Paraná acompanha caso de H1N2 de suíno para humano

//Paraná acompanha caso de H1N2 de suíno para humano
A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) está acompanhando de perto um caso do vírus Influenza H1N2 que teria surgido em Ibiporã, na região de Londrina, destacou o portal o AgroLink nesta terça-feira (14). Uma mulher, de 22 anos, funcionária de um abatedouro de suínos teria contraído a doença. Ela já está recuperada. O caso aconteceu em abril mas só foi divulgado agora pela OMS. Por meio de nota o órgão diz que monitorou as 34 propriedades que enviaram suínos para abate no período de contágio da doença e nada foi constatado. Foram observadas 22 propriedades no Paraná e 12 em outros estados. Nas propriedades os criadores devem observar funcionários  e caso apresentem sintomas, encaminhar às Unidades de Saúde e, no caso de aparecimento de sinais clínicos nos animais, notificar as unidades da Adapar. Para os profissionais do setor a orientação é fazer a limpeza e desinfecção das instalações antes da entrada de novos lotes; o vazio sanitário que, somado à desinfecção, permite a destruição dos patógenos; um sistema de desinfecção para a introdução de materiais e equipamentos na granja; métodos de pulverização ou arcos de desinfecção, com uso de desinfetantes; troca de calçados e roupas para as pessoas que precisarem entrar na granja. A influenza A (H1N2) é uma doença respiratória viral aguda que afeta humanos e animais, como os suínos. É transmitida de porcos para humanos e não há evidência de contágio de pessoa para pessoa. Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal humana comum. Estes incluem febre, letargia, falta de apetite e tosse. Este é o segundo caso no Paraná, sendo que o primeiro ocorreu em 2015, no município de Castro. Um segundo indivíduo, que também esteve no local da provável contaminação da jovem, desenvolveu sintomas respiratórios no mesmo período do caso confirmados, porém não foi realizada coleta de amostra.

Estado americano aprova lei de ovos sem gaiola

O estado norte-americano do Colorado aprovou uma lei que proíbe produção e venda de ovos de galinhas criadas em gaiolas, informou o portal o AgroLink nesta terça-feira (14). Nos Estados Unidos outros sete estados (Califórnia, Oregon, Washington, Massachusetts ,  Rhode Island  e  Michigan)  já têm leis de ovos livres de gaiolas. A medida foi tomada por pressão de ativistas dos direitos dos animais, a World Animal Protection. Caso a lei não fosse implantada eles ameaçaram que adotariam medidas para que os produtores de ovos fossem obrigados a fazer a transição para a produção livre de gaiolas até o final de 2021. Com a lei o fim do confinamento será a partir de 1º de janeiro de 2023, assim como o início da proibição de vender ovos fora desse padrão. A lei irá evoluindo gradualmente. A partir de 1º de janeiro de 2025, as galinhas em sistemas de compartimento sem gaiola devem ter pelo menos um metro quadrado de espaço útil por galinha, se as galinhas tiverem acesso irrestrito ao espaço vertical, ou um metro e meio quadrado de espaço útil por galinha se as galinhas não tiverem acesso irrestrito ao espaço vertical. A nova legislação preocupou a indústria animal. Muitos temem ter que jogar fora os ovos produzidos ou não conseguir se adequar a nova exigência estrutural.

Cuidados com animais peçonhentos devem ser redobrados, alerta Sesap; RN tem estoque de soro antiveneno para 20 dias

O estoque de soro antiveneno para tratar pessoas picadas por serpentes e outros animais peçonhentos foi reabastecido no Rio Grande do Norte nesta terça-feira (14). Segundo o G1, apesar da nova remessa, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) alerta para o reforço nos cuidados, já que o quantitativo é suficiente para 20 dias. No sábado o estado contava com apenas duas doses. “Sabemos que até o mês de agosto temos um aumento na incidência de acidentes aqui no RN, sobretudo envolvendo serpentes. Por isso pedimos a colaboração da população para evitar se expor”, explicou Aline Rocha, subcoordenadora de Vigilância Ambiental (Suvam) da Sesap. Entre os cuidados para prevenção de acidentes com serpentes recomendados pelo Ministério da Saúde estão: usar sapatos fechados de cano alto ou perneiras ao caminhar na mata ou entre folhas secas; atentar para o uso de luvas de couro ao manejar locais onde as serpentes possam estar presentes, como matas, tocas e troncos de árvores. As autoridades orientam ainda que as pessoas evitem trilhas, sobretudo nos períodos do amanhecer e do entardecer. Há também a indicação para o uso de botas, perneiras e luvas de couro a trabalhadores rurais. Em caso de acidente, o serviço de saúde mais próximo deve ser procurado e o local da picada pode ser lavado apenas com água e sabão. Caso o animal tenha sido capturado, ele deve ser levado junto ao posto médico para ajudar na identificação do soro específico para o tratamento do envenenamento. “Além disso, não se deve amarrar o membro acometido pela picada, fazer prática de torniquetes ou garrotes, perfurar o local da picada nem utilizar materiais como pó de café, folhas, álcool, querosene, ou outros contaminantes”, informa a Sesap. A Sesap disponibiliza o Ceatox, para orientação por telefone em qualquer situação de envenenamento e acidentes com animais peçonhentos, informando a disponibilidade de soros e direcionando o paciente para o hospital de referência para o tratamento mais adequado. O Ceatox funciona em regime de plantão permanente 24h por meio dos números telefônicos: 0800 281 7005; 3232 4295; 98125 1247; 98803 4140 (WhatsApp). A Companhia de Proteção Ambiental da Polícia Militar (Cipam/PM) apreendeu cinco cobras em duas ocorrências diferentes em Natal e no interior, na cidade de Lagoa de Velhos, na Borborema potiguar. As operações ocorreram entre a tarde e a noite de segunda-feira (13). Das cinco, três eram venenosas, da espécie jararaca. As outras duas estavam sendo criadas irregularmente por um homem no Alecrim: uma jiboia e uma píton albina, espécie exótica originária da Ásia.

Felinos do Zoo de Curitiba fazem testes de Covid-19 para embasar pesquisa sobre a possibilidade de transmissão do vírus de animais para humanos

Uma equipe da Secretaria do Meio Ambiente, em Curitiba, realizou, nesta segunda-feira (13), testes de Covid-19 nos felinos do Zoológico Municipal para dar prosseguimento a um estudo da Universidade Federal do Paraná (UFPR) sobre como o vírus causador da Covid-19 se manifesta em felinos selvagens e domésticos e se existe a possibilidade de transmissão para humanos. De acordo com o G1 o exame deu negativo para todos os 11 animais, de acordo com a prefeitura. Os 39 servidores do local também passaram por testagem e um deles teve resultado positivo para a doença. Conforme a equipe do zoo, o tratador não tinha contato direto com os felinos e está cumprindo quarentena em casa. A coleta do material nos felinos, que foi feita no fim de junho, reproduziu o protocolo de medidas preventivas feitas no Zoo do Bronx, em Nova Iorque, que detectou a presença do coronavírus em um tigre de 4 anos. De acordo com o ‘The New York Times’, esta pode ser a primeira infecção do vírus em um animal nos EUA e também a primeira em um tigre no mundo. “Para nós, fica claro que o resultado é consequência das medidas preventivas, tomadas desde o início da pandemia na cidade e da notícia de contaminação do felino em Nova Iorque”, disse o diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo. Os exames no Zoo de Curitiba foram feitos em quatro onças, três gatos do mato, uma jaguatirica, um gato maracajá, um puma, um leão e um tigre. Por questões anatômicas, segundo o professor Alexander Biondo, o processo de coleta nos felinos é diferente dos feitas em humanos, que captam o muco da região nasofaríngea, onde ficam as células olfativas e o coronavírus costuma se alojar. Para a coleta nos animais, os cientistas contaram com a ajuda dos tratadores, o que dispensou necessidade de sedação, ressaltou o professor. No entanto, o método de análise foi o mesmo para amostras de pessoas, através da busca por material genético do vírus. A única diferença é que a equipe de cientistas precisou dar início à análise logo em seguida da coleta para evitar a degradação do material genético do vírus. Segundo Biondo, para dar continuidade à pesquisa, os testes dos felinos selvagens devem ser refeitos no segundo semestre.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Tráfico de onças na América Latina cresce em locais com investimento chinês

Folha de S.Paulo – Confira os nomes de astros do rock mais escolhidos para cães

Folha de S.Paulo – Baleia, golfinho e pinguins são encontrados mortos no litoral do Rio

G1 – Trinta-réis e outros animais retornam a Ilhabela sem turistas

G1 – Casal é indiciado por maus-tratos de animais em Ribeirão das Neves

G1 – Animais são treinados e condicionados em zoológico municipal de Rio Preto

G1 – Cuidados com animais peçonhentos devem ser redobrados, alerta Sesap; RN tem estoque de soro antiveneno para 20 dias

G1 – Felinos do Zoo de Curitiba fazem testes de Covid-19 para embasar pesquisa sobre a possibilidade de transmissão do vírus de animais para humanos

G1 – Com aumento de queimadas, resgates de animais em áreas urbanas crescem 37% no AC

Valor Econômico – Burger King e JBS testarão dieta em gado confinado para reduzir emissão de gases

Valor Econômico – Minerva informa que voltou a alcançar 100% de conformidade com o Compromisso Público da Pecuária

Valor Econômico – Ajuste da oferta faz frango subir no país

Mapa – Produtores de queijo e bebidas que usam nomes de Indicação Geográfica devem se identificar até 9 de agosto

CNA – Boletim CNA mostra queda das exportações de frutas e aumento da demanda chinesa por carne

O Globo – Elefante-marinho é flagrado na Praia do Arpoador; veja vídeo

AgroLink – Pesquisas da Secretaria de Agricultura contribuem para salvar espécies de peixes ameaçadas

AgroLink – Ideas for Milk 2020 é lançado na AgroBrasília Digital

AgroLink – Circuito Nelore de Qualidade avalia 378 animais em Porto Velho (RO)

AgroLink – Paraná acompanha caso de H1N2 de suíno para humano

AgroLink – Estado aprova lei de ovos sem gaiola

AgroLink – Criadores mineiros têm rendimentos positivos na criação da raça Braford

AgroLink – Governo do Paraná e JBS discutem investimentos no estado

AgroLink – Pandemia acelera automação na indústria de carnes

AgroLink – Programa de bonificação incentiva produzir mais leite no inverno

AgroLink – RS: prorrogado prazo para declaração anual do rebanho

AgroLink – Altas nos preços da carne bovina no varejo

AgroLink – Baixa oferta dá sustentação ao mercado do boi gordo

AgroLink – Santa Catarina lidera exportações nacionais de carne suína no primeiro semestre

Anda – Justiça italiana anula decisão de governador que ordenava que ursa fosse morta

Anda – Lockdown antecipa desmatamento na Ásia e América do Sul

Anda – PETA publica vídeo que mostra crueldade por trás do couro

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »