Ministra Tereza Cristina dá posse à nova diretora de Inovação e Tecnologia da Embrapa

//Ministra Tereza Cristina dá posse à nova diretora de Inovação e Tecnologia da Embrapa
A ministra Tereza Cristina deu posse, na tarde de terça-feira (12), a Adriana Regina Martin, como diretora de Inovação e Tecnologia (DE-IT) da Embrapa. Na ocasião, ela conheceu, também, Tiago Toledo Ferreira, que foi selecionado para assumir a diretoria de Gestão Institucional (DE-GI). Ele está vinculado ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e será liberado pela instituição financeira nos próximos dias. A cerimônia aconteceu no gabinete da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com a presença do presidente da Embrapa, Celso Moretti; do diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, Guy de Capdeville; do presidente do Conselho de Administração (Consad), Fernando Camargo; e do secretário de Política Agrícola do Mapa, Eduardo Sampaio. O anúncio da escolha dos novos diretores ocorreu na reunião do Consad no último dia 24 de abril, após uma série de entrevistas feitas pelo presidente Celso Moretti, e a partir das regras estabelecidas pela Lei das Estatais. A ministra, que orientou o processo, conheceu pessoalmente os novos diretores por ocasião da posse e elogiou a escolha dos novos dirigentes. Durante a reunião, a ministra Tereza Cristina destacou que “há um trabalho grande e desafiador de modernizar a Embrapa. A presença de vocês, com a experiência trazida de outras organizações, é fundamental para dar uma oxigenação à Empresa, reunindo ideias novas com a experiência do diretor Guy, do presidente Moretti e de todos os profissionais que já estão na Embrapa”. “Eu percebo que vocês têm o entusiasmo necessário ao enfrentar o novo desafio. Contem comigo e com o ministério da Agricultura. Vocês estão na vanguarda e o Ministério da Agricultura e o Brasil precisam muito da Embrapa. Sejam muito bem vindos a este esforço e desejo muito sucesso nesta nova etapa.” A ministra explicou que um dos grandes desafios é a busca de novas fontes de recursos. Sobre isso, citou que deve agendar nas próximas semanas uma reunião com novos dirigentes do Banco Interamericano de Desenvolvimento no Brasil, que estão muito interessado em novas parcerias com a Embrapa. Adriana Martin, ao assumir como diretora de Inovação e Tecnologia, disse que estava satisfeita e honrada pela oportunidade de colaborar com a Embrapa. Explicou que esteve muito envolvida com a empresa ao longo de sua formação acadêmica, tendo inclusive sido bolsista na Empresa durante seu pós-doutorado em Inovação Tecnológica pela UFSCar. Depois disso, foi trabalhar em multinacionais como a BRF, onde foi gerente de redes de inovação, e na Huntsman, como chefe de laboratório de desenvolvimento de produto. A nova diretora também atuou em diretorias ligadas à inovação no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Tiago Toledo Ferreira, falou sobre sua “motivação imensa para atuar em uma empresa de qualidade técnica indiscutível, um ativo do Brasil”. Destacou seu interesse em ajudar a “buscar novas fontes financeiras e fortalecer a Embrapa para que continue atuando fortemente para ajudar a sociedade brasileira”. Tiago é mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e foi executivo do BNDES nas áreas Internacional, de Comércio Exterior e Relacionamento Institucional, experiência que foi considerada muito relevante pela Ministra para o seu novo papel. Ao final, a Ministra Tereza Cristina avaliou que os perfis dos integrantes da nova diretoria “se complementam para o que queremos de uma empresa moderna. Estou apostando muito no sucesso de vocês. O sucesso de vocês é o sucesso do Mapa e do Brasil”. O presidente do Conselho de Administração da Embrapa, Fernando Camargo, disse que há muita satisfação e otimismo com a escolha dos novos dirigentes. “É uma gestão de muitas mudanças. Há um desafio incrível de fazer uma Empresa ainda mais moderna. As circunstâncias mudam e a gente muda muito. A Embrapa deve se modernizar e mostrar caminhos para o Brasil, para o agro brasileiro.”

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) entrega à ministra da Agricultura propostas para o Plano Agrícola e Pecuário 2020/2021

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) entregou na quarta-feira (13) à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, as propostas da entidade para o Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2020/2021, construídas de forma conjunta com as Federações de Agricultura e Pecuária nos Estados, sindicatos rurais, produtores e associações setoriais. O documento foi entregue pelo vice-presidente da CNA e presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola da entidade, deputado José Mário Schreiner, que representou o presidente da Confederação, João Martins, em reunião no gabinete da ministra. Também estiveram no encontro o superintendente técnico Bruno Lucchi, e os secretários de Política Agrícola e de Agricultura Familiar e Cooperativismo do ministério, Eduardo Sampaio e Fernando Schwanke. O documento traz 10 pontos prioritários para a política agrícola para a próxima safra, que começa em 1º de julho, focadas em questões como: redução da taxa de juros ao produtor rural e dos custos administrativos e tributários cobrados pelas instituições financeiras para operar o crédito rural e aumento das fontes de financiamento para o agronegócio. A lista de demandas também contem sugestões para desburocratização e ampliação da transparência sobre as exigências feitas pelas instituições financeiras na concessão do crédito rural, combate à prática de “venda casada”, ajustes nos programas de crédito rural, aprimoramentos relacionados à gestão de riscos da atividade agropecuária e medidas de apoio à comercialização. As propostas da CNA contemplam sugestões de medidas estruturantes para o setor e também solicitações pontuais relacionadas aos novos desafios que os produtores rurais têm enfrentado com o novo cenário econômico, devido à pandemia do coronavírus. “Entregamos as propostas do setor produtivo de todo o Brasil com as prioridades para o próximo Plano Safra. Sabemos que nessa época de pandemia, precisamos ter muito primor para estar subsidiando o ministério. Precisamos ter um plano à altura do agronegócio brasileiro”, disse o vice-presidente da CNA José Mário Schreiner. “É um plano muito bem feito, sintonizado com o que o produtor rural quer e muitas coisas já estavam sobre a mesa do ministério, mostrando que estamos em perfeita sintonia com CNA, federações e sindicatos”, completou a ministra Tereza Cristina. A CNA propõe a redução significativa da taxa de juros aos produtores rurais, e afirma que, em geral, os custos de financiamento nas diferentes linhas do Plano Agrícola e Pecuário de 2019/2020 são muito similares às taxas de juros vigentes no Plano Safra 2017/2018, construído quando a taxa SELIC estava em 11,25% em abril/2017 e 10,25% um mês depois.

Valor da produção agropecuária do país alcançará R$ 697 bilhões em 2020, diz ministério

Uma melhora das perspectivas do Ministério da Agricultura para a soja, além dos reflexos positivos da valorização do dólar ante o real para as cadeias exportadoras em geral, levaram a Pasta a elevar sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária no país em 2020, apesar da pandemia, destacou o Valor Econômico nesta quarta-feira (13). Segundo levantamento recém-concluído, a Pasta passou a calcular o VBP do setor em R$ 697 bilhões, montante, recorde, R$ 7 bilhões maior que o previsto em março e 8,6% superior ao de 2019. Para o conjunto formado pelas 21 principais lavouras do país, o ministério agora prevê VBP de R$ 462,1 bilhões, com aumentos de R$ 8,7 bilhões ante abril e de 10,4% em relação ao ano passado. Com colheita recorde, boa demanda e preços domésticos inflados pelo câmbio, a soja foi determinante para esse avanço. A Pasta elevou sua estimativa para o valor da produção do grão para R$ 163,6 bilhões, R$ 4,4 bilhões a mais do que previa no mês passado e montante 16% superior ao de 2019. Mas também colaboram para o aumento na comparação interanual crescimentos previstos para arroz (6,2%, para R$ 10,9 bilhões), cacau (28%, para R$ 3 bilhões), café (35,4%, para R$ 27,5 bilhões), cana (2,5%, para R$ 61,9 bilhões), milho (17,6%, para 76,6 bilhões) e trigo (31,3%, para R$ 6 bilhões). Para o VBP conjunto das cinco principais cadeias da pecuária, o ministério reduziu sua estimativa para R$ 234,9 bilhões, R$ 1,7 bilhão a menos que o projetado em abril mas montante ainda 5,4% superior ao do ano passado. Para os bovinos a conta foi mantida em R$ 102,3 bilhões, 13,2% acima do número de 2019. Para o frango, porém, a estimativa foi reduzida para R$ 64 bilhões, R$ 2,7 bilhões abaixo da projeção anterior e valor 4,9% menor que o de 2019. No caso dos suínos o VBP deverá aumentar 10,2% ante o ano passado, para R$ 20,1 bilhões, e no dos ovos o avanço deverá chegar a 11,6%, para R$ 13,6 bilhões. Na visão do ministério, o valor da produção de leite deverá permanecer estável em R$ 35 bilhões.

Pesquisadores integram centro de pesquisa inovador da área de canavicultura no Brasil 

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Centro de Cana do Instituto Agronômico (IAC-APTA), participará do Centro de Pesquisa em Engenharia Fitossanidade em Cana-de-açúcar, que será coordenado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp – Jaboticabal) e é fruto de uma parceria entre o Grupo São Martinho e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Com investimento de R$ 8 milhões em cinco anos, o CPE tem o objetivo de desenvolver estratégias contra pragas e doenças da cana por meio do controle biológico e comportamental, utilizando fungos, bactérias e feromônios, por exemplo, para proteger as lavouras, possibilitando a redução no uso de defensivos agrícolas. O Centro deverá atuar ainda na área de biotecnologia e resistência de planta, focando no cruzamento convencional para o melhoramento de cultivares de cana-de-açúcar, informou o portal AgroLink nesta quarta-feira (13). Referência no Brasil e no Mundo em pesquisas com cana, o IAC atuará em conjunto com a equipe de fitopatologia da Unesp no desenvolvimento de estudos básicos e aplicados para doenças fúngicas que acometem a cultura, como o carvão e a ferrugem alaranjada, além da Síndrome do Murchamento da Cana-de-açúcar (SMC), responsável pela podridão vermelha, e da bactéria causadora da escaldadura das folhas. Sem o manejo cultural adequado, como alocação correta de variedades, nutrição equilibrada e controle de broca e cigarrinhas das raízes, os produtores podem ter grandes prejuízos com essas doenças, de acordo com os pesquisadores do Instituto. Segundo Ivan Antônio dos Anjos, pesquisador do IAC, a ideia é desenvolver pesquisas para obtenção de variedades de cana resistentes e tolerantes ao carvão (Sporisorium scitamineum, Sydow) e à ferrugem alaranjada (Puccinia kuehnii, Butler), além de estudos criteriosos sobre a etiologia e os aspectos epidemiológicos da SMC, supostamente causada pelo fungo Colletotrichum falcatum, Went. A FAPESP e a São Martinho farão o aporte de R$ 4 milhões cada no Centro de Pesquisa em Engenharia Fitossanidade em Cana-de-açúcar. A contrapartida econômica da Unesp será oferecida na forma de salários de pesquisadores e profissionais de apoio, infraestrutura e instalações. Para o desenvolvimento dos estudos será utilizada a estrutura da Estação de Hibridação de Cana, em Uruçuca (BA), que tem gestão técnica do Instituto Agronômico, onde serão realizados os cruzamentos, além dos laboratórios de marcadores moleculares, e análises tecnológicas. O programa tem validade de cinco anos, podendo ser prorrogado por mais cinco. O CPE vai contar com equipe de 31 pesquisadores formada pelo grupo da Unesp Jabuticabal e seus parceiros, como o IAC-APTA a Cooperativa Agroindustrial (Coplana), a UFSCar, a Fundação Educacional de Ituverava e a Universidade de Franca. O Centro de Cana do Instituto Agronômico mantém o Programa Cana IAC, referência nacional e exemplo para os países interessados na viabilização da canavicultura sustentável. O programa de pesquisa é desenvolvido com apoio de agências de fomento estaduais e federais e parcerias com a iniciativa privada. Além dos pesquisadores do IAC, cientistas de unidades regionais da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) também participam do programa. Entre os resultados está o desenvolvimento de 27 cultivares de cana, sendo 26 para o setor sucroenergético e uma para fins forrageiros, o que representa 20% das cultivares lançadas no Brasil na última década.

NA IMPRENSA

Agência Senado – Paim apela por socorro à agricultura do Rio Grande do Sul, atingida por seca histórica

Agência Câmara – MP da regularização fundiária não é votada; tema poderá constar de projeto de lei

O Estado de S.Paulo – Governo revisa PIB deste ano de alta de 0,02% para queda de 4,7%

Valor Econômico – Valor da produção agropecuária do país alcançará R$ 697 bilhões em 2020, diz ministério

Valor Econômico – Atvos pede liminar para impedir que Lone Star assuma controle

Valor Econômico – Índice de confiança do agronegócio calculado por Fiesp e OCB desabou no 1º trimestre

Valor Econômico – Funcionário integrante do conselho assume presidência interina da Ceagesp

Valor Econômico – EUA deverão recuperar espaço no mercado de soja

Valor Econômico – Camil lucrou 17% a menos no 4º trimestre do exercício 2019

Valor Econômico – Commodities: Movidos a petróleo, açúcar e algodão sobem na bolsa de Nova York

Valor Econômico – PIB do agronegócio cresceu 2,4% no primeiro bimestre, calculam CNA e Cepea

Valor Econômico – Commodities: Soja sobe e trigo cai depois do novo relatório do USDA

Bopar – RS: coronavírus – live do Sindag avalia cenários do setor e perspectivas na cultura do arroz

Tudo do MS – Rotary de Maracaju fez entrega de Álcool Etílico Hidratado para entidades

Portal do Agronegócio – Especialistas dão aula online sobre técnicas de pulverização

CNA – CNA entrega à ministra da Agricultura propostas para o Plano Agrícola e Pecuário 2020/2021

CNA – CNA discute estratégias para negócios agrícolas em períodos de crise

CNA – SENAR/RN presta Assistência Técnica aos produtores com atendimento virtual

CNA – Oportunidades para o agronegócio capixaba em tempos de coronavírus

CNA – Capacitação: ATeG Apicultura mantém atendimento virtual e já ofereceu 13 cursos neste ano

CNA – Senar mostra avaliação sistemática de resultados na Assistência Técnica e Gerencial

CNA – CNA debate benefícios fiscais sobre comercialização de defensivos agrícolas

CNA – CNA debate ações para mitigar impactos do coronavírus na agricultura familiar

CNA – Confederações patronais discutem impactos do corte de 50% na arrecadação do Sistema S

Mapa – Agricultores familiares têm novo canal para comunicar perdas de alimentos

Mapa – Valor da Produção Agropecuária é de R$ 697 bilhões, o maior dos últimos 31 anos

Embrapa – Ministra Tereza Cristina dá posse à nova diretora de Inovação e Tecnologia da Embrapa

Embrapa – Webinar destaca impactos técnicos e econômicos da diversificação de culturas em sistemas de produção de grãos

Embrapa – Embrapa lança edital de inovação aberta em aquicultura e sistemas agrícolas

Embrapa – Dia de campo online mostra tecnologias usadas na integração lavoura-pecuária

AgroLink – Pesquisadores integram centro de pesquisa inovador da área de canavicultura no Brasil

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »