribuído para o óbito. Até agora, além desse, há relatos de Sars-CoV-2 em quatro gatos (um em Hong Kong, um na Bélgica e dois nos Estados Unidos) e dois cães (mais um em Hong Kong e outro nos EUA). Todos os animais são de pacientes com Covid-19 ou tiveram contato próximo com doentes. “Possivelmente, esse resultado é reflexo da contaminação ambiental que uma residência com uma pessoa com Covid-19 pode ter”, diz a veterinária Aline Santana da Hora, pesquisadora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e doutora em epidemiologia experimental aplicada a zoonoses. De acordo com a docente da instituição, os animais domésticos são, de fato, acometidos por vários coronavírus. “A maioria das infecções é assintomática. Além disso, os coronavírus que são próprios de animais domésticos não causam doença em humanos”, ressalta.

Reabertura de frigoríficos americanos é questão de dias, diz secretário de Agricultura dos EUA

O secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, disse que espera que os frigoríficos reabram em “dias, e não semanas” sob a ordem executiva do presidente Donald Trump sob a Lei de Produção de Defesa. Segundo o Valor Econômico trabalhadores de abatedouros devem começar a receber mais material de proteção e acesso a testes de coronavírus “virtualmente imediatamente”, disse Perdue na última quinta-feira (30) em entrevista por telefone. O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) “já começou” a trabalhar nos pedidos para que sejam preenchidos prioritariamente por fornecedores semelhantes aos profissionais de saúde, disse. O USDA foi escolhido para assumir a liderança com o objetivo de garantir que as processadoras de carne permaneçam abertas sob a ordem executiva publicada na terça-feira. A cadeia de suprimentos de alimentos do país desabou quando uma onda de surtos fechou abatedouros nos EUA, aumentando o risco de que as carnes de porco, bovina e de frango desaparecessem das prateleiras dos supermercados. Perdue acredita que o déficit nacional de produção de carne, que estima atualmente de 20% a 30%, seja reduzido para “10% a 15% dentro de uma semana a 10 dias”.Em muitos casos, mesmo quando os frigoríficos reabrirem, não devem operar com a mesma capacidade devido a medidas de segurança para controlar a propagação do vírus, disse Perdue. “Haverá menos produção, alguma ineficiência com base na velocidade das linhas, alguns funcionários que não poderão voltar ao trabalho”, disse Perdue. O USDA terá poder legal de obrigar produtores de carne a reabrirem abatedouros sob a ordem de Trump, mas não espera ter que usá-lo, disse Perdue. O departamento vai trabalhar em colaboração com empresas e autoridades estaduais e locais para definir padrões de segurança com base nas diretrizes para trabalhadores divulgadas pelos Centros de Controle de Doenças e Administração de Segurança e Saúde Ocupacional dos EUA, disse. “Saúde e segurança do trabalhador são a maior prioridade”, disse Perdue. “Queremos assegurar sua segurança aos trabalhadores e à comunidade”. O USDA disse na quarta-feira (29) que solicitará aos processadores de carne que enviem planos por escrito para operar com segurança os frigoríficos e que devem revisá-los em consulta com as autoridades locais. A ordem executiva de Trump não removerá a responsabilidade legal das empresas de carne por processos relacionados a questões de segurança contra o coronavírus, mas, juntamente com as diretrizes do CDC, lhes dará “uma resposta defensável” caso sejam processados desde que sigam as diretrizes, disse Perdue.

Mapa oficializa retirada da vacinação contra febre aftosa em 13 municípios amazonenses

Após décadas de esforços por parte do Governo do Estado, do Governo Federal e, em especial, dos pecuaristas amazonenses, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) oficializou a retirada da vacinação contra a febre aftosa em 13 municípios do Amazonas. A conquista e vitória histórica foi confirmada por meio das Instrução Normativa nº 36 publicada na última quinta-feira (30), no Diário Oficial da União (DOU). De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) o documento proíbe a manutenção, comercialização e uso de vacina contra a febre aftosa no Estado do Rio Grande do Sul e no Bloco I do Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), constituído pelos Estados do Acre, Rondônia, parte do Estado do Amazonas e parte do Estado de Mato Grosso. Na Instrução Normativa nº 23, publicada também nesta quinta-feira (30), proíbe o ingresso e a incorporação de animais vacinados contra a febre aftosa nas mesmas localidades. No Amazonas, a região inserida no Bloco I do PNEFA e que passa a ter a retirada da vacinação autorizada abrange os municípios de Apuí, Boca do Acre, Canutama, Eirunepé, Envira, Guajará, Humaitá, Itamarati, Ipixuna, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini e parte do município de Tapauá. “A FAEA, representando o setor privado pecuário amazonense, ao longo de anos colocou como prioridade a meta da retirada da vacina contra febre aftosa, que diminui custos ao produtor rural e coloca esses municípios amazonenses, em um status sanitário de destaque no cenário nacional, valorizando, assim, toda a cadeia produtiva e seus produtos”, comemorou o presidente da FAEA, Muni Lourenço. Lourenço agradeceu, em nome dos pecuaristas amazonenses, ao Governo do Estado e ao Governo Federal pelos investimentos e ações empreendidas para que a conquista fosse possível. “Parabenizamos a todos os valorosos técnicos e dirigentes da Sepror, Adaf, Idam, SFA e Mapa de hoje e de ontem que com suas iniciativas e dedicação contribuíram para essa definição”, ressaltou. Para que a conquista tenha se tornado realidade, uma série de ações foram tomadas ao longo dos anos por diversas entidades, entre elas, a FAEA. Para contribuir com esse objetivo, a FAEA criou o Fundo de Defesa Agropecuária do Estado do Amazonas (Fundepec/AM), realizou a mobilização permanente da classe pecuária em relação à sanidade do rebanho e fez o aporte de recursos para a capacitação de pecuaristas e trabalhadores rurais pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Administração Regional do Amazonas (SENAR- AR/AM). Também foram doados equipamentos e materiais para sorologia do rebanho e apoio à despesas emergenciais de trabalhos da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) através do Fundepec/AM. Outro ponto de destaque foi a mobilização e sensibilização política de Governo e Assembleia para a criação da Adaf e a destinação de incremento de orçamentos para o fortalecimento do serviço de defesa agropecuária estadual. “A representação do setor privado nos fóruns e reuniões nacionais e regionais promovidas pelo Mapa sobre o Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa PNEFA foi fundamental além de todas as participações nas reuniões e debates ocorridos a nível de Estado e a interlocução permanente com os órgãos e autoridades públicas em prol do serviço de defesa agropecuário”, complementou Muni Lourenço.

Estudo piloto treina cães para identificarem pessoas infectadas por coronavírus

A Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia (Penn Vet), nos Estados Unidos, divulgou o Blog E+ do jornal O Estado de S.Paulo na última sexta-feira (1), que começou um estudo piloto para treinar cães a indentificarem pessoas que estão infectadas pelo novo coronavírus. Inicialmente, oito cachorros serão expostos a amostras positivas de covid-19 de saliva e urina em laboratório. A expectativa da instituição é que em julho os animais consigam fazer uma triagem preliminar de humanos contaminados ou não. “Os cães podem detectar odores com precisão mesmo com baixas concentrações de compostos orgânicos voláteis associados a várias doenças, como câncer de ovário, infecções bacterianas e tumores nasais. Esses compostos estão presentes no sangue humano, saliva, urina ou respiração ”, disse Cynthia Otto, professora de Ciências dos Cães e Medicina do Esporte e diretora do Working Dog Center da Penn Vet. O trabalho dos cachorros poderia ajudar na identificação de pacientes assintomáticos quando as medidas de isolamento social forem flexibilizadas.

NA IMPRENSA
CNA – Especialistas discutem ajuste do manejo de pasto para o início da estação de chuvas

CNA – Mapa oficializa retirada da vacinação contra febre aftosa em 13 municípios amazonenses

CNA – ATeG: Produtor de leite de Ituiutaba mostra a evolução da propriedade ao participar do programa

Embrapa – Webinar no dia 04/05 apresenta resultados de avaliação genética de touros Gir Leiteiro

Embrapa – Passo a passo ajuda produtor a planejar produção de forragem e alimentação do rebanho

Embrapa – Workshop virtual sobre integração lavoura-pecuária abre inscrições

Embrapa – Relatório Destaques 2019 traz principais resultados da Embrapa Gado de Corte

Valor Econômico – MP pede interdição de frigoríficos de BRF e Minuano em Lajeado (RS)

Valor Econômico – Produtores europeus pedem proteção

Valor Econômico – Após reabertura de planta da JBS nos EUA, casos de covid-19 entre funcionários voltam a aumentar

Valor Econômico – Justiça julga improcedente pedido de sindicato de Criciúma (SC) contra a JBS

Valor Econômico – Principal feira pecuária do Brasil é cancelada

Valor Econômico – Reabertura de frigoríficos americanos é questão de dias, diz secretário de Agricultura dos EUA

Valor Econômico – Lucro líquido da Tyson Foods recuou 14,6% no 2º trimestre do exercício

AgroLink – Angus participa de live sobre normativa que trará ganhos ao rebanho e ao criador

AgroLink – Pandemia vai limitar oferta de carnes dos EUA

AgroLink – Evento debate aprendizados e oportunidades de reinvenção no mercado de saúde animal

AgroLink – GO: localizadas mais de 30 cabeças de gado roubadas

Anda – Ministro da Cidadania é autor de projeto em defesa da caça

Anda – Ameaçado de extinção, tatu-canastra é foco de projeto de conservação

Anda – Gata leva seu filhote doente até hospital e médicos ajudaram os animais

Anda – Consumidores estão optando por alimentos livres de crueldade animal

O Globo – Tubarão-baleia é filmado por pescadores em Niterói

O Estado de S.Paulo – Adoção pets

O Estado de S.Paulo – Vamos brincar com os pets na quarentena?

O Estado de S.Paulo – Estudo piloto treina cães para identificarem pessoas infectadas por coronavírus

G1 – Unidade de bovinos da JBS reaberta nos EUA tem novo surto de coronavírus

G1 – Pesquisa da UFU sugere soluções biológicas para controle de pragas agrícolas

G1 – Ação em Araraquara arrecada ração para animais de estimação

G1 – Canil Municipal lança vídeo para estimular adoção de animais em Juiz de Fora

G1 – Abrigo municipal de Sorocaba tem queda no número de adoções de animais durante a pandemia

G1 – Caçadores são presos com aves, pele de animal e armas em SC

G1 – Animais silvestres são vistos em áreas urbanas no Norte de SC durante a quarentena

G1 – ONG que cuida de cães e gatos está ficando sem ração para alimentar 90 animais resgatados

G1 – Por conta da pandemia da Covid-19, cresce o número de animais abandonados; lotação é registrada na APA em Uberlândia

G1 – Estátuas de animais do cerrado ganham máscara para alertar sobre a prevenção do coronavírus, em Caldas Novas

G1 – Zoológico de Brasília cria ‘tour virtual’ a animais durante isolamento social

Correio Braziliense – Pesquisadores afirmam que pets não se infectam e nem transmitem Covid-19

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »