Mapa disponibiliza curso sobre febre aftosa para profissionais que trabalham com defesa sanitária animal

Home/Informativo/Mapa disponibiliza curso sobre febre aftosa para profissionais que trabalham com defesa sanitária animal

A Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Escola Nacional de Gestão Agropecuária (Enagro), disponibilizou o curso EAD “Febre aftosa: Vigilância e procedimentos na investigação de doença vesicular”, voltado para os profissionais que trabalham com Defesa Sanitária Animal nos Órgãos Estaduais de Saúde Animal e nas Superintendências Federais de Agricultura. As inscrições podem ser feitas de 20 a 28 de maio, com início da capacitação para 1º de junho. Em uma linguagem clara e objetiva, o curso apresenta as características da febre aftosa e do sistema de vigilância brasileiro para essa doença, tendo como principal foco os procedimentos realizados pelo serviço veterinário oficial brasileiro perante as notificações de suspeita de doença vesicular. “O treinamento constitui-se de um conjunto de instruções para serem implementadas desde o primeiro aviso (notificação) da suspeita até a conclusão de sua investigação. Inclui as fases de investigação e de alerta, devendo ser de conhecimento e domínio de todos que atuam no serviço veterinário oficial”, destaca a auditora fiscal federal agropecuária, Ana Carla Vidor. A vigilância de doenças vesiculares é um dos pilares do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (Pnefa), e ganha especial importância em um cenário em que o país, desde 2018, é reconhecido internacionalmente como livre de febre aftosa. Com a disponibilização dessa capacitação na modalidade a distância, o Departamento de Saúde Animal espera alcançar mais de 10 mil profissionais atuantes nos serviços de defesa sanitária animal no país e, assim, estar preparados para agir de forma rápida e correta no atendimento de uma possível suspeita de febre aftosa.

Conectividade no campo elevará produção agropecuária a novos paradigmas

Apenas 23% do espaço agrícola brasileiro possui algum nível de cobertura por internet e, mesmo assim, o Brasil consolidou-se como potência agroambiental no cenário mundial. Com a iluminação das áreas rurais ainda sem conectividade, o Brasil passará por grande transformação na forma de produzir no campo e criará novos paradigmas para o setor. É o que demonstra estudo divulgado nesta quarta-feira (19) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que balizará ações inéditas para ampliação da conectividade rural a partir de tecnologias de internet banda larga como o modelo satélite, cabo de fibra ótica e telecom, que inclui a nova geração 5G. “Nosso produtor rural demanda tecnologia e está apto para continuar recebendo mais inovação. A conectividade promove o avanço tecnológico no campo. E também promove uma aproximação real do meio rural com os grandes centros urbanos”, declarou a ministra Tereza Cristina, em cerimônia virtual de anúncio das ações do Mapa. Ela também destacou que o aumento da conectividade será um grande estímulo para fixarmos o jovem no campo. Desenvolvido pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), o estudo “Cenários e Perspectivas da Conectividade para o Agro” apresenta cenários para a cobertura de internet no modelo telecom (sinal 2G, 3G, 4G) em um horizonte até o ano 2026. Em um primeiro cenário seria aproveitada a capacidade de transmissão de 4.400 torres já existentes no Brasil. Isso permitiria ampliar a cobertura atual de 23% nas áreas rurais para 48% de iluminação de sinal no território agrícola nacional, proporcionando um aumento de 4,5% do Valor Bruto de Produção (VBP). Um segundo cenário compreende a instalação de 15.182 novas torres, que seriam suficientes para suprir uma cobertura final de 90% da demanda de conectividade no campo e traiam um acréscimo de 9,6% no VBP. Com o VBP projetado de R$ 1,057 trilhão, atualmente, a conectividade rural pelo modelo telecom contribuiria para o incremento de R$ 47,56 bilhões e R$ 101,47 bilhões para o primeiro e segundo cenários, respectivamente. Em outro panorama, no qual a agricultura digital já é realidade, o uso da internet das coisas demanda um sinal de internet 5G para conexão entre coisas (principalmente objetos) e organismos biológicos como é o caso de plantas e animais. Sensores permitem, assim, a captação de informações de componentes de solo, de componentes de plantas e de desempenho animal. Os dados capturados são processados em plataformas e sistemas, subsidiando o produtor na tomada de decisão dentro da porteira, no sistema produtivo; e fora dela, quando a produção vai para o varejo, processamento, indústria, distribuição, até a mesa do consumidor.

Membros do governo federal visitam indústria de saúde animal que quer produzir vacinas da Covid em Cravinhos (SP)

Membros dos ministérios da Saúde, Agricultura e Ciência, Tecnologia e Inovação visitaram, nesta quarta-feira (19), uma indústria de saúde animal em Cravinhos (SP) que quer produzir vacinas contra a Covid-19. De acordo com o G1 a informação foi divulgada a investidores e acionistas da Ourofino por meio de uma nota no site. Segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), essa e outras duas empresas, a Merck Sharp & Dohme, em Montes Claros (MG), e a Ceva Saúde Animal, em Juatuba (MG) têm capacidade de produzir 30 milhões de doses de imunizantes como a CoronaVac, que utiliza vírus inativado da Covid-19. Em Cravinhos, a empresa conta com plantas de produções para vacina contra febre aftosa e outros imunizantes biológicos para uso veterinário. Porém, a empresa disse que ainda faltam questões regulatórias sobre a produção de imunizantes contra o coronavírus, como transferência de tecnologia e ingrediente farmacológico ativo (IFA). Segundo a Ourofino, na sexta-feira (21) está marcada uma nova visita às instalações da empresa. Devem comparecer à unidade autoridades governamentais e órgãos regulatórios. “Oportunidade em que poderá ser discutido o potencial de eventual aproveitamento dessas instalações para a produção de vacinas contra a Covid-19”, informou a nota. O assunto está em discussão no Senado desde o final de março. A iniciativa para a conversão das fábricas surgiu após contato do Ministério da Agricultura e Pecuária. Segundo o setor, há similaridades entre a produção de imunizantes para animais, como a vacina da febre aftosa aplicada no gado, e para o coronavírus. Reuniões com representantes do Instituto Butantan foram realizadas para obtenção de informações sobre a cadeia produtiva. De acordo com o sindicato nacional, o Brasil tem expertise e tecnologia para explorar o segmento.

Donos de clínica veterinária da Grande BH suspeita de congelar animais vão responder por maus-tratos e associação criminosa

Os donos da clínica veterinária Animed, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vão responder por estelionato, infração de medida sanitária preventiva, associação criminosa, maus-tratos a animais, poluição ambiental e crime contra as relações de consumo, de acordo com a Polícia Civil. Eles são alvo de investigação desde 2019. O inquérito foi instaurado após suposto descarte de lixo veterinário (infectante) em lixo comum. Segundo a polícia, a clínica “agia no sentido de ludibriar tutores de animais para obter vantagem ilícita, com consequente inobservância da legislação vigente sobre medicina veterinária e abusos em animais”. As apurações apontam que houve casos em que, quando algum animal morria, o veterinário o congelava e não avisava ao dono sobre a morte para continuar cobrando pela internação. Cães chegavam a ficar congelados por mais de uma semana. Quando o dono era avisado, o animal era descongelado e uma injeção era aplicada para retomar a condição do corpo, simulando que a morte era recente. O inquérito foi enviado para o Ministério Público. De acordo com a Polícia Civil, além da clínica, treze pessoas foram indiciadas. Os médicos veterinários Marcelo Simões Dayrell e Francielle Fernanda Quirino dos Santos foram submetidos a duas audiências no Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais (CRMV) na segunda (17) e na terça-feira (18). O órgão disse apenas que três denúncias foram apuradas e que os processos correm em sigilo. Já os tutores dos animais envolvidos, que foram ouvidos nas audiências, disseram que o conselho puniu os veterinários com multas, advertências e censura pública. Eles reivindicam que os dois tenham os registros cassados. O G1 procurou o CRMV-MG sobre as críticas, mas, até a conclusão desta reportagem, o órgão não havia se manifestado sobre o assunto. O advogado Frederico Thadeu Peixoto, que representa os veterinários Marcelo Dayrell e Francielle Fernanda, disse as denúncias contra eles são falsas.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Assembleia de SP aprova projeto que proíbe fogos de artifício com barulho no estado 
Folha de S.Paulo – Baleia jubarte de 7 metros é encontrada morta no litoral de SP  G1 – Iceberg que tem 3 vezes o tamanho da cidade de SP se separa na Antártica, está à deriva e se torna o maior do mundo 
G1 – Membros do governo federal visitam indústria de saúde animal que quer produzir vacinas da Covid em Cravinhos, SP 
G1 – Mutirão de castração de animais tem inscrições prorrogadas até esta quinta-feira em Sorocaba 
G1 – Donos de clínica veterinária da Grande BH suspeita de congelar animais vão responder por maus-tratos e associação criminosa 
G1 – Canil municipal em Cabo Frio, RJ, tem mais de 170 animais para adoção  
G1 – Espingardas usadas para caçar animais silvestres em ilha são apreendidas pela polícia  
G1 – Aos 32 anos, Palmas conserva vegetação nativa e aproxima moradores de animais silvestres 
Valor Econômico – Expansão da BRF em Minas 
Valor Econômico – Drake participa de investimento de US$ 40 milhões em empresa de frango plant-based 
Mapa – Mapa disponibiliza curso sobre febre aftosa para profissionais que trabalham com defesa sanitária animal 
Mapa – Conectividade no campo elevará produção agropecuária a novos paradigmas 
SBA – Leilão Caiado Fraga comercializa animais em média de R$ 20 mil 
SBA – Demanda por carne suína cai e reduz preços em maio 
SBA – Brasil caminha para três anos com exportações mensais de carne bovina acima de 100 mil t 
SBA – Leilão Especial Leilosul oferta 1.500 animais hoje no Canal do Boi 
AgroLink – Devon faz avaliação de carcaças por ultrassonografia  
AgroLink – Alojamento de Pintainhas de Postura Comercial apresenta forte redução nos dois últimos quadrimestres 
AgroLink – Ovos: segundo decêndio de maio aponta índice negativo de quase 5% 
AgroLink – Embora recuperando-se em 2021, VBP do frango continua inferior ao de 2019 
Anda – Produtos químicos usados no combate de incêndios causam morte e infertilidade em orcas 
Anda – Gata escolhe de ninho de pássaros vazio no alto de uma árvore para dar à luz seus bebês 
Anda – Elefante é morto, esquartejado e tem carne distribuída por guardas florestais 
Anda – Instituto Arayara e ANDA se unem em prol de animais ameaçados por leilão de petróleo 
Anda – Mata Ciliar é pressionada a desocupar área onde vivem mais de 100 animais 
Portal do Agronegócio – Distribuidora digital Matrix traz redução nas contas de energia para produtores e pecuaristas através da Trix, seu segmento varejista

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »