Pesquisa da Abag aponta infraestrutura como principal gargalo para inovação no agronegócio

Home/Informativo/Pesquisa da Abag aponta infraestrutura como principal gargalo para inovação no agronegócio

O Comitê de Inovação e Tecnologia da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) fez uma pesquisa com associados, entidades do setor, academia e representantes ligados ao ecossistema empreendedor quanto à “Inovação e Competitividade do Agronegócio”, informou o Valor Econômico nesta quinta-feira (17). Os dados foram coletados entre agosto e setembro, e o objetivo é que os resultados ajudem a direcionar esforços futuros para crescimento da atividade agropecuária no país. Na pesquisa, o setor de infraestrutura foi apontado em 80% das respostas como o principal gargalo para o agro brasileiro. Foram avaliados ainda o papel das políticas públicas, fator humano, propriedade intelectual e patentes, política internacional e acordos comerciais, financiamento e fomento à inovação e sustentabilidade para alavancar os negócios e a inovação no setor. Com relação ao fator humano, os entrevistados destacaram que o comprometimento dos funcionários (acima de 60%) é de altíssima relevância para o sucesso das iniciativas de inovação no agro. A seguir, vieram satisfação e nível de escolaridade dos empregados (com relevância acima de 50%). Para inserção do agronegócio brasileiro nas cadeias globais de valor, 73% dos entrevistados acreditam que é preciso investir mais em promoção comercial do país, 63% defenderam investimentos em pesquisas agropecuárias e 58% maior sinergia entre agentes públicos e privados. No âmbito da percepção com o que contribui para a inovação e competitividade das empresas, foram destaque também o fator humano (70%) e as tecnologias 4.0 (63%). Os fatores organizacionais (54%) e ambientais (49%) apareceram na sequência. A pesquisa apontou, ainda, que no relacionamento entre empresas consolidadas e startups, a maior competitividade do agronegócio tende a ser atingida por meio de programas pilotos ou provas de conceito, seguidos de parceria comercial.

Medidas provisórias vão dar apoio ao setor produtivo e permitir renegociação de dívidas rurais

O governo assinou, nesta quinta-feira (17) durante cerimônia em Porto Seguro (BA), duas Medidas Provisórias que garantem apoio ao setor produtivo e permitem a renegociação de dívidas rurais. De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) os textos foram publicados no Diário Oficial da União nesta sexta (18). O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Piauí (Faepi) e coordenador da bancada do Nordeste na Câmara, deputado Júlio César, participou da solenidade. Uma das MPS (MP 1.016/2020) permitirá, entre outros pontos, a renegociação de dívidas de operações de crédito rural com recursos dos Fundos Constitucionais do Nordeste (FNE), Norte (FNO) e Centro-Oeste (FCO) obtidos principalmente junto aos bancos oficiais. Na avaliação do deputado, o texto dará continuidade para ajudar na renegociação de passivos. Ele destacou que a MP vai beneficiar não apenas o setor agropecuário, mas também outros segmentos que contrataram recursos dos fundos constitucionais.

China abre perspectivas para sorgo e milho brasileiros

A China deverá usar pelo menos 300 milhões de toneladas de grãos para a composição de ração nos anos 2030. Isso abre uma nova janela para o Brasil, destacou a coluna Vaivém da Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (17). Líderes mundiais em importações de soja, os chineses vão se tornar também grandes compradores de milho, de sorgo, de cevada e de trigo. Com solos bastante variados, o Brasil poderá avançar na produção de todas essas culturas e, assim como já faz com soja, abocanhar uma parte ainda maior do mercado internacional de grãos. O apetite chinês, agora voltado para outros grãos, gera um crescimento firme no consumo interno do país asiático, provoca um patamar recorde de importação e eleva preços. Esses devem ser os novos pontos de equilíbrio a serem levados em consideração para os grãos usados na composição de ração na China até 2030, conforme um relatório do Rabobank, banco especializado em agronegócio. O aumento da demanda chinesa de grãos tem como base uma recomposição da suinocultura no país, devastada pela febre africana suína, a partir de meados de 2018. Além disso, para reduzir o déficit de proteínas, os chineses estão apostando muito em um aumento da produção na avicultura. Das safras 2020/21 a 2025/26, o consumo de grãos deverá ter elevação de 3,3% ao ano. Já na segunda metade da década, a evolução será de 1,5%. Esse recuo na taxa ocorre devido a uma evolução na genética dos animais, a uma melhora na taxa de conversão dos alimentos, a uma maior produtividade e a um possível recuo no consumo de proteínas. Para melhorar a produção e elevar a oferta interna de grãos, a China deverá fazer mudanças na política agrícola. Uma delas será o aumento ou a liberação da cota de importação de milho, hoje em 7,2 milhões de toneladas por safra. A demanda poderá chegar a 30 milhões de toneladas.

Nanopartículas podem reduzir uso de pesticidas

Pesquisadores do Adolphe Merkle Institute e do Departamento de Biologia da Universidade de Freiburg descobriram como certas nanopartículas de sílica podem atuar como um tratamento altamente eficiente, degradável e sem traços contra alguns patógenos de plantas. Segundo o portal AgroLink o ácido silícico, encontrado naturalmente no solo, é conhecido por provocar essas respostas nas plantas, e as nanopartículas de sílica amorfa podem liberar essa substância em pequenas quantidades. Com isso em mente, os pesquisadores de Freiburg se propuseram a criar um nanoagroquímico ambientalmente seguro para a entrega seletiva de ácido silícico e para estimular a defesa das plantas. Eles sintetizaram nanopartículas de sílica com propriedades semelhantes às encontradas nas plantas. Para testar sua eficácia, eles aplicaram as nanopartículas em Arabidopsis thaliana (agrião thale), um modelo de planta amplamente utilizado, infectado com a praga bacteriana Pseudomonas syringae, outro organismo modelo. Os resultados mostraram que suas nanopartículas podem aumentar a resistência contra bactérias de maneira dose-dependente, estimulando o hormônio de defesa da planta ácido salicílico (que também é o ingrediente ativo da aspirina). Os pesquisadores também investigaram as interações das nanopartículas com as folhas das plantas. Eles conseguiram mostrar que a absorção e ação das nanopartículas ocorrem exclusivamente através dos poros das folhas (estômatos) que permitem a respiração das plantas. As nanopartículas não foram distribuídas nas plantas e as partículas se degradam sem deixar rastros na presença de água, uma consideração importante para a segurança ambiental e alimentar. Em comparação ao ácido silícico livre, que já é utilizado na proteção de culturas, as nanopartículas de sílica causam menos estresse às plantas e a outros microrganismos do solo devido à lenta liberação do ácido silícico.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – China abre perspectivas para sorgo e milho brasileiros

O Estado de S.Paulo – Doria dá resposta a Bolsonaro e lança ‘Ceagesp digital’

G1 – Especialistas dizem que ‘maçãs podres’ entre produtores rurais desmatam e prejudicam agronegócio

G1 – Reino Unido cria cota para compra de açúcar de cana sem tarifa, diz Unica

G1 – Safra de café do Brasil cresce 27,9% em 2020 e tem novo recorde, diz Conab

G1 – Brasil quer aumentar exportação de milho para China, mas sem pressa, diz associação de produtores

Valor Econômico – Qualidade da safra 2021/22 de café preocupa

Valor Econômico – Embarque de mamão cai, e receita fica 12% menor

Valor Econômico – Biogénesis Bagó ganha mercado no Brasil e deve ampliar investimentos

Valor Econômico – Vendas da SeedCorp|HO têm forte avanço no ano

Valor Econômico – Commodities: Soja atinge sua maior cotação na bolsa de Chicago em mais de seis anos

Valor Econômico – Commodities: Valorização do petróleo impulsiona açúcar e algodão em Nova York

Valor Econômico – Pesquisa da Abag aponta infraestrutura como principal gargalo para inovação no agronegócio

Valor Econômico – Cade aprova aquisição da Fertiláqua pela ICL Brasil

Mapa – Pronaf Habitação financia mais de R$ 524 milhões em reformas e construção de casas rurais

Mapa – Cultivo do caju passa a contar com Zoneamento Agrícola de Risco Climático

Mapa – Safra de café deve ter superprodução de 63,08 milhões de sacas em 2020

CNA – Medidas provisórias vão dar apoio ao setor produtivo e permitir renegociação de dívidas rurais

CNA – FAEP puxa mobilização e garante Tarifa Rural Noturna por mais dois anos

CNA – Produtor conquista certificação internacional com auxílio do SENAR-PR

CNA – Senar disponibiliza novas cartilhas online para aperfeiçoamento no meio rural

CNA – Sindicato de Castro aposta em fortalecimento político e diálogo com produtores

Embrapa – Tolerância de forrageiras ao alagamento do solo é tema de boletim de pesquisa

Embrapa – Levantamento aponta principais problemas relacionados com o êxodo rural e a educação de jovens rurais

Embrapa – Aspectos técnicos e aplicações da poda seletiva são destaque em evento

Embrapa – Pesquisador apresenta tecnologias e desafios para erva-mate sombreada

Embrapa – Série de eventos sobre erva-mate discute inovação e tecnologias para o setor

FPA – Sancionada lei que amplia a utilização do Fundo de Investimento para Telecomunicações

FPA – Senado aprova projeto que institui Pagamento por Serviços Ambientais

AgroLink – Abramilho trabalha para que safra de milho chegue a 150 milhões de toneladas até 2025

AgroLink – Desvalorização no valores da laranja em SP

AgroLink – Aumento de imposto vai trazer inflação: Denúncia

AgroLink – Difusão da batata-doce biofortificada BRS Amélia é reconhecida em concurso internacional

AgroLink – Argentina começa a preocupar mercado da soja

AgroLink – Cultivo de pepino em ambiente protegido é alternativa para produtor de Canudos do Vale

AgroLink – Nanopartículas podem reduzir uso de pesticidas

Canal Rural – Abag: Reforma tributária é a maior preocupação do setor em 2021

Canal Rural – Fernando Cadore toma posse como presidente da Aprosoja Mato Grosso

Canal Rural – PM apreende 3,4 toneladas de agrotóxicos roubados; foragido da Justiça é preso

Globo Rural – Senado aprova pagamento por serviços ambientais e projeto volta para análise da Câmara

Portal do Agronegócio – Pesquisa encomendada pelo FSC revela potencial da castanha e do açaí

Portal do Agronegócio – Inseticida biológico tem eficiência de até 85% no controle da cigarrinha-do-milho

Noticias Agrícolas – ABIOVE destaca biodiesel 20% mais barato frente a alta de 15% no diesel mineral

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »