LEVANTAMENTO DO CFM APONTA QUE FALTA DROGA BÁSICA PARA TRATAR AVC

//LEVANTAMENTO DO CFM APONTA QUE FALTA DROGA BÁSICA PARA TRATAR AVC

Em levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) com neurologistas do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o país, cerca de 57% dos médicos afirmam não contar, no serviço público, com mecanismos para triagem e identificação imediata de pacientes que sofreram AVC (acidente vascular cerebral). Conforme a Folha de S. Paulo, Hideraldo Cabeça, da câmara técnica de neurologia e neurocirurgia do CFM, diz que a tomografia e a triagem são importantes para diferenciação entre um AVC isquêmico – com interrupção do fluxo sanguíneo, quadro mais comum – e AVC hemorrágico – quando há rompimento dos vasos sanguíneos. Sem essa identificação precisa, não há como aplicar o tratamento apropriado. Cerca de 53% dos médicos na pesquisa afirmam não contar com medicamentos trombolíticos, que promovem a desobstrução das artérias, para o tratamento imediato dos pacientes. Contudo, segundo Daniel Ciampi, neurologista do Hospital das Clínicas e professor da USP, os problemas vão além de chegar rápido ao hospital. Os sinais de um AVC são falta de resposta e fraqueza repentina de um lado só do corpo, boca torta e dificuldades de fala. Ciampi também diz que o treinamento para clínicos gerais e emergencistas reconhecerem e saberem tratar um AVC é importante, tendo em vista que seria impossível haver neurologistas de plantão em todos os lugares. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, em 2012, os AVCs provocaram mais de 6 milhões de mortes no mundo. A condição também é uma das principais responsáveis por incapacitação de pessoas. Obesidade, diabetes, colesterol alto, hipertensão, estresse, sedentarismo e, em mulheres com enxaqueca, o uso de pílula anticoncepcional podem ser fatores de risco. Segundo Cabeça, os dados obtidos na pesquisa serão encaminhados ao Ministério da Saúde.

Ricardo Barros indica diretor para a Hemobrás

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, enviou para a Casa Civil o nome do engenheiro Mário Ramalho para uma das diretorias da Hemobrás, a estatal de produção de derivados do sangue. Conforme destaca o blog de Lauro Jardim, “Ramalho é lobista da empresa suíça Octapharma, que Barros quer que seja parceira da Hemobrás na fábrica que quer construir em Maringá, seu reduto eleitoral”. “Depois de fazê-lo diretor, Barros quer que Ramalho assuma a presidência da estatal para conduzir o negócio”, destaca a nota publicado no site de o Globo.

Apresentadas estratégias para diminuir fila de análise

O diretor-presidente da Anvisa participou, na sexta-feira (28/7), em São Paulo, de reunião com a indústria farmacêutica sobre aperfeiçoamento de processos de registro de medicamentos. Conforme o Portal da Anvisa, Jarbas apresentou as estratégias para tratamento da fila de registro de medicamentos biológicos, inovadores, genéricos e similares. São as medidas que a Anvisa está desenvolvendo para atender à lei 13.411/2016. A estratégia de tratamento para a fila tem como objetivo dar uma resposta estruturada para zerar o passivo e as novas entradas de pedidos de registro, até junho de 2018. Para cumprir a meta, a Anvisa planejou mudanças para acelerar o processo. Quanto a genéricos e similares, por exemplo, a ideia é reorientar a atual fila de petições em quatro grupos – para a divisão dos quais se utilizaram critérios que favoreçam a eficiência de análise, dotando o processo, como um todo, de maior equidade e inteligência. A proposta gerou muitos questionamentos por parte dos representantes da indústria, propósito do encontro, sendo recebida como uma boa e importante iniciativa da Anvisa. Jarbas salientou que a fila tem total transparência o que vai dar possibilidade aos laboratórios de fazer opção entre suas prioridades na fila.

Anvisa recebe apoio para não liberar cigarro eletrônico

A Associação Médica Brasileira (AMB) e as sociedades médicas a ela afiliadas manifestaram apoio à Anvisa no sentido de manter a proibição de cigarros eletrônicos no país. O documento foi enviado ao diretor-presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa. Segundo a nota, a Câmara Técnica de Tabagismo do Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Comissão de Combate ao Tabagismo da AMB emitiram, em 2014 e 2017, respectivamente, um alerta aos médicos e à sociedade sobre a inexistência de comprovação científica da eficácia do cigarro eletrônico para a redução do consumo do cigarro tradicional. O uso desses produtos também já foi desaconselhado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no final de 2008. A Anvisa proibiu o comércio e a importação de qualquer dispositivo eletrônico de fumar, popularmente conhecidos como cigarros eletrônicos, e-cigarretes, e-ciggy e ecigar, entre outros, por meio da RDC 46, em agosto de 2009. Após uma consulta pública, que contou com a participação de órgãos de defesa do consumidor, a Anvisa decidiu pela proibição desses dispositivos. A proibição encontra respaldo na ausência de conhecimento da segurança e eficácia do produto, especialmente no que concerne às suas propriedades terapêuticas e/ou potencial redução de risco, conforme alegado e difundido pela indústria do tabaco. “O cigarro eletrônico nunca teve registro no país. Não há previsão de rever a regulamentação”, ressalta o Portal da Anvisa.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Ministro da Saúde anuncia novos recursos para o Maranhão 

ANS – Bahiaodonto: beneficiários têm até 60 dias para portabilidade

ANS – ANS abre consulta pública sobre Programa Especial de Escala Adequada

ANS – ANS divulga o REA-Ouvidorias 2017

Anvisa – Comitê acompanhará Fase Experimental do SNCM

Anvisa – Opas mantém Anvisa como Agência de Referência Regional

Anvisa – Proibido equipamento para tratamento de cicatrizes PLED

Anvisa – Anvisa recebe apoio para não liberar cigarro eletrônico

Anvisa – Apresentadas estratégias para diminuir fila de análise

Fiocruz – Plataforma Zika apresenta seus primeiros resultados

Fiocruz – Evento debate saúde, ambiente e sustentabilidade

Fiocruz – Canal Saúde divulga destaques da programação

Fiocruz – Estudo descreve surto de enfermidade conhecida como “doença da urina preta” em Salvador

Fiocruz – Concluído o maior mapeamento da diversidade genética do vírus da hepatite B

Conitec – Curso sobre elaboração de Guias de Prática Clínica

Conitec – Diretora do DGITS é homenageada em evento sobre farmacoeconomia

Folha de S. Paulo – Procura faz maconha sumir de farmácias do Uruguai

Folha de S. Paulo – Roupas para pessoas com deficiência são renovadas com cores e estampas

Folha de S. Paulo – Doença portuguesa chegou no Brasil há 500 anos e ainda é desconhecida

Folha de S. Paulo – No SUS falta droga básica para tratar AVC, aponta levantamento do CFM

Folha de S. Paulo – Após perda da mãe para câncer, estudante cria app de ajuda a pacientes

Folha de S. Paulo – Afinal, correr faz bem ou mal para o coração?

Folha de S. Paulo – Suicídios na mesma família podem ser explicados, em parte, pela genética

Folha de S. Paulo – Mobilidade moderada preserva a saúde dos idosos

Folha de S. Paulo – Beber com frequência (mas pouco) reduz risco de diabetes, indica pesquisa

Folha de S. Paulo – Produção de Benzetacil é suspensa temporariamente

O Estado de S. Paulo – Ioga pode ajudar a prevenir problemas do envelhecimento

O Globo – Lauro Jardim – Barros e o lobista

O Globo – Cinco doenças que podem ser identificadas pela urina

G1 – Estudo calcula que mudanças climáticas causarão 60 mil mortes em 2030

G1 – Diabetes tipo 1 e 2: entenda a diferença

G1 – Estudo da Unicamp traça novos parâmetros de crescimento de crianças e jovens brasileiros com Down

G1 – Nova lei legaliza ‘fabriqueta’ de quintal de emagrecedores, diz presidente da Anvisa

G1 – Alta ingestão de açúcar pode afetar saúde mental, diz estudo

G1 – Anvisa recebe denúncias de uso de furadeiras domésticas em cirurgias

G1 – Emagrecedores vetados pela Anvisa e liberados pelo Congresso trazem riscos e dividem médicos

G1 – Fungo africano é reportado pela 1ª vez no Brasil em 2 crianças no Rio

Valor Econômico – Falar sobre terapia é tabu nas empresas

Portal UAI – Estudos da Nasa trazem nova perspectiva sobre o glaucoma e a promoção da qualidade de vida

Camacari Fatos e Fotos – Câncer: pesquisa brasileira descobre nova forma de tratar a doença.

MT Mídia – CGE aponta que judicialização da saúde gira em torno de R$ 40 milhões anuais

Mais Goiás – Projeto propõe custeio de despesas hospitalares em casos de urgência

Jornal União – Ministério da Saúde zera fila de pacientes graves de hepatite C

CBN Vitória – Risco de epidemia por chikungunya no verão preocupa Sesa

Primeira hora – 76% dos hospitais não têm condições de atender pacientes com AVC

Liberdade PB – Ministério da Saúde fecha Farmácias Populares em todo o Brasil

Jornal Dia Dia – PrEP, o medicamento que evita o contágio com HIV, é novo aliado no combate à AIDS

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.