Mapa estabelece regras para garantir bem-estar na suinocultura

Home/Informativo/Mapa estabelece regras para garantir bem-estar na suinocultura

Desde o fim do ano passado, o Brasil tem seu primeiro conjunto de normas relacionadas ao bem-estar animal que devem ser seguidas pela cadeia produtiva da suinocultura. As regras foram estabelecidas a partir da Instrução Normativa (IN) 113 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), publicada em 16 de dezembro de 2020. De acordo com a CNA ao longo de 54 artigos, o documento é bastante abrangente: contempla desde como devem ser as instalações até práticas de manejos nas granjas. A FAEP teve participação intensa na elaboração das normas, por meio de um grupo de trabalho que ajudou a dar contornos finais ao documento. As orientações estão alinhadas às diretrizes da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) para a produção de suínos, o que dá respaldo maior as exportações do setor. Segundo maior produtor de suínos no Brasil, o Paraná tem mirado cada vez mais no mercado internacional. Considerando o período de janeiro a novembro de 2020, o Estado exportou US$ 281,7 milhões, alta de 26% em relação ao mesmo período de 2019. Os benefícios das novas regras vão além de questões de mercado. A expectativa é de que, ao estabelecer parâmetros, a normativa ajude a padronizar a produção e que garanta mais segurança jurídica e produtiva ao setor. “O Brasil é signatário da OIE, mas não tínhamos documento que tratasse de bem-estar animal na suinocultura. A normativa atende às exigências internacionais e vai fazer com que o setor produtivo tenha um padrão de instalações e de manejo que colocará o país em outro status em relação a bem-estar”, aponta Cleandro Pazinato Dias, médico veterinário, doutor em Ciência Animal e membro do grupo de trabalho da OIE em bem-estar de suínos. “Muito do que a normativa estabelece os nossos produtores já vêm fazendo. Mas em termos de diretrizes nacionais, passamos a ter segurança, tanto para o produtor quanto para a cadeia como um todo”, avalia Nicolle Wilsek, técnica do Departamento Técnico (Detec) do Sistema FAEP/SENAR-PR, que acompanha a cadeia produtiva da suinocultura. Veja mais sobre a Instrução Normativa (IN) 113.

Abate de bovinos cai e de suínos e frangos cresce no 4º trimestre de 2020, diz IBGE

O abate de bois caiu 10,3% no 4º trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019, enquanto o de suínos aumentou 1,6% e o de frangos teve alta de 5,5%. Os dados são do levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta quinta-feira (11). Segundo o G1 a produção de carne bovina no 4º trimestre de 2020 chegou a 7,25 milhões de cabeças abatidas, queda de 10,3% na comparação ao mesmo período do ano passado e uma redução de 5,8% em relação ao trimestre anterior, o 3º de 2020. O IBGE informou ainda que a produção de 1,96 milhão de toneladas de carcaças bovinas representou uma queda de 6,5% em relação ao 4º trimestre de 2019 e diminuição de 4,6% em relação ao 3º trimestre de 2020. O abate de suínos cresceu na comparação anual, mas teve queda em relação aos três meses anteriores da comparação. Foram 12,10 milhões de cabeças no 4° trimestre de 2020, um aumento de 1,6% em relação ao mesmo trimestre de 2019 e queda de 4,7% em comparação ao 3° trimestre de 2020. O peso acumulado das carcaças suínas foi de 1,08 milhão de toneladas, aumento de 1,7% em relação ao 4° trimestre de 2019 e queda de 7,8% em comparação com o trimestre anterior. No caso dos frangos, o abate cresceu 5,5% na comparação anual. Foram 1,55 bilhão de animais, o que também representou acréscimo de 2,5% na comparação com o 3° trimestre de 2020. A produção de ovos de galinha foi de 977 milhões de dúzias, queda de 1,5% em relação ao mesmo período do ano anterior e uma retração de 3,4% em comparação ao 3° trimestre de 2020. O peso acumulado das carcaças de frango foi 3,57 milhões de toneladas, acréscimo de 5,2% em relação ao 4° trimestre de 2019 e de 2,5% frente ao trimestre anterior. A aquisição de leite cru feita por laticínios cresceu 0,6% no 4º trimestre comparado com o mesmo período do ano passado. Foram 6,71 bilhões de litros. Houve um incremento de 4,1% em comparação 3º trimestre de 2020. Os curtumes apurados pelo IBGE declararam ter recebido 7,5 milhões de peças inteiras de couro cru no 4º trimestre. Essa quantidade representa queda de 3,9% na comparação ao 4° trimestre de 2019 e diminuição de 8,5% em relação ao trimestre anterior.

Insumos pioram relação de troca no leite

O preço do leite começou o ano em queda para o produtor. A média é de um recuo de 4,3% em relação a dezembro, com o litro a R$ 2,03 o litro.  No acumulado do ano, entre janeiro de 2020 a janeiro de 2021, houve alta de quase 50%, informou o portal AgroLink. Segundo o Centro de Inteligência do Leite (CILeite), da Embrapa Gado de Leite, mesmo com o avanço anual o aumento nos preços dos principais insumos tem pressionado a relação de troca para o produtor, que piorou. Em janeiro o produtor precisou de 56,8 litros de leite para adquirir 60kg de mistura concentrada (70% milho e 30% farelo de soja), alta de 26% em relação a janeiro do ano passado. Já no varejo os lácteos subiram 0,15% no mês. Leite condensado, em pó, queijo, manteiga e iogurte tiveram alta. Somente o leite UHT teve queda de – 1,35%. No acumulado do ano o UHT teve elevação de quase 25% e o leite em pó 18%. As exportações brasileiras de leite recuaram 9,4% em janeiro, com 7,5 milhões de litros e em relação ao mesmo mês do ano passado também teve queda de 43%. Já a importações no mês caíram quase 18%. Em relação a janeiro de 2020, no entanto, o volume cresceu 82%, com 149 milhões de litros.

Projeto de Lei que cria Frente Parlamentar em Defesa dos Animais é aprovado em Niterói (RJ)

O projeto de lei que cria a Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, de autoria do vereador Daniel Marques (DEM), foi aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal de Niterói, no Rio de Janeiro, destacou o portal Anda. O parlamentar explicou que o projeto tem o objetivo de proteger os animais abandonados e preservar a fauna silvestre, especialmente aquelas espécies que estão ameaçadas de extinção. “Precisamos lutar pelos nossos amigos que não têm voz. Vamos discutir animais domésticos, hospital público veterinário, controle populacional de cães e gatos, ética animal e também a alimentação saudável, mas não vamos parar por aí. Precisamos debater e criar ações efetivas para a fauna silvestre, resgate de animais e a necessidade de um Centro de Triagem de Animais Silvestres em Niterói”, explicou Marques. A Frente Parlamentar deve orientar a criação de grupos de trabalho sobre temas relacionados à causa animal, como controle populacional, adoção responsável, atendimento veterinário gratuito, resgate de animais silvestres e posterior soltura na natureza, entre outros. Recentemente sancionada, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade. A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei. Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais. A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo a fauna silvestre e animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Roubo de cães dispara no Reino Unido durante a pandemia

Folha de S.Paulo – Viagem para Capitólio, em Minas Gerais, permite passeios com pets

Folha de S.Paulo – Casal de jacus vive história de amor e luto em parque de São Paulo

O Estado de S.Paulo – Cão é condenado à morte após atacar outro cachorro

G1 – Abate de bovinos cai e de suínos e frangos cresce no 4º trimestre de 2020, diz IBGE

G1 – Pablo Escobar: por que cientistas falam em ‘bomba-relógio’ e querem matar famosos hipopótamos do colombiano

G1 – Divinópolis realiza feira de adoção de animais

G1 – Cobra é encontrada embaixo de capô de carro em Barreiras; bombeiros foram chamados e retiraram animal

G1 – Primeira castração solidária do ano beneficia 473 animais em Araucária

Valor Econômico – Abate de bovinos caiu 10% no 4º trimestre

Valor Econômico – Cargill conclui integração de fábrica de rações para suínos no Paraná

CNA – Mapa estabelece regras para garantir bem-estar na suinocultura

AgroLink – Preço interno do frango sobe

AgroLink – Pesquisa busca suínos resistentes à doenças

AgroLink – Sistema controla carrapato sem medicamentos

AgroLink – Insumos pioram relação de troca no leite

AgroLink – Preço dos ovos segue evoluindo na base de produção

AgroLink – Frango vivo de Minas Gerais obtém novo reajuste de preço, o segundo de 2021

AgroLink – Vem aí o “feijão disruptivo”

AgroLink – Cargill conclui compra da antiga fábrica da Beckers

AgroLink – RS: operação encontra em propriedades da região gado furtado há um ano

AgroLink – Estabilidade na cotação do boi gordo já dura nove dias nas praças paulistas

SBA – Genética BR faz ação de vendas neste final de semana

SBA – Liquidez no mercado de frango volta a subir

Anda – Cão colocado em caixa após agressão chora de dor por dias até ser resgatado

Anda – Filhote de veado encontrado sozinho em rodovia recebe cuidados após resgate

Anda – Assembleia aprova projeto que institui o programa “SP Prato Vegano”

Anda – PL que cria Frente Parlamentar em Defesa dos Animais é aprovado em Niterói (RJ)

Anda – Ativistas denunciam maus-tratos contra cão e negligência de autoridades

Portal do Agronegócio – Reta final da estação de monta: cuidados com a nutrição das matrizes é garantia de bons resultados

Portal do Agronegócio – Trimestrais da pecuária – primeiros resultados: abate de bovinos cai e de suínos e frangos cresce no 4º trimestre de 2020

Portal do Agronegócio – Com aumento anual de 1,76%, abate inspecionado de frangos totaliza 13,7 milhões/t em 2020

Portal do Agronegócio – Preço do suíno vivo no mercado independente registra alta

Notícias Agrícolas – Minerva estabelece acordo de fornecimento de carnes a Salic

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »