Pecuária de baixo carbono na mira da imprensa internacional

Home/Informativo/Pecuária de baixo carbono na mira da imprensa internacional

As pesquisas com carne de baixo carbono ou neutro despertam, cada vez mais, a atenção do mercado consumidor e, consequentemente, da imprensa. Quando se olha para fora do Brasil, a relevância e o interesse ao tema se ampliam. Pela segunda vez, em dois anos, os estudos da Embrapa nessa área foram pauta da Rede BBC. Em reportagem de Ellen Nemitz, a pesquisa brasileira de integrar lavoura-pecuária-floresta como forma de neutralizar das emissões de metano dos animais, teve espaço na mídia britânica. Os benefícios das árvores no sistema tiveram destaque na matéria jornalística. Entre eucaliptos e pinheiros, ela discorreu sobre a tecnologia que pretende tornar a pecuária intensiva cada vez mais sustentável. A conversa entre o pesquisador Roberto Giolo e a jornalista Nemitz começou em março deste ano e, inicialmente, seria proposta à plataforma de jornalismo independente, FairPlanet. Após várias trocas de mensagens, incluindo a participação no Congresso Mundial de ILPF da profissional, o conteúdo desenhou-se e teve as contribuições de Richard Eckard, professor de agricultura sustentável da Universidade de Melbourne; Claudete Reisdorfer Lang, professora da Universidade Federal do Paraná; Julie Ryschawy, professora do Instituto Nacional de Agronomia da França; Edegar de Oliveira Rosa, diretor de conservação e restauração de ecossistemas do WWF-Brasil; além do pesquisador Giolo. “Realmente a temática é de interesse mundial e a BBC aceitou na hora publicar o material dela, redirecionando a ideia inicial. Ela começou conosco e, aos poucos, abriu o horizonte de possibilidades. A repercussão dá mais visibilidade às pesquisas brasileiras no exterior e isso não pode ser menosprezado. O retorno tem sido positivo também por parte de outros especialistas da área”, comenta Giolo. Para Nemitz, de fato, participar do Congresso de ILPF foi crucial e “ajudou muito a entender alguns pontos, redirecionar a pauta e, com certeza, vou pensar em novas pautas sobre o trabalho de vocês”. No final de 2019, o correspondente da BBC América do Sul, Daniel Gallas, participou, presencialmente, do dia de campo em sistemas integrados em Mato Grosso do Sul e viu de perto os experimentos em carne carbono neutro na Fazenda Boa Aguada. Na ocasião, Gallas destacou que o consumidor de notícias europeu “certamente está interessado na iniciativa brasileira”. Na plataforma Vimeo, o vídeo tem mais de 700 visualizações. Um ano depois, 2020, em outro canal de comunicação, desta vez na CNN, os estudos voltados para uma pecuária de baixo carbono integraram a série “O Futuro da Alimentação” – CNN Séries Originais, tema Produção. Os três programas da série tiveram informações sobre o trabalho realizado em várias Unidades da Embrapa.

Ciacarne amplia frigorífico para exportar carne suína

O frigorífico Ciacarne Alimentos, empresa com sede em Urucânia (MG), a 208 quilômetros de Belo Horizonte, investe R$ 50 milhões na expansão de sua planta fabril. A companhia tem capacidade para processar 55 toneladas de carne suína por dia e vai aumentar essa capacidade para 120 toneladas por dia, destacou o Valor Econômico nesta quinta-feira (8). A expansão gerou 200 empregos diretos e indiretos. José Maria Campos, sócio diretor da empresa, disse que o investimento na ampliação da fábrica foi feito com recursos próprios e linhas de financiamento do Banco do Brasil e Itaú, mas não forneceu mais detalhes. A maior parte da ampliação será destinada ao mercado externo, segundo Campos. Hoje, toda a produção abastece o mercado interno. A meta da companhia para este ano é aumentar em 10% suas vendas no país. A empresa aguarda a conclusão de algumas certificações para dar início à exportação de carne suína congelada. De acordo com Campos, apesar da queda recente nos preços internacionais da carne suína, o cenário de demanda é favorável no longo prazo. De acordo com dados do Ministério da Economia, no primeiro semestre, as exportações brasileiras de carne suína somaram 500,5 mil toneladas, 18,8% a mais que no mesmo intervalo de 2020. Em valor, houve aumento de 25,5%, para US$ 1,27 bilhão FOB (Free on Board). Em junho, os embarques cresceram 12,4% em volume e 36% em valor. No mercado interno, 65% das vendas da Ciacarne Alimentos são de carnes industrializadas, como embutidos, bacon e cortes temperados, e 35% são de carne suína in natura. Os produtos da marca Ciacarne são vendidos em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Espírito Santo. A planta da companhia abate 660 suínos por dia. Desse total, cerca de 70% é produção própria, que a companhia mantém no município. O restante é adquirido de produtores locais. Para ampliar a capacidade de abate para 1,5 mil animais por dia, a Ciacarne aumentou o seu plantel em 20% e trabalha para aumentar em 50% a produção própria até o ano que vem. Ainda assim, será preciso triplicar as compras de produtores locais para garantir a oferta diária de 1,5 mil animais. O trabalho de certificação da fábrica vem sendo feito em parceria com a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi).

Animais tutelados por casais separados podem receber pensão alimentícia

Animais tutelados por casais que decidem se separar têm o direito de receber pensão alimentícia para que suas necessidades básicas sejam supridas, informou o portal Anda nesta quinta-feira (8). Embora não exista uma legislação que verse sobre o tema, o juiz pode determinar o pagamento da pensão ao fazer uma analogia com regras do Direito de Família. De acordo com a advogada animalista Cinthia Belino, “se o juiz entender que o animal faz parte da família, ele pode conceder ‘uma pensão’ e determinar como será a guarda do animal”. “O juiz vai analisar o caso concreto e fará analogia com as normas relacionadas ao Direito de Família. Tendo em vista os laços afetivos e que cada vez mais as famílias dispensam ao seus animais tratamentos semelhantes ao dos filhos”, completou. A especialista em Direito Animal explicou ainda que durante o julgamento o magistrado irá se nortear pelo “binômio da necessidade x proporcionalidade” para calcular o valor a ser fixado para o custeio das necessidades do animal. Segundo ela, o juiz levará em consideração a raça, a origem, a rotina com banhos e tosas, a saúde do animal, se é filhote ou idoso ou se faz uso de algum tratamento, além dos gastos com pet shop e as idas ao veterinário. “Vale mencionar que esse pagamento pode ser feito em pecúnia (dinheiro) ou in natura (ração, remédios, abatimento em petshop e etc)”, pontuou. “Os pedidos devem ser feitos com fundamento no art. 1.694 e 1.701 do Código Civil. Se existir dissolução de UE ou divórcio, pode cumular os pedidos e imperar na vara de família. Se for somente alimentos e/ou guarda para o animal, deverá ser impetrado na vara civil”, concluiu. E já existe jurisprudência para o caso na Justiça brasileira. Em 2018, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou que um homem pagasse pensão para seis cachorros e uma gata após se divorciar da mulher com quem viveu por 22 anos, período no qual o ex-casal adotou os animais. Na decisão, o desembargador Ricardo Couto de Castro determinou o pagamento de R$ 150 por animal por tempo indeterminado, resultando em R$ 1.050 de pensão no total.

Justiça derruba liminar que determinava expulsão de gatos de condomínio

O Tribunal de Justiça do Amazonas derrubou uma liminar que determinava a expulsão de gatos comunitários que vivem em um condomínio de luxo em Manaus. Segundo o portal Anda a determinação para que os animais fossem retirados da área residencial situada no bairro de Ponta Negra atendia a um pedido de uma moradora do condomínio que acionou a Justiça contra os gatos. A solicitação da mulher chegou a ser acolhida por dois juízes, tendo sida deferida em um juizado especial e mantida em uma vara comum. Ao julgar o caso, o juiz do Juizado Especial da Fazenda Pública Estadual e Municipal, Marco Costa, determinou que os gatos fossem retirados do local em 10 dias, sob pena de multa diária de R$ 500. Inconformados com a decisão, moradores do condomínio recorreram ao Tribunal de Justiça e conseguiram reverter o caso a favor dos gatos, que poderão permanecer no local. Preocupados com o bem-estar dos animais, esses condôminos foram alvo, inclusive, da ação judicial movida pela moradora incomodada com a presença dos gatos. Isso porque, ao mover o processo, ela solicitou que os moradores fossem proibidos de alimentar os animais – proibição que configura maus-tratos – e que fossem punidos caso desobedecessem. Ao tomar conhecimento do caso, a Comissão Especial de Proteção aos Animais (CEPA) da Ordem dos Advogados do Brasil – Amazonas (OAB/AM) publicou uma nota de repúdio por meio da qual se posicionou contra quaisquer atos que retirem a autonomia dos moradores em relação aos gatos cuidados por eles. Após os moradores impetrarem um mandado de segurança no Tribunal de Justiça do Amazonas, a liminar solicitada pela condômina foi derrubada. Em sua decisão, proferida na segunda-feira (5), o desembargador plantonista Yedo Simões asseverou que retirar os gatos do local poderia violar a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, da Organização das Nações Unidas (ONU). O magistrado pontuou ainda que a expulsão dos animais iria contrariar a jurisprudência do STJ, já que a Corte conferiu dignidade e direitos aos animais. Autor do mandado de segurança, o condômino Victor Angelim explicou que os gatos são bem cuidados, estão vacinados e não fazem mal algum aos moradores do residencial. Apesar de todo o cuidado dispensado aos animais, Victor relata casos de maus-tratos ocorridos dentro do condomínio por parte de moradores incomodados com a presença dos gatos.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Comissão aprova desconto na conta de luz para produtores de leite 
G1 – Recuperação de pastagens degradadas poderia aumentar em 9,7% rebanho bovino brasileiro, diz estudo 
G1 – Campanha ‘Eles também sentem frio’ arrecada itens para ajudar animais em situação de vulnerabilidade em Uberaba; veja onde doar 
G1 – Projetos de Ituiutaba fazem rifa solidária para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social e animais de rua 
G1 – Caso naja: um ano após ataque de serpente e polêmica envolvendo tráfico de animais no DF, processo não foi julgado  
Valor Econômico – Ciacarne amplia frigorífico para exportar carne suína 
Valor Econômico – Com aval do Cade, JBJ avança para concluir a compra da Prima Foods 
Embrapa – Pecuária de baixo carbono na mira da imprensa internacional 
Embrapa – Embrapa e Unipasto realizam dia de campo virtual sobre produção intensiva de leite e carne a pasto 
SBA – Cotação do boi gordo registra estabilidade a R$ 315 por arroba nesta quinta-feira 
SBA – Exportações de carne suína avançam enquanto vendas domésticas seguem lentas 
AgroLink – Entenda o funcionamento do simulador de produtividade e faturamento 
AgroLink – Embarques acima de 100 mil toneladas completam três anos 
AgroLink – Pesca e comercialização da piracatinga são proibidas por um ano 
AgroLink – Frango, ovo, milho e inflação em junho de 2021 e nos 27 anos de vigência do Real 
AgroLink – CNA debate Manual de Boas Práticas das Cadecs e a relação na integração 
AgroLink – Genética diferenciada valoriza leilão da raça Crioula 
Anda – Traficantes de animais são presos com duas toneladas de escamas de pangolim 
Anda – Ambientalista luta para transferir macaco nascido em zoológico para santuário 
Anda – Cachorro persegue veículo após ser abandonado por tutor em SC 
Anda – Cachorro salva a vida de gato cego que caiu em piscina em SC 
Anda – Animais tutelados por casais separados podem receber pensão alimentícia 
Anda – Justiça derruba liminar que determinava expulsão de gatos de condomínio 
Anda – Projeto reabilita saúde física e mental de galos explorados em rinhas 
Anda – Cachorro ajuda homens a empurrar carro quebrado e vídeo da cena viraliza 
Anda – Animais abandonados ganham casinhas de papelão para proteção contra o frio 
Anda – Homem agride cavalos a pauladas e causa a morte de um deles no Maranhão 
Anda – Leão resgatado no Camboja volta a viver preso em cativeiro após ser devolvido a tutor 
Canal Rural – Destaque na produção mundial de leite, Brasil ainda tem dificuldade para exportar 
Canal Rural – Carne suína: exportações registram receita recorde em junho, aponta ABPA 
Canal Rural – Esquema criminoso permitia venda de agrotóxicos para uso em ração animal 
Revista Globo Rural – Exportação de carne de frango tem alta de 16,2% em junho 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »