Medida provisória que prorroga contratos de veterinários ligados ao Mapa deverá ser analisada na próxima semana  

//Medida provisória que prorroga contratos de veterinários ligados ao Mapa deverá ser analisada na próxima semana  
A comissão mista da medida provisória 903/2019, que prorroga por dois anos contratos temporários de médicos veterinários ligados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), deverá ser analisar o relatório na próxima terça-feira (11), a partir das 14h30. O relatório do deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), como destacou a Agência Senado, autoriza a prorrogação de 269 contratos de profissionais que executam atividades de auditoria fiscal agropecuária. Ao justificar a urgência da medida, o governo argumenta que, de 2016 a 2019, o Mapa sofreu com a baixa considerável de profissionais das carreiras de auditor fiscal federal agropecuário, responsáveis pela fiscalização da atividade. De acordo com a pasta, 649 servidores de carreira se aposentaram no período. Para suprir a carência, os atuais veterinários foram contratados em novembro 2017, em processo seletivo público simplificado, para atuar, em diversos municípios ligados ao comércio internacional e na vigilância e inspeção de produtos de origem animal ou vegetal. De acordo com o texto da MP, o Brasil é um dos maiores exportadores de commodities de origem vegetal e animal. Para atender às exigências dos mercados internacionais, o país precisa manter um sistema de defesa agropecuária ágil, transparente e eficiente, com pessoal qualificado e em quantitativo suficiente. O governo argumenta ainda ser imprescindível o trabalho dessa mão de obra especializada, sob pena de iminente risco à saúde dos consumidores de produtos de origem animal em todo o país, além de possíveis prejuízos para o comércio interno e as exportações. “O agronegócio é de extrema importância para a geração de divisas internacionais. Esta assertiva pode ser confirmada pelos dados da balança comercial do setor que, em 2018, atingiu o patamar de US$ 87,6 bilhões, com as exportações na escala de US$ 101,7 bilhões, ao passo que as importações chegaram a US$ 14,4 bilhões”, afirma a justificativa da proposta. A comissão é presidida pelo senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB). A reunião será realizada no Plenário 13 da Ala Senador Alexandre Costa, no Anexo 2 do Senado.

Peste suína derruba produção mundial de ração para o setor em 11%

A peste suína africana não trouxe prejuízos apenas para a suinocultura dos países afetados, também reduziu a atividade de setores industriais. Um deles foi o de ração. A produção mundial do insumo para esse setor teve queda de 11% em 2019. Com isso, a oferta total mundial de ração caiu 1,1% no período. De acordo com reportagem da coluna Vaivém da Folha de S.Paulo desta sexta-feira (7), a intensidade da doença na China fez o país asiático perder a liderança de produção mundial de rações para os Estados Unidos. O Brasil é o terceiro maior. O volume que foi colocado pelas indústrias no mercado mundial recuou para 1,13 bilhão de toneladas em 2019, conforme mostram dados da Alltech, empresa que faz um acompanhamento anual do setor. Os dados são com base em informações colhidas no último bimestre do ano. A América Latina, isenta da peste suína africana e grande fornecedora de proteínas para o mundo, teve crescimento de 2,2% no volume de ração produzido em 2019, para 168 milhões de toneladas métricas. Um dos principais destaques na produção e na exportação mundiais de carnes bovina, suína e de frango, o Brasil foi um dos grandes fornecedores de proteínas para a China. Essa demanda chinesa manteve a produção nacional de ração mais aquecida. O mercado deste produto mostra as tendências atuais do agronegócio no mundo e onde o setor se destaca. Os nove maiores produtores de ração são responsáveis pelo fornecimento global de 58% desse insumo e concentram 57% das indústrias. Os efeitos da peste suína para a indústria de ração ficam evidentes nos números da pesquisa mundial da Alltech. A produção de ração para esse segmento recuou para 261 milhões de toneladas em 2019. No ano anterior eram 292 milhões. Foi o único setor a registrar queda. Já a produção de rações para frango de corte, o de maior volume, subiu 3% no ano passado, atingindo 306 milhões de toneladas.

Evento no Paraná apresenta tecnologia que previne doenças em suínos

No encerramento do Pitch Day Celepar na noite desta quarta-feira (5), na Arena Hackathon Paraná, foram apresentadas 17 ideias que serão selecionadas para compor um banco de projetos. Segundo o portal O Presente, um dos projetos apresentados prevê o uso de nanopartículas para combater pragas em culturas, evitando o uso de agrotóxicos, melhorando a produtividade e a qualidade nos produtos orgânicos. Mas o principal uso dessa tecnologia é para combater doenças no rebanho suíno, sem necessidade do uso de antibióticos. A apresentação foi feita pelas executivas Lyanara Maranhão e Tatiane Knaul, da Nova Bio. Participaram da banca examinadora o presidente da Celepar, Leandro Moura e o diretor de mercado da Fomento Paraná, Renato Maçaneiro, além de equipe técnica da Celepar. Cada empresa teve 15 minutos para expor as ideias e convencer que os projetos podem contribuir para melhorar a gestão pública. O presidente da Celepar ressaltou a importância em apoiar iniciativas como esta, do Show Rural Digital e do Pitch Day. “O governo do estado do Paraná reforça o compromisso de fomentar cada vez mais os ecossistemas de inovação na Região Oeste, para que as ideias inovadoras possam ter bases para se desenvolverem e contribuírem com uma gestão pública mais eficiente e próxima do cidadão. Tenho certeza que algumas das ideias apresentadas aqui serão selecionadas para compor o nosso banco de projetos”, afirmou Moura. A Fomento Paraná está estruturando fundos de apoio à micro e pequenas empresas que poderão atender a esse tipo de empreendimento, inclusive por meio da participação no risco do negócio, quando envolve processos de inovação. Para o diretor de mercado da instituição, Renato Maçaneiro, essa é uma junção perfeita para estimular a inovação no Estado. “Somos parceiros nessa caminhada, unindo fundos de investimento com a expertise técnica da Celepar para selecionar empresas que possam desenvolver projetos inovadores no Paraná”, disse Maçaneiro.

Audiência discute abandono de animais dentro da UFPB, em João Pessoa

Uma audiência pública aconteceu nesta quinta-feira (6), na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), para discutir o abandono de animais dentro da instituição, informou o G1. A audiência foi realizada no Centro de Ciências e Saúde (CCS) da universidade. Mais de 400 animais já foram deixados na UFPB, entre eles 430 gatos e 30 cachorros, segundo a Comissão de Direito e Bem-Estar Animal da UFPB. De acordo com o presidente da Comissão, Francisco Garcia, o objetivo da audiência é conseguir o compromisso da instituição na implementação de políticas públicas e educativas de saúde humana e animal, devido à quantidade de animais abandonados na universidade e de alguns deles serem portadores de doenças como esporotricose e Leishmaniose. Ainda segundo Garcia, entre as pautas apresentadas, está a possibilidade de conseguir o compromisso da vice-reitoria em se responsabilizar para promover essas medidas, assim como a utilização dos canais midiáticos da UFPB para que sejam divulgadas campanhas educativas voltadas para os animais. Além de buscar a instalação de câmeras que devem funcionar em todo o campus para identificar abandonos. Francisco Garcia enfatizou ainda sobre a penalidade para quem pratica o abandono de animais. Ele disse que quem comete esse crime pode ser preso por praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais e a pena pode levar a prisão de três meses a um ano e multa. A audiência tratou ainda sobre a necessidade de oferecer um local onde os animais possam ficar após passar por cirurgia de castração no Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses.

NA IMPRENSA
Agência Senado – Colegiado analisa na terça MP que prorroga contratos de veterinários

Folha de S.Paulo – Longe de casa após coronavírus, tutores buscam ajuda para pets deixados para trás em Wuhan

Folha de S.Paulo – Qual bicho passou coronavírus para humanos? Cientistas tentam desvendar enigma

Folha de S.Paulo – Peste suína derruba produção mundial de ração para o setor em 11%

Folha de S.Paulo – Babuíno é visto segurando filhote de leão, e imagem lembra filme da Disney

Folha de S.Paulo – Coronavírus afeta embarques de carnes para a China, dizem grupos dos EUA

O Globo – Com coronavírus, Fitch corta projeção de crescimento da China para 5,5% em 2020

O Globo – Saiba quem são os flexitarianos

O Globo – ‘Jurassic Park’ está certo: estudo indica que T-Rex tinha escamas, não penas

O Estado de S.Paulo – Primeira morte por leishmaniose no Estado é confirmada em Dracena

O Estado de S.Paulo – Renas lideram ranking de mamíferos terrestres que migram para mais longe

O Estado de S.Paulo – Um pouco além do coronavírus

G1 – Justiça determina que responsável por cães abandonados em Araguaína pague pela alimentação dos animais

G1 – Audiência discute abandono de animais dentro da UFPB, em João Pessoa

Valor Econômico – Indonésia não abre mercado à carne de frango e Brasil pode retaliar

Valor Econômico – China reporta foco de gripe aviária; 17,8 mil frangos são sacrificados

Mapa – Brasil poderá exportar pescado para o Marrocos

Mapa – Mapa abre consulta pública para criar regulamento técnico do soro de leite

AgroLink – Mercado do boi gordo com baixa disponibilidade

AgroLink – Fevereiro começa com preços em queda de suínos

Anda – PL prevê extinção de parque com maior biodiversidade da Amazônia para criar bois

O Presente – Evento apresenta tecnologia que previne doenças em suínos
_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »