LUCRO DA SYNGENTA TEM QUEDA DE 12% EM 2016

//LUCRO DA SYNGENTA TEM QUEDA DE 12% EM 2016
A Syngenta, fabricante suíça de sementes e agrotóxicos, reportou lucro líquido de US$ 1,178 bilhão no exercício de 2016, com queda de 12% ante os US$ 1,339 bilhão do ano anterior. Conforme reportagem publicada pela Isto É dinheiro, o resultado equivale a US$ 17,03 de retorno por ação, 4% inferior aos US$ 17,78 repassados aos acionistas em 2015. “Em 2016, a Syngenta mostrou um desempenho resiliente considerando outro ano difícil para a indústria agrícola, com preços menores e rentabilidade do produtor sob pressão em muitas áreas”, disse o diretor executivo da Syngenta, Erik Fywarld, em relatório. Ele afirmou também que está sendo feito um bom progresso na aprovação regulatória da proposta de compra de US$ 43 bilhões do fabricante suíço pela ChemChina e que espera fechar o negócio no segundo trimestre. “Cada dia estamos mais confiantes”, disse Fyrwald em entrevista, depois que a companhia divulgou seus resultados de 2016. “A Syngenta disse que recebeu aprovação regulatória de 13 autoridades e que estão pendentes aprovações do Brasil, Canadá, Índia, México, Estados Unidos e União Europeia. A Comissão Europeia, reguladora antitruste do bloco, se deu como prazo para decidir sobre o negócio o dia 12 de abril. Mas, para Fyrwald, esta decisão pode ser divulgada até antes desta data”, afirma a publicação.

Exportações pelo Norte

Reportagem do Valor Econômico, nesta quarta-feira (8), destaca que a esperada recuperação da colheita brasileira de grãos nesta safra 2016/17, que deverá alcançar um recorde da ordem de 215 milhões de toneladas, tende a abrir espaço para que as exportações pelos portos do chamado Arco Norte voltem a aumentar e a ganhar participação nos volumes totais de soja e milho que deverão ser embarcados neste ano. “Estudo inédito feito por técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) calcula que 23,8% das 96,9 milhões de toneladas de soja (e derivados) e milho que deverão deixar o país em 2017 sairão pelo Norte. No ano passado, em parte pela redução da oferta no “Matopiba” (confluência entre os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), a participação recuou para 19%, ante os 21% de 2015 – maior nível observado até agora.
O estudo da Conab indica que o incremento da participação dos portos do Norte nas exportações desses grãos deverá aliviar um pouco o movimento em portos que tradicionalmente lideram os embarques, como Santos (SP) e Paranaguá (PR). Uma competição bem-vinda do ponto de vista de custos, em um segmento cujas margens de lucro são normalmente apertadas”, destaca a publicação.

Ferrovia Transnordestina

Editorial do jornal O Estado de S.Paulo, nesta quinta-feira (8), destaca que o governo federal aceitou aplicar mais R$ 1,4 bilhão nos próximos três anos na conclusão das obras da Ferrovia Transnordestina. O empreendimento, que tinha orçamento inicial de R$ 4,5 bilhões e agora pode chegar a R$ 11,2 bilhões, deveria ter sido entregue em 2010. “A esta altura, porém, perderá menos o contribuinte se a ferrovia for terminada e entrar em funcionamento, ainda que para isso mais recursos sejam necessários. Trata-se, em resumo, de reduzir os prejuízos – desde que, é claro, sejam sanados os problemas que transformaram a obra em um sorvedouro de dinheiro público. O projeto da ferrovia, em si, é bastante relevante, tendo sido cogitado em governos anteriores aos de Lula da Silva e de Dilma Rousseff. De acordo com os planos, a ferrovia ligará regiões produtoras do Nordeste aos Portos de Suape (Pernambuco) e do Pecém (Ceará). A estimativa é que a Transnordestina transporte 30 milhões de toneladas de carga por ano, reduzindo os custos dos produtores, hoje obrigados a escoar sua produção por caminhões, que transportam a carga para os portos do Sudeste”, afirma trecho do editorial. A publicação critica as suspeitas de irregularidades que vem atrasando a obra e ressalta que, se tudo der certo, a Transnordestina só será inaugurada em 2021.

NA IMPRENSA
Mapa – Decisão sobre importação de conilon é adiada

Mapa – Parceria com a Ceplac permite criar novos cursos na Federal do Sul da Bahia

Mapa – Missão da Malásia visita dez estados para renovar autorização de exportadores

Embrapa – Dia de Campo na TV – Sistema Biobed: tecnologia para tratamento de resíduos de agrotóxicos

Notícias Agrícolas – Registro de produtos fitossanitários no Brasil: necessidade de agilização

Isto É Dinheiro – Lucro líquido da Syngenta recua 12% em 2016, para US$ 1,178 bilhão

Mato Grosso Mais – Ministério Público quer fechamento de indústria de agrotóxico em Mato Grosso

Estratégia Concursos – Concurso Ministério da Agricultura: certame está previsto para 2017

Notícias Agrícolas – Soja: Mosca-branca no TO e chuvas limitadas no RS alertam produtores

Diário de Cuiabá – Líder do PP quer Maggi para presidente

Diário Catarinense – Universidade de Lages cancela curso de Medicina Veterinária a distância após repercussão negativa

O Estado de S.Paulo – Editorial – A novela da Transnordestina

O Estado de S.Paulo – Governo avalia redução de florestas na Amazônia sem ouvir ministério

Valor Econômico – Aumenta exportação de soja e milho pelos portos do Arco Norte

Valor Econômico – Alimentos em xeque na fronteira

Valor Econômico – BrasilAgro compra área no Maranhão por R$ 100 milhões

Valor Econômico – Ceratti quer dobrar vendas até 2020

Valor Econômico – Receita com embarque de carne bovina do país cresceu 14% em janeiro

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »