Mapa vai fomentar a qualificação dos peritos agrícolas que trabalham no seguro rural

//Mapa vai fomentar a qualificação dos peritos agrícolas que trabalham no seguro rural
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), publicou nesta quinta-feira (24) a Resolução nº 77 do Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural, que trata sobre os parâmetros mínimos a serem observados na capacitação técnica dos peritos agrícolas que atuam na regulação de sinistros de apólices contratadas no âmbito do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). A resolução estabelece alguns procedimentos que devem ser adotados pelas seguradoras habilitadas a operar no PSR no processo de capacitação técnica dos peritos, como por exemplo a observância do conteúdo programático mínimo a ser disponibilizado pelo Mapa. A expectativa é que até o final de 2020 as empresas interessadas comecem a divulgar os cursos, que serão por ensino à distância, dessa primeira fase da qualificação de peritos. De acordo com o diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola, o trabalho realizado pelos peritos é primordial para o desenvolvimento do seguro rural no país, por isso é preciso estimular a qualificação desses profissionais. “Os cursos de capacitação poderão ser ofertados por instituições públicas ou privadas e até mesmo pelas seguradoras visando preparar os profissionais para a certificação, que será definida no próximo ano”. Segundo Loyola, além das ações do Ministério para fomentar a oferta da capacitação dos peritos, existe o desafio de aumentar o número de profissionais da rede de peritos no país, “o seguro rural está em ritmo de crescimento acelerado e os serviços prestados pelos peritos que atuam nesse mercado precisam acompanhar esse movimento, seja na qualidade das vistorias, quanto no atendimento oportuno ao produtor rural”. Maiores informações podem ser obtidas pelo e-mail: seguro@agricultura.gov.br. O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize apólice de seguro rural. Atualmente, 14 seguradoras estão habilitadas para operar no PSR. O seguro rural é destinado aos produtores pessoa física ou jurídica, independente de acesso ao crédito rural. A subvenção econômica concedida pelo Ministério da Agricultura pode ser pleiteada por qualquer pessoa física ou jurídica que cultive ou produza espécies contempladas pelo Programa. Para os grãos em geral, o percentual de subvenção ao prêmio pode variar entre 20% e 40%, a depender da cultura e tipo de cobertura contratada. No caso das frutas, olerícolas, cana-de-açúcar e demais modalidades (florestas, pecuário e aquícola) o percentual de subvenção ao prêmio será fixo em 40%. Para produtores das regiões Norte e Nordeste de grãos, o PSR destinará R$ 50 milhões exclusivos para essas regiões nos meses de setembro e outubro.

Proposta altera regras de contratos de parceria agrícola

O Projeto de Lei 3097/20 permite que os contratos de parceria agrícola definam a cota do proprietário do terreno no resultado da produção. Hoje, o Estatuto da Terra fixa os percentuais de participação do dono do imóvel, que variam de 20% a 75%, destacou a Agência Câmara nesta quarta-feira (23). A proposta é de autoria do deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES) e tramita na Câmara dos Deputados. O texto prevê outras mudanças no regime de parceria agrícola. Melo afirma que o objetivo é dar mais segurança jurídica para os contratos de parceria agrícola, pecuária, agroindustrial e extrativa. Neste tipo de contrato, o proprietário cede o terreno para que outro possa explorar alguma atividade rural, com a partilha mútua dos riscos. As principais mudanças propostas pelo deputado são: o proprietário do terreno também poderá cobrar do parceiro, pelo seu preço de custo, o valor de transporte, assistência técnica, equipamentos de proteção, combustível e sementes. Hoje, ele só pode cobrar pelos fertilizantes e inseticidas fornecidos; a prestação de orientação ou assistência técnica pelo proprietário não caracteriza relação de subordinação trabalhista do parceiro em relação ao proprietário; o parceiro poderá optar por vender ao proprietário a sua parcela da produção, observados os níveis de preços do mercado local. O projeto permite ainda que o núcleo familiar do parceiro seja incluído no contrato de parceria.

Nova CEO da divisão agrícola da Bayer promete agilidade

Em um campo fértil para a expansão dos negócios, Malu Nachreiner assume o cargo de CEO da Divisão Agrícola da Bayer no Brasil com a missão de acelerar os ganhos de eficiência no campo. “Agilidade será o nome do jogo daqui para frente, e temos que trabalhar junto com o produtor para moldar a agricultura do futuro”, disse ela ao Valor Econômico nesta quinta-feira (24). Executiva com larga experiência na área comercial e de marketing, Malu começou sua carreira com um estágio na Monsanto em 2003, e passou a representante de vendas no ano seguinte. Trabalhando a campo no Sul do país, conta que aprendeu a importância de demonstrar aos clientes o valor dos produtos. Em linha com a estratégia global da múlti, ela afirma que o modelo de cobrança baseado em resultados, que a Bayer começou a testar nos EUA e no Brasil no ano passado, deverá ganhar espaço na sua gestão. Além das plataformas digitais Orbia (de compra de insumos e venda de commodities), Climate Field View (software de monitoramento da lavoura) e da Iniciativa Carbono Bayer (para comercialização de créditos de carbono), que promovem também uma aproximação da empresa com a ponta. No caso da cobrança baseada em resultados, ela explica que a proposta da Bayer é dividir riscos com o cliente. Já em piloto na safra 2019/20, a empresa trabalhou com uma ferramenta de recomendação de adensamento de plantio com um grupo de cerca de 50 produtores de milho assumindo que, se a recomendação não gerasse aumento de produtividade, creditaria no ciclo seguinte o valor gasto com o uso adicional de sementes. A nova CEO é também quem vai liderar, já na safra 2021/22, o lançamento da nova geração de soja transgênica da Bayer, a Intacta 2 Xtend, que tem causado polêmica no campo por ser tolerante ao dicamba, herbicida associado a problemas de deriva. Para Malu, a questão será endereçada com treinamentos de manejo. “Nosso objetivo é trazer lançamentos que levem o produtor para outro patamar de produtividade”, diz, o que deverá ficar claro nas primeiras colheitas do novo transgênico na temporada 2020/21, que não aconteceram antes por limitações regulatórias. Na visão dela, é o desempenho da tecnologia que vai definir os avanços que estão em jogo.

Frente da Agropecuária defende equilíbrio entre produtividade e preservação ambiental

Representantes da Frente Parlamentar da Agropecuária participaram de audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o funcionamento do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima, informou a Agência Câmara nesta quinta-feira (23). PSB, Psol, PT e Rede entraram com uma ação no STF acusando o governo federal de omissões na área ambiental, entre elas não adotar providências para o funcionamento do Fundo do Clima. A audiência foi convocada para fundamentar a decisão a ser tomada pelo relator da ação, ministro Luís Roberto Barroso. O vice-presidente da Frente da Agropecuária, deputado Sérgio Souza (MDB-PR), ressaltou que o País já tem diversos instrumentos para controlar as irregularidades cometidas contra o meio ambiente, como a regularização fundiária, o Código Florestal, o licenciamento ambiental e a demarcação de terras indígenas. “Precisamos repudiar todas as queimadas e desmatamento ilegal. Tudo que faz mal à natureza também faz mal ao nosso setor agropecuário e ao bolso do produtor”, disse Souza. O deputado disse que a população mundial, até 2050, vai crescer mais de 25% e que o Brasil precisa de segurança jurídica para produzir com sustentabilidade. “Vamos aumentar o consumo de alimentos em mais 50% e o mundo sabe da responsabilidade do agro brasileiro neste processo”, disse Souza. Já o deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) disse que o Brasil tem a oportunidade de harmonizar a produção e a preservação. “Nós podemos dar um passo para superar polarizações e construir convergências”, afirmou o parlamentar ressaltando que o setor agropecuário é inovador, moderno e tem um claro compromisso com a preservação ambiental. “Alguns programas são exemplos, como a agricultura de baixo carbono, a integração lavoura, pecuária e floresta e também o avanço da biotecnologia com o RenovaBio – moedas verdes e certificados dos biocombustíveis que dialogam com a sustentabilidade”, enumerou.

NA IMPRENSA

Agência Senado – Davi estende prazo de MP que autoriza prorrogação de contratos do Incra

Agência Senado – Senado já tem assinaturas necessárias para abrir a CPI da Crise Ambiental

Agência Senado – Comissão do Pantanal aprova plano de trabalho e visita a Corumbá (MS)

Agência Câmara – Ambientalistas acusam governos federal e estaduais de descaso com incêndios no Pantanal

Agência Câmara – Projeto anula norma do governo que reduziu metas de emissão de gases do efeito estufa

Agência Câmara – Frente da Agropecuária defende equilíbrio entre produtividade e preservação ambiental

Agência Câmara – Comissão que vai acompanhar o enfrentamento de queimadas define plano de trabalho nesta quinta

Agência Câmara – Proposta altera regras de contratos de parceria agrícola

Governo Federal – Força Nacional reforça combate a incêndios no Mato Grosso

Folha de S.Paulo – Cenário de 2021 repete evolução favorável de 2020 para agricultura

O Estado de S.Paulo – Um Agro moderno exige um Estado moderno

BR Político – Financiamento para agricultura familiar exclui ampla maioria de produtores

G1 – Brasil perdeu 8,3% da vegetação natural em 18 anos; 42% virou pasto e 19%, plantação, diz IBGE

G1 – Em carta, cientistas internacionais defendem Guia Alimentar brasileiro e criticam proposta de mudança de ministério

G1 – PIB do agronegócio do Brasil cresce 5,26% no 1º semestre, diz CNA

STF – Assentamentos de reforma agrária podem ter licenciamento ambiental simplificado

Valor Econômico – Contag critica intenção do Ministério da Agricultura de revisar o “Guia Alimentar”

Valor Econômico – Anffa comemora autorização para contratação de 140 auditores agropecuários

Valor Econômico – JBS promete desmate zero na Amazônia em cinco anos

Valor Econômico – Sojicultores esperam chuvas ‘consistentes’

Valor Econômico – Transporte de arroz para os portos do país cresceu 188% de janeiro a agosto

Valor Econômico – Nova CEO da divisão agrícola da Bayer promete agilidade

Valor Econômico – PIB do agronegócio cresceu 5,3% até junho, dizem CNA e Cepea

Valor Econômico – FAO defende ampliação do uso de selos de sustentabilidade

Valor Econômico – Ministra diz que é injustiça culpar “o homem do Pantanal” por incêndios

CNA – AGRO PELO BRASIL – Histórias(*): Senar ajuda produtoras rurais da Bahia a expandir os negócios e triplicar a renda

CNA – Sistema Famasul acompanha tramitação das propostas que mais impactam o setor agropecuário brasileiro

CNA – CNA debate comércio e meio ambiente em evento da Bolsa Argentina de Cereais

Mapa – Mapa vai fomentar a qualificação dos peritos agrícolas que trabalham no seguro rural

Embrapa – Embrapa é citada como modelo de gestão por instituição de pesquisa norte-americana

Embrapa – Agricultura brasileira enfrentou desafios para ser sustentável, diz Moretti, no STF

Embrapa – Programação de workshop inicia com discussão sobre manejo integrado de pragas

Embrapa – Painel debate adubação potássica nos sistemas produtivos da soja

Agrolink – Déficit de produtos químicos recua 6,7%

Agrolink – Europa busca ‘recompensar’ carbono em solos agrícolas

Agrolink – Bionematicida deixa café mais produtivo

Agrolink – Micróbio do solo aumenta colheita, diz estudo

Agrolink – Inicia plantio da área destinada à Abertura Oficial da Colheita do Arroz

Agrolink – Empresas inovam no atendimento para agronegócio

Agrolink – Técnica de manejo de solo recebe reconhecimento
______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »