INSTRUÇÃO NORMATIVA SOBRE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS É PUBLICADO PELO MAPA

//INSTRUÇÃO NORMATIVA SOBRE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS É PUBLICADO PELO MAPA

Para acompanhar a evolução dos processos de produção dos produtos de origem animal (incluindo ovos, leite e mel), o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), editou a Instrução Normativa nº 30. A IN, que trata de inovações tecnológicas, publicada na terça-feira (15), no Diário Oficial da União, define critérios para análise de proposta, avaliação, validação e implementação de inovações empregadas em qualquer etapa de fabricação de produtos de origem animal. É o que informa o portal do Mapa. Os processos deverão obter um termo de Não Objeção do ministério, caso haja adequação às regras de segurança alimentar. São consideradas inovações: a mudança de maquinários das empresas, novos procedimentos de fabricação, inclusão de substâncias novas (aditivos, conservantes e outros), métodos de mitigação de microorganismos nocivos à saúde (patógenos) não utilizados atualmente ou que transformem significativamente o produto final. Ao adotar novos métodos, as empresas devem submeter ao Mapa, o pedido de aceitação dos processos. “Para o diretor o grande benefício da normatização é dar celeridade aos processos e complementar o novo Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA). Em 2016, a Divisão de Avaliação de Inovações Tecnológicas (DITEC) foi criada, no ministério, para avaliar os requerimentos de utilização de inovações tecnológicas quanto à sua adequação aos requisitos de inocuidade, identidade e qualidade dos produtos de origem animal”, destaca parte do texto.

Governo volta a reduzir estimativa do valor da agropecuária para 2017

O Ministério da Agricultura voltou a reduzir sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária do país em 2017. De acordo com o jornal Valor Econômico, segundo levantamento divulgado pelo departamento de Crédito e Estudos Econômicos da Pasta, o montante deverá somar R$ 535,4 bilhões, cerca de R$ 600 milhões a menos que a projeção de julho, mas montante ainda recorde, 4,5% superior ao de 2016 (R$ 512,5 bilhões). O VBP dos 21 produtos agrícolas que fazem parte da pesquisa foi elevado para R$ 367,9 bilhões em 2017, R$ 300 milhões acima do estimado em julho e resultado 10,2% maior que o de 2016. Se confirmado, o montante será 6,3% menor que em 2016. Segundo a Pasta, os maiores incrementos reais no VBP este ano deverão ser apresentados por algodão (75,6%), cana (46,4%), laranja (25,2%), milho (19,3%) e soja (2,3%). Gasques destaca que milho, soja e cana têm sustentado o avanço do VBP do setor como um todo. “Na pecuária, suínos e leite, que têm se beneficiado de aumento de preços ao produtor, são os principais destaques. Mas carne bovina, de frango e ovos têm tido retração de preços, o que resulta em menor faturamento dessas atividades”, diz o comunicado do ministério. “A Pasta destaca, finalmente, que o Sul do país tende a reassumir a liderança do VBP por região, com R$ 141,3 bilhões, seguido por Centro-Oeste (R$ 138,6 bilhões), Sudeste (R$ 137,5 bilhões), Nordeste (R$ 50,1 bilhões) e Norte (R$ 32,5 bilhões)”, ressalta parte da reportagem.

Rússia envia trigo à Venezuela em meio à escassez de alimentos

A Rússia enviou seu primeiro carregamento de trigo da história para a Venezuela, e novas remessas estão planejadas em um momento em que o país latino-americano enfrenta escassez de alimentos e filas em padarias. Um carregamento inicial de cerca de 30.000 toneladas saiu da Rússia em 9 de agosto, segundo Nikolai Gerasimov, diretor de comércio internacional da Aston, que forneceu o grão. O jornal Valor Econômico destaca que a remessa faz parte de um acordo da estatal russa Prodintorg para vender trigo à Venezuela na temporada 2017-2018. A empresa pode passar a enviar uma quantidade similar mensalmente, disse Mikhail Potapov, diretor-geral da Prodintorg, por telefone. Em junho, a empresa e a estatal United Grain assinaram acordos para enviar, cada uma, 300.000 toneladas de trigo para moagem durante a safra 2017-2018. Antes um dos países mais ricos da América Latina, a Venezuela atualmente é assolada por uma inflação de três dígitos e pela escassez de produtos como papel higiênico, antibióticos e alimentos. A Rússia nunca havia fornecido trigo ao país latino-americano, segundo a consultoria ProZerno, de Moscou. Esta venda “é muito significativa” para a expansão do comércio de trigo da Rússia, disse Vladimir Petrichenko, diretor-geral da ProZerno. “Nesta safra, a Rússia deverá enviar mais trigo que nunca ao exterior, tornando-se o maior exportador do grão, segundo o USDA. O carregamento da Aston saiu do porto de Novorossiysk, no navio Ken Goh, e irá para Puerto Cabello, na Venezuela, informou em seu website o Centro Federal de Avaliação da Qualidade e Segurança do Grão da Rússia”, afirma o Valor.

Moagem de cana em alta na São Martinho

Com três usinas em São Paulo e uma em Goiás, com capacidade para processar cerca de 24 milhões de toneladas de cana por safra, o grupo São Martinho avalia que tem condições de moer uma quantidade de matéria-prima mais próxima desse teto na próxima safra (2018/19) se o clima dos próximos meses favorecer as lavouras. Atualmente, as usinas do grupo estão operando com cerca de 93% da capacidade instalada. Contudo, essa utilização pode chegar a 97% ou 98%, afirmou Felipe Vicchiato, diretor financeiro da empresa, em teleconferência realizada ontem com analistas. Ao Valor Econômico, o executivo explicou que a taxa atual de utilização ainda reflete o clima adverso do ano passado e que esse não é o padrão para a companhia. A estimativa de moagem para esta safra é de 22,3 milhões de toneladas de cana, enquanto a expectativa para o rendimento industrial é de 133,5 quilos de açúcares totais recuperáveis (ATR) por tonelada de cana moída. Sem novos aportes na parte industrial nesta safra, a empresa tem apostado no aumento da produtividade nas lavouras para otimizar o uso de suas usinas. Com a ocupação da área, que costuma ser destinada para desenvolver as mudas, os canaviais da empresa podem entregar 800 mil a 1,1 milhão de toneladas de cana adicionais por safra quando o sistema de mudas pré-brotadas por meiosi for adotado integralmente, estimou Vicchiato. A velocidade da fixação, porém, “não vai ser muito grande” e será feita “do ponto de vista da disciplina” para a programação financeira da empresa, afirmou ao Valor em teleconferência.

NA IMPRENSA

Mapa – Tecnologia de baixa emissão de carbono será discutida na Agroleite

Mapa – Mapa publica IN sobre inovações tecnológicas na fabricação de produtos de origem animal

MMA – Educação para o desenvolvimento sustentável

MMA – Ministério oferece novos cursos a distância

MMA – Controle do mercúrio entra em vigor

Embrapa – Pesquisa conserva diversidade de cavalos Pantaneiros

Embrapa – Começa o monitoramento das mosca-das-frutas nas regiões de Pelotas e na Serra Gaúcha

Câmara dos Deputados – Comissão de Agricultura discute regulamentação das Cotas de Reserva Ambiental

Senado Federal – Senado ratifica acordo de cooperação entre países produtores de cacau

Folha de S.Paulo – Bernardo Mello Franco – Dia de índio (ou de ruralista)

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Safra recorde faz valor de produção crescer no país

Valor Econômico – Rússia envia trigo à Venezuela em meio à escassez de alimentos

Valor Econômico – Governo volta a reduzir estimativa do valor da agropecuária para 2017

Valor Econômico – Batista quer retomar projeto do IPO de subsidiária nos EUA em 2018

Valor Econômico – Acordo de delação pode ser alvo de imbróglio jurídico

Valor Econômico – Moagem de cana em alta na São Martinho

Valor Econômico – Limite de crédito a cooperativa deve subir para R$ 800 milhões

Valor Econômico – JBS prevê ciclo positivo nos EUA até 2020

Valor Econômico – “Primeiro trimestre foi fundo do poço de rentabilidade da Seara”

G1 – JBS adia planos de IPO de negócios internacionais para o fim de 2018

G1 – Com 4,6 bilhões de litros por ano, Paraná concentra 13% da produção leiteira do país

Notícias Agrícolas – Brasil exporta café para 113 países nos sete primeiros meses de 2017

Notícias Agrícolas – Cenário de preços mais firmes para o milho em curto e médio prazos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »