MINISTRO DA SAÚDE DEFENDE FIM DA GRATUIDADE UNIVERSAL DO SUS

//MINISTRO DA SAÚDE DEFENDE FIM DA GRATUIDADE UNIVERSAL DO SUS
De acordo com a Revista Fórum, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, transmitido na noite desta segunda-feira (27), o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que vai “provocar” o Congresso a defender o fim da gratuidade universal do SUS (Sistema Único de Saúde). “É justo ou equânime uma pessoa que recebe 100 salários mínimos ter o atendimento 100% gratuito no SUS? Quem vai ter 100% de atendimento gratuito no SUS? Eu acho que essa discussão é extremamente importante para esse Congresso. Eu vou provocá-la, vou mandar a mensagem, sim, para a gente discutir equidade e esse ponto a gente vai por o dedo”, comentou o ministro após quase 1h30 de respostas. Mandetta também foi questionado sobre o Programa Mais Médicos, criado pelo governo petista para promover o atendimento médico em partes deficientes do país. Para o Ministro o programa, que contava com o recrutamento de médicos cubanos através de um convênio com a OEA, foi “uma grosseria com a Constituição” ao não permitir que os médicos contratados atendessem fora dos postos para os quais foram chamados. “Eu não vi nenhum cubano atendendo no Albert Einstein, na avenida Paulista, porque decerto se fizesse algo com alguém da elite paulista seria um absurdo, mas para o interior vale, como se houvesse vida do interior e da capital”, afirmou em crítica ao acordo. Para ele, o Mais Médicos tinha problemas estruturais absurdos “em nome de ter este médico é melhor do que não ter nada”. Mandetta também culpou a ideologia pelo problema do vício em drogas, afirmando que a luta antimanicomial se tornou uma bandeira da esquerda. “Quando o crack chegou, atingindo a população de baixa renda, da classe C, D e E, não havia mais estes leitos”. Os entrevistadores no entanto ressaltaram que o vício em álcool, de acordo com estudos, é mais grave no Brasil do que o de drogas pesadas. Perguntado sobre a defesa da proibição de publicidade de bebidas alcoólicas, Mandetta apenas defendeu uma discussão da medida dentro do Congresso.

Novo modelo de reajuste de remédio sai em 60 dias

O Ministério da Saúde definiu o prazo de 60 dias para que a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) conclua o novo modelo de precificação de remédios comercializados no país. “A gente vai colocar o prazo, como recomendação, para a CMED destravar o novo modelo”, informou ontem o secretário de ciência, tecnologia e insumos estratégicos do ministério, Denizar Vianna. Segundo o Valor Econômico, a mudança no modelo é aguardada por fabricantes nacionais que querem um valor maior por medicamentos aperfeiçoados em pesquisas de laboratório. Hoje, a indústria recebe o mesmo valor na venda do medicamento tradicional e do produto similar lançado com a mesma fórmula, mas que oferece melhor resultado para o paciente ao longo do tratamento. Com esta estratégia, conhecida como “inovação incremental”, os medicamentos trazem vantagens como atenuar efeitos colaterais e reduzir o tempo de tratamento. “Hoje, o problema é que a nossa precificação é binária. Ou considera que você apresentou uma fórmula realmente diferente, com um saldo de inovação e eficácia superior aos tratamentos existentes, ou não tem nada. É preciso ter um modelo que valorize o que existe de inovação incremental”, afirmou Vianna, após o evento “Diálogos GFB”, realizado pelo Grupo FarmaBrasil. O Ministério da Saúde já vinha, desde o início do governo, ouvindo o setor sobre as mudanças na precificação de medicamentos. Viana disse que o prazo para a CMED definir as mudanças no modelo estará na portaria ministerial, a ser publicada nos “próximos dias”. O documento instituirá um grupo de trabalho, formado por representantes de ministérios e do BNDES, para cuidar do assunto. “A gente está muito bem azeitado com os diversos entes do governo. O Ministério da Economia já veio nos procurar para saber onde pode desregulamentar. Indicamos que há áreas que podem ser desregulamentadas e outras não, porque tem ambiente de monopólio”, afirmou o secretário do Ministério da Saúde.

Projeto de lei exige presença de cirurgião-dentista em UTIs

O Projeto de Lei 883/19 torna obrigatória a presença de profissionais de odontologia na equipe multiprofissional das unidades de terapia intensiva (UTIs), de clínicas e hospitais públicos ou privados em que existam pacientes internados. Apresentado pela deputada Policial Katia Sastre (PR-SP), a proposta tramita na Câmara dos Deputados. “Nos cuidados que os pacientes internados em UTIs devem receber, deve estar incluído o tratamento odontológico, com higiene bucal adequada, dada a inter-relação entre doenças bucais e sistêmicas”, disse a deputada. Porém, segundo ela, nem todos os hospitais possuem dentista compondo a equipe das UTIs. De acordo com a Agência Câmara, pelo texto, nas UTIs o profissional deverá ser um cirurgião-dentista; e nas demais unidades, profissionais de odontologia com qualificação para atuar nessa área. O descumprimento da medida implicará nas penalidades legais aplicáveis pelos órgãos e entidades de controle social dessas atividades. A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Inteligência Artificial é aprovada em teste de identificação de câncer no pulmão

Segundo o Estadão, os computadores se saíram melhor do que os médicos na identificação de cânceres do pulmão em tomografias computadorizadas. A experiência faz parte de novo estudo publicado na revista Nature Medicine, permitindo vislumbrar o futuro da Inteligência Artificial na medicina. Uma das áreas mais promissoras é o reconhecimentos de padrões e a interpretação de imagens, a mesma capacidade que os seres humanos usam para ler tomografias na medicina. Introduzindo enormes quantidades de dados de imagens médicas em sistemas chamados redes neurais artificiais, os pesquisadores podem treinar os computadores a reconhecer padrões relativos a uma doença específica. O sistema segue um algoritmo e aprende à medida que lê. Quanto mais dados recebe, melhor ele se torna. O processo, conhecido como Deep Learning (Aprendizagem Profunda), já está sendo utilizado para permitir que os computadores compreendam o discurso e identifiquem objetos. Desse modo, um carro automático pode reconhecer um sinal de ‘Pare’, por exemplo. O Google criou sistemas para ajudar os patologistas a ler as lâminas no microscópio e ajudar os oftalmologistas a detectar doenças dos olhos. No novo estudo, os pesquisadores do Google e de vários centros médicos aplicaram a Inteligência Artificial em tomografias computadorizadas usadas para investigar a existência de um câncer de pulmão, doença que matou 1,7 milhão de pessoas em todo o mundo no ano passado. Além de descobrir o câncer, as tomografias também podem identificar manchas que posteriormente podem vir a ser câncer. Mas podem não notar tumores ou confundir manchas benignas com malignas. Além disso, os radiologistas que olham para a mesma tomografia poderão ter diferentes opiniões. Os pesquisadores pensaram que os computadores poderiam funcionar melhor. Eles criaram uma rede neural e deram-lhe tomografias de pacientes cujos diagnósticos eram conhecidos.

SAÚDE NA IMPRENSA
Agência Senado – Senado aprova MP que reestrutura ministérios; texto segue para sanção

Agência Câmara – Frente m Defesa das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde será lançada hoje

Agência Câmara – Pobreza e baixo índice de vacinação são apontados como causas da tuberculose infantil

Agência Câmara – Frente defende manutenção da imunidade fiscal de entidades filantrópicas

Agência Câmara – Projeto garante fisioterapia com eletroestimulação para portador de mielomeningocele

Agência Câmara – Projeto exige assistência nutricional em escola particular de tempo integral

Agência Câmara – Proposta permite que agentes comunitários de saúde acumulem cargos públicos

Agência Câmara – Projeto de lei exige presença de cirurgião-dentista em UTIs

Agência Câmara – Proposta susta mudanças na Política Nacional de Saúde Mental

Agência Câmara – Câmara premia entidades com reconhecida atuação na saúde da mulher

Agência Câmara – Presidentes dos três Poderes vão lançar pacto com metas econômicas

Estadão – ‘O médico que está ao lado das evidências científicas combate a violência obstétrica’, garante obstetra humanizado

Estadão – Inteligência Artificial é aprovada em teste de identificação de câncer no pulmão

Estadão – Cursinho para Medicina: expectativas versus realidade

Estadão – Manifestações populares na Argentina voltam a reivindicar a legalização do aborto

Estadão – SP vacinará jovens para conter casos de sarampo

Estadão – Missouri à beira de se tornar único Estado dos EUA sem clínica de aborto

Estadão – Rio de Janeiro enfrenta surto de chikungunya

Revista Fórum – Ministro da saúde defende fim da gratuidade universal do SUS

O Globo – Moro autorizou divulgação de pesquisa sobre drogas da Fiocruz, mas sem chancela do governo

O Globo – Entenda como o estresse compromete a elasticidade e o viço da pele

O Globo – Ministério da Saúde considera prorrogar campanha de vacinação da gripe até 15 de junho em todo território nacional

Valor Econômico – Novo modelo de reajuste de remédio sai em 60 dias

Valor Econômico – Nove entidades patronais entregam a Bolsonaro carta em apoio à reforma

G1 – STF decide nesta quarta se gestantes e lactantes podem exercer atividades insalubres

G1 – Entenda diferenças entre burnout, estresse e depressão

G1 – Câmara aprova MP que cria órgão de proteção de dados pessoais

G1 – Especialista responde dúvidas sobre planos de saúde

G1 – IFNMG oferece 30 vagas para curso de especialização em saúde do idoso em Januária

G1 – França bane uso de fungicida epoxiconazol por preocupações com saúde

G1 – Procura por gastroplastia sem corte cresce na França com aumento da obesidade

G1 – O distúrbio que pode levar pacientes a fazer coisas absurdas durante o sono

Agência Brasil – Tempo de vida de pessoas com aids mais que dobra no Brasil

Agência Brasil – Inscrições para Programa Mais Médicos terminam hoje

Agro Link – Glifosato pode tratar câncer, sugerem estudos

Metrópoles – Saiba quais são os sintomas de câncer no cérebro

Metrópoles – Anvisa alerta: MMS usado para autismo é perigoso e proibido

Metrópoles – Confira receitas de quatro sucos que ajudam a controlar o colesterol

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »