MERCADO DE BIODEFENSIVOS CRESCE MAIS DE 70% NO BRASIL EM UM ANO

//MERCADO DE BIODEFENSIVOS CRESCE MAIS DE 70% NO BRASIL EM UM ANO

A produção de produtos biológicos para controle de pragas e doenças agrícolas cresceu mais de 70% no último ano no Brasil, movimentando R$ 464,5 milhões ante R$ 262,4 milhões em 2017. Conforme o portal do Mapa, o resultado brasileiro é considerado o mais expressivo da história do setor e supera o percentual apresentado pelo mercado internacional. Em termos globais, o setor apresentou crescimento de 17% no mesmo período. Os dados detalhados sobre o desempenho do ano passado da indústria nacional de biodefensivos foram apresentados nesta quinta-feira (21) pela Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABCBio), considerando apenas as empresas associadas que representam 70% do mercado nacional. O crescimento do mercado brasileiro de defensivos biológicos segue tendência mundial de redução do uso de agroquímicos para combater pragas e doenças nas lavouras. “Em um país com alto índice de insetos devido ao clima tropical, o desafio dos agricultores é reduzir a aplicação dos pesticidas, principal método de manejo de pragas do país atualmente, para também reduzir o custo da produção e os riscos associados para a saúde humana e os recursos naturais”, informa o portal.

 

Água que abastece 22 cidades de Santa Catarina tem defensivos agrícolas

 

A colunista Mara Gama do jornal Folha de S. Paulo destacou que levantamento inédito conduzido de março a outubro de 2018 em 100 cidades de várias regiões de Santa Catarina detectou a presença de agrotóxicos na água de abastecimento público em 22 dos municípios. Em algumas cidades, estavam presentes tipos diferentes de agrotóxicos. Das 17 substâncias encontradas, sete estão proibidas na União Europeia, por causarem danos à saúde. A análise foi encomendada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e a coleta faz parte de um programa do Centro de Apoio ao Consumidor da Promotoria, da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris) e da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc). Para a promotora Greicia Malheiros de Rosa Souza, responsável pela investigação, os resultados da análise das águas são bastante preocupantes. Diferentemente da contaminação em alimentos, em que se pode circunscrever o problema e atuar pontualmente para saná-lo, a água tem fornecimento contínuo, o que torna mais difícil frear a contaminação e eliminar suas causas. Isso indica que houve percolação dos agrotóxicos na região. “O ministério respondeu, em março, que só poderá se manifestar em maio, quando houver nova reunião de análise de atualização da portaria”, destacou a coluna.

 

Análise do cadastro rural deve ser automatizada, disse Valdir Colatto

 

O diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto, apresentou nesta semana durante a 87° reunião da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema) novas diretrizes e agenda estratégica do órgão, a partir da incorporação ao Ministério da Agricultura (Mapa). De acordo com o portal do Mapa, Colatto apresentou principais agendas do órgão: o Inventário Florestal Nacional, as concessões de florestas públicas e a gestão nacional de instrumentos do Código Florestal Brasileiro, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR), os Programas de Regularização Ambiental (PRA) e as Cotas de Reserva Ambiental (CRA), que, conforme afirmou, ainda dependem de definições legais para serem efetivamente implementadas. Sobre a implementação do Código Florestal Brasileiro, o diretor-geral enfatizou a necessidade de desenvolver procedimentos que automatizem a análise dos cadastros de maneira a viabilizar os Programas de Regularização Ambiental (PRA), que segundo ele, são a conclusão do Código Florestal. “Entendemos que a análise do CAR é um dos nossos maiores desafios. Vamos desenvolver estudos para propor um modelo nacional para que os estados acelerem a análise desses mais de 5,5 milhões de cadastros, para enfim chegar ao PRA”, afirmou.

 

Mesmo com enchentes nos EUA, mercado de soja não reage

 

Enchentes e proximidade de plantio nunca são uma boa combinação, pois sinalizam perigo. E isso, está ocorrendo nos Estados Unidos, país líder na produção de grãos. É o que informa a coluna Vaivém das Commodities do jornal Folha de S. Paulo. Uma situação como essa, por si só, já poria o mercado em um cenário bem conturbado. Porém, não é o que está acontecendo. Os preços da soja continuam sem grandes oscilações e na última semana a alta foi de apenas 1,3%. O contrato de maio fechou nesta quinta-feira (21) a US$ 9,1050. Dois motivos básicos impedem a alta do preço da oleaginosa, apesar dessa enchente recorde: estoques elevados e indefinições nas negociações entre China e Estados Unidos. O solo úmido vem desde setembro e outubro do ano passado, quando as chuvas foram acima do normal. Essa umidade excessiva do solo veio seguida de um inverno rigoroso. Com as chuvas atuais, houve derretimento da neve e o consequente excesso de água nos rios. “A situação do solo deve dificultar o plantio de milho e de soja no próximo mês”, segundo Daniele Siqueira, da AgRural.

 

NA IMPRENSA
ANAC – Demanda por voos domésticos cresce 6,6% em fevereiro 

 

Embrapa – Ribas do Rio Pardo (MS) duplica área cultivada com soja

 

Embrapa – Última semana para envio de trabalhos na Reunião de Cevada

 

Embrapa – Agricultores familiares e técnicos da lavoura comunitária realizam visita à Fazenda Capivara da Embrapa

 

Embrapa – Embrapa Amazônia Ocidental divulga programação de cursos para 2019

 

Embrapa – Tecnologias sobre milho, sorgo e amendoim serão mostradas na ExpoTec 2019

 

Embrapa – Aumentar em 20% a área de florestas plantadas é objetivo do Mapa

 

Embrapa – Embrapa Meio-Norte estabelece metas para inovação até 2030

 

Embrapa – Artigo: Ciência contribui para melhor manejo da água na produção agrícola do Tocantins

 

Mapa – Mercado de biodefensivos cresce mais de 70% no Brasil em um ano

 

Mapa – Análise do cadastro rural deve ser automatizada, disse Valdir Colatto

 

Mapa – Tereza Cristina diz a investidores que é hora de olhar para oportunidades de negócios no Brasil

 

Mapa – Acesso à internet no campo deve ter proposta para ampliação neste ano

 

Mapa – Produtores de florestas plantadas querem mais recursos no Plano Safra

 

Tecpar – Tecpar e Senai ampliam parceria na área de tecnologia e inovação

 

Senado Federal – CRE vai ouvir cientistas críticos à tese da ação humana no aquecimento global

 

Senado Federal – CRE pode debater entrada do Brasil na OCDE com ministros da Economia, da Agricultura e das Relações Exteriores

 

Correio Braziliense – Atividade rural sustentável será incentivada na Barragem do Descoberto

 

Correio Braziliense – Em NY, Tereza Cristina reforça a investidores intenção de melhorar logística

 

Correio Braziliense – Secretaria de Meio Ambiente aposta nas agroflorestas para minimizar consumo

 

Folha de S. Paulo – Vaivém das Commodities – Mesmo com enchentes nos EUA, mercado de soja não reage

 

Folha de S. Paulo – Mara Gama – Água que abastece 22 cidades de Santa Catarina tem agrotóxicos

 

Folha de S. Paulo – Na 1ª reunião de conselho nacional ambiental, Salles ignora regimento e barra suplentes

 

G1 – Empresa indonésia cancela pedido de compra de 49 aviões da Boeing após acidentes

 

O Estado de S. Paulo – Incêndio em fábrica de produtos químicos na China mata 44 e fere 90

 

O Estado de S. Paulo – Colégio Ofélia Fonseca – Conheça a nova horta do Ofélia

 

O Globo – Guilherme Amado – Carla Zambelli contrata irmão de secretário da Agricultura

 

O Globo – TAP planeja aumento de 50% nos voos a partir do Rio

 

Valor Econômico – Abitrigo aprova criação de cota de importação do cereal

 

Valor Econômico – Petrobras retoma hibernação de fábrica de fertilizantes na Bahia

 

Valor Econômico – Terra Santa: lucro recua 60% no quarto trimestre, para R$ 10,8 milhões

 

Valor Econômico – SinAgro expande rede de distribuição e prevê faturar R$ 2 bi

 

Valor Econômico – Brasil perde espaço para EUA no mercado japonês de etanol

 

Valor Econômico – Corte de subsídio rural anima Santander

 

Valor Econômico – STJ concede decisão favorável à Avianca

 

Zero Hora – Outono com El Niño fraco terá pouco impacto nas lavouras do RS

 

Zero Hora – Gisele Loeblein – Projeção mostra custos em alta e rentabilidade tímida na safra de trigo do RS

 

Zero Hora – Feira de tecnologia agrícola com sotaque brasiguaio

 

Mais Soja – Ciência contribui para melhor manejo da água na produção agrícola do Tocantins

 

Mais Soja – Clima se estabiliza e produtividade do algodão em MS poderá ser satisfatória

 

Mais Soja – PIB do Agronegócio brasileiro fica estável em 2018

 

__________________________________________________________________________________________

 

 

 

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.