Ministério da Agricultura cria o ‘Núcleo China’  

//Ministério da Agricultura cria o ‘Núcleo China’  
De acordo com publicação do Valor Econômico desta terça-feira (11), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, buscou na iniciativa privada a comandante da nova unidade especial que cuidará das relações com a China, principal destino das exportações brasileiras do agronegócio. Ex-diretora da consultoria de investimentos Vallya e com mestrado em Estudos Contemporâneos da China pela Universidade de Renmin, Larissa Wachholz morou em Pequim por cinco anos e fala mandarim. Em dezembro, ela aceitou o convite de Tereza Cristina para assumir o “Núcleo China”, ligado diretamente a seu gabinete. A criação da unidade estratégica foi uma surpresa até para quem trabalha na área internacional do ministério. A ideia partiu da ministra, que não contou a novidade para ninguém antes de anunciá-la em encontro com ministros chineses em outubro de 2019, durante visita ao país. Para o longo prazo, Larissa Wachholz estabeleceu quatro áreas prioritárias de atuação: abertura comercial, atração de investimentos, central de informações e ações de inovação e sustentabilidade. Mas a agenda emergencial não escapa do radar. Um dos desafios imediatos tem sido monitorar os efeitos do coronavírus e da trégua comercial Estados Unidos-China sobre as exportações agrícolas brasileiras. No caso do cessar-fogo entre Washington e Pequim, ela conta ter recebido uma mensagem tranquilizadora das autoridades chinesas. “Elas têm nos dito que vão operar de acordo com regras de mercado.” Em bom português: mesmo diante dos compromissos assumidos de aumentar as compras de produtos agrícolas americanos, a China prometeu ao Brasil manter suas escolhas de fornecedores com base em preço, não em questões políticas. “Mas temos avaliado o assunto com lupa”, diz Larissa. Apesar disso, ela constata que haverá redução nos embarques brasileiros de soja à China, que terão de ser redirecionados a outros mercados. Destino de mais de um terço das exportações agrícolas brasileiras – US$ 31 bilhões em compras em 2019 -, a China é o principal parceiro comercial do Brasil, mas a pauta setorial de exportações é baseada em oja e carnes. Uma das metas do novo núcleo é promover a diversificação do comércio com a abertura para novos produtos, como frutas. O movimento pode estabilizar os fluxos comerciais e diminuir “solavancos” do mercado mundial.

Proposta regulamenta profissões de tecnólogo e especialista em apicultura e meliponicultura

O Projeto de Lei 6492/19 regulamenta as profissões de Tecnólogo em Apicultura e Meliponicultura e a de Especialista em Apicultura e Meliponicultura. A apicultura é a criação de abelhas com ferrão e a meliponicultura é a de abelhas sem o ferrão, destacou a Agência Câmara nesta segunda-feira (10). Pelo texto, entre as atribuições do tecnólogo e do especialista estão a formulação de estudo, projeto ou pesquisa no setor; a consultoria de entidades na área; e a realização de perícias e laudos técnicos. A proposta estabelece ainda que o exercício da profissão possa ser realizado pelos profissionais que até o início da vigência da eventual sanção da lei exerciam as atividades, mesmo a que não possuam diploma de graduação na referida área. O autor do texto, deputado Darci de Matos (PSD-SC), afirma que esses profissionais trabalham com as tecnologias produtivas e com a organização desta área importante para o agronegócio e a economia brasileira. “O caráter multidisciplinar da criação de abelhas vai muito além da produção agrícola sustentável, dos benefícios ao meio ambiente, da produtividade econômica diretamente vinculada aos produtos e subprodutos da colmeia, mas também deve se destacar a importância na área da saúde por meio da apiterapia (medicina alternativa que se utiliza de produtos das abelhas para fins terapêuticos em seres humanos e animais), da indústria cosmética e também da farmacêutica”, explica o deputado. O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Trabalho; de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Doenças e acordo China-EUA dificultam planejamento do agronegócio em 2020

O ano de 2020 começa com grande incerteza para as empresas agropecuárias, que precisam fazer um planejamento de compras ou de vendas. Segundo a coluna Vaivém da Folha de S.Paulo um dos primeiros desafios é o do próprio Usda (Departamento de Agricultura dos EUA), que divulga nesta terça (11) dados sobre oferta e demanda de produtos agrícolas. As estimativas englobam dados sobre os EUA e os principais países produtores. Uma missão difícil, em vista de tantas variantes no mercado. A primeira delas vem exatamente dos EUA. O Usda já avisou que as projeções não vão conter os detalhes do recente acordo comercial assinado em 15 de janeiro com a China. Como nem o Usda tem os detalhes, fica difícil saber o que e quanto os Estados Unidos vão exportar para a China, o principal mercado mundial. Além dessa indefinição, novos eventos mundiais, como o coronavírus, alteraram as rotinas de comércio. Os alimentos são essenciais, e o consumo é sempre mais resiliente do que o de outros bens, mas queda na atividade econômica, dificuldades em transporte e menor mobilidade na China podem afetar o padrão atual. Os chineses ainda lutam para interromper o avanço da peste suína africana, iniciada em 2018 no país, mas já tiveram de abrir novas frentes para combater o coronavírus e a influenza aviária. Esta última apareceu com um vírus com potencial ainda mais destrutivo do que nos anos anteriores. O combate a essas doenças exige uma movimentação menor de mercadorias e de animais. Relatório desta segunda-feira (10) do Rabobank mostra que os efeitos dessas restrições afetam tanto o fornecimento de insumos para a agricultura como a produção. Se os chineses tiverem sucesso na contenção do coronavírus nos próximos meses, a demanda voltará forte, reanimando o mercado. Uma demora no controle vai comprometer o primeiro semestre. O cenário se agravará, porém, se houver avanço da gripe aviária, uma vez que a avicultura tinha sido a aposta dos chineses para conter a deficiência de carne suína. A SRB (Sociedade Rural Brasileira) ingressou com uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) no STF (Supremo Tribunal Federal) nesta segunda-feira (10) contestando a constitucionalidade do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) de Mato Grosso. Criado em 2000, o fundo é mantido com recolhimento de um percentual do valor das vendas da produção agropecuária do setor. Um dos objetivos é melhorar a malha rodoviária da região, facilitando o transporte das mercadorias e reduzindo custos.

Desempenho do crédito rural na atual safra atinge R$ 116,7 bilhões em sete meses

Nos sete primeiros meses do Plano Safra 2019/2020, entre julho/2019 a janeiro/2020, os agricultores brasileiros pegaram financiamento nas instituições financeiras no valor de R$ 116,7 bilhões, alta de 8%. Em operações de custeio, comercialização e industrialização alcançaram R$ 84,6 bilhões, já os investimentos atingiram R$ 32 bilhões. Os números fazem parte do Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2019/2020, divulgado nesta segunda-feira (10) pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com base nos dados do Sistema de Operações do Crédito Rural e do Proagro (Sicor), do Banco Central. As contratações de custeio pelos médios produtores (Pronamp) tiveram expressivo aumento na atual safra (44%), somando R$ 15,38 bilhões, sobretudo as realizadas com recursos obrigatórios (62%), provenientes dos depósitos à vista nos bancos comerciais. De acordo com a Secretaria de Política Agrícola, merece destaque o fato dos financiamentos de custeio aos grandes produtores, realizados com recursos livres da LCA e da Poupança Rural, terem aumentado 14% e 87%, respectivamente, bem como o aumento dos financiamentos de investimento com recursos livres (+102%) e a redução de 27% nos financiamentos com recursos da Poupança Rural com Subvenção Econômica. “Esses resultados estão alinhados com o objetivo da política de crédito rural, de redução gradual da participação desses produtores nos financiamentos a juros controlados, especialmente os que resultam em ônus para o Tesouro”, observa Wilson Vaz de Araújo, diretor de Financiamento e Informação da SPA/Mapa. Os créditos de investimento para o médio produtor rural (Pronamp) também tiveram acentuada expansão (+66%), se situando em R$ 1,66 bilhão, em decorrência da possibilidade destes financiamentos serem realizados com Recursos Obrigatórios para qualquer finalidade no âmbito desse programa. Estes financiamentos para os agricultores familiares (Pronaf) aumentaram 25%, se situando em R$ 9 bilhões, sendo que nos próximos meses esta expansão deverá se acentuar devido à possibilidade, concedida aos agentes financeiros, de que até 5% da subexigibilidade do Pronaf seja cumprida por meio de financiamentos de investimento no âmbito do Pronaf.  Outro destaque no desempenho do crédito rural na atual safra é a acentuada expansão da demanda por recursos de investimento nos programas Inovagro -Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (+71%), Pronamp – Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (+66%), Programa ABC – Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (+48%) e PCA – Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (+43%).

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Proposta regulamenta profissões de tecnólogo e especialista em apicultura e meliponicultura

Folha de S.Paulo – Doenças e acordo China-EUA dificultam planejamento do agronegócio em 2020

Agência Brasil – IBGE prevê safra recorde de grãos, com alta de 2,2%

Valor Econômico – Conab eleva para 251,1 milhões de toneladas sua estimativa para a colheita de grãos na safra 2019/20

Valor Econômico – Ministério cria o ‘Núcleo China’

Valor Econômico – Chuvas impedem entrega de hortifrútis de cooperativa em Ibiúna

Mapa – Desempenho do crédito rural na atual safra atinge R$ 116,7 bilhões em sete meses

Mapa – Garantia-Safra autoriza pagamento para mais de 9 mil agricultores familiares de três estados do Nordeste

Mapa – Comissão do Proagro tem meta de julgar 1.400 recursos de produtores até julho

Mapa – Brasil bate recorde nas exportações de café solúvel em 2019

Embrapa – Embrapa promove agricultura que dispensa uso do fogo na Amazônia

AgroLink – IBGE prevê safra recorde de grãos, com alta de 2,2%

AgroLink – Risco de cultivo da segunda safra reduz uso da área no sul do Brasil

AgroLink – Valores do açúcar seguem firmes no spot de SP

AgroLink – Preços da manga seguem com grande amplitude no atacado

AgroLink – Produtor pode contratar linha de crédito para quitar dívidas

AgroLink – Preços do trigo registram comportamentos opostos dentre as regiões

AgroLink – UE ainda não conseguiu reduzir pesticidas, diz tribunal

Notícias Agrícolas – CNA: produtor pode contratar linha de crédito para quitar dívidas

Notícias Agrícolas – Contratação de crédito rural de julho de 2019 a janeiro soma R$ 116,7 bi (+8%)

Notícias Agrícolas – SRB elege Teresa Vendramini para presidência até 2022

Notícias Agrícolas – Agricultura de SC terá desempenho positivo com produtividade alta e preço firme
_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »