Ministra da Agricultura quer antecipar anúncio do Plano Safra 2020/21

//Ministra da Agricultura quer antecipar anúncio do Plano Safra 2020/21
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou, neste domingo (5), que vai tentar antecipar o anúncio do Plano Safra 2020/21 para dar “um norte” aos agricultores frente a um cenário de possível retração dos agentes financiadores no fornecimento de crédito, por causa de incertezas e riscos da pandemia do novo coronavírus, inclusive o crescimento de pedidos de recuperação judicial no setor. De acordo com o Valor Econômico ela demonstrou preocupação com a possibilidade de faltar recursos para a produção agropecuária brasileira mesmo com a sanção, prevista para essa semana, da MP do Agro, que busca atrair capitais estrangeiros. “Estamos pensando em tentar antecipar o Plano Safra para dar um norte, um horizonte, para quem toma esse recurso, mas é só 40% do que precisa [de recurso] para tocar safra brasileira. É número um das minhas preocupações”, afirmou, durante transmissão ao vivo com diversas personalidades do agronegócio nacional organizada por Xico Graziano. Segundo a ministra, as lideranças do agronegócio precisam estar atentas e enviar sugestões para “ter um encaminhamento das ações para que a falta de crédito e o temor que os bancos têm hoje, pela insegurança do momento que vivemos, possa ser superado e que possamos ter crédito para irrigar cadeia do agro como um todo”. A ministra disse que foi uma “decisão equivocada” não resolver a questão das recuperações judiciais durante a tramitação da MP do Agro. Na ocasião, uma emenda pretendia deixar de fora das RJs a produção financiada por Cédulas de Produto Rural (CPR), instrumento comum nas operações com tradings, mas foi retirada do texto. Tereza Cristina disse que não sabe avaliar a intensidade dos efeitos dessa medida, mas que é preciso imaginar o pior cenário. “Foi uma decisão equivocada. À época, discutimos que seria um tiro no pé, houve pressão errada de setores nossos e bateram muito pensando de maneira pontual, olhando para o próprio umbigo e não pensando para frente”, afirmou.

Tereza Cristina e Guedes se reúnem para definir medidas de apoio ao agronegócio

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou, neste domingo (5), que pretende ter uma nova reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, entre domingo (5) e segunda-feira (6), para definir medidas de apoio ao setor agropecuário. Segundo o Valor Econômico ela afirmou que o governo tem tido “muito critério” na definição das propostas e a prioridade é “acudir” segmentos mais prejudicados pelos efeitos da pandemia sem ser irresponsável nos gastos. “As medidas emergenciais terão que ser feitas para acudir setores, mas não podemos achar que vai resolver tudo. A conta vai ficar aí, o vírus vai passar, mas a vida continua e a responsabilidade nossa é muito grande, porque a conta vai chegar um dia”, ressaltou em videoconferência esta manhã. Ela disse que o governo está “atento para preços e custo”, mas que a intenção agora ajudar pequenos produtores que estão com “fôlego mais curto”. Sobre a situação do Rio Grande do Sul, onde produtores de soja e milho contabilizam perdas em razão de estiagem que afetou as lavouras desde dezembro passado, a ministra afirmou que está “aguardando a batida do martelo do Ministério da Economia” para finalizar as propostas que envolvem crédito e também fornecimento de água para irrigação. “Estamos aguardando o último ‘ok’, as coisas estão caminhando de acordo com eles [ministério da Economia]”. Tereza Cristina voltou a citar segmentos mais afetados, como o de flores. “Eles vão entrar em medida que fazemos de colocar crédito para as associações, cooperativas para que elas tenham capital de giro. A grande ansiedade das cooperativas e indústrias é o capital de giro. Temos linha que está ‘nos finalmente’ (sic) com a Economia para ajudar nesse momento difícil”, contou. A ministra ainda relatou dificuldades de atender todas as demandas. Recentemente, o setor produtivo de ovos de codorna informou prejuízos. “Não dá pra atender tudo, estamos atendendo quem tem problemas emergenciais. Os mais estruturais é a partir da retomada que virá na próxima onda. Temos que tentar preservar para que safra continue sendo muito farta para que a gente possa atender o país e a janela de oportunidades que pode surgir. Tenho um ‘feeling’ de que podemos ser grande supridores do resto do mundo com alimentos de qualidade”, afirmou.

Crise pode abrir novos mercados para o agronegócio brasileiro, avalia Tereza Cristina

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou, neste domingo (5), que o agronegócio brasileiro vai sair fortalecido da crise do novo coronavírus, destacou o Valor Econômico. Ela destacou a oportunidade de conquistar novos mercados para os produtos brasileiros e de aumentar a confiança dos importadores na produção brasileira. Outro ponto destacado foi a necessidade de intensificar o diálogo com a sociedade, como forma de demonstrar a importância e essencialidade da produção rural e usar a ciência para desmistificar conceitos formulados mundialmente sobre o setor. “Talvez o legado seja esse, de aproximar o setor agropecuário da sociedade, e mostrar que na hora que a sociedade brasileira precisou do agro, ele estava lá, fez seu papel entregando alimentos, que o agro mostrou como é fundamental”, afirmou. A ministra afirmou que é preciso acompanhar o que o consumidor mundial quer, mas avalia que haverá “mudanças significativas”. Ela mencionou conversas que teve com líderes durante a “Green Week”, na Alemanha, em janeiro, e que a forma de pensar o papel da agricultura para o abastecimento alimentar vai mudar após a crise do novo coronavírus. Para Tereza Cristina, o momento também é de intensificar o diálogo com quem critica o setor produtivo. “É continuar trabalhando temas que precisamos melhorar, como os defensivos, coisas que demonizam o agro brasileiro. Tem muito de política nisso e não ciência. Acho que a ciência será cada vez mais valorizada”, destacou. Outro ponto levantado pela ministra foi a capacidade do país de fornecer alimentos para consumo interno sem deixar de ser “parceiro confiável” para os mais de 160 países importadores. “A confiança pode ser determinante em um futuro próximo sobre o que vai ser a cadeia de suprimentos”, afirmou. “O agro pode ser o grande puxador, a grande mola propulsora dessa retomada. Estamos avaliando dia a dia o que vai acontecer no mundo na questão do abastecimento. O agro pode sair fortalecido pós-crise para ser o grande supridor confiável.

Vendas de máquinas agrícolas cresceram 10,3% no país em março

As vendas de máquinas agrícolas cresceram 10,3% no país em março em relação ao mesmo mês de 2019 e alcançaram 4,1 mil unidades, segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) na manhã desta segunda-feira (6). Na comparação com fevereiro deste ano houve crescimento de 46%, informou o Valor Econômico. Embora as bases de comparação seja baixas, com essa reação as vendas somaram 9,5 mil unidades, incremento de 2% ante igual período do ano passado. Já as exportações de máquinas agrícolas recuaram 11,9% em março na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 980 unidades. Em relação a fevereiro, houve crescimento de 18,9%. Nos três primeiros meses do ano, foram exportadas 2,3 mil unidades, 12,6% a menos que em igual período de 2019. A produção de máquinas agrícolas, por sua vez, caiu 7,7% em março na comparação anual, para 4,1 mil unidades. Em relação ao mês imediatamente anterior, a produção em março foi 14,9% maior. No acumulado dos três primeiros meses do ano houve queda de 5,7% ante igual período de 2019, para 10,2 mil unidades. e acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, a associação ainda não vai alterar as projeções para o ano e vai aguardar o desenrolar do impacto do coronavírus na economia para divulgar um novo cálculo. Para máquinas agrícolas, a Anfavea projeta a venda de 45 mil unidades em 2020, incremento de 2,9% ante o ano passado. Para as exportações, a estimativa é de 13 mil unidades, crescimento de 1%, e para a produção, a entidade manteve a previsão de crescimento de 5,4%, para 56 mil unidades. De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, a associação ainda não vai alterar as projeções para o ano e vai aguardar o desenrolar do impacto do coronavírus na economia para divulgar um novo cálculo. Para máquinas agrícolas, a Anfavea projeta a venda de 45 mil unidades em 2020, incremento de 2,9% ante o ano passado. Para as exportações, a estimativa é de 13 mil unidades, crescimento de 1%, e para a produção, a entidade manteve a previsão de crescimento de 5,4%, para 56 mil unidades. No momento, segundo a Anfavea, há 19 fábricas de máquinas agrícolas de diferentes companhias com as atividades interrompidas no país em razão do coronavírus.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Proposta destina R$ 336,7 milhões para lavouras de cacau e Pronaf

Folha de S.Paulo – China anuncia que vai comprar soja dos EUA por ‘segurança’

O Estado de S.Paulo – ‘Pandemia não pode virar uma farra fiscal’

O Estado de S.Paulo – Impactos da covid-19 na economia brasileira

O Estado de S.Paulo – Santander empresta 40% a mais para o agronegócio em março

O Estado de S.Paulo – ‘Estamos tomando medidas para proteger a nossa tropa de caminhoneiros’, diz presidente da Raízen

O Estado de S.Paulo – Pequeno agricultor sofre com a crise e joga fora produção

O Estado de S.Paulo – Pulverizando

Valor Econômico – Ministra da Agricultura quer antecipar anúncio do Plano Safra 2020/21

Valor Econômico – Desembolsos de crédito rural cresceram 50% em março

Valor Econômico – Vendas de máquinas agrícolas cresceram 10,3% no país em março

Valor Econômico – Índice Ceagesp subiu quase 2% em março

Valor Econômico – Partido Solidariedade vai ao STF contra corte de recursos do Sistema S

Valor Econômico – Venda antecipada de açúcar para exportação em 2020/21 continua a avançar

Valor Econômico – Conab reitera que produção nacional de grãos será capaz de suprir demanda doméstica

Valor Econômico – BB diz que não sentiu reflexo da pandemia na concessão de crédito rural

Valor Econômico – Agricultores do RS atingidos por estiagem poderão prorrogar pagamento de custeio e investimento

Valor Econômico – Ministério da Agricultura recebe número crescente de pedidos de abertura de novos mercados

Valor Econômico – Tereza Cristina e Guedes se reúnem para definir medidas de apoio ao agronegócio

Valor Econômico – Crise pode abrir novos mercados para o agronegócio brasileiro, avalia Tereza Cristina

CNA – Curso de armazenagem de grãos qualifica mão de obra para crescente produção agrícola em MS

CNA – Metodologia da ATeG Grãos auxilia produtores de soja a aumentarem a produtividade e sustentabilidade nas lavouras de MS

CNA – CNA mostra impactos na produção local e analisa comércio internacional em 23 mercados

Mapa – Ministros de países da América Latina e Caribe assinam declaração conjunta para garantir abastecimento durante a pandemia

O Globo – Coronavírus: Governo poderá antecipar Plano Safra 2020/21, diz Tereza Cristina

O Globo – Embrapa poderá fazer mais de 70 mil testes para coronavírus por dia

O Globo – Licenciamento de veículos desaba 86,5% com coronavírus

O Globo – Grupo de países da América do Sul e do Caribe anuncia medidas para garantir o abastecimento na região

G1 – Avião agrícola cai em Junqueirópolis

G1 – Aeronave agrícola cai após bater em rede elétrica, pega fogo e piloto fica ferido em MT

G1 – Máquinas agrícolas de prefeitura são apreendidas após serem flagradas na fazenda da prefeita

G1 – Vendas de máquinas agrícolas no Brasil saltam 10% em março, diz Anfavea

G1 – Ministério da Agricultura libera seguro agrícola devido à estiagem e à Covid-19

G1 – Colher e tomar mate sozinho: coronavírus altera cultura agrícola da Argentina

G1 – Ministério da Agricultura facilita acesso ao seguro agrícola para pequenos produtores

G1 – Quase todos os produtos agrícolas fecharam o mês em baixa nas bolsas internacionais

AgroLink – Importação de soja pela UE em 2019/20 caem 3% para 10,93 mi t, até 5 de abril

AgroLink – Inteligência artificial vem transformando a agricultura

AgroLink – Ministros de países da América Latina e Caribe assinam declaração conjunta para garantir abastecimento durante a pandemia

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »