Justiça proíbe odontologia da Universidade Estadual de Maringá, no norte do Paraná de usar animais em pesquisa

//Justiça proíbe odontologia da Universidade Estadual de Maringá, no norte do Paraná de usar animais em pesquisa
O departamento de odontologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), no norte do Paraná, foi proibido de utilizar animais em experimentos, informou o G1 nesta sexta-feira (10). A decisão é do juiz Fabiano Rodrigo de Souza, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Maringá, e foi publicada nesta quinta-feira (9). A UEM ainda não comentou o assunto. A sentença atende uma ação proposta pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), em 2011. O MP-PR denunciou que cães – a maioria da raça beagle – eram submetidos a experimentos dolorosos e eram mantidos em ambientes inadequados. Conforme os autos, as pesquisas com cães do Departamento de Odontologia começaram na década de 1980. A UEM fica obrigada, conforme a sentença, a “abster-se, por seu departamento de odontologia, de utilizar cães ou quaisquer outros animais em procedimentos experimentais que lhes causem lesões físicas, dor, sofrimento ou morte, ainda que anestesiados, bem como de criar cães de qualquer raça ou sem raça identificada ou de apanhá-los e mantê-los com a sua liberdade cerceada em seu biotério central, sem que haja respeito e cuidados especiais aos animais”. A pena é de R$ 1 mil por dia de descumprimento da decisão. Uma liminar da 1ª Vara da Fazenda Pública, na mesma ação, já impedia a universidade de utilizar cães nas pesquisas odontológicas. De acordo com o juiz, na sentença, “as pesquisas científicas em questão, além de não terem se mostrado adequadas, porque envolveram maus-tratos dos animais a elas submetidas”, também não tiveram “comprovação que a aplicação de suas conclusões em humanos apresente os mesmos efeitos do que nos cães”.
Peste suína africana se espalha perto da fronteira alemãDe acordo com relatório divulgado pela Organização Mundial para Saúde Animal (OIE), nesta sexta-feira (10), a Polônia registrou 55 surtos de peste suína africana (PSA) em javalis perto da fronteira alemã em dezembro, o que mostra que o vírus está se espalhando perto de um dos maiores exportadores de carne suína da União Europeia. De acordo com o portal AgroLink o relatório publicado no site da Organização mostrou que a doença, que vem dizimando o plantel de suínos da maior produtora de carne suína do mundo, a China, foi encontrada em uma vila a menos de 30 quilômetros da Alemanha. O governo da Alemanha afirmou no início de dezembro que estava adotando medidas para evitar um surto de peste suína africana depois que um caso foi descoberto na Polônia, perto de sua fronteira.

Pecuária segue impulsionando preço ao produtor

Em dezembro, o IPPA/Cepea (Índice de Preços ao Produtor de Grupos de Produtos Agropecuários) teve alta real de 2,7% em relação ao mês anterior, destacou o portal AgroLink nesta sexta-feira (10). O principal impulso para esse resultado continuou vindo da pecuária (IPPA-Pecuária/Cepea), que tem alto peso no índice geral e registrou elevação mensal de 3,5%. O IPPA-Pecuária/Cepea, por sua vez, foi influenciado pelo boi gordo, pelos suínos e pelos ovos. No caso do IPPA-Hortifrutícolas/Cepea, a valorização da banana resultou em aumento de 16% do Índice em dezembro. Já o IPPA-Grãos/Cepea manteve-se praticamente estável, com apenas leve crescimento de 0,2%. Segundo pesquisadores do Cepea, a estabilidade desse índice decorre, principalmente, da combinação de maiores preços para o milho e para o algodão, mas menores valores para a soja. Apesar do crescimento no mês, o IPPA-Cepea ficou estável na comparação entre 2018 e 2019.

Inflação da carne faz Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo fechar 2019 acima do centro da meta

Influenciado pela alta no preço da carne, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de dezembro foi de 1,15%, o maior resultado para o mês desde 2002, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados na última segunda-feira (6). Segundo a Folha de S.Paulo, assim, a inflação fechou o ano de 2019 em 4,31%, acima dos 4,25% fixados como meta pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), mas dentro do limite de variação de 1,5 ponto percentual. Foi a primeira vez desde 2016 que a inflação superou o centro da meta perseguida pelo Banco Central. Até outubro, porém, a inflação em 12 meses estava abaixo do piso da meta. O resultado de dezembro ficou acima do valor registrado em novembro. Esse foi o maior resultado para o último mês do ano em 17 anos, quando o IPCA marcou 2,10%, em 2002. O preço da carne no Brasil, com alta de 18,06%, contribuiu para esse registro e puxou a marca de 3,38% no grupo de alimentação e bebidas, com maior variação mensal para o setor desde dezembro de 2002. As carnes variaram 32,40%, sendo que 27,61% foram no último bimestre. Outros gêneros alimentícios também tiveram aumento, como o frango (5,08%), pescados (2,37%), feijão-carioca (23,35%) e tomate (21,69%). Por outro lado, a cebola teve queda de 8,76%, assim como o pão francês, com 0,68%. O analista Luca Klein, da 4E Consultoria, a dinâmica de alta nos preços das proteínas deve perder a intensidade. “Se trata de um choque temporário cuja trajetória deve se corrigir no médio prazo à medida que as condições entre oferta e demanda se equilibrem”, apontou o analista. A alimentação fora de domicílio foi impactada em 1,04%, com altas em refeição, de 1,31%, e lanche, de 0,94%.

 NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Inflação da carne faz IPCA fechar 2019 acima do centro da meta

Folha de S.Paulo – Sem detalhes, Salles promete nova secretaria para a Amazônia

Folha de S.Paulo – Conheça Bear e Taylor, cães que ajudam a resgatar coalas

Folha de S.Paulo – Irã vem dos arianos: 5 fatos pouco lembrados sobre o país

Folha de S.Paulo – Aquário de São Paulo tem coala, cangurus, vombate e equidnas australianos

O Globo – Cachorro baleado no Morro da Babilônia terá pata amputada; e donos pedem doações

Valor Econômico – A ascensão do jovem Wesley Batista Filho ao comando da Seara

G1 – Número de animais abandonados cresce durante as férias

G1 – Saiba como transportar animais de estimação

G1 – Projeto que cuida de animais marinhos movimenta a praia do Cassino

G1 – Justiça proíbe odontologia da UEM de usar animais em pesquisa

AgroLink – PSA se espalha perto da fronteira alemã

AgroLink – Portugal habilita mais cinco frigoríficos para exportação para China

AgroLink – Pecuária segue impulsionando preço ao produtor

AgroLink – Cotações da carne de frango iniciam o ano elevadas

AgroLink – Friboi abre 37ª unidade de carne bovina no Brasil

AgroLink – Índice de mortalidade do tétano em equinos chega a 80%

Primeira Hora – Ulysses Moraes indica suspensão de fogos de artifício com efeitos sonoros em eventos oficiais do governo

IstoÉ – Começa esse sábado proibição da captura do caranguejo-uçá

Diário do Rio – Secretaria de Meio Ambiente resgata araras e emús de sítio no Recreio

Anda – Focos de incêndios na Amazônia aumentam 30% em 2019

Anda – Mais de três mil golfinhos sofrem em cativeiro no mundo

Anda – Ativistas realizam ato contra exportação de animais vivos em SP

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »