ONGs querem cláusula de bem-estar animal em regras sobre operação de granjas

Home/Informativo/ONGs querem cláusula de bem-estar animal em regras sobre operação de granjas

O Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e as organizações Animal Equality, Mercy for Animals, Sinergia Animal e World Animal Protection pediram a inclusão de uma cláusula de garantia de bem-estar animal na Instrução Normativa que o Ministério da Agricultura está preparando para estabelecer os parâmetros de funcionamento de granjas e unidades de beneficiamento de ovos. De acordo com o Valor Econômico a minuta da Instrução Normativa que foi submetida a consulta pública não trata do assunto. O documento depende agora da publicação pela Pasta. Em carta aberta, as entidades defenderam que “é de suma importância que requisitos mínimos relativos às rotinas e práticas de manejo sejam também estabelecidos, visando à segurança das aves e à possibilidade de elas manifestarem comportamentos naturais da espécie, diminuindo o estresse e, com cuidadosa manipulação, evitando abusos e maus-tratos que são crimes previstos em lei federal”. As organizações argumentam que as instalações e os equipamentos utilizados no confinamento de animais “têm efeito direto sobre a saúde e o desempenho dos animais”. Segundo as organizações, a definição de regras de bem-estar animal nas instalações “tem se tornado uma prioridade em todo o mundo”, e em países da União Europeia e na Nova Zelândia, além de vários Estados dos EUA, já foi proibida a criação convencional com o uso de gaiolas. Entre o setor privado, alguns grupos já se comprometeram a deixar de comprar ovos de galinhas criadas em gaiolas, como GPA, Carrefour e Grupo BIG. De acordo com a Fórum Animal, no Brasil, cerca de 150 milhões de galinhas são criadas para a produção de ovos e mais de 90% delas passam a vida confinadas em gaiolas em péssimas condições. As organizações também veem problemas que não se restringem ao uso de gaiolas. Um deles é o da trituração de pintinhos com poucas horas de vida. Além disso, em alguns casos de má administração, os animais ficam estressados e começam a se bicar, o que pode provocar lesões e até mortes.

Novos surtos de pestes suína africana na China assustam produtores americanos

As notícias de novos surtos de peste suína africana (ASF, na sigla em inglês) na China têm assustado os produtores americanos de grãos. O receio é que as vendas de soja e milho para os chineses diminuam, informou o Valor Econômico nesta terça-feira (16). Segundo relatório do Rabobank, a população de fêmeas vem diminuindo entre 3% e 5% ao mês desde dezembro. Autoridades chinesas previam que o número de animais retornaria neste ano aos níveis anteriores à doença. Com os novos surtos, porém, isso só deve ocorrer depois de 2023, disse o Rabobank. A peste suína africana afetou significativamente a oferta da China nos últimos anos. Em 2019, a doença reduziu o número de suínos do país em cerca de 40%, para 260 milhões de animais. Esse novo surto tem pressionado as cotações do farelo de soja em Chicago. Em 12 de janeiro, os preços futuros do farelo chegaram a atingir US$ 474,10 a tonelada, o maior pré-fechamento desde junho de 2014. Desde então, as cotações caíram 14%. O ressurgimento da doença ameaça a forte demanda esperada para a soja dos EUA. O Departamento de Agricultura do país (USDA) prevê que as exportações de soja chegarão a 61,2 milhões de toneladas em 2020/21, um terço mais do que no ciclo anterior. Impulsionados pela perspectiva de forte exportação, os preços da soja chegaram neste mês a quase US$ 14,50 por bushel, nível mais alto desde junho de 2014. Como resultado, a perspectiva é de crescimento na área de plantio da oleaginosa no próximo ciclo, para 36,4 milhões de hectares, a maior área desde 2017. Enquanto isso, os preços de suínos nos EUA subiram – o contrato futuro mais negociado na bolsa de mercadorias de Chicago subiu 18% desde o início do ano.

Carne vegetal amplia mercado para produtor agrícola

A carne vegetal permite ao produtor agrícola conquistar novos espaços, destacou o G1 nesta terça-feira (16). Ela é uma opção de alimento para quem precisa substituir a proteína animal ou para variar o cardápio. Com ela, um hambúrguer, por exemplo, pode ser feito com grão-de-bico, ervilha, proteína de soja e beterraba, para dar a cor vermelha. A carne de soja tem mais de 50% de proteína. A ervilha e a beterraba têm fibras e sais minerais. Já o grão-de-bico é rico em potássio e fósforo.

Maus-tratos a animais é o 2º crime mais registrado pelo Disque Denúncia do Distrito Federal

O crime de maus-tratos a animais é o segundo mais registrado pelo Disque Denúncia do Distrito Federal, com 4.036 ocorrências em 2021. Segundo o portal Anda outros casos também foram denunciados à A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), que registrou 1.038 denúncias ocorrências de janeiro a 3 de março deste ano. No ano passado, a média de denúncias diárias de crimes cometidos contra animais na capital foi de 64 denúncias, segundo a PCDF. Os casos foram denunciados através do número 197. As ocorrências são feitas por ligação, mensagem de WhatsApp, e-mail ou pelo site oficial da corporação. “Antes de incluirmos as denúncias no sistema, verificamos se a direção está correta, checamos se há outras denúncias registradas nesse endereço e se há outras ocorrências registradas no nome do possível autor do crime”, explicou ao Correio Braziliense o diretor da Divisão de Controle de Denúncias (Dicoe), Josafá Leite Ribeiro. “São informações importantes para o policial que vai verificar a situação”, continuou. Além de informar a Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema) sobre os casos, a PCDF também os distribui para delegacias das regiões administrativas de acordo com o endereço onde o crime aconteceu. Dentre os casos investigados entre 2020 e 2021, 32 foram apurados pela 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho 2) durante quatro fases da Operação São Francisco. Um deles envolveu cães que viviam amarrados em ambiente insalubre. No Distrito Federal, crimes de maus-tratos a animais são punidos pela Lei Distrital nº 4.060, de 2007. Outras legislações sancionadas pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) desde o ano passado também tiveram como objetivo a proteção dos animais. Uma delas obriga o autor dos maus-tratos a arcar com as despesas médicas das vítimas, incluindo casos de atropelamentos. A coleira anti-latido, que dá choques nos cachorros, também foi proibida. Ibaneis também sancionou a lei que proíbe que animais sejam explorados em rinhas e a medida que criminaliza a manutenção de animais presos em correntes que prejudiquem sua saúde e bem-estar. Os condomínios do Distrito Federal também foram obrigados, por outra legislação, a denunciar casos de maus-tratos a animais às autoridades em até 24 horas. Em âmbito nacional, a Lei Sansão, que entrou em vigor ano passado, pune o crime com prisão de até cinco anos e impede que os agressores, que também são multados, tutelem outros animais.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Quindim, o vira-lata doente que entrou em uma clínica veterinária e mudou de vida

G1 – Brasil já faz hambúrguer, linguiça e até bolinho de ‘siri’ com plantas e grãos

G1 – Carne vegetal amplia mercado para produtor agrícola

G1 – Veterinária que atuava em defesa dos animais morre com Covid-19; Joinville volta a ser a cidade de SC com mais casos ativos

G1 – Empresa santarena obtém selo municipal para beneficiar produtos e subprodutos de origem animal

G1 – Funcionamento de parques, feiras e serviços do AME Animal sofrem alteração em Caruaru

G1 – Sebrae aponta crescimento no mercado ‘Pet’ em Roraima

Valor Econômico – Minerva Foods eleva investimentos na busca por proteínas alternativas

Valor Econômico – BRF pode elevar vendas ao Canadá

Valor Econômico – ONGs querem cláusula de bem-estar animal em regras sobre operação de granjas

Valor Econômico – Novos surtos de pestes suína africana na China assustam produtores americanos

Embrapa – Algoritmo identifica bovinos individualmente no campo por meio de imagens

SBA – Mais duas unidades da BRF são habilitadas a exportar carne de frango para o Canadá

AgroLink – Cavalo Crioulo brasileiro se destaca no mercado externo e realiza negócios

AgroLink – Brasil habilita mais duas plantas para exportação

AgroLink – Produtor de ovos atinge a mais baixa capacidade de aquisição de milho desde 2001

AgroLink – Mercado do boi gordo com poucos negócios em São Paulo

AgroLink – MG: publicação da Epamig orienta sobre cloração e higiene em queijarias

AgroLink – Desempenho exportador das carnes nas duas primeiras semanas de março

AgroLink – 1º Leilão Virtual dos Produtores Rurais terá super oferta de bezerros

Anda – PL prevê proibição de cosméticos com microplásticos para proteger a natureza

Anda – ONG critica hotel que aprisiona ursos para entreter hóspedes: ‘estes animais pertencem ao Ártico’

Anda – Maus-tratos a animais é o 2º crime mais registrado pelo Disque Denúncia do DF

Anda – Homem é preso após afogar cachorro em balde com água e agredi-lo a pauladas

Anda – Pinguins em reabilitação trocam de penas e se preparam para retornar à natureza

Anda – Decisão de Belo Monte de reduzir vazão do rio Xingu ameaça 80% das plantas e peixes locais, dizem cientistas

Anda – Trens inovam com vagões adaptados para animais

Anda – Padre celebra missa com cachorro doente no colo para não deixá-lo sozinho

Anda – Cão salvo das ruas tem reação comovente ao entrar em casa pela primeira vez

Anda – Macacos caem de árvore e agonizam em floresta no interior do Acre

Anda – Matamos árvores tropicais que precisamos para absorver o dióxido de carbono

Anda – Produtores rurais matam milhares de galinhas para reduzir custos

Anda – Onças-pintadas em parques protegidos no Suriname continuam vulneráveis à caça

Canal Rural – SP anuncia isenção de ICMS para leite pasteurizado e redução para carnes

Canal Rural – Leite: setor deve enfrentar dificuldades mesmo com a volta do auxílio, diz Conseleite

Canal Rural – Indústria de proteína animal precisa buscar alternativas como insumo da ração, diz ABPA

Portal do Agronegócio – Mercado de suínos registra mais quedas nos preços

Portal do Agronegócio – Mercado do boi gordo com poucos negócios em São Paulo

Portal do Agronegócio – CNA: em 2020 PIB do frango aumentou quase 10% e o do ovo mais de 18%

Portal do Agronegócio – Pastagem: Manejo com alta tecnologia é a chave para elevar a produtividade

Revista Globo Rural – A pecuária brasileira pode ser a mais sustentável do mundo

Revista Globo Rural – Parceria com pecuaristas ajuda startup a custear projeto de controle biológico

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »