Mapa vai revisar fiscalização de produtos veterinários  

//Mapa vai revisar fiscalização de produtos veterinários  
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) criou, nesta quinta-feira (12), o Grupo de Trabalho Técnico (GTT) para avaliar propostas de fiscalização de fabricantes de produtos de uso veterinário, com base no risco estimado, ou seja, quanto maior o risco, como o das vacinas de uso em campanhas oficiais de vacinação, maior será a fiscalização. O grupo foi criado pela Portaria 74. O GTT terá prazo de seis meses – que podem ser prorrogados por mais 90 dias – para apresentar conclusões. O grupo também deverá propor cronograma de fiscalizações, manual para a realização das ações, padronização de documentos usados pelos auditores fiscais federais agropecuários e programa de capacitação continuada desses servidores. A responsável pela Divisão de Fiscalização de Produtos de Uso Veterinário (DFPV), Maralice Cotta, prevê que os resultados do GTT deverão contribuir para assegurar à sociedade insumos e produtos conformes e seguros; reduzir riscos de fraude e adulteração e melhorar o direcionamento da fiscalização, graças à harmonização de procedimentos das equipes de fiscais, com otimização dos recursos humanos e financeiros. A Coordenação de Registro e Fiscalização de Produtos de Uso Veterinário (CPV) cuida das atividades relacionadas à fiscalização. As superintendências federais de Agricultura (SFA), localizadas nos estados, são as executoras. Diferentes estabelecimentos, além dos fabricantes, são fiscalizados: importadores, comerciantes, farmácias de manipulação, entre outros.

Animais de estimação agora podem entrar em asilos, creches e instituições de tratamento, no Distrito Federal

Os animais domésticos e de estimação estão autorizados a entrar em asilos, creches e instituições de tratamento de pessoas com transtornos mentais e dependentes químicos no Distrito Federal. Segundo o G1 a nova lei foi publicada nesta sexta-feira (13) no Diário Oficial (DODF) e já está em vigor. Quem assina a medida é o presidente da Câmara Legislativa do DF (CLDF), Rafael Prudente (MDB). Em setembro de 2019, a Casa aprovou a proposta, que seguiu para análise do governador Ibaneis Rocha. O chefe do Executivo vetou a nova medida, no entanto, os deputados distritais derrubaram o veto. O texto, de autoria do distrital João Cardoso (Avante), afirma que o acesso dos animais às instituições deverá ser condicionado ao agendamento prévio junto aos estabelecimentos. Também será exigida a autorização ou a anuência formal dos familiares das pessoas a serem visitadas, especialmente em caso de menores de idade. De acordo com o parlamentar, o objetivo do projeto é “possibilitar que os animais levem mais alegria, bem-estar e qualidade de vida às pessoas”.

Embrapa Gado de Leite entrega sistema compost barn

Com presença do presidente da Embrapa, Celso Moretti, autoridades e lideranças da cadeia leiteira, a Embrapa Gado de Leite fez a entrega, na manhã desta quinta-feira (12), do Sistema Compost Barn – Vacas e Pessoas Felizes. Mais de 430 pessoas marcaram presença na solenidade, que contou com mensagem gravada em vídeo pela ministra do MAPA, Tereza Cristina. Estavam representadas no evento 32 instituições públicas.  O sistema de produção intensiva de leite em compost barn, instalado no Campo Experimental José Henrique Bruschi, em Coronel Pacheco (MG), é um estábulo climatizado cuja principal característica é possuir uma “cama” de material orgânico que realiza a compostagem das fezes e urina dos animais e proporciona maior conforto aos animais e trabalhadores. O compost barn da Embrapa leva o nome de Vacas e Pessoas Felizes. “Um animal feliz é bem alimentado, sadio, está num ambiente agradável e é bem tratado”, explica o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo Martins. Segundo o chefe de Pesquisa & Desenvolvimento, Pedro Arcuri, além de promover o bem-estar animal, devido a um ambiente seco e climatizado, também proporciona uma rotina de trabalho mais confortável para produtor e empregados. “Há muita tecnologia embarcada no sistema que a Embrapa está entregando. Câmeras e diversos sensores monitoram todo o ambiente, fornecendo informações sobre temperatura, atividade das vacas, iluminação etc. Nosso foco será a produção de conhecimento”. Tudo isso, segundo Arcuri, favorece o trabalho dos profissionais envolvidos e facilita a tomada de decisão do produtor. Ao final das explicações sobre o sistema e discursos das autoridades presentes, o presidente Celso Moretti pediu aplausos a todos os produtores de leite presentes no evento, afirmando “é por vocês que estamos aqui, é por vocês que trabalhamos”. Ele cumprimentou a todos que se esforçaram para a criação do empreendimento que congrega pesquisa, inovação e os setores público e privado para proporcionar informações preciosas para a pesquisa agropecuária, que vão beneficiar a sociedade brasileira. Moretti saudou também os deputados presentes, que com seus esforços e emendas ajudam a solucionar as questões do meio rural. A adoção do compost barn tem crescido entre os produtores nacionais. Já são mais de dois mil em funcionamento, mas há poucos resultados de pesquisa sobre a tecnologia. O sistema Embrapa tem capacidade para receber 100 vacas das raças Holandês e Girolando, além de um composto convencional para recria. Segundo Arcuri, a estrutura será fonte de pesquisas, gerando indicadores sobre sua utilização em ambiente tropical, preenchendo uma importante lacuna.

Democracia na natureza: como grupos de animais votam?

Os animais que vivem em grupo também precisam tomar decisões em grupo, destacou o jornal O Estado de S.Paulo nesta sexta-feira (13). Eles confiam uns nos outros para a proteção mútua ou para procurar comida. Então, precisam encontrar maneiras de chegar a um consenso. Embora não possam realizar eleições como os seres humanos, espécies que variam de primatas a insetos têm métodos para chegarem a acordos surpreendentemente democráticos. Assim que os suricatos acordam, ao nascer do dia, eles começam a procurar comida. Cada suricato cuida de sua própria alimentação, mas eles se deslocam em grupos um tanto dispersos, com até 10 metros de distância entre os membros mais próximos, diz Marta Manser, cientista do comportamento animal da Universidade de Zurique, na Suíça. Eles se movem como uma unidade, chamando um ao outro enquanto avançam. Um de seus sons é um miado suave que os pesquisadores batizaram de “chamado do vamos embora”. Parece significar: “Estou pronto para sair fora desta área, quem vem comigo?”. Em um estudo de 2010, Manser e seus colegas analisaram esses chamados em uma dúzia de grupos de suricatos que vivem no deserto de Kalahari, na África do Sul. Os grupos variavam de 6 a 19 indivíduos, mas apenas três precisavam miar para que todo o grupo decidisse seguir adiante. Quando os animais mudam de comportamento em resposta à conduta de uma massa crítica de seus iguais, os biólogos chamam essa mudança de resposta ao quórum. Manser acha que as respostas ao quórum também se manifestam nas decisões humanas. “Se você está em um grupo e alguém diz ‘Vamos comer pizza’, mas ninguém se anima, não acontece nada”, disse ela. Mas, se alguns dos amigos topam o chamado para a pizza, o argumento fica muito mais convincente. Manser descobriu que não importava se os suricatos que faziam o “chamado do vamos embora” eram dominantes ou subordinados. “Tudo depende do grau de convicção que esse indivíduo demonstra”.

NA IMPRENSA
O Estado de S.Paulo – Democracia na natureza: como grupos de animais votam?

O Estado de S.Paulo – Programa ensina lições para sobreviver na selva

Canal Rural – Rastreabilidade de frangos é um diferencial competitivo; entenda por quê

Canal Rural – Tratamento de água em aviculturas melhora desenvolvimento de aves

Canal Rural – Preços do boi caem no Brasil; veja os motivos

G1 – Animais de estimação agora podem entrar em asilos, creches e instituições de tratamento, no DF

G1 – Veterinário tira dúvidas sobre castração e cuidados com animais

Valor Econômico – Pânico com coronavírus faz BRF atingir menor valor desde 2012

Mapa – Preço das carnes tem queda de 3,53% em fevereiro, segundo IBGE

Mapa – Mapa vai revisar fiscalização de produtos veterinários

AgroLink – Recuo nas vendas pressiona cotação do frango no atacado

AgroLink – Competitividade da carne suína ante a bovina é histórica

AgroLink – Com negócios aquecidos, preços do frango sobem

AgroLink – Preços da arroba e da carcaça seguem firmes

AgroLink – Mais uma semana de alta no mercado de suínos

AgroLink – Boi gordo: mercado travado em São Paulo

AgroLink – Corteva é a primeira empresa do agronegócio a integrar Cubo Itaú

Anda – Cão de Hong Kong mantido em quarentena não tem coronavírus

Anda – Centenas de cães assassinados por oficiais russos são encontrados empilhados

Anda – Coelhos estão perdendo o habitat por intensa industrialização agropecuária

Anda – Três canis clandestinos são descobertos nos primeiros meses de 2020

Anda – Vereador critica aprisionamento de animais para entretenimento humano no Zoo do Rio

Anda – Tutora de cães mortos a machadadas diz nunca ter imaginado que alguém pudesse fazer isso

Anda – Sexta-feira 13 exige cuidado redobrado com animais pretos

Embrapa – Ciência voltada para pecuária de corte chega a feiras em março

Embrapa – Embrapa Gado de Leite entrega sistema compost barn

Embrapa – Evento sobre recursos hídricos na agropecuária é adiado

Embrapa – Profissionais de cooperativas participam de capacitação até setembro na Embrapa Pecuária Sudeste

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »