Ministério não vai autorizar servidores municipais e estaduais a inspecionar frigoríficos

//Ministério não vai autorizar servidores municipais e estaduais a inspecionar frigoríficos
O Ministério da Agricultura negou, nesta quinta-feira (19), que vai autorizar servidores municipais ou estaduais e profissionais privados a realizar o serviço de inspeção atribuído aos auditores fiscais federais agropecuários nos estabelecimentos de abate animal no país devido diante de possíveis reduções no quadro de pessoal por conta da pandemia de coronavírus, informou o Valor Econômico. Mas a Pasta ressaltou que trabalha com um plano de contingência de possíveis impactos no segmento para garantir o pleno funcionamento dos serviços essenciais à população. “O plano de contingência conta com o possível remanejamento de profissionais do serviço federal e o ministério garante a presença de servidores em todos os estabelecimentos de abate”, informou a assessoria da Secretaria de Defesa Agropecuária. O ministério informou também que o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) monitora diariamente a situação do país e reporta ao final de cada dia ao secretário José Guilherme Leal. “Além disso, o ministério está em contato frequente com as associações que representam o setor de proteína animal”. Sobre as medidas adotadas para garantir a continuidade do serviço sanitário nas agroindústrias de abate, a Pasta informou que “está sendo feita a realocação temporária da força de trabalho, conforme necessário, para garantir o funcionamento dos turnos de abate”. O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) afirmou, em nota, que a Secretaria de Defesa Agropecuária mantém um plano de manutenção dos auditores fiscais nas plantas, com foco na saúde das equipes, a fim de preservar a produção e a circulação de alimentos. A entidade ainda destaca que o momento não é de “alterações nos sistemas de controle oficiais que possam vir a indicar aos consumidores nacionais e aos mercados internacionais uma flexibilidade arriscada” e cobra manutenção do serviço como é hoje. “Que a pandemia de covid-19 não se converta no Brasil em motivação para alterações oportunistas e desnecessárias nos sistemas oficiais de controle da qualidade e segurança dos alimentos”.

Abates aumentaram no Brasil em 2019, mas futuro é incerto

Impulsionados pelas boas perspectivas que dominavam o segmento de carnes nos mercados doméstico e internacional no segundo semestre, os abates de bovinos, frangos e suínos cresceram no país em 2019, informou o Valor Econômico nesta sexta-feira (20). Mas, se era consenso que a escalada continuaria firme, sobretudo graças à demanda da China, que enfrenta problemas em sua oferta de proteínas por causa da epidemia de peste suína africana, ele foi corroído pela pandemia do coronavírus. Embora tenham recuado no quatro trimestre, os abates de bovinos cresceram 1,2% em 2019 e alcançaram 32,4 milhões de cabeças, segundo apontaram dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o terceiro ano consecutivo de avanço. O desempenho foi impulsionado por crescimentos dos abates em 15 unidades da federação, com destaque para altas registradas nos Estados de Mato Grosso (430,6 mil cabeças a mais), Mato Grosso do Sul (+ 291,5 mil), São Paulo (+ 224,2 mil) e Santa Catarina (+ 60,2 mil). Mato Grosso voltou a liderar a atividade, com participação de 17,4% no total. No caso dos abates de frangos e suínos, houve incrementos no quarto trimestre e em todo o ano passado, impulsionados pelas sólidas perspectivas que dominavam o mercado quanto à demanda da China, que ainda enfrenta problemas por causa da epidemia de peste suína africana – a expectativa também ajudou a manter em elevado patamar os abates de bovinos. Os abates de suínos somaram 46,3 milhões de cabeças no ano passado, alta de 4,5% na comparação com 2018. Trata-se de um recorde na série histórica do IBGE. Houve avanços em 20 unidades da federação. O incremento nacional foi puxado por Santa Catarina (845,9 mil cabeças a mais), São Paulo (+ 300,3 mil), Minas Gerais (+ 295,4 mil) e Mato Grosso (+ 253,7 mil). Santa Catarina manteve a liderança, com fatia de 27% no total. Sempre segundo o IBGE, após dois anos de baixas os abates de frangos subiram 1,9% no ano passado ante 2018, para 5,8 bilhões de animais. Houve aumentos em 15 unidades da federação. Os destaques foram os Estado do Paraná (94,5 milhões cabeças a mais), Santa Catarina (+ 52,3 milhões) e Goiás (+ 15 milhões). O Paraná continuou a liderar os abates de frangos no Brasil, com participação de 32,5%.

Prefeito de São Paulo sanciona lei que proíbe novos zoológicos e aquários na cidade

A nova Lei 17.321, de autoria do vereador Reinaldo “Xexéu” Tripoli (PV), que proíbe a construção de novo zoológicos e aquários na cidade de São Paulo, foi sancionada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), tendo sido publicada na quarta-feira (18) no Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Segundo o portal Anda a medida sancionada, no entanto, difere-se da que foi proposta originalmente por Xexéu. Trechos do projeto inicial, referentes aos zoológico e aquários já existentes, foram vetados. São eles: a proibição da captura de animais na natureza, a proibição do recebimento de animais oriundos de captura na natureza, a obrigatoriedade de zelar pela não reprodução dos animais e a adoção de medidas para eliminar progressivamente a exposição dos animais, com o objetivo de reduzir o sofrimento ao qual são submetidos. Também foi vetado o artigo 4º, que determinava que visitas em grupo deveriam ser feitas nestes locais na companhia de monitores, para que eles exigissem silêncio dos visitantes, numa tentativa de minimizar o estresse dos animais. O artigo 6º também foi alvo de veto. Ele obrigava os zoológicos e aquários a fechar durante pelo menos dois dias semanais para que os animais pudessem descansar. Nota da Redação: apesar da nova lei representar um passo importante na luta pelos direitos animais, é importante ressaltar que, através dos vetos nela feitos, a exploração dos animais mantidos por zoológicos e aquários já existentes na cidade é perpetuada. Como defensora da abolição da exploração e do sofrimento animal, a ANDA reforça a necessidade de persistir na luta pela construção de uma sociedade ética, formada por indivíduos que entendam que não há justificativa para manter seres vivos trancafiados para exposição ao público e que defendam a manutenção de santuários em alternativa aos zoológicos e aquários.

Quarentena pelo coronavírus põe em risco 600 animais de zoológico na Itália

Um zoológico de Novara, no norte da Itália, lançou nesta sexta-feira (20), uma campanha pedindo socorro. Com as regras de isolamento impostas pelo governo italiano em razão do coronavírus, a administração do Safari Park de Pombia está com dificuldades operacionais para manter a alimentação dos mais de 600 animais do estabelecimento. De acordo com o proprietário do zoológico, Orfeo Triberti, as dificuldades vão desde garantir a compra dos alimentos para os animais, até fazer a manutenção do estabelecimento, que abriga espécies como dromedários, girafas, rinocerontes e elefantes. “A situação não é trágica ainda, mas poderia ser. Nossos animais necessitam de comida permanentemente. A questão é o tempo. Quanto tempo vai durar isso (a quarentena)?”, disse. De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, para contornar a crise provocada pela pandemia, a administração lançou uma campanha de venda antecipada para a reabertura do safari, com ingressos válidos até o dia 31 de dezembro. Pessoas aderiram a campanha e começaram a compraram as entradas. Outros mandaram materiais e comida. “O povo respondeu ao nosso pedido de ajudo. Recebemos comida, legumes, frutas e combustível. O problema será manter o abastecimento”, afirmou Triberti. Um empregado do zoológico, Alessandro Gambelli, assegurou que que os animais estão com boa saúde, mas ponderou: “uma vez que não se tenha mais comida, vamos ter problemas”. Com mais de 3.400 pessoas mortas pelo coronavírus, a Itália é o país mais afetado pela nova pandemia. Cerca de 60 milhões de italianos permanecem em isolamento em suas casas há uma semana, e só podem sair por razões profissionais e em casos excepcionais.

NA IMPRENSA
O Estado de S.Paulo – Quarentena pelo coronavírus põe em risco 600 animais de zoológico na Itália

O Estado de S.Paulo – Filhotes de urso polar aparecem pela 1ª vez após nascimento em zoológico

O Globo – Coronavírus: saiba como driblar a depressão em animais de estimação durante a quarentena

Valor Econômico – Ministério faz plano de contingência para manter fiscalização em frigoríficos

Valor Econômico – Ministério não vai autorizar servidores municipais e estaduais a inspecionar frigoríficos

Valor Econômico – Inspeção estadual de frigoríficos está suspensa em SP, diz secretário

Valor Econômico – Abates aumentaram no Brasil em 2019, mas futuro é incerto

AgroLink – Soja com alto teor de ácido oleico beneficia vacas leiteiras

AgroLink – Criação de peixes é oportunidade na cadeia de proteína

AgroLink – Boi gordo: mercado vagaroso

AgroLink – Suíno: demanda firme dá sustentação aos preços

AgroLink – Embarques de carne para a China devem aumentar

Anda – Secretaria pede a municípios pernambucanos que suspendam feiras de adoção de animais

Anda – Filme vai relacionar coronavírus com exploração de animais

Anda – Amapá registra aumento de casos de animais acorrentados sob chuva e sol

Anda – Prefeito de SP sanciona lei que proíbe novos zoológicos e aquários na cidade

Anda – Animal Planet estreia em abril série que promove o veganismo

Canal Rural – Suínos: no atacado, preços já subiram 2,3% em sete dias, diz Scot

Canal Rural – Leite: setor será o menos afetado pelo coronavírus; entenda os motivos!

Revista Globo Rural – Produção de ovos alcança recorde de 3,83 bilhões de dúzias em 2019

Revista Globo Rural – Abate de frangos cresceu 1,9% no Brasil em 2019, diz IBGE

G1 – Zoológico italiano faz apelo para alimentar animais em meio ao confinamento

G1 – ‘Dependemos de solidariedade’, diz protetora de animais sobre queda de doações de rações durante pandemia

Gazeta MT – Vacina para cães não previne Covid-19 e é proibida para uso em humanos

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »