Manejo sustentável da Embrapa eleva produtividade da pecuária

Home/Informativo/Manejo sustentável da Embrapa eleva produtividade da pecuária

O manejo adequado do sistema de produção de Carne Baixo Carbono (CBC), ou Low Carbon Brazilian Beef (LCBB), desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), pode aumentar em 125% o número de animais por hectare e em 163% o peso de carcaça por hectare em relação aos cuidados convencionais, informou o Valor Econômico nesta terça-feira (18). Segundo um estudo da estatal, o gado criado neste protocolo entrou mais pesado no confinamento e chegou ao ponto de abate 20 dias mais cedo. Realizado em uma fazenda de pecuária de corte do oeste da Bahia, o experimento avaliou a produção de bovinos em sistemas com pastagens bem manejadas seguindo as diretrizes CBC, que envolvem o monitoramento de altura do pasto, ajuste de carga animal, adubação e adoção de boas práticas. Os resultados apontam para garantia de produtividade e qualidade da carne, além de aumento do lucro dos pecuaristas sem elevação das emissões de gases de efeito estufa. De acordo com a pesquisa, a intensidade de emissão de metano não variou entre os manejos, apresentando valor médio de 6,3 kg de CO2 equivalente por quilo de carcaça. A iniciativa pode ajudar a reduzir a pressão pela abertura de novas áreas para a pecuária, avalia o cientista. O estudo de caso, iniciado em 2019, dividiu uma área em dois talhões para recria e terminação de machos da raça nelore em Jaborandi (BA). O primeiro talhão, de 115 hectares, foi separado em quatro piquetes e recebeu o manejo convencional. Já no segundo, de 85 hectares de pastagem recuperada com a variedade de braquiária BRS Piatã, ocorreu o manejo o manejo sob as diretrizes do CBC. Com a manutenção da altura do pasto recomendada para a forrageira cultivada, o talhão com manejo CBC teve cargas médias de 4,34 unidade animal (UA) por hectare; no talhão com manejo convencional, a média foi de 1,93 UA por hectare. O protocolo da Embrapa também permitiu que a cobertura de solo ficasse sempre acima de 80%, o que assegurou palhada para a matéria orgânica do solo e também retenção de carbono no sistema. Ao longo do primeiro ano de avaliação, os animais dos talhões CBC e sob manejo convencional ganharam em média 154 kg e 149 kg a pasto, respectivamente. Embrapa e Marfrig têm uma parceria que prevê agregar valor à carne bovina brasileira com o uso das marcas-conceito Carne Baixo Carbono (CBC) e Carne Carbono Neutro (CCN).

Projetos de Lei que visam à proteção dos animais são aprovados pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa do Distrito Federal 
Projetos que visam garantir a saúde e o bem-estar dos animais foram destaques na reunião extraordinária remota da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa do Distrito Federal, nesta terça-feira (18). Entre eles, o PL 48/2019, aprovado na forma do substitutivo, que “institui a campanha de prevenção ao abandono de animais ‘Dezembro Verde”. O objetivo da proposta, do deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos), é “conscientizar a população de que o abandono de animais é crime, além de ser um ato cruel e degradante que pode condenar o animal abandonado à morte”. Os demais projetos sobre o tema são de autoria do deputado Daniel Donizet (PL). Destaca-se o PL 1357/2020, que institui regras gerais para a execução da Política de Castração de Cães e Gatos. O texto veda a participação de pets destinados à comercialização e define as cotas para o atendimento gratuito: 25% para animais vítimas de maus-tratos; 25% de “grandes plantéis”; e 50% para os demais interessados com renda familiar compatível com o programa. Para participar das vagas reservadas a “grandes plantéis”, é necessário ter sob cuidado dez ou mais animais; atuar sem finalidade lucrativa; submeter-se a vistoria; e demonstrar idoneidade moral. O PL nº 1357/2020, também aprovado, institui e inclui no Calendário Oficial de Eventos do Distrito Federal o “Novembro Azul Pet”, campanha que visa chamar a atenção dos tutores para a importância dos exames de próstata em cães, principalmente de meia-idade e idosos. Segundo Donizet, quase 100% dos cães desenvolvem alguma doença relacionada à próstata. A CCJ aprovou o PL 1605/2020, que “institui e inclui no Calendário Oficial de Eventos do Distrito Federal o ‘Outubro Rosa Pet”, com objetivo de chamar atenção para a crescente incidência de tumores mamários em cadelas e gatas. Donizet explica que 50% dos tumores em cadelas são deste tipo. Em gatas, representam o terceiro tipo mais comum. Na reunião, ainda foram aprovados os PLs, de Daniel Donizet, que criam e instituem no Calendário Oficial de Eventos do Distrito Federal o “Dia do Técnico em Veterinária” (PL n° 1603/2020); o “Dia do Auxiliar Veterinário” (PL nº 1604/2020) e o “Dia do Engenheiro Ambiental” (PL nº 1513/2020). Sobre a proteção do Meio Ambiente, a CCJ aprovou o PL nº 1466/2017, do deputado Robério Negreiros (PSD), que autoriza a utilização de drones para monitoramento e auxílio na fiscalização pelos órgãos ambientais com poder de polícia no Distrito Federal. O texto prevê a regulamentação pelo Executivo em até 120 dias após a publicação.

Argentina suspende exportação de carne bovina por 30 dias 

A Argentina suspendeu hoje as exportações de carne bovina por um mês. A medida afeta frigoríficos brasileiros como Minerva Foods e Marfrig, que estão entre os maiores exportadores do país. A Minerva lidera o abate na Argentina. A decisão foi comunicada nesta segunda-feira (17) pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández, em reunião com representantes dos frigoríficos. “Chamou para conversar, mas chegou com a medida já decidida”, disse um executivo. O jornal argentino “La Nación” foi o primeiro a reportar a suspensão. Ao Valor Econômico, uma fonte afirmou que o presidente argentino adotou a medida com o intuito de reduzir os preços da carne bovina no mercado doméstico. A Argentina sofre com inflação elevada. A postura do governo Fernandez provocou irritação, mas não deixa de ser um déjà-vu para os frigoríficos e os pecuaristas, que sofreram com severas restrições durante o governo de Cristina Kirchner, a atual vice-presidente. Ao limitar os embarques, o governo Kirchner desestimulou a pecuária e, com isso, reduziu o rebanho argentino em 10 milhões de cabeças, o que diminui o peso do país no comércio internacional de carne bovina. “Eles acham que uma bobagem aplicada duas vezes terá resultado diferente”, disparou uma fonte. A decisão abrupta da Casa Rosada também ameaça colocar a credibilidade da carne argentina novamente em risco. “É um desincentivo ao investimento estrangeiro. Depois se queixam de desemprego e carestia”, criticou a fonte. Para os frigoríficos brasileiros que atuam na Argentina, os impactos são de ordem de grandeza diferente. Da receita total da Marfrig, que obtém mais de 80% da geração de caixa nos EUA, os argentinos representam apenas 1,3%. Além disso, a Marfrig já vinha reduzindo a fatia da produção que exporta na Argentina, disseram executivos da empresa recentemente em uma teleconferência com analistas. A fatia das exportações da operação argentina já havia caído de 70% para 50%. A Marfrig é dona de marcas conhecidas no país, liderando o negócio de hambúrguer com a marca Paty e o de salsicha com a Vienissima. Na Minerva, a representatividade da Argentina é maior – em torno de 10% da receita total e 27% da subsidiária Athena Foods, sendo parte disso obtida no mercado interno com a marca Swift. A expectativa é que a companhia atenue os impactos da suspensão arbitrando com as exportações de outros países onde também atua (Uruguai, Brasil, Paraguai e Colômbia), apurou o Valor.

Brasil vai vacinar contra Peste Suína Clássica 

No próximo dia 24 de maio, o estado de Alagoas dará início ao projeto piloto do Plano Estratégico Brasil Livre de Peste Suína Clássica (PSC) com a vacinação contra a doença.  Segundo o portal AgroLink a iniciativa tem como objetivo erradicar a PSC em todo território nacional. “Esse é o pontapé inicial para colocarmos o Brasil – estados livres e os não livres – na mesma página. O Plano para erradicar a Peste Suína Clássica no Brasil vai beneficiar tanto as comunidades locais, que têm na criação de suínos uma alternativa de fonte alimentar e de renda, quanto a suinocultura industrial nacional, que mantém sua competitividade no mercado internacional diretamente relacionada à qualidade e à confiança conferidas pelos controles sanitários”, destacou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. A PSC, também conhecida como febre suína ou cólera dos porcos, é uma doença viral, altamente contagiosa, que afeta somente suínos domésticos e asselvajados, não sendo transmissível a humanos, e produz grandes perdas produtivas e econômicas aos produtores. Os principais sintomas nos animais são febre alta, lesões avermelhadas na pele, conjuntivite, falta de apetite, fraqueza, diarreia e aborto. Além de Alagoas, outros 10 estados brasileiros fazem parte da zona não livre da doença: Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima. O uso da vacina contra Peste Suína Clássica na zona não livre da doença foi autorizado pela Instrução Normativa nº 10/2020. “Estamos buscando soluções para os estados onde ainda ocorrem focos de PSC no Brasil e, para isso, é muito importante continuarmos com essa união e parceria do governo federal, estados e iniciativa privada na sequência ao plano muito ambicioso que se estenderá para os demais estados da zona não livre”, ressalta o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal. O avanço no controle e na erradicação da PSC nessas zonas possibilitará o fortalecimento das capacidades do Serviço Veterinário Oficial (SVO) em desenvolver outros programas sanitários e a vigilância das doenças animais, assim como de proteger a atual Zona Livre e as exportações brasileiras de produtos suínos. As zonas livres de PSC do Brasil são reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a vacinação é proibida. A zona livre concentra mais de 95% de toda a indústria suinícola brasileira. Toda a exportação brasileira de suínos e seus produtos são oriundas da zona livre, que incorpora 15 estados brasileiros e o Distrito Federal (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, DF, RJ, ES, BA, SE, TO, RO e AC) e não registra ocorrência da doença de PSC desde janeiro de 1998. Os limites entre as zonas livre e não livre de PSC são protegidos por barreiras naturais e postos de fiscalização, onde procedimentos de vigilância e mitigação de risco para evitar a introdução da doença são adotados continuamente.

NA IMPRENSA

TRF4 – TRF4 mantém condenação de proprietário de cavalos que danificaram vegetação nativa na Floresta Nacional de Canela (RS) 
Folha de S.Paulo – Pet pode comer abacate, melancia ou ovo? Saiba quais alimentos são liberados ou proibidos 
Folha de S.Paulo – Pets pelo mundo – maio  
Folha de S.Paulo – Preço da carne de wagyu vem de criação cara e da demanda por luxo  
O Estado de S.Paulo – Tribunal mantém condenação de dono de cavalos que pisotearam e pastaram vegetação nativa na Floresta Nacional de Canela 
O Globo – Gigantes como Nestlé e Carrefour exigem ações para rastrear desmatamento na cadeia produtiva  
O Globo – Após forte alta nos preços da carne, Argentina suspende exportações por 30 dias 
O Globo – Campanha de vacinação contra a raiva animal é intensificada em Duque de Caxias e Belford Roxo  
G1 – Argentina suspende exportações de carne bovina por 30 dias 
G1 – Ocupação irregular na Amazônia Legal cresceu 56% nos 2 primeiros anos de Bolsonaro, diz instituto 
G1 – ‘País não suporta mais ser enxovalhado e rotulado de vilão ambiental’, diz Mourão 
G1 – Conheça os 5 pontos mais profundos de cada oceano, mapeados por expedição 
G1 – Bom Dia Bicho: Calopsitas viram queridinhas como pet por serem dóceis e imita sons 
CLDF – PLs que visam à proteção dos animais são aprovados pela CCJ 
Valor Econômico – Plataforma Moss desenvolve primeiro NFT ambiental do país 
Valor Econômico – Manejo sustentável da Embrapa eleva produtividade da pecuária 
Valor Econômico – Representantes do agronegócio argentino definirão medidas contra suspensão das exportações de carne 
Valor Econômico – Argentina suspende exportação de carne bovina por 30 dias 
Embrapa – Embrapa realiza pesquisa com criadores de caprinos e ovinos nos territórios do AgroNordeste 
AgroLink – RS: Bagé recebe etapa de Exposição Passaporte para a Morfologia 
AgroLink – Exportações de carne suína crescem 25,3% no primeiro quadrimestre de 2021 
AgroLink – Brasil vai vacinar contra PSC 
AgroLink – Como preparar o bife proteico para abelhas 
AgroLink – Motores elétricos garantem conforto térmico no rebanho 
AgroLink – Exportação de ovos de postura comercial em abril de 2021 
AgroLink – Desempenho exportador das carnes na primeira quinzena de maio de 2021 
AgroLink – Pangasius cresce no Nordeste 
Anda – Esculturas de elefantes são colocadas em frente ao Palácio de Buckingham para conscientizar sobre a extinção da espécie 
Anda – Abandono de cães e gatos cresce no Líbano 
Anda – ANDA e GAP: mais de uma década de luta e parceria pelos direitos animais 
Anda – Homem é preso após ser flagrado abusando sexualmente de cachorro 
Anda – Animal é encontrado com cabeça e patas decepadas em Volta Redonda (RJ) 
Anda – Pandemia deixa animais órfãos e eleva abandono de animais em 91% em Belo Horizonte (MG) 
Anda – Maus-tratos a animais poderão ser punidos com multa de até R$ 20 mil em SC 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »