Parlamentares pedem aprovação de Medida Provisória que prorroga contratos de fiscais veterinários

//Parlamentares pedem aprovação de Medida Provisória que prorroga contratos de fiscais veterinários
A medida provisória que prorroga por mais dois anos o contrato de 269 médicos veterinários ligados ao Ministério da Agricultura, perderá sua validade na próxima quarta-feira (15). O prazo curto para que o Senado vote a MP 903/2019 já provoca a movimentação da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), destacou a Agência Senado nesta terça-feira (7). Relator da medida e um dos coordenadores da frente, o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), disse que já entrou em contato com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e com o vice-presidente da Casa, senador Antonio Anastasia, para tentar garantir a análise da MP. Segundo ele, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também está empenhada na votação do texto, que na Câmara foi aprovado por consenso. “Esses quase 300 profissionais veterinários são parte da brigada que garantem a qualidade e sanidade dos produtos de origem animal de nosso país. A expertise deles é crucial no atestamento das carnes de boi, de frango e de suínos da nossa produção. Sem eles seria impossível exportamos pro mundo todo. Fiscalizam os frigoríficos e locais de processamento dos alimentos, tranquilizando os consumidores brasileiros e nossos clientes internacionais”, disse o deputado. O presidente da comissão mista que analisou a MP, senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), disse estar convicto de que a medida “não perderá seu prazo de validade, uma vez que a repercussão disso seria muito negativa”.

Primeira etapa de vacinação contra febre aftosa será mantida

A primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra febre aftosa será realizada de 1º a 31 de maio, para imunização de bovinos e bubalinos de todas as idades, para a maioria dos estados brasileiros, conforme o Calendário Nacional 2020. Diante das preocupações com a ocorrência do novo coronavírus (Covid-19), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) emitiu, nesta terça-feira (7), orientações sobre procedimentos e cuidados para que a vacinação ocorra satisfatoriamente sem colocar em risco a saúde dos produtores rurais e dos servidores do serviço veterinário oficial. “As vacinações serão mantidas, uma vez que se trata de atividade essencial e que há necessidade de manutenção dos compromissos com as zonas reconhecidas como livre de febre aftosa com vacinação perante à Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), instituição que já havia recomendado a manutenção das vacinações dos animais com interesse econômico e em saúde pública no cenário de pandemia da Covid-19”, ressalta o diretor do Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, Geraldo Moraes. No entanto, não serão exigidas declarações de comprovação da vacinação que impliquem em comparecimento aos escritórios. A Divisão de Febre Aftosa (Difa) do Ministério orienta que a comprovação da vacinação contra a doença deverá ser realizada, preferencialmente, por meio não presencial (sistemas informatizados, correio eletrônico ou outras soluções à distância). Quando não houver alternativa ao alcance, a comunicação presencial poderá ser postergada para um prazo a ser pactuado entre todas as partes envolvidas com o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no estado ou no Distrito Federal. Ainda de acordo com o calendário de 2020, a vacinação está ocorrendo desde o mês de março em algumas regiões do País, como é o caso do Rio Grande do Sul e de algumas áreas dos estados do Amazonas e do Pará. Para garantir a adequada orientação sobre a execução da vacinação durante a pandemia do Covid-19, o Mapa tem mantido reuniões virtuais com representantes dos serviços veterinários estaduais, do Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa), da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan). Com base nessas reuniões, alguns estados, em conjunto com o Mapa, realizaram ajustes para que a 1ª etapa de vacinação de 2020 contra a febre aftosa ocorra durante o mês de junho. Este é o caso dos estados de Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Por outro lado, o estado de Goiás solicitou antecipação da vacinação em 11 dias, com provável início para o dia 20 de abril.

Contaminado em laboratório, gato não transmite coronavírus a humanos nem desenvolve Covid-19

Um estudo feito por pesquisadores chineses tem causado preocupação em tutores de gatos, informou a coluna Gatice da Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (8). A experiência feita por 17 profissionais do Instituto de Pesquisa Veterinária Harbin da Academia Chinesa de Ciências da Agricultura infectou em laboratório animais como cães, aves, porcos furões e gatos com o Sars-Cov-2, o novo coronavírus. Segundo o resultado do estudo, apenas gatos e furões apresentaram suscetibilidade ao vírus. No caso dos felinos, o Sars-Cov-2 foi detectado nas vias aéreas superiores (laringe e faringe), mas não no trato inferior (traqueia, brônquios e pulmões). A carga viral detectada, ainda de acordo com os pesquisadores, não é suficiente para que os gatos possam transmitir o Sars-Cov-2 para os humanos. Os bichanos também não apresentaram sintomas nem desenvolveram a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. No entanto, teria sido observada transmissão assintomática entre os felinos. Para a veterinária Rosângela Ribeiro, gerente de programas veterinários na ONG Proteção Animal Mundial, o estudo possui inúmeras falhas na sua metodologia. “O artigo foi divulgado em um site que serve como repositório para textos ainda não publicados em revistas científicas, portanto, não é ainda um estudo validado, uma vez que, para serem validados, esses artigos devem ser avaliados por, ao menos, dois experts na área”, observa. Além disso, a própria dinâmica da pesquisa é controversa, explica Rosângela. “A forma como os animais foram infectados, como foram mantidos, os testes realizados e vários outros pontos geram debate sobre a metodologia.” Rosângela ressalta que não há motivos para causar alarde na população, pois diversos estudos foram e estão sendo feitos e não há nenhuma evidência ou comprovação científica de que animais domésticos possam contrair e transmitir a doença a humanos. “O importante é nunca abandonar o seu animal de estimação. Trate-o com muito amor e carinho, pois, assim como você, ele também está sob o estresse do confinamento“, diz. “Siga as orientações dos órgãos de saúde porque esta pandemia vai passar e a vida irá voltar ao normal.”

Quarentena pode facilitar ganho de peso em pets

Nesta quarta-feira (8), o Blog E+ do jornal O Estado de S.Paulo divulgou que, durante o período de quarentena e isolamento social, os tutores precisam redobrar a atenção com um assunto que impacta diretamente na saúde do animal: o manejo alimentar. Humano em casa, sinal de petisco liberado! Mas será que esse excesso de “mimos” pode impactar na vida do pet? A orientação é para que as pessoas fiquem em casa e evitem aglomerações, por conta da pandemia do novo coronavírus. É nesse momento que o monstro da fome aparece e te faz comer o triplo do que necessitava. O mesmo pode acontecer com o pet. Isso porque ele associa a nossa presença com comida e agrados, mais conhecidos como petiscos. Com a baixa frequência ou ausência de exercícios físicos dos animais, diminui o gasto de energia. Mais comida e menos exercício é a formula perfeita para o resultado ser ganho de peso. Surge aí uma grande questão: como evitar que eles se tornem obesos? “É importante ressaltar que não é aconselhável trocar a alimentação dos animais em situações de estresse e mudanças de rotina”, destaca o médico veterinário Flavio Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremierPet. Segundo Flávio, manter o alimento habitual é a melhor conduta, exceto se houver outra indicação do médico veterinário. Segundo uma pesquisa feita pela da Hill’s Pet Nutrition, em parceria com a Cão Cidadão, 24,72% dos donos de cães e gatos no Brasil consideram que seus pets estão acima do peso. Com 9320 participantes, sendo 69,77% donos de cães e 30,23%, de gatos, o levantamento indica que muitos tutores de animais não sabem identificar quando o cão ou o gato está acima do peso. Isso porque 41,04% dos entrevistados classificam seus pets com as condições corporais 7 e 9, após analisarem a tabela de Escore Corporal. De acordo com as diretrizes nutricionais do WSAVA – Associação Mundial de Veterinários para Animais Pequenos (tabela de Escore Corporal abaixo), são condições corporais que indicam sobrepeso. Os Escore de condição corporal de cães e gatos vai do nível 1 (desnutrido) até o 9 (obeso).

NA IMPRENSA
Agência Senado – Ruralistas pedem aprovação de MP que prorroga contratos de fiscais veterinários

Folha de S.Paulo – Contaminado em laboratório, gato não transmite coronavírus a humanos nem desenvolve Covid-19

Folha de S.Paulo – A tigresa do Bronx e a desinformação

O Estado de S.Paulo – Contra o coronavírus do cavalo, mel com óleo de pequi

O Estado de S.Paulo – Quarentena pode facilitar ganho de peso em pets

Mapa – Primeira etapa de vacinação contra febre aftosa será mantida

CNA – CNA apoia campanha de comércio eletrônico de pescado

Valor Econômico – Sinal de alerta no setor de aves e suínos

AgroLink – Brasil tem capacidade para alimentar 396 milhões de pessoas com carne de frango no mundo

AgroLink – Recuo no preço do sebo bovino

AgroLink – Quarentena mantém o mercado de reposição com baixa movimentação

AgroLink – Boi gordo: atenção ao consumo no mercado interno

Anda – Animais voltam a receber alimentos adequados no Centro de Estudos dos Quelônios da Amazônia

Anda – OMS é pressionada por conservacionistas para fechar definitivamente mercados de animais silvestres

Anda – Não há espaço para a agropecuária em um futuro sustentável

Anda – Galinha que teve as patas quebradas ganha cadeira de rodas adaptada

Anda – Golfinho mais solitário do mundo morre sozinho em tanque de aquário no Japão

Anda – Beyond Meat vai doar um milhão de hambúrgueres vegetais

Anda – Cães abandonados seguem carro de militares e são adotados na Bolívia

Anda – Covid-19: Vozes em Luto explica como ajudar os animais

Embrapa – Artigo – Famacha e OPG para o controle de verminose em ovinos

G1 – Fósseis de plantas e animais de 130 milhões de anos são achados na Bahia: ‘Possível que alguns se tratem de espécies novas’

G1 – Zoo de Ribeirão Preto adota novas medidas de higiene para proteger animais do novo coronavírus

G1 – Devido ao coronavírus, doações feitas à Sociedade Uberabense de Proteção aos Animais diminuem

G1 – Confira cuidados com os animais de estimação durante a pandemia de coronavírus

SBA – Pecuária e grãos impulsionam IPPA Cepea em março

SBA – Provas de avaliação de desempenho medem eficiência do rebanho

SBA – Mercado de reposição: recriadores mantém gado no pasto a espera de cenário mais claro devido à pandemia

SBA – Canal do Boi transmite Semana Tropa São Lourenço

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »