Número de deputados e senadores na eleição municipal é o menor em três décadas

//Número de deputados e senadores na eleição municipal é o menor em três décadas
Nesta terça-feira (29) a Folha de S.Paulo informou que, o número de deputados federais e senadores que vão concorrer ao cargo de prefeito ou vice nas eleições municipais de novembro é o menor das últimas três décadas, reforçando uma trajetória descendente já observada na maioria dos últimos pleitos. De acordo com dados da Câmara dos Deputados e do Senado, 69 deputados federais e 2 senadores, de um total de 594 congressistas, vão tentar trocar Brasília pelas administrações locais de seus redutos eleitorais. Isso representa uma queda de 14,5% em relação às eleições de 2016, quando 83 parlamentares concorreram a um cargo de prefeito ou vice. É também o menor número desde 1992, segundo o histórico de candidaturas de congressistas feito pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar). Entre outros motivos, os dados podem ser mais um sinal observado nos últimos anos do desgaste do status quo político. Em 2016, por exemplo, nenhum congressista que disputou uma prefeitura conseguiu triunfar no primeiro turno. Em 1996, auge da motivação de congressistas pelas disputas municipais, 121 deputados e senadores concorreram. Neste ano, o partido com mais candidatos a prefeitos e vice-prefeitos é o PT, com 9 nomes na Câmara e 1 no Senado. A legenda, que detém a maior bancada da Câmara, com 53 deputados, disputa prefeituras como a do Rio de Janeiro, com Benedita da Silva, e a de Recife, com Marília Arraes —que enfrenta o primo, o também deputado João Campos (PSB). Com um nome a menos que o PT, o PSL, ex-legenda do presidente Jair Bolsonaro, tem 8 deputados concorrendo nas eleições de 2020. A disputa municipal evidencia a polarização dentro do partido após o racha de outubro do ano passado. Na ocasião, metade da bancada se alinhou ao presidente da sigla, Luciano Bivar (PE), e os demais manifestaram lealdade a Bolsonaro —que, ao deixar o PSL, tentou fundar uma legenda, a Aliança pelo Brasil, até hoje sem sucesso. Uma das principais vozes de oposição ao presidente atualmente, a deputada Joice Hasselmann, ex-líder do governo no Congresso, concorre à Prefeitura de São Paulo. Na cidade, Bolsonaro sinaliza apoio ao primeiro colocado em intenção de voto, o também deputado Celso Russomanno (Republicanos-SP). Também em São Paulo, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) aparece empatado com Joice Hasselmann nas pesquisas –ambos têm 1%. Ainda no PSL, o deputado Luiz Lima (RJ), aliado do presidente, disputa a Prefeitura do Rio de Janeiro. Apesar do alinhamento, Bolsonaro indicou que deve dar seu aval ao atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos), que tenta a reeleição. São Paulo, Fortaleza e Belém são as cidades em que mais congressistas se lançaram. No Senado, apenas dois nomes concorrem a cargos nas eleições municipais. O petista Jean Paul Prates quer se eleger prefeito de Natal (RN), enquanto o senador Vanderlan Cardoso (PSD) busca a Prefeitura de Goiânia. Os parlamentares que querem disputar prefeituras não precisam se licenciar do mandato. Continuam recebendo salário de R$ 33,7 mil, cota de atividade parlamentar, verba para contratação de até 25 asessores e auxílio-moradia —os que tiverem optado pelo benefício—, entre outros benefícios. A eleição de 2020 também será a primeira em que as campanhas para prefeitos e vereadores serão bancadas, majoritariamente, com recursos do fundo eleitoral, criado em 2017 e que será de R$ 2,035 bilhões.

Ministério da Saúde agora quer ‘dia D’ com ‘aula virtual’ a médicos sobre cloroquina

A programação de uma espécie de “dia D” contra a Covid-19, em planejamento pelo Ministério da Saúde para ocorrer no sábado (3), deve agora ser virtual e incluir aulas a médicos sobre o uso da cloroquina. Segundo a secretária de Gestão em Trabalho em Saúde, Mayra Pinheiro, entre as medidas previstas, está gravar vídeos para “médicos que foram assustados e desestimulados a tratar seus pacientes precocemente” com o medicamento. “Esse dia D é um dia para a gente conscientizar os médicos que ainda têm medo porque sofreram muito bombardeio de sociedades médicas, de grupos que, por ideologia, eram contra o medicamento, que era a única coisa que a gente tinha quando a doença começou”, disse à Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (28). A publicação destaca que ainda não há comprovação de eficácia do remédio contra a Covid-19 e que estudos randomizados e controlados, tidos como padrão-ouro, também não apontaram resultados positivos. Questionada sobre esses dados, Mayra disse que esses estudos têm “metodologia frágil”. Segundo ela, a ideia da pasta é trazer uma publicação com referências de pesquisas acompanhadas pela pasta e relatos de casos. A estratégia deve ainda abordar outros remédios, como a ivermectina, afirmou. A ideia de um “dia D” para estimular o “tratamento precoce” foi apresentada a representantes de secretários de Saúde e de entidades médicas na semana passada. Entre as ações descritas na apresentação, obtida pela Folha, a pasta listava a possibilidade de que o Exército distribuísse hidroxicloroquina para unidades básicas de saúde selecionadas, as quais ficariam abertas no sábado. Em nota divulgada na sexta-feira (25), o ministério confirmou a intenção de fazer um “dia de conscientização para o cuidado precoce”, mas negou a distribuição do medicamento na iniciativa.

Nove em cada dez pacientes com covid-19 recuperados relatam efeitos colaterais, diz estudo

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo nove em cada dez pacientes recuperados do novo coronavírus relataram ter experimentado efeitos colaterais como fadiga, transtornos psicológicos e perda do olfato e do paladar, de acordo com um estudo preliminar feito na Coreia do Sul. A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira (29), momento em que o número global de mortes pela covid-19 ultrapassou 1 milhão – um marco sombrio em uma pandemia que devastou a economia global, sobrecarregou os sistemas de saúde e mudou a maneira como as pessoas vivem. Em uma enquete on-line com 965 pacientes recuperados, 879 pessoas ou 91,1% responderam que estavam sofrendo com pelo menos um efeito colateral, disse Kwon Jun-wook, oficial da Agência de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia (KDCA). A fadiga foi o efeito colateral mais comum, com percentual de 26,2%, seguido pela dificuldade de concentração que teve 24,6% de prevalência entre os recuperados, disse Kwon. Outros sintomas incluíram transtornos psicológicos e perda do paladar ou olfato. Kim Shin-woo, professor da Escola de Medicina da Universidade Nacional Kyungpook em Daegu, buscou comentários de 5.762 pacientes recuperados no país e 16,7% deles participaram da pesquisa. O pesquisador informou que em breve publicará o estudo com mais detalhes. A Coreia do Sul também está conduzindo um estudo separado com cerca de 16 organizações médicas sobre complicações potenciais da doença. A pesquisa envolve a análise de tomografias computadorizadas em pacientes recuperados.

Dia Mundial do Coração: cuidados devem começar ainda na infância 

Com a premissa de que é mais fácil cuidar da saúde do que da doença, a prevenção de fatores de risco é o melhor caminho para evitar enfermidades cardiovasculares. Nesse caso específico, fazer um acompanhamento médico regular desde a infância é importante para a detecção precoce de condições que podem deixar o órgão vulnerável, destacou o Blog E+ do jornal O Estado de S.Paulo nesta terça-feira (29). O alerta é ainda mais necessário para pessoas com histórico familiar de problemas no coração, cujos riscos podem ser maiores. A conscientização sobre a saúde desse órgão vital é o objetivo do Dia Mundial do Coração, celebrado anualmente em 29 de setembro e criado pela Federação Mundial do Coração. Em maio de 2012, líderes mundiais se comprometeram a reduzir em 25% a mortalidade global por doenças não transmissíveis até 2025, sendo que metade dessas enfermidades são causadas por problemas cardiovasculares. Segundo a entidade, essas más condições que afetam os coração e os vasos sanguíneos, incluindo o derrame, são a principal causa de morte no mundo, tirando a vida de 17,9 milhões de pessoas a cada ano. O objetivo da campanha é promover ações educativas a fim de que haja controle dos fatores de risco, como tabagismo, má alimentação e sedentarismo, por exemplo. Estima-se que ao menos 80% das mortes prematuras por doenças cardíacas e derrames podem ser evitadas. Quanto mais cedo esses cuidados começarem, melhor. “Cada vez mais vem aumentando a incidência de obesidade em adolescentes, principalmente pela vida moderna atrás de computadores e celulares, o que fez diminuir a prática de atividades físicas entre crianças e adolescentes”, destaca o médico Félix Ramires, coordenador do Programa de Insuficiência Cardíaca do Hospital do Coração (HCor). Ele menciona que as doenças isquêmicas, que afetam as artérias do coração, e o enfarte têm ocorrido em idade mais precoce. Um exemplo disso foi a morte de Danilo Feliciano de Moraes, filho mais velho do ex-jogador Cafu, que tinha 29 anos. Ele jogava futebol com amigos em casa, em setembro do ano passado, quando passou mal. Encaminhado a um hospital, o jovem não resistiu ao sofrer uma parada cardíaca. Além do sedentarismo e da obesidade, Ramires afirma que o mundo tem trazido uma carga elevada de estresse, o que também contribui para o aumento da hipertensão, que é mais um fator de risco para doenças cardíacas. “Os jovens se acham saudáveis e não vão em busca da prevenção ou de detectar esses fatores de risco que são silenciosos.” A ocorrência de colesterol alto, por exemplo, não manifesta sintomas iniciais, apenas quando os vasos sanguíneos entopem. Mas jovens saudáveis não estão completamente livres do risco, uma vez que condições genéticas e histórico familiar influenciam no aparecimento das enfermidades cardiovasculares. E isso pode ocorrer mesmo em pessoas fisicamente ativas. O médico do HCor cita, ainda, que uso de drogas ilícitas também aumentam a incidência de enfarte na população mais jovem. O ideal é evitar que o problema apareça e fazer um acompanhamento médico desde a infância. Quanto mais cedo os fatores de risco forem identificados, menos tempo o organismo sofrerá com os danos.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Câmara – Proposta permite a qualquer médico fazer exame físico e mental para habilitação de trânsito

Agência Câmara – Projeto institui exame móvel para diagnóstico de diabetes e hipertensão

Agência Câmara – Projeto prevê nutricionista para orientar consumidor em mercados e restaurantes

Folha de S.Paulo – Mundo chega a 1.000.000 de mortos pelo coronavírus

Folha de S.Paulo – Ministério da Saúde agora quer ‘dia D’ com ‘aula virtual’ a médicos sobre cloroquina

Folha de S.Paulo – Uso de precatórios e Fundeb para Renda Cidadã derruba Bolsa brasileira

Folha de S.Paulo – Projeto pode extinguir órgão de controle de doenças do estado de SP

Folha de S.Paulo – Por Renda Cidadã, governo pretende adiar gasto com aposentadorias

Jornal Agora – Três agências da capital reabrem agenda dos peritos nesta terça

O Estado de S.Paulo – Novavax inicia fase 3 de testes de vacina e terá 25% de idosos entre voluntários

O Estado de S.Paulo – Incerteza fiscal e medo de segunda onda da covid-19 começam a derrubar IPOs na Bolsa brasileira

O Estado de S.Paulo – Desembargador desmembra investigação sobre desvios da Saúde no noroeste de São Paulo por suspeita de envolvimento de Roquinho Barbiere e prefeitos

O Estado de S.Paulo – Nove em cada dez pacientes com covid-19 recuperados relatam efeitos colaterais, diz estudo

O Estado de S.Paulo – ‘Nunca é tarde para mudar o curso das coisas’, diz diretor-geral da OMS sobre pandemia da covid-19

O Estado de S.Paulo – Dia Mundial do Coração: cuidados devem começar ainda na infância

O Estado de S.Paulo – INSS diz que 70% dos médicos voltaram ao trabalho e espera normalizar perícias até o final da semana

O Estado de S.Paulo – Ministro do STJ participa de debate sobre custos de novos tratamentos médicos para planos de saúde

O Estado de S.Paulo – Usar óculos protege você do novo coronavírus?

O Estado de S.Paulo – Wuhan, epicentro da covid-19, deixa doença que causou 1 milhão de mortes para trás

O Estado de S.Paulo – Setembro Amarelo: uma reflexão envolvendo crianças e adolescentes

O Estado de S.Paulo – Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de SP oferece mais de 230 bolsas de estudo

O Estado de S.Paulo – Qualidade de vida para o idoso com câncer

O Globo – Ex-secretário de Saúde do Rio tenta convencer Cremerj a salvar seu registro como médico

O Globo – Asma e rinite: saiba como cuidar da sua saúde na primavera

O Globo – Número de profissionais de saúde candidatos aumenta e chega a 17, 3 mil

O Globo – Covid-19: Nove em cada dez pacientes apresentam sintomas depois de se recuperar, aponta estudo

O Globo – Vírus, prazeres e descobertas

Agência Brasil – SP: operação contra desvios na saúde cumpre mandados em 180 municípios

Agência Brasil – Novos casos de covid-19 em Manaus não são 2ª onda, diz pesquisador

Agência Brasil – Pesquisa: paulistas não controlam colesterol, hipertensão e diabetes

G1 – Vacina da Johnson contra Covid-19 é segura e induziu resposta imune, apontam resultados preliminares parciais

G1 – Pesquisa revela que metade da população desnutrida nos EUA está acima do peso ou obesa

G1 – Spray nasal pode impedir a proliferação do coronavírus

G1 – OMS vai distribuir 120 milhões de testes de Covid-19 entre 133 países

G1 – Pesquisa nos EUA mostra que a solidão dobrou entre os mais velhos no início da pandemia

G1 – OMS vai disponibilizar 120 milhões de testes rápidos de Covid-19 para 133 países de baixa e média renda

Governo Federal – Governo adere a instrumento de Acesso Global de Vacinas

Anvisa – Veja o novo código de assunto para produtos biológicos

Conitec – Conitec recomenda incorporação de medicamento para mieloma múltiplo em pacientes adultos em diferentes situações no enfrentamento à doença

OPAS – Reunião de ministros da Saúde das Américas tem início com chamado à unidade e solidariedade para enfrentar pandemia de COVID-19

OPAS – OPAS lidera resposta regional à COVID-19 enquanto trabalha para proteger ganhos em saúde a longo prazo

Jota – Carf proíbe que despesa com home care a paciente com Alzheimer seja deduzida do IR

Correio Braziliense – Vacina russa contra covid-19 pode ser produzida em Brasília

Correio Braziliense – Covid-19: Queda dos índices de testosterona pode explicar gravidade da doença

Valor Econômico – OMS lamenta marca trágica de 1 milhão de mortes por covid-19

Valor Econômico – Avanços expressivos para área de saúde

Valor Econômico – Vacina contra o coronavírus em fase de testes já foi aplicada em 350 mil pessoas na China

Valor Econômico – OMS anuncia plano para enviar 120 milhões de testes de covid-19 a países de baixa renda

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »