Michelle pede sanção para punição a maus-tratos a animais, mas Bolsonaro propõe enquete  

//Michelle pede sanção para punição a maus-tratos a animais, mas Bolsonaro propõe enquete  
Mesmo depois de a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, pedir a sanção do projeto de lei que amplia a pena para quem praticar maus-tratos a cães e gatos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) questionou a punição prevista na proposta e anunciou que quer ouvir os internautas. O texto aprovado pelo Congresso aumenta a pena para quem maltratar cães e gatos de três meses a um ano para de dois a cinco anos. Na quarta-feira (9), a primeira-dama publicou em sua conta no Instagram uma foto em que Bolsonaro aparece com um dos cães que ela adotou recentemente e cobrou a sanção ao marido. “Fazendo charme para o meu papai @jairmessiasbolsonaro sancionar a [sic] PL 1095 para nos proteger de maus-tratos”, escreveu Michelle. Segundo a Folha de S.Paulo, nesta quinta-feira (10), em sua live semanal, Bolsonaro questionou o tamanho da pena em uma conversa com a youtuber Esther Castilho, 10, que grava vídeos com ele desde a pré-campanha presidencial e participou de uma reunião ministerial nesta semana. “Dá para você entender o que são dois anos de cadeia? Dá para você entender uma pessoa ficar dois anos atrás das grades porque uma pessoa maltratou um cachorro? Lógico que temos pena do cachorro, ficamos tristes, a pessoa tem que ter uma punição, mas dois anos… Dois a cinco anos? […] Três anos de cadeia, em média, é pouco ou muito para quem maltrata um cachorro?”, perguntou Bolsonaro à criança. “Eu acho que é muito pouco, viu? Porque coitados dos animais, gente. A gente tem que cuidar do animal, não tem que maltratar ele”, respondeu Castilho. Bolsonaro, então, propôs a consulta na internet. “O que eu pretendo fazer? Vou colocar no meu Facebook o texto da lei para o pessoal fazer comentários. Só deixo avisado, quem for para a baixaria é banimento, não tem papo. Pode reclamar, a pena é excessiva, é pequena, é grande, tem que sancionar, tem que vetar… Porque não é fácil tomar uma decisão como essa daí”, disse o presidente. Frequentemente na plateia das lives presidenciais, Gilson Machado, presidente da Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo), foi instado a dar sua opinião por ser veterinário. “Os animais, no nosso governo, estão tendo vez e, cada vez mais, estão mais protegidos no nosso governo”, disse, antes de também questionar a dimensão da pena.

Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios

O Projeto de Lei 4438/20 estabelece que síndicos e administradores de condomínios residenciais são obrigados a comunicar, à polícia civil e aos órgãos especializados, a suspeita ou a ocorrência de maus-tratos a animais nas unidades condominiais ou nas áreas comuns dos condomínios. Conforme o texto, a comunicação deverá ser feita em até 24 horas após o conhecimento do fato, informou a Agência Câmara nesta quinta-feira (10). O deputado Fred Costa (Patriota-MG) é autor da proposta, apresentada à Câmara dos Deputados. Com a medida, o parlamentar espera contribuir para o enfrentamento da violência contra os animais, ainda que maltratá-los seja considerado crime no Brasil. Ele cita pesquisa realizada pelo Ibope, em 2019, segundo a qual 92% dos entrevistados já presenciaram maus-tratos a animais. Entre os principais atos, a pesquisa destacou animais passando fome (50%) ou sede (42%) e sendo agredidos (38%). No entanto, apenas 17% das pessoas disseram ter feito alguma denúncia. “Além dos atos mais alarmantes de violência e abandono de animais, proliferam os casos nos quais as pessoas não têm ciência de suas responsabilidades ao se tornarem tutoras de um animal de estimação. Em muitas situações, o animal pode sofrer mesmo que não esteja submetido a abuso direto. Um caso comum é o animal mantido sem água e alimentação adequadas. Também comete crime aquele que mantém o animal em local inadequado, sem higiene, espaço e luz solar”, lista Fred Costa. O projeto acrescenta a medida à Lei do Condomínio.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) debate impactos de decreto que altera regulamento de inspeção sanitária de produtos de origem animal

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) reuniu, na quinta (10), especialistas do setor produtivo e do governo para discutir os impactos da alteração do Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária dos Produtos de Origem Animal (Riispoa) para o produtor rural. Em agosto deste ano, o Governo Federal publicou o Decreto 10.468, de autoria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que altera a legislação. A modernização dos procedimentos de inspeção é importante e trata-se de uma demanda frequente do setor agropecuário. O debate online foi conduzido pela coordenadora de Produção Animal da CNA, Lilian Figueiredo, que destacou a importância da revisão do decreto para modernizar e desburocratizar o sistema de inspeção brasileiro. Durante a live, foram discutidos os principais ganhos do setor com a atualização do Riispoa, como a autorização de abate de suínos não castrados e a aquisição de leite de terceiros pelas queijarias, o que impactará diretamente os produtores de queijos artesanais. As especialistas também trataram sobre a não condenação da carcaça de animais reagentes positivos para brucelose sem sintomatologia clínica, antigo pleito de setor para o controle e erradicação da enfermidade. A diretora de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Mapa, Ana Lúcia Viana, foi uma das convidadas da live e afirmou que a revisão do decreto veio para modernizar e trazer segurança jurídica para o sistema de inspeção e fiscalização de produtos de origem animal. As alterações no Decreto 10.468 trazem para o mesmo patamar as responsabilidades dos estabelecimentos de produtos de origem animal sobre a qualidade dos produtos recebidos da produção primária. A diretora anunciou ainda a publicação de um ofício circular que autoriza o descongelamento de carcaças encaminhadas para o tratamento pelo frio, no caso de presença de cisto calcificado de cisticercose, o que pode atenuar o impacto dessa nova destinação ao produtor. Segundo a diretora técnica da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Sula Alves, que também participou do debate, a revisão da norma atualizou uma série de ações que já estavam sendo operadas, mas que precisavam de regulamentação. “Essa nova versão do Riispoa está atrelada à responsabilidade do setor em reduzir o desperdício de alimentos”. Já a representante de Assuntos Regulatórios da Viva Lácteos, Marina Penna, disse que, para o setor leiteiro, a revisão do decreto foi um grande avanço e simplificou diversos processos do Riispoa, como o registro de estabelecimentos elaboradores de produtos de origem animal e o registro automático para produtos destinados exclusivamente à exportação. Clique aqui para ler o documento com perguntas e respostas sobre as alterações trazidas pelo decreto.

Cães e gatos também têm problemas no coração; conheça sintomas

De acordo com publicação do Blog Bom pra Cachorro da Folha de S.Paulo desta quinta-feira (10), cães e gatos também podem desenvolver doenças cardíacas e, assim como nos humanos, o diagnóstico precoce é  importante para o tratamento. Entre os sintomas nos animais estão cansaço fácil, mucosas arroxeadas, falta de ar, tosse, falta de apetite, relutância ao exercício e desmaios. As doenças cardíacas geralmente atingem pets de meia idade, após os sete anos. Segundo a veterinária Caroline Bettini, da SPet junto a Cobasi Teodoro Sampaio, em São Paulo, algumas raças são mais suscetíveis, como as gigantes. Também há predisposição em poddle, cocker, cavalier king, bulldog e boxer. Em gatos, persa, ragdoll, maine coon, sphynx e british short hair. “As cardiopatias mais comuns em cães consistem nas que levam ao aumento do tamanho do coração (cardiomiopatia dilatada), aumento do volume das câmaras do coração (cardiomiopatia hipertrófica), doenças de válvulas cardíacas, estenoses, insuficiência cardíaca congestiva e infecção do revestimento interno do coração”, diz. “Em gatos, trata-se da cardiomiopatia hipertrófica e dilatada.” Visitas periódicas ao veterinário e exames ajudam a identificar a doença rapidamente. O diagnóstico é feito a partir de um exame clínico detalhado. O veterinário avaliará a ausculta cardiopulmonar, pulsação, coloração de mucosas e hidratação, entre outros parâmetros. Associado a isso, o médico contará com exames complementares de imagem –como radiografia de tórax, eletrocardiograma, ecodopplercardiograma–, além de pressão arterial e de sangue. O tratamento inclui medicação de uso oral, controle da pressão, dieta específica e manutenção do peso. Para conscientizar os humanos para os riscos das doenças cardiovasculares, o Dia Mundial do Coração é lembrado no dia 29, e o mês é conhecido como Setembro Vermelho. O alerta, no entanto, vale também para a saúde dos pets.

 NA IMPRENSA
Agência Câmara – Projeto obriga síndico a comunicar maus-tratos de animais em condomínios

Folha de S.Paulo – Cães e gatos também têm problemas no coração; conheça sintomas

Folha de S.Paulo – Michelle pede sanção para punição a maus-tratos a animais, mas Bolsonaro propõe enquete

Folha de S.Paulo – Ponto de atendimento veterinário no interior de SP

Folha de S.Paulo – Petz movimenta R$ 3 bilhões no maior IPO do ano

O Estado de S.Paulo – Patrimônio ambiental de SP, dois filhotes de mico-leão-preto nascem no zoo da capital

O Estado de S.Paulo – Fundador da Petz recomeçou do zero após falência e leva sua rede à Bolsa

O Estado de S.Paulo – O que você precisa saber antes de investir na Petz (PETZ3)

O Globo – Bolsonaro pede ajuda de internautas para decidir se veta ou sanciona lei que aumenta pena para maus-tratos de animais

G1 – Caso de peste suína em javali na Alemanha coloca exportações em risco

G1 – Santos sanciona lei que proíbe acorrentar e aprisionar animais domésticos

Correio Braziliense – Orca que comoveu o mundo ao nadar com filhote morto por 17 dias se torna mãe

Valor Econômico – Abates de bovinos e frangos caíram no país no 2º trimestre, mas os de suínos aumentaram

CNA – CNA debate impactos de decreto que altera regulamento de inspeção sanitária de produtos de origem animal

CNA – Nova cadeia produtiva aumenta procura por qualificação em Sorriso

Embrapa – Anuário Leite 2020 reforça o conceito de Vacas e Pessoas Felizes e produção sustentável

SBA – Leilão Tapapuã da Gê e Convidados comercializa reprodutores com médias acima de R$ 15 mil

SBA – Valorização nos preços do frango vivo favorece poder de compra

Agrolink – Avicultores quenianos alegam dumping de Uganda

Agrolink – PSA chega na Alemanha

Agrolink – RS: porto de Rio Grande realiza maior embarque de bovinos da sua história

Agrolink – Queimadas atingem maior reduto de onças do mundo

Agrolink – Preços da carne bovina sem osso subiram no atacado

Agrolink – Boi gordo: preços da arroba subiram em dezesseis praças

Anda – Crise climática pode deslocar 1,2 bilhão de pessoas até 2050, alerta relatório

Anda – Tubarões estão extintos em 20% dos recifes de coral do mundo
______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »