Mapa publica Guia de Boas Práticas Regulatórias para área de defesa agropecuária

//Mapa publica Guia de Boas Práticas Regulatórias para área de defesa agropecuária
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou nesta sexta-feira (12), no Diário Oficial da União, a Portaria nº 191 que aprova o Guia de Boas Práticas Regulatórias da Secretaria de Defesa Agropecuária. O objetivo é pautar a ação estatal em um processo sistematizado e transparente de produção de atos normativos, que facilite a participação e a compreensão geral acerca dos procedi­mentos prescritos. O manual incorpora diretrizes do governo federal voltadas para a desburocratização e a simplificação regulatória. O Guia apresenta um fluxo composto por 12 etapas, que se sucedem e complementam: Iniciativa; Análise de Impacto Regulatório; Elaboração; Proposição e Anuência Prévia; Consulta Interna; Consulta Pública e Notificação Internacional; Audiência Pública; Análise do Comitê Permanente de Análise e Revisão de Atos Normativos (CPAR); Análise da Consultoria Jurídica do Mapa (Conjur); Assinatura; Publicação; e Implementação – Avaliação de Resultado Regulatório. A observância do Guia é obrigatória no âmbito da Secretaria de Defesa Agropecuária, mas a extensão de sua aplicação dependerá da complexidade do tema regulado, da urgência da ação estatal e da experiência acumulada. “O Guia de Boas Práticas Regulatórias faz parte dos esforços para aprimorar a qualidade da nossa produção normativa. Ele explica e detalha cada etapa do processo, sendo uma iniciativa complementar ao já conhecido Sistema de Monitoramento de Atos Normativos (Sisman)”, destaca o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal.

Sobe para 298 o número de macacos mortos por febre amarela no Paraná

Nesta sexta-feira (12), o portal Anda destacou que, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná divulgou, na última quarta-feira (10), um boletim que revela um aumento no número de mortes de macacos por febre amarela no estado. Já são 298 vidas perdidas. O boletim atualizado registra 9 novas mortes de animais pela doença e leva em consideração dados do ano epidemiológico, iniciado em julho de 2019. Não há mortes de humanos pela doença no estado, segundo a Sesa. Os macacos, no entanto, seguem morrendo. Os últimos casos foram registrados em Porto Vitória, com 4 mortes; União da Vitória, com dois macacos mortos; Cruz Machado, Biturana e Mangueirinha, com uma morte cada. A circulação do vírus foi registrada pela primeira vez, segundo a Sesa, na região de Pato Branco, no município de Mangueirinha. A pasta reforçou que os macacos não são transmissores da doença e que a morte deles indica que o vírus está circulando em uma determinada região. A transmissão, no entanto, é feita através de um mosquito. Há quem, por ignorância e maldade, agrida e tire a vida de macacos por temer a doença. A espécie, porém, é vítima da febre amarela tanto quanto os humanos. Maltratar e matar macacos por conta da febre amarela configura crime ambiental, passível de detenção de até um ano, além de multa.

Vacas podem combater coronavírus, diz empresa dos EUA

Uma empresa de biotecnologia dos Estados Unidos induziu vacas geneticamente modificadas a bombear anticorpos humanos que sujeitam o SARS-CoV-2, o patógeno que causa a doença mortal, e planeja iniciar testes clínicos neste verão, informou o portal AgroLink nesta sexta-feira (12). “Isso é promissor”, diz Amesh Adalja, médico de doenças infecciosas do Centro de Segurança em Saúde da Universidade Johns Hopkins. “Queremos ter o maior número possível de contramedidas”, completa. Para produzir anticorpos para tratar ou prevenir doenças, as empresas recorrem frequentemente a fontes como culturas de células ou plantas de tabaco. Mas há quase 20 anos, os pesquisadores começaram a desenvolver a abordagem agora aplicada pela SAb Biotherapeutics de Sioux Falls, Dakota do Sul, para produzir anticorpos em animais. A empresa altera geneticamente as vacas leiteiras para que certas células imunológicas carreguem o DNA que permite às pessoas produzir anticorpos. Essa atualização permite que os animais produzam grandes quantidades de anticorpos humanos contra uma proteína patogênica injetada neles. “Essencialmente, as vacas são usadas como um biorreator gigante”, diz o imunologista viral William Klimstra, da Universidade de Pittsburgh, que vem testando a potência dos anticorpos bovinos contra o SARS-CoV-2. As vacas são boas fábricas de anticorpos, e não apenas porque têm mais sangue do que animais menores projetados para sintetizar versões humanas de proteínas. Seu sangue também pode conter o dobro de anticorpos por mililitro que o sangue humano, diz Eddie Sullivan, presidente e CEO da SAb Biotherapeutics. Quando a pandemia de COVID-19 eclodiu, a SAb Biotherapeutics já havia concluído um ensaio clínico com anticorpos gerados por vaca contra a síndrome respiratória do Oriente Médio, causada por um coronavírus relacionado à SARS-CoV-2. O desenvolvimento desse tratamento “nos deu uma visão inicial para focarmos no objetivo certo”, diz Sullivan. Em 7 semanas, as vacas estavam gerando anticorpos contra o pico da SARS-CoV-2.

Cuidados essenciais com os equinos durante o inverno

Com a chegada do inverno, o cuidado com a saúde para evitar doenças é maior. Assim como para os humanos, os cavalos também precisam de precauções para manter o bem-estar e a saúde, destacou o portal AgroLink nesta sexta-feira (12). Assim como a nossa gripe, os cavalos podem ter a influenza equina, que podem causar febre, tosse, secreção nasal, letargia e, apesar de ter uma baixa taxa de mortalidade em cavalos adultos, os potros podem apresentar sinais graves de pneumonia, podendo levar à morte. Os cavalos também estão suscetíveis à adenite equina (Garrotilho), uma doença bacteriana contagiosa que acomete equinos de todas as idades e ataca o sistema respiratório do animal. Para evitar que essas e outras doenças aconteçam, seguem algumas dicas: Nutrição: esse é um dos cuidados mais importantes do cavalo durante o inverno. Quando as baixas temperaturas chegam, os cavalos tendem a gastar mais energia para manter o metabolismo estável, por isso, uma dieta mais calórica é necessária, evitando assim diminuição do escore corporal do animal. “Além disso, é fundamental ficarmos atentos com a ingestão de água, pois nesta época do ano, a temperatura da água também cai, consideravelmente, e os cavalos não gostam de beber água gelada, o que pode levar à cólicas por compactações de fibra no intestino grosso. Portanto, recomendamos a ingestão forçada do sal mineral com a ração, para evitar estes tipos de problemas.” explica Cláudia Ceola, Médica Veterinária e Supervisora Técnica de Equinos da Guabi. O fornecimento de fibra de boa qualidade e uma dieta balanceada são sempre essenciais para o bom funcionamento do trato gastrointestinal dos cavalos. Estábulo: é importante que o local onde o cavalo durma esteja sempre limpo, com cama apropriada (maravalha, serragem ou feno) e protegido de vento. Exercícios: os exercícios são recomendados no inverno não só para manter o condicionamento físico do animal, mas também para manter o trânsito intestinal e o escore corporal, uma vez que a ingestão de alimento é maior, e os animais tenderem a ficar mais confinados neste período. Higiene do animal: é normal dar banho no cavalo após um dia cheio de atividades e exercícios mais puxados, porém no inverno a atenção precisa ser redobrada. Para preservar sua saúde, é recomendado a meia ducha, ou em casos de banho inteiro, que sejam pela manhã, para que o animal esteja totalmente seco no período de seu descanso à noite. Potros: para os recém-nascidos, o cuidado é ainda maior. As doenças respiratórias e as diarreias são muito comuns e podem ser letais para os potros, se não forem tratados com mais atenção. A suplementação das éguas paridas com ração nas secas, onde a escassez dos pastos está presente, é fundamental para a produção de leite de qualidade, garantindo saúde ao potro.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Colônia com mais de 64 mil tartarugas é registrada por drone em mar da Austrália

Folha de S.Paulo – Quando a onça faz parte da solução

Folha de S.Paulo – Quarentena pode causar ansiedade em pets; saiba o que fazer

G1 – Bioparque da Amazônia recebe novos animais neste período de pandemia

G1 – Fiocruz começa testar vacina contra Covid-19 em animais

G1 – Pets também podem sofrer com transtornos emocionais e estresse

G1 – G1 explica se pet pega e transmite o novo coronavírus

G1 – Animais silvestres ameaçados de extinção são vendidos em feiras livres no RJ sem repressão

G1 – Zoológico faz ‘lives’ e mostra animais para ‘matar saudade’ na quarentena em SP

G1 – Relembre animais selvagens já encontrados pela equipe do Globo Repórter

G1 – Dupla é presa por caça de animais após ser flagrada com capivara abatida e arma em Avaré

Valor Econômico – Justiça determina inspeção semanal de frigorífico da JBS

Valor Econômico – Prefeitura de Rio Verde (GO) interdita complexo da BRF

CNA – Mapa libera trânsito de animais entre Estados que retiraram a vacina da aftosa

CNA – Paraná representa 40% das exportações de frango do país

CNA – Vaca de pequeno pecuarista bate recorde de produção

CNA – Estudo mostra oportunidades para exportar carnes para a China

Mapa – Mapa publica Guia de Boas Práticas Regulatórias para área de defesa agropecuária

AgroLink – Cuidados essenciais com os equinos durante o inverno

AgroLink – Abate de frangos é recorde com 1,51 bilhão de cabeças

AgroLink – Preços das carnes disparam nos EUA

AgroLink – Suíno: ritmo de negócios aumenta

AgroLink – Vacas podem combater coronavírus, diz empresa dos EUA

AgroLink – Maior procura impulsiona cotações do frango

AgroLink – Pesquisadora da Epamig ensina como fazer queijo Minas frescal em casa

AgroLink – Carne mais cara eleva preços ao produtor dos EUA

AgroLink – Remates virtuais na Temporada de Outono registram alta liquidez

AgroLink – Boi gordo: mercado aquecido

AgroLink – Queda no abate de bovinos no primeiro trimestre do ano

AgroLink – Carne suína: aumento no volume diário exportado em junho

AgroLink – Recuos nos preços dos ovos nas granjas e atacado

AgroLink – Pandemia acelera consumo de “carne vegetal”

AgroLink – Embalagens garantem segurança na crise, diz especialista

AgroLink – Vaca de pequeno pecuarista bate recorde de produção

Anda – Sobe para 298 o número de macacos mortos por febre amarela no Paraná

Anda – Lindo e meigo gatinho precisa de resgate em SP

Anda – Ambientalistas encontram “cemitério” de tartarugas em Santa Catarina

Anda – Não há interesse da polícia em combater crimes ambientais, diz policial

Anda – Shopping recebe doações de agasalhos para animais e seres humanos em SP

Anda – Frente de Ações pela Libertação Animal disponibiliza audiobook inédito em português

Anda – Após parto sofrido, filhote de leão branco é separado da mãe em zoológico

Anda – Deputado diz que mudanças climáticas matarão mais do que Covid-19

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »