Pandemia reforça importância dos cuidados sanitários na produção animal  

//Pandemia reforça importância dos cuidados sanitários na produção animal  
A pandemia de Covid-19 faz especialistas chamarem a atenção de produtores para questões sanitárias importantes na criação de animais. Isso porque, assim como o vírus em questão, provavelmente contraído de animais silvestres, outros microrganismos também são transmissíveis entre rebanhos domesticados e humanos, os chamados vírus zoonóticos. A principal orientação dada pela Embrapa, nesta quarta-feira (22), a produtores e agricultores neste momento é proteger-se. “Por ser uma doença de transmissão de humano para humano, o cuidado nas propriedades está em proteger os trabalhadores, adotando medidas importantes que ajudam inclusive a impedir a entrada de outros vírus ou patógenos na área de produção”, explica a pesquisadora e chefe-geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella. Por isso, para combater, ou ao menos desacelerar, a transmissão do vírus SARS-CoV-2, os especialistas recomendam também na produção animal: rotina de limpeza e desinfecção de ambientes, hábito de higiene pessoal, com uso de roupas e equipamentos de proteção individual ao ter contato com pessoas ou ambientes que possam ser vias de contaminação e pouca circulação de pessoas em um mesmo ambiente (veja quadro abaixo). Fornecedor de alimentos, o setor de produção animal é atividade essencial e não pode parar. Para manter a segurança, os especialistas reforçam a importância das boas práticas sanitárias. “A biosseguridade tem papel fundamental na proteção de rebanhos, granjas e propriedades rurais porque evita a entrada e disseminação de agentes infecciosos e que trazem prejuízos enormes, sejam de ordem de saúde animal, seja econômico”, explica a pesquisadora, que é virologista e atuou na identificação da vacina da Influenza A – H1N1 durante o surto da influenza em suínos, em 2009. Em menos de 15 anos, doenças importantes ameaçaram a produção de suínos e de aves no mundo e exigiram dos produtores a adoção de medidas de biosseguridade para controle, erradicação e proteção de seus rebanhos. A maioria das enfermidades foi causada por vírus, alguns zoonóticos (transmissíveis entre humanos e animais), outros não. Um exemplo foi a gripe aviária, causada pelo vírus da influenza aviária H5N1, em 2005, e a gripe suína, em 2009, causado por vírus da Influenza A, o H1N1 (veja quadro). Ambos provocam doenças respiratórias em animais e humanos. Outro vírus da família Coronaviridae e que trouxe perdas econômicas grandes à produção animal é o da PED (Diarreia Epidêmica dos Suínos) e TGE (Gastrenterite Transmissível), que apresentam enfermidades causadas por diferentes vírus dessa família. “Ambos acometem apenas suínos, nos quais causam doenças altamente contagiosas que provocam diarreia resultando em perdas por mortalidade de leitões e de desempenho”, explicou o pesquisador e virologista da Embrapa, Luizinho Caron. O PEDV chegou nos Estados Unidos em 2013 e, desde então, tem sido notícia, inclusive no Brasil, devido às perdas econômicas que causa naquele país.

Friboi e Instituto Inttegra lançam programa para otimizar gestão e produtividade de pecuaristas

Oferecer treinamentos para uma gestão de alta performance que permita maximizar os resultados das fazendas de gado de corte no Brasil. Esse é um dos objetivos do programa Fazenda Nota 10 (FN10), desenvolvido pela Friboi em parceria com o Instituto Inttegra e voltado para pecuaristas parceiros da Companhia em todo o país. O projeto promove a avaliação de indicadores de produtividade das fazendas, gestão de informações estratégicas, auxílio na tomada de decisões e capacitação das equipes que atuam nas propriedades, visando ao fortalecimento do negócio. Trata-se de uma evolução do Conexão Gestão, que já ajudava os pecuaristas a aprimorar as habilidades gerenciais no dia a dia da fazenda. Agora, no entanto, todo o suporte oferecido pela Friboi e o Inttegra acontecerá de forma online, o que deve ampliar o alcance da iniciativa de 30 para 130 participantes. “O ‘Fazenda Nota 10’ é uma plataforma que oferecemos aos nossos parceiros em todo o país na busca constante por uma cadeia produtiva cada vez mais profissionalizada e com foco em alta performance, resultados e produtividade”, afirma o diretor de Relações com Pecuaristas da Friboi, Fábio Dias. O diretor do Inttegra, Antônio Chaker, ressalta que a plataforma de gestão FN10 vai permitir aos produtores apurar seus indicadores, comparar com as melhores fazendas, identificar as oportunidades de melhoria e de capacitação de sua equipe. “É praticamente um MBA avançado sobre gestão de resultados e pessoas na atividade pecuária”, complementa. Os participantes serão acompanhados por consultores do Inttegra em reuniões de resultados mensais e farão parte do fórum trimestral de troca de experiências e benchmarking do FN10. Na pauta, serão discutidos temas como metas, planejamento estratégico, comparação de resultados, modelos de sucesso, capacitação e gestão de pessoas. Pesquisa de avaliação desenvolvida pelo Instituto Inttegra, junto a pecuaristas que já adotaram este modelo consolidado de gestão e treinamentos, mostra que 92% dos participantes melhoram seus resultados com a adoção do método. Os interessados em aderir ao programa podem se inscrever pelo site www.fazendanota10.com.br. Pela página, também é possível obter outras informações detalhadas sobre o projeto, além de conferir depoimentos de produtores que já implementaram o modelo em suas propriedades. Segundo o portal AgroLink o lançamento oficial do FN10 aconteceu nesta quinta-feira (23), durante a segunda edição do webinar Giro do Boi. O evento, com o tema “O segredo dos gestores das melhores fazendas”, contou com a participação do diretor de Relações com Pecuaristas da Friboi, Fábio Dias; do diretor do Inttegra, Antônio Chaker; da consultora em gestão de pessoas e desenvolvimento humano em empresas rurais, Jack Lubaski; e do presidente do Grupo Roncador, Pelerson Penido D. Vechia.

Em atendimento a pleito da FAEA, White Martins reduz em 62% o preço do nitrogênio líquido para inseminação artificial animal

Após pleito feito formalmente pela Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (FAEA), a empresa do Polo Industrial de Manaus (PIM), White Martins reduziu o preço do nitrogênio líquido para atendimento em procedimentos de inseminação artificial animal, informou o portal da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) nesta quinta-feira (23). O preço do metro cúbico do nitrogênio líquido estava taxado R$ 47,66 e, após negociação realizada pela FAEA e atendimento do pleito, passa a ser R$ 18,00 por metro cúbico, uma redução de 62,23%. O nitrogênio líquido é utilizado na técnica de inseminação artificial animal (bovinos, bubalinos, etc). O presidente da FAEA, Muni Lourenço, explica que a Federação sempre defendeu a importância do melhoramento genético do rebanho amazonense. “O melhoramento genético é uma forma de desenvolvimento pecuário, aumento de produtividade e melhoria dos índices zootécnicos e para isso a ampliação da adoção da inseminação artificial é fundamental”. Lourenço esclarece ainda que preço reduzido fixado pela White Martins terá como base o contrato firmado com a FAEA. Para ter acesso ao benefício do preço diferenciado, os produtores e profissionais precisarão obter junto à Federação ordens de compra para apresentar na compra à vista e retirada do nitrogênio líquido.

Campanha de vacinação contra febre aftosa termina nesta sexta-feira no Estado do Rio Grande do Sul

A campanha de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul se encerrará nesta sexta-feira (24), destacou o portal AgroLink. O prazo original era o dia 14, mas foi prorrogado pelo governo federal e anunciado pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, na semana passada. Em todo o Estado, a expectativa é de que 12,6 milhões de animais sejam imunizados, entre bovinos e bubalinos de todas as idades. “É muito importante a mobilização do produtor rural nesta reta final da campanha, para garantir a imunização do rebanho, sempre seguindo as recomendações para prevenir o contágio pelo coronavírus”, reforça o secretário. Para evitar aglomerações nas inspetorias locais e deter o avanço da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Sul, os produtores podem enviar os comprovantes de vacinação por e-mail ou WhatsApp. A lista com os e-mails das inspetorias locais de defesa agropecuária pode ser consultada aqui. O número de WhatsApp da inspetoria é o mesmo do telefone fixo. O prazo para a apresentação de notas ficais de compra de vacinas contra a febre aftosa foi prorrogado até 30 de abril. A campanha de vacinação, que ocorre tradicionalmente em maio, foi antecipada como parte da estratégia do Estado para ser declarado pelo Mapa como livre de aftosa sem vacinação, a fim de obter, num segundo momento, o reconhecimento internacional dessa condição pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Até o momento, no Brasil, apenas os estados de Santa Catarina e Paraná conquistaram o status sanitário de zona livre de aftosa sem vacinação.

NA IMPRENSA
O Estado de S.Paulo – Gatos de NY com Covid-19

Embrapa – Pandemia reforça importância dos cuidados sanitários na produção animal

CNA – Em atendimento a pleito da FAEA, White Martins reduz em 62% o preço do nitrogênio líquido para inseminação artificial animal

CNA – Produtores de queijos começam a escoar a produção nas feiras livres

AgroLink – Milho: poder de compra do frango (vivo ou abatido) no menor nível em mais de 10 anos

AgroLink – Como fica a pecuária de corte pós Covid-19?

AgroLink – Carne bovina segue firme no atacado

AgroLink – Friboi e Instituto Inttegra lançam programa para otimizar gestão e produtividade de pecuaristas

AgroLink – Venda da carne de Mato Grosso no exterior cai 29%

AgroLink – Campanha de vacinação contra febre aftosa termina nesta sexta-feira no Estado do Rio Grande do Sul

AgroLink – Prazos da campanha de vacinação contra a febre aftosa foram ampliados em razão da pandemia da Covid 19

AgroLink – Epamig auxilia produtores de queijo artesanal no Campo das Vertentes

G1 – Veterinária fala sobre relação entre novo coronavírus e animais domésticos

G1 – Voluntários alimentam cães e gatos abandonados em Noronha devido à pandemia do coronavírus

Anda – Grupo discute impacto ambiental da pecuária por videoconferência

Anda – Após reabilitação, pinguins são devolvidos à natureza em Florianópolis (SC)

Anda – Cidade chinesa recompensa moradores que denunciarem venda e consumo de animais silvestres

Anda – Ameaçada de extinção, tartaruga-gigante retorna às praias durante quarentena

SBA – Médias: leilão Nelore Cen Fêmeas

SBA – Mercado do boi gordo estável, indica Cepea

SBA – Mercado de suínos em ritmo de queda

SBA – Fechamento de frigoríficos EUA: analista fala dos impactos da decisão

SBA – Carne bovina no mercado atacadista tem retração durante a semana

SBA – Disponibilizada pesquisa para avaliar os impactos da Covid-19 nas exportações agropecuárias

Canal Rural – Leite: preço pago ao produtor em maio deve manter tendência de queda

Giro do Boi – Vacas meio-sangue Angus com Nelore aguentam o calor de Rondônia?

Globo Rural – Churrasco na pandemia: mudança de hábito faz cair preço dos cortes nobres

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »