Microchip de identificação pode se tornar obrigatório para cães e gatos do Distrito Federal

Home/Informativo/Microchip de identificação pode se tornar obrigatório para cães e gatos do Distrito Federal

 

Projeto de autoria do deputado Daniel Donizet (PL), em tramitação na Câmara Legislativa do Distrito Federal, torna obrigatória a identificação de todos os cães e gatos do DF por meio da implantação de microchip. Além de conter todas as informações do tutor e do animal, caso ele se perca ou seja roubado, a identificação por microchip vai permitir a implantação de Políticas Públicas voltadas para a guarda responsável, o controle populacional e o atendimento veterinário. Segundo o deputado, o microchip pode ser implantado na pele do animal de forma indolor e sem riscos para sua saúde. “A tecnologia trouxe um método de identificação de cães e gatos bem mais eficaz e seguro que as tradicionais coleiras, O dispositivo pode conter informações mais completas do animal, como data da última vacinação, por exemplo. Esse método já é obrigatório em países da Europa e ajuda a esclarecer casos de roubo de animais, maus-tratos e abandono”, esclareceu Daniel. O PL 1399/2020 cria ainda o Registro Geral de Animais (RGA), que seria semelhante ao nosso RG. O documento vai conter número, data de registro, informações gerais como nome, raça, porte, cor, etc, além das informações e contatos do tutor. Todas essas informações seriam registradas no microchip, que poderão ser acessadas por profissionais que tenham um leitor específico. O PL do deputado Daniel Donizet prevê a implantação de Políticas Públicas que garantam o fomento ou gratuidade na identificação eletrônica de animais comunitários, de famílias de baixa renda, que estejam sob a tutela de protetores, abrigos e ONGs, entre outros. A proposta tramita na Comissão de Meio Ambiente, com relatoria da deputada Júlia Lucy (Novo).​​​​​​​

Brasil desenvolve vacina contra carrapato

Está em desenvolvimento a primeira vacina contra carrapato bovino do Brasil. O trabalho é feito na Embrapa Gado de Corte e pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), destacou o portal AgroLink nesta terça-feira (6). A iniciativa começou há cerca de duas décadas e se encontra na segunda fase. Com financiamento da iniciativa privada foi criado um banco de dados genéticos do carrapato e foram feitos os testes em bovinos. A eficácia até o momento é de 69%. A cada seis meses deverá ser aplicada dose de reforço. A vacina contra o carrapato bovino já teve seu depósito de patente aprovado e pode chegar ao mercado brasileiro em breve. A presença de carrapatos nos rebanhos bovinos gera um prejuízo aproximado de US$ 3.2 bilhões ao ano, aos produtores rurais brasileiros e cerca de US$ 17 bilhões no mundo. Um dos coordenadores da pesquisa, o doutor em biologia molecular, Renato Andreotti explica que esse problema pode ser resolvido em breve. Os próximos passos serão: montar um sistema de produção em escala comercial e realizar os protocolos de aprovação no Ministério da Agricultura. “A gente vem trabalhando nela há muito tempo, e conseguimos registrar a patente depois de um ano. Isso nos traz uma possibilidade real de oferecer uma ferramenta, a curto prazo, para o controle do carrapato sem uso de produto químico”, diz. De acordo com o Chefe Geral da Embrapa Gado de Corte, Antônio do Nascimento Ferreira, a nova vacina garante melhorias em diversas áreas da produção. “No ambiente da fazenda, o uso desta vacina garantirá uma significativa melhora da produtividade, além da redução de pesticidas e consequente contaminação ambiental. E o mais importante, com a diminuição do número destes vetores teremos um produto final com ainda mais qualidade”, finaliza.

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul deve votar PL que proíbe exploração de cães em corridas

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul aprovou nesta terça-feira (6) o Projeto de Lei (PL) nº 39/2021, que proíbe a exploração de cachorros em corridas no estado. Segundo o portal Anda a medida é uma forma de proteger os cães da raça galgo, que ao serem explorados em competições sofrem diversas lesões, são abandonados, maltratados e condenados à morte. A proposta altera a Lei n.º 15.363, de 5 de novembro de 2019, que consolida a legislação relativa à Proteção aos Animais no Estado do Rio Grande do Sul, e acrescenta um capítulo que explicita a proibição acerca das corridas de cães. De autoria do Poder Executivo, o projeto proíbe em todo o território do Estado do Rio Grande do Sul “a realização de
corridas utilizando cães, com ou sem raça definida, de qualquer linhagem, variante ou categoria”. Embora os cachorros explorados nessas atividades costumem ser os galgos, o trecho da proposta que abarca todos os cachorros, com ou sem raça, age de maneira preventiva. Todo tipo de competição envolvendo corridas de cães ou similares, independentemente de realizar-se mediante apostas, ofertas de brindes ou promoções, é proibido pelo projeto, que estabelece sanções para quem organizar, promover, apoiar, facilitar, financiar, realizar ou participar dos eventos. As punições estabelecidas aos infratores, previstas nos artigos 92 e 93 da Lei n.º 15.434/2020, que instituiu o Código Estadual do Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul, vão desde advertência e multa, até perda da guarda do animal e apreensão dos equipamentos usados na infração. A advertência será aplicada aos infratores não reincidentes, nas infrações de menor lesividade. O projeto de lei também estabelece punições aplicadas a estabelecimentos envolvidos na infração. São elas: suspensão de registro, licença ou autorização; cancelamento de registro, licença ou autorização; perda ou suspensão da participação em linha de financiamento em estabelecimentos oficiais de crédito; e proibição de contratar com a Administração Pública pelo período de até 3 anos. Os animais que forem resgatados, segundo o texto do projeto, serão encaminhados a ONGs de proteção animal ou a pessoas que se voluntariem para serem fiéis depositárias dos animais até que o destino deles seja definido pelas autoridades.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) diz que produtor de leite deve ter cautela e planejamento em 2021

No primeiro bimestre de 2021, as despesas com a atividade leiteira continuaram em alta e os valores pagos pelo leite ao produtor tiveram desvalorização. Diante desse cenário, a previsão para esse ano é de mais dificuldade no controle dos custos de produção, exigindo cautela e planejamento por parte do pecuarista. A avaliação é do boletim “Ativos da Pecuária de Leite do Projeto Campo Futuro”, elaborado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). De acordo com a publicação, a pressão sobre os custos é consequência dos atuais preços dos grãos. Ao considerar os valores de custo sob o ponto de vista dos resultados da “Média Brasil” (Bahia, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), os desembolsos com a alimentação concentrada (milho e farelo de soja) subiram 6,23% nos dois primeiros meses de 2021, segundo dados do Projeto Campo Futuro. Por outro lado, no mesmo período, a receita por litro de leite comercializado registrou retração de 4,3%, também com base na “Média Brasil”. Nesse contexto, o ano inicia com mais pressão sobre o poder de compra do produtor de leite, que ao longo de 2020 viu o custo com concentrado na atividade disparar. O documento destaca ainda que o restante do ano de 2021 deve permanecer com os custos de produção elevados para o produtor de leite. Fatores como câmbio, exportações dos grãos e incertezas climáticas para a segunda safra de milho devem ditar os mercados dos principais insumos nos próximos meses. Diante dessa previsão, a CNA orienta os produtores a fazer o acompanhamento sistemático dos mercados e, principalmente, o uso eficaz de ferramentas de gestão dos custos de produção.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Cobra píton fêmea ataca cuidador no rosto para proteger ovos

G1 – ONGs pedem a Biden que governo americano pare de negociar a ‘portas fechadas’ com Bolsonaro sobre meio ambiente

G1 – Homem é preso suspeito de maus-tratos a animais em Betim

G1 – Veterinária fala da importância dos animais praticarem exercícios físicos

G1 – Animais de zoológico no interior de SP comemoram a Páscoa com ‘ovos’ especiais

G1 – Jovem é preso suspeito de agredir o próprio cachorro com mangueira após animal fugir de casa, em Ipameri; vídeo

G1 – Bombeiros capturam tamanduá-bandeira na zona rural de São Gonçalo do Pará

G1 – Gambá é resgatado em cima de moto na garagem de casa em Botucatu

CLDF – Microchip de identificação pode se tornar obrigatório para cães e gatos do DF

Valor Econômico – Estudo da Embrapa mensura benefício da integração entre lavoura e pecuária

Embrapa – Publicação com informações para potencializar os rebanhos da raça Saanen estará disponível para criadores a partir do dia 8 de abril

Embrapa – Semana de Integração Tecnológica apresenta Cadeia Produtiva da Pecuária Mineira

CNA – Equipes técnicas somam esforços no Programa de ATeG em Bovinocultura de Leite do Senar/MS

CNA – CNA diz que produtor de leite deve ter cautela e planejamento em 2021

SBA – Cotação do boi gordo avaliada em R$ 315 por arroba nesta terça-feira (06)

SBA – IRB lança seguro inédito no Brasil com foco nas pastagens

SBA – Agropecuária Baguassu oferta animais da raça Sindi hoje (6)

SBA – Oferta enxuta manteve preços dos ovos em alta no mês de março

SBA – Receita com exportações de carne bovina somam US$ 617 milhões em março

SBA – De Olho na Fazenda Pecuária BR e Parceiros oferta prenhezes hoje no Canal do Boi

SBA – Cotação da arroba do boi gordo começa semana estável em R$ 315

SBA – Leilão Qualidade Total registra média superior a R$ 3 mil

AgroLink – Brasil desenvolve vacina contra carrapato

AgroLink – Estudo compara desempenho em três tipos de ILP

AgroLink – Equipes técnicas somam esforços no Programa de ATeG em Bovinocultura de Leite do Senar/MS

AgroLink – Suplementação nutricional ajuda na preparação e recuperação muscular de equinos

AgroLink – RS: venda de peixe na região de Ijuí atinge 147 mil kg durante Semana Santa

AgroLink – Supereficientes em leite produzem 28,76 litros/vaca/dia

AgroLink – Simpósio de Avicultura debate sobre manejo pré-abate na indústria brasileira

AgroLink – Ovo x Milho: março apresenta nova perda no poder de compra do avicultor

AgroLink – TO disponibiliza crédito para pequenos produtores de leite

AgroLink – Desempenho exportador das carnes em março de 2021

AgroLink – Boi gordo: mercado firme no início da semana

AgroLink – Exportação de carne de frango tem segundo melhor março de todos os tempos

Anda – Cão é encontrado com patas mutiladas e cabeça decepada em Cascavel (PR)

Anda – Cão chora de saudade de tutor que o abandonou com pata quebrada em meio à mata

Anda – Animais são feridos com flechadas e polícia investiga o crime em Piracicaba (SP)

Anda – Estudo conclui que 71% dos tutores não teriam suportado pandemia sem animais

Anda – Investidores do Reddit usam os recursos do GameStop para ajudar a proteger os gorilas

Anda – Detentos constroem casinhas de madeira para cães abandonados: ‘a gente faz com amor’

Anda – Assembleia do RS deve votar PL que proíbe exploração de cães em corridas

Anda – Cães devolvidos por Claudia Ohana estão em depressão e sem lar

Anda – Tutora lamenta morte de cachorro envenenado: ‘o melhor cão que já tive’

Anda – Boi é submetido a sofrimento ao ser transportado com patas e pescoço amarrados

Anda – Gatos morrem após serem alvo de envenenamento em massa: ‘cruel e revoltante’

Anda – Subespécie mais rara de lobo da América do Norte quase dobra sua população em 5 anos

Anda – Construção de ninhos de javalis promove a diversidade de árvores em florestas tropicais

Anda – Mulher denuncia envenenamento de gatos em Palmas (TO): ‘é uma morte cruel’

Anda – Gato que sofreu na rua supera traumas e fica obcecado por carinhos na barriga

Portal do Agronegócio – IMEA aponta alta no preço do boi e vaca; “pecuaristas em MT seguram gado”

Portal do Agronegócio – CNA diz que produtor de leite deve ter cautela e planejamento em 2021

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »