NOVO MINISTRO QUER TERCEIRO TURNO EM POSTOS DE SAÚDE

//NOVO MINISTRO QUER TERCEIRO TURNO EM POSTOS DE SAÚDE

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defendeu nesta quarta-feira (2), a implantação de um terceiro turno no programa de atenção básica. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, nesse modelo já em prática em algumas cidades do País, unidades atuam em horários estendidos, sobretudo noturno, para garantir que pessoas que trabalham possam se consultar ou levar seus dependentes para o atendimento. Mandetta pretende nos próximos cem dias apresentar propostas para três pilares prioritários. O primeiro é a atenção hospitalar – trazendo o que ele definiu como um “choque de gestão”, com mais transparência e critérios definidos para a condução de filas de espera e acesso aos serviços. O segundo eixo será uma medida emergencial em Roraima, Estado que recebeu um grande número de refugiados e que vive às voltas com uma epidemia de sarampo. Já o terceiro eixo será a facilitação do acesso à atenção básica. O ministro quer dar mais espaço para essa forma de atendimento – uma medida há tempos defendida por especialistas no setor. “A expectativa é de que uma secretaria seja criada apenas para cuidar dessa forma de atenção”, informa o jornal.

 

Luiz Henrique Mandetta assume Ministério da Saúde



Em um discurso realizado nesta quarta-feira (2), Mandetta falou de fé, família e noção de pátria, agradeceu o presidente Jair Bolsonaro pela indicação, garantiu que não haverá retrocesso no direito à Saúde. É o que informa o jornal O Estado de S. Paulo. “Vamos cumprir a Constituição Brasileira”, disse, numa resposta ao receio de que o SUS de alguma forma pudesse estar sob risco, com restrição de atendimentos. Mas logo em seguida emendou que, exceto os preceitos constitucionais, não há na saúde “verdades absolutas”. Referindo-se ao grande número de ações na Justiça, Mandetta afirmou que universalidade e integralidade são inquestionáveis, mas é preciso pensar na equidade, regulamentar o conceito para que, com isso, seja possível tratar de forma desiguais os desiguais. Na posse, Mandetta não poupou críticas ao Mais Médicos e à Saúde Indígena, que afirma receber recursos em demasia e apresentar resultados muito abaixo do que seria considerado adequado, com altos índices de mortalidade. Mas o tom foi conciliador e de elogios ao falar de Santas Casas, da classe médica e de outros profissionais de saúde. “Defensor da carreira de Estado para médicos, proposta que foi incluída no programa de governo de Bolsonaro, Mandetta disse ser necessário analisar a real necessidade de profissionais em áreas mais remotas e sugeriu que, em alguns pontos, profissionais possam ficar 15 dias em vez de o mês todo”, enfatiza a notícia.

 

Gilberto Occhi se despede do Ministério da Saúde



O jornal O Estado de S. Paulo destacou que na despedida do cargo, Gilberto Occhi fez um discurso afinado com seu sucessor. Disse ser favorável a bandeiras já anunciadas por Mandetta: a reformulação do Mais Médicos, o reforço na atenção básica e a revisão dos hospitais federais. “Dentro daquilo que eu ouvi você falar nos últimos dias, concordo plenamente com a revisão dos hospitais e institutos federais no Rio de Janeiro, do programa Mais Médicos, com a saúde da Família sendo cada vez mais reforçada, o programa de vacinação e também a gestão da informação do ministério para que a gente possa ser mais eficiente e usar os recursos da melhor maneira possível”. “Com voz embargada, Occhi afirmou ter dado a Mandetta uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida e citou como desafios avançar na rotulagem de alimentos e na informatização da saúde”, destaca a matéria.

 

Ministério da Saúde vai rever contratos de remédios prioritários, diz ministro



Contratos firmados entre laboratórios públicos e empresas farmacêuticas para a produção de remédios prioritários do SUS serão revistos pelo Ministério da Saúde. Conforme o jornal O Estado de S. Paulo, o ministro Luiz Henrique Mandetta afirmou nesta quarta-feira (2) que as Parcerias para Desenvolvimento Produtivo (PDPs), como são chamados esses acordos, deverão ser analisados pela sua equipe. Segundo o ministro, serão mantidas parcerias que atendam princípios de austeridade, transparência, moralidade e essencialidade do gasto. Os contratos geralmente envolvem grandes quantias de recursos da pasta. Embora sejam apresentadas como uma estratégia eficaz para aumentar a produção de medicamentos por laboratórios públicos e um facilitador para o domínio de técnicas para fabricação de drogas consideradas importantes para o SUS, PDPs também são constantemente alvo de investigações e denúncias. “Não há política dentro do Ministério da Saúde que não possa ser questionada ou revista”, disse nesta quarta Mandetta. “O momento é de revisão.” “O ministro da Saúde também afirmou que poderá ser revista a indicação de André Moura (PSC-SE) para a direção da Anvisa”, afirma a nota.

 

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde mantém sete Secretarias temáticas

 

 

Ministério da Saúde – Luiz Henrique Mandetta assume Ministério da Saúde

 

Fiocruz – Reciis apresenta análises sobre violência e direitos humanos

 

Fiocruz – Atenção às pessoas com HIV/Aids na rede de saúde foi tema de debate

 

Anvisa – Pesquisa: uso irregular de formol em salões de beleza

 

Anvisa – Aprovadas regras para estudos de terapias celulares

 

Senado Federal – Comissão temporária representa o Congresso durante recesso, até 1º de fevereiro

 

O Estado de S. Paulo – Novo ministro quer terceiro turno em postos de saúde

 

O Estado de S. Paulo – Médicos e profissionais da área voltam a ocupar posições de destaque no Ministério da Saúde

 

O Estado de S. Paulo – Ministério da Saúde vai rever contratos de remédios prioritários, diz ministro

 

O Estado de S. Paulo – É preciso fortalecer vacinação de viajantes, diz diretor do Evandro Chagas

 

O Estado de S. Paulo – Entraves dificultam propostas de ministros

 

O Estado de S. Paulo – Bolsonaro discute medidas em primeira reunião com ministros e vice

 

O Estado de S. Paulo – Fausto Macedo – Justiça manda clínica indenizar por endoscopia sem sedação

 

O Estado de S. Paulo – Fausto Macedo – Plano de saúde vai pagar R$ 15 mil por demora em autorizar medicamento a paciente com câncer

 

Folha de S. Paulo – Como acabar com a azia e a má digestão?

 

Folha de S. Paulo – Via medida provisória, Bolsonaro cria monitoramento de ONGs e organizações internacionais

 

Folha de S. Paulo – SP se prepara para ameaça tripla de vírus transmitidos por mosquitos no verão

 

Folha de S. Paulo – Acidentes com escorpiões aumentam e causam alerta; risco é maior em crianças

 

Folha de S. Paulo – O trunfo da atenção primária

 

Folha de S. Paulo – Bolsonaro reúne ministros em primeira reunião depois da posse

 

G1 – O que é a diabulimia, considerado um dos distúrbios alimentares mais perigosos do mundo

 

G1 – O que é o HTLV-1, vírus pouco conhecido que atinge mais de 800 mil brasileiros

 

G1 – Cada centavo economizado na Saúde irá para assistência da população, diz novo ministro

 

G1 – ‘Eu não posso perder o meu pai’; filha de paciente se desespera com falta de atendimento no Hospital Pedro II

 

O Globo – Na Califórnia, negócios legais com maconha não vingam e arrecadação maior ainda é promessa

 

O Globo – Após suicídios ao vivo no Facebook, empresa adota programa para prevenir casos

 

Zero Hora – Os alimentos proibidos na Europa, mas não nos EUA

 

Zero Hora – Ministro defende ampliação de atendimento nas Unidades Básicas de Saúde

 

Zero Hora – Entenda por que pular o café da manhã pode ser prejudicial à saúde

 

Correio Braziliense – Implante na bexiga, ainda em fase de testes, evita a urgência de urinar

 

Correio Braziliense – Mandetta toma posse prometendo mudanças na saúde indígena

 

Correio Braziliense – Ibaneis anuncia mutirão de cirurgias a partir da próxima segunda-feira

 

Correio Braziliense – Ibaneis busca R$ 300 milhões com governo federal para gastos na saúde

 

Jornal Advogado – TRF-2 lança site com dados, pareceres e jurisprudência sobre saúde

 

Panorama Farmacêutico – Biossensor de câncer de pâncreas pode chegar às farmácias

 

Panorama Farmacêutico – HMI pode tornar a fechar as portas por falta de medicamentos

 

Panorama Farmacêutico – Reino Unido armazena medicamentos

 

Panorama Farmacêutico – Testes genéticos preveem a reação de cada pessoa a medicamentos

 

Panorama Farmacêutico – Um terço dos antibióticos receitados para crianças é desnecessário

 

Panorama Farmacêutico – Walgreens e empresa do Google unem-se em projeto de inovação na saúde

 

__________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.